Monthly Archives: dezembro 2015

#Dicas: Cuidados com fogos de artifícios para não estragar a festa de Réveillon

banners diversos_ ano novo-08

Muita gente comemora a passagem do ano com fogos de artifício, mas é preciso ter cuidado com o seu manuseio. Nesta época, o número de pessoas queimadas ou feridas por manipularem inadequadamente fogos de artifício aumenta bastante. Para evitar acidentes, algumas recomendações devem ser observadas, a começar pela compra desses artefatos. Antes de tudo, observe se o local de venda é credenciado e não adquira material clandestino. Nas lojas credenciadas, os vendedores são treinados para orientar aos usuários sobre as medidas de segurança. Estas casas possuem iluminação blindada contra explosões, extintores e porta corta-fogos para evitar a propagação de incêndios.

Confira algumas dicas para soltar fogos de artifício com segurança:

  1. Antes de usar um produto, leia cuidadosamente as instruções impressas nas embalagens e tenha cuidado ao segurar os fogos.
  2. Sempre use fogos em locais abertos; nunca atire fogos de lugares fechados, como carros ou residências;
  3. Sempre armazene fogos em local frio e seco;
  4. Não desmonte os fogos e nunca tente reutilizar aqueles que tenham falhado;
  5. Nunca atire fogos na direção de outras pessoas;
  6. Nunca faça experiências, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício;

Em caso de acidentes, procure socorro médico e, enquanto não houver atendimento no hospital, cubra a queimadura com um pano limpo. Não retire roupas grudadas, fragmentos de objetos ou graxas das lesões. Não use pomadas sem ordem médica, nem toque as lesões com as mãos. Se houver sangramento, faça um curativo com gaze ou um pano bem limpo.

Fonte: Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais

#Retrospectiva2015: Relembre as principais ações da SES-MG em 2015

Retrospectiva2015

Com o início de uma nova gestão do Governo de Minas Gerais em 2015, o secretário Fausto Pereira dos Santos toma posse na Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) dando como prioridade a retomada do papel regulador do estado, o diálogo com os municípios e o foco no fortalecimento da atenção primária como coordenadora de redes de atenção à saúde. Ao lado do governador Fernando Pimentel, e do então ministro da Saúde Arthur Chioro, o secretário inaugurou o complexo do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da região Macro Sul, no dia 30 de janeiro, em Varginha, beneficiando 153 municípios.

Já no mês de fevereiro, foi homologado o concurso público nº 02/2014  para o provimento de cargos das carreiras de ensino médio e superior do quadro de pessoal da SES-MG. Neste mesmo mês, um helicóptero equipado com UTI aérea entrou em ação em Belo Horizonte e região. A aeronave havia sido adquirida pela SES-MG em 2014, mas somente em 2015 começou a ser usada para atendimentos. Para tanto, foi firmada uma parceria com o SAMU de Belo Horizonte e o Corpo de Bombeiros.

No mês de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, a SES-MG lembrou os direitos à saúde da mulher garantidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tais como o direito à realização da mamografia, ao parto humanizado e ao pré-natal. Ainda no mês de março, a SES-MG esteve presente nos municípios de Alfenas, Betim, Coromandel, Formiga, Ibiá, Paraisópolis e São Sebastião do Paraíso, com a Força Tarefa de Combate à Dengue.

Em abril, durante, encontro com a imprensa mineira, o secretário Fausto Pereira dos Santos detalhou situação da saúde em Minas Gerais. Entre os assuntos abordados, foram destacados o déficit da pasta, a situação do SAMU e dos Hospitais Regionais no Estado, e problemas na Assistência Farmacêutica. No encontro, o secretário explicou que a prioridade da nova gestão seria fazer com que o cidadão tivesse acesso ao conjunto de serviços ofertados pelo SUS. Entre esses cidadãos, se incluem também os indígenas, lembrados neste mês por conta do Dia do Índio, em 19 de abril. Na data, a SES-MG lembrou o trabalho da Coordenadoria Estadual de Saúde Indígena e a Política Estadual de Saúde Indígena.

No quinto mês da nova gestão, o governador Pimentel anunciou a criação dos Fóruns Regionais de Governo, instâncias que asseguram a participação popular na elaboração, execução, monitoramento e avaliação de políticas públicas regionalizadas em Minas. Também no mês de maio, a SES-MG e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lançam e-book de cuidados para recém-nascidos de alto risco, e o secretário Fausto Pereira dos Santos apresentou os caminhos da nova gestão da saúde pública em Minas durante o Encontro Mineiro de Saúde.

No mês de junho, a SES-MG definiu regras e procedimentos para o funcionamento e licenciamento de estabelecimentos prestadores de serviços funerários públicos ou privados. A regulamentação abrange aspectos considerados importantes pela Vigilância Sanitária, como a manipulação e armazenamento de produtos químicos, a transmissão de doenças, a limpeza dos locais e a segurança dos profissionais. Também em junho, a SES-MG assinou contrato com o Hospital Risoleta Tolentino Neves para aumentar em R$ 1,5 milhão o valor do repasse mensal feito à instituição. O hospital já recebia mensalmente R$ 6,3 milhões da SES-MG e com o aditivo, passou a receber o total de R$ 7,8 milhões. Já no Dia da Imunização, lembrado em 09 de junho, a SES-MG destacou a importância das vacinas na proteção às doenças infectocontagiosas.

O mês de julho foi marcado pela ocorrência das primeiras conferências municipais de saúde começaram a ocorrer em todo o estado, em dezenas de municípios. Nos encontros, sociedade civil e trabalhadores da saúde debateram propostas para o SUS, que serviriam para nortear as decisões da 8ª Conferência Estadual de Saúde, a ocorrer no mês de setembro. Ainda em julho, no dia 11, foi publicada a segunda nomeação do concurso público nº 02/2014 para o provimento de cargos das carreiras de ensino médio e superior do quadro de pessoal da SES-MG.

A partir do dia 1° de agosto, a SES-MG passou a assumir a gestão da Assistência Hospitalar e Ambulatorial do município de Montes Claros, já com a transferência do gerenciamento dos R$ 136,9 milhões dos recursos da média e alta complexidade do Norte de Minas. Já no dia 03 deste mês, o secretário Fausto Pereira dos Santos, apresentou o Relatório de Gestão do SUS em Minas Gerais, referente ao 1º quadrimestre de 2015, durante audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa.  Ainda em agosto, a SES-MG destinou R$ 42,9 milhões para custeio de cirurgias eletivas no estado. O valor serviu para pagamento das cirurgias realizadas desde março de 2015, e para a realização de novas cirurgias até o fim de setembro. Também neste mês, os municípios mineiros passam a contar com mais autonomia para aquisição de medicamentos e insumos. A decisão segue a política de regionalização do Governo de Minas e vem oferecendo aos municípios a possibilidade de gerir seus recursos e adquirir medicamentos e insumos de acordo com suas necessidades.

Em agosto, também foi entregue à população de Ponte Nova a Farmácia Integrada, primeira a funcionar na cidade, beneficiando os cerca de 60 mil habitantes do município. Já em Governador Valadares e Teófilo Otoni, foram retomadas as obras de dois hospitais regionais. Juntos, eles terão capacidade de oferecer 650 leitos nas mais diversas especialidades médicas, beneficiando 2,7 milhões de mineiros. Para aqueles que vivem nas regiões Norte, Oeste e Triângulo Norte, 50 novos leitos de tratamento intensivo foram credenciados no estado. A expectativa é beneficiar uma população de cerca de 940 mil pessoas.

Com a chegada do mês de setembro, a SES-MG realizou o pagamento da primeira parcela referente aos serviços prestados pelos hospitais de Montes Claros, após efetivada a transferência da gestão hospitalar. Além disso, também no mês de setembro, o governador Fernando Pimentel anunciou a implantação do SAMU no território Triângulo do Norte, afim de auxiliar na prestação de atendimentos de urgência e emergência, assegurando qualidade e rapidez à população, com integração e cooperação com os Bombeiros.

O mês de setembro também foi marcado pela realização da 8ª Conferência Estadual de Saúde, que reuniu mais de 3 mil pessoas em Belo Horizonte, entre os dias 1º e 4 de setembro, para discutir sobre o tema “Saúde Pública de Qualidade para Cuidar Bem das Pessoas: Direito do Povo Brasileiro”. Inclusão social, diversidade e defesa do SUS marcaram o evento.

Em outubro, a Fundação Hemominas reuniu pesquisadores dos Estados Unidos para discutir doença falciforme. O projeto busca avaliar as melhores formas de tratamento para essa e outras doenças do sangue. Também em outubro, o governo de Minas Gerais propôs a criação do Conselho Estadual de Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CEC LGBT), órgão responsável pela elaboração e condução das políticas públicas voltadas para esses segmentos da população. Já em alusão ao Outubro Rosa, a SES-MG lembrou o trabalho realizado por meio dos caminhões equipados com mamógrafos. Realizando rota por regiões onde não há acesso ao exame, eles facilitam o diagnóstico precoce do câncer de mama.

No mês de novembroMinas Gerais recebeu a primeira Oficina Ortopédica Itinerante do país. A unidade funciona em um caminhão adaptado à produção de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, e permite, ainda, a confecção de adaptações, ajustes, e pequenos concertos em dispositivos já utilizados por pacientes. Em novembro, a assistência farmacêutica também foi reformulada no estado. No planejamento orçamentário para 2016, o nome “Farmácia de Minas” foi substituído por “Assistência Farmacêutica” e os recursos destinados ganharam reforço.

Ainda em novembro, o Ministro da Saúde de Cuba visitou Minas Gerais para acompanhar as atividades desenvolvidas pelos médicos no município de Contagem, onde 27 cubanos integram o Programa Mais Médicos. A SES-MG também lembrou, neste mês, o trabalho desenvolvido pela Ouvidoria de Saúde. Neste ano, a nova gestão da Ouvidoria está empenhada na elaboração de um projeto que propõe uma aproximação inédita com os movimentos sociais.

O mês de novembro também foi marcado pela tragédia ocorrida em decorrência do rompimento das barragens da mineradora Samarco, no município mineiro de Mariana. A SES-MG reuniu esforços de diversas equipes do SUS para auxiliar no atendimento às vítimas, desde o início ocorrido, contando com o apoio de profissionais das equipes de salvamento do SAMU, Coordenação de Urgência e Emergência, Atenção Primária, Vigilância Sanitária, Assistência Farmacêutica, entre outras.

Em dezembro, 137 hospitais de todo o estado receberam da SES-MG R$49 milhões em recursos para custeio das unidades. Hospitais da região de Mariana e Governador Valadares foram contemplados com aportes extras, devido ao reforço empenhado para atender as vítimas da tragédia de Mariana. Em Belo Horizonte, a primeira fase de obras do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, foi inaugurada. Mais conhecido como Hospital do Barreiro, a unidade contou com investimento da SES-MG no valor de R$ 45.646.336,61. Outro importante investimento da Secretaria de Saúde em Minas, foi a entrega de 275 veículos que serão utilizados para a melhoria da assistência à saúde em diversos municípios mineiros. Leia mais sobre o assunto, clicando aqui e aqui.

O mês de dezembro também foi marcado pela realização da 15ª Conferência Nacional de Saúde, em Brasília, que teve como objetivo discutir e construir propostas para o fortalecimento do SUS em todo o país. A SES-MG também reuniu os gestores das Regionais de Saúde, a fim de discutir e avaliar as ações de 2015 e iniciar o planejamento das ações do próximo ano. Ainda em dezembro, no dia 17/12, tiveram início os trabalhos do Seminário de Gestão Participativa da SES-MG. A iniciativa foi idealizada pelos próprios trabalhadores da secretaria como um espaço para o debate e a construção de processos de trabalho mais participativos.

Também em dezembro, Minas Gerais instala o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika Vírus. Complementando as ações já realizadas e visando envolver os demais setores do Governo, o Comitê tem como objetivo propor, articular, coordenar e avaliar ações destinadas ao controle do vetor, reduzir a incidência das doenças e seus efeitos e auxiliar a pesquisa relacionada às ações de vigilância, prevenção, atenção à saúde e controle das doenças provocadas pelo mosquito Aedes Aegypti.

#SaúdeEntrevista: Especialista esclarece dúvidas sobre a Síndrome de Guillain-Barré

Banner blog_Guillain Barre-07

A Síndrome de Guillain-Barré (SGB) – também conhecida como Polirradiculopatia Aguda Imunomediada, é uma doença neurológica, de origem autoimune, que provoca fraqueza muscular generalizada e que, em casos mais graves, pode até paralisar a musculatura respiratória, impedindo o paciente de respirar, levando-o à morte.

Para falar mais sobre este assunto, o médico neurologista Abelardo Araújo, chefe do Laboratório de Pesquisa Clínica em Neuroinfecções do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), da Fiocruz, esclarece o que é a Síndrome de Guillain-Barré, seus sintomas e tratamento. Acompanhe a entrevista:

1) O que é a síndrome de Guillain-Barré?

A Síndrome de Guillain-Barré (SGB) é uma condição neurológica de natureza autoimune na qual o nosso organismo produz, de forma anormal, anticorpos que atacam o envoltório natural dos nervos periféricos (a chamada bainha de mielina). Isso faz com que o impulso nervoso seja transmitido de forma extremamente lenta através destes nervos.

Essa lentificação na condução dos impulsos nervosos é a causa dos sintomas apresentados pelos pacientes. Acredita-se que algum fator prévio, seja traumático ou infeccioso, produza uma desregulação imunológica que faz com que o organismo monte uma reação cruzada entre partes do agente causador inicial (bactérias, vírus, etc.) e o sistema nervoso. O sistema imune passa então a atacar os nervos como se estivesse atacando o agente que iniciou a reação imunológica.

A SGB pode ser consequência de várias causas (infecções virais diversas, infecções bacterianas, vacinações, cirurgias, anestesias, traumas, etc.). Aproximadamente 2/3 dos pacientes descrevem alguma infecção prévia (respiratória ou gastrointestinal) que antecede o início do quadro neurológico. Esta síndrome não é uma enfermidade nova, sendo conhecida pela medicina desde 1916, quando foi descrita por Guillain, Barré e Strohl em dois soldados franceses na 1ª Guerra Mundial.

2) Quais são os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré?

A SGB pode acometer qualquer faixa etária e sua incidência é de 1-2 casos para cada 100.000 habitantes por ano. A doença tem início agudo (em horas ou dias) e se caracteriza por uma fraqueza muscular ascendente (começando nas pernas e subindo para os braços). Esta fraqueza é variável, podendo se caracterizar por uma leve incapacidade de movimentação ou até a completa e total paralisia dos membros, da face, da musculatura da deglutição, da fonação e dos músculos respiratórios. Em 10 a 30% dos casos haverá paralisia respiratória fazendo com que o paciente necessite de ventilação artificial.

Embora o quadro motor (de fraqueza muscular) predomine, são frequentes as dormências e formigamentos nas mãos e nos pés. Na fase aguda os pacientes podem também se queixar de dores nas costas e nos membros. Em 70% dos indivíduos pode haver alterações na pressão arterial e no ritmo cardíaco o que pode, se não tratadas, levar à morte súbita.

A SGB, portanto, pode ser considerada uma emergência neurológica que exige internação hospitalar e tratamento em unidade de terapia intensiva uma vez confirmada. A doença evolui com piora progressiva em duas a quatro semanas, passando então a um período variável de estabilização e de melhora progressiva ao longo de meses.

3) Pode-se confirmar a relação entre o aumento do número de casos dessa Síndrome com o vírus zika?

É uma possibilidade epidemiológica real, pois sempre haverá a suspeita de um nexo causal toda vez que se comprovar o aumento no número de casos de SGB surgindo em paralelo a alguma epidemia de qualquer infecção em uma determinada população.

4) Quanto tempo após a infecção pelo Zika Vírus, ou por qualquer outro vírus, podem aparecer os primeiros sintomas da síndrome de Guillain-Barré?

Em geral, a doença se manifesta de duas a quatro semanas, mas em certos casos chegou a aparecer em até 12 semanas.

O médico neurologista Abelardo Araújo esclarece dúvidas sobre a sobre a Síndrome de Guillain-Barré. Foto: Agência Fiocruz.

O médico neurologista Abelardo Araújo esclarece dúvidas sobre a sobre a Síndrome de Guillain-Barré. Foto: Agência Fiocruz.

5) Crianças e adultos apresentam os mesmos sintomas durante a Síndrome de Guillain-Barré? Qual é o tratamento?

Sim, mas as crianças evoluem melhor que os adultos. A doença tem curso mais benigno e a recuperação é mais rápida. O tratamento na fase aguda é baseado na infusão de altas doses de gamaglobulina endovenosa ou através de um método de filtração do sangue chamado Plasmaferese. Na fase de recuperação a fisioterapia é fundamental.

6) A pessoa que apresentar a síndrome de Guillain-Barré pode ter sequelas permanentes? Quanto tempo podem durar os sintomas?

Sim, em 15% dos casos há alguma sequela persistente. Os pacientes podem piorar continuamente por períodos que variam de duas a quatro semanas e depois o quadro torna-se estável.

7) A síndrome de Guillain-Barré pode ser transmitida?

Não. A SGB não é uma doença transmissível ou contagiosa de pessoa a pessoa, mas sim uma manifestação autoimune. Em geral, os adultos são mais suscetíveis a desenvolver a SGB.

8) A Síndrome aparentemente associada ao vírus zika tem se apresentado da mesma maneira que quando associada a outros vírus?

Até onde se sabe tem o mesmo perfil geral dos outros casos de SGB, no entanto mais estudos são necessários. Estamos numa fase muito inicial de pesquisas e avaliações.

 

Por Juana Portugal (INI/Fiocruz/Agência Fiocruz de Notícias)

#Dicas: O que fazer com as sobras da ceia de Natal?

blog_natal_4

A sua Ceia de Natal foi especial, mas sobrou muita comida? Aprenda a armazenar e reaproveitar o que sobrou da festa, porque jogar fora, nem pensar, né?

A primeira dica é: não coloque na mesa toda a comida que foi preparada para a ceia. Ainda que os pratos tenham sido preparados com cuidado e higiene, a exposição por muito tempo na mesa, e até mesmo a movimentação em volta da comida – as pessoas falam, espirram, tossem, mexem no cabelo – pode contaminar os alimentos. O ideal é servir os preparos em recipientes menores, fechados, e deixar na mesa a quantidade proporcional do número de convidados. Assim, o que não foi para a mesa pode ser servido, fresco, no dia seguinte.

Outro foco frequente de problema com as sobras é não reaquecer adequadamente os pratos quentes antes de servi-los. Não adianta apenas dar uma “esquentadinha”. Para ser servido com segurança, o alimento precisa ser aquecido a uma temperatura superior a 70 graus.

Por fim, para não ter que comer o mesmo prato da ceia a semana toda, você pode usar as sobras de carne, legumes e arroz e preparar outras receitas. Arroz de forno, risotos, farofas e, até mesmo sopas deliciosas e nutritivas podem ser feitas com a comida que sobrou da ceia. Para isso, alimentos como carnes, legumes e massas podem ser congelados por até 90 dias. As exceções são para a salada de maionese e salpicão. Esses itens devem ser produzidos em quantidade adequada para o consumo imediato, por serem muito perecíveis.

#TOP5: Como manter uma alimentação saudável durante a ceia

blog_natal_3

As festas de fim de ano são um perigo para a alimentação saudável. É nesta época, que, geralmente, tendemos a cometer os maiores excessos alimentares. Para que o Natal seja mais gostoso e sem remorsos, siga essas dicas de uma ceia mais saudável:

REBRATS lança aplicativo gratuito para integrar profissionais de Saúde

Rebrats_aplicativo_2015

A Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (REBRATS) lançou, recentemente, um aplicativo pretende aproximar pesquisadores, gestores e profissionais de saúde dos mais diversos assuntos que envolvem saúde pública e privada. Lançado pela Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (Rebrats), coordenada pelo Ministério da Saúde, a novidade dá acesso, direto dos tablets e smartphones (Android e iOS), a resultados de estudos, eventos no Brasil e no mundo, cursos e chamadas para editais, entre outras informações. O aplicativo é gratuito e está disponível na App Store e no Google Play.

A Rebrats busca estabelecer uma ponte entre pesquisa, política e gestão em saúde por meio da produção de informações para a tomada de decisão baseada nas melhores evidências científicas. A Rede elabora e dissemina estudos de Avaliação de Tecnologias em Saúde prioritários para o sistema de saúde brasileiro, bem como promove atividades de formação e educação continuada na área.

Segundo o Coordenador Geral de Avaliação de Tecnologias de Saúde do Ministério da Saúde, Tazio Vanni, “é fundamental que em países continentais como o Brasil se utilizem tecnologias de informação e comunicação para integração da pesquisa, gestão e políticas de saúde”, afirma. “Neste sentido, a Rede desenvolveu o aplicativo e tem buscado a atualização constante de seus meios de comunicação, como sua plataforma (rebrats.saude.gov.br) e mídias sociais”, acrescenta.

Fazem parte da Rebrats instituições de ensino e pesquisa, públicas e privadas, que realizam atuam no campo da avaliação de tecnologias em saúde, instituições gestoras do SUS e da saúde suplementar envolvidas com avaliação e gestão de tecnologias em saúde, e hospitais de ensino ou unidades prestadoras de serviços e hospitais filantrópicos.

Fonte: Agência Saúde.

#Dicas: Compra de brinquedos para crianças exige cuidados

blog_natal_2

 

Natal é tempo de reflexão, partilha e celebração em família; mas não dá pra negar que a festa também é sinônimo de presentes, e para as crianças, presente é sinônimo de brinquedo! Porém, a compra de um brinquedo envolve atenção a alguns cuidados. Quando esses são inadequados ou inapropriados para a idade das crianças podem trazer sérios riscos à saúde.

Por isso, o Blog da Saúde MG preparou algumas recomendações para que você possa comprar brinquedos de forma adequada para a idade da criança; confira:

  1. Verifique se o brinquedo contém o selo de segurança fornecido pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).
  2. Adquira o brinquedo de acordo com a faixa etária ou idade da criança. Por lei, os fabricantes devem transmitir essa informação no rótulo;
  3. Verifique se a embalagem do brinquedo possui informações sobre o fabricante (nome, CGC, endereço);
  4. Atenção aos brinquedos que possuem partes cortantes ou pontiagudas, que podem ocasionar ferimentos; e aqueles que possam levar a sufocamento, como cordas, balões ou peças muito pequenas;
  5. Brinquedos que imitam alimentos podem confundir a criança, e ela pode tentar comê-lo. Evite também artigos elétricos, que são ligados em tomadas, com elementos de aquecimento, pilhas e baterias para crianças pequenas.

 

Fonte: INMETRO

#TOP5: Cinco dicas para ter um verão mais saudável

verao-saudavel-2015

O Verão começa oficialmente nesta terça-feira (22/12), quando ocorre o Solstício de Verão, conhecido como o dia mais longo do ano. A entrada do Verão marca também o maior dia e a menor noite do ano, por isso todo cuidado é pouco em relação à exposição aos raios ultravioletas. É preciso moderação!

A luz do sol faz bem para a saúde por liberar vitamina D. Trata-se de uma substância que aumenta a absorção de cálcio e fósforo a partir dos alimentos ingeridos, além de fortalecer a formação óssea e ajudar na produção de células sanguíneas. Os especialistas recomendam que o ideal é pegar sol no mínimo três vezes por semana, em média durante 15 a 20 minutos, sempre antes das 10 horas da manhã. Abaixo, confira algumas dicas para ter um verão mais saudável:

» Caso você não consiga ver a lista completa, clique aqui.

#NatalSaudável: Doe sangue e ajude a salvar vidas

A doação de sangue é um ato de amor e solidariedade que todo cidadão pode ter. Para doar sangue, é importante estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50kg e ter entre 18 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos. Recentemente, jovens que completaram 16 anos começaram a poder doar mediante autorização dos responsáveis.

Na hora da doação, é importante estar descansado e evitar alimentação gordurosa algumas horas antes, mas o doador não deve estar de jejum. O simples procedimento dura cerca de 40 minutos. Normas nacionais e internacionais norteiam os procedimentos de doação de sangue para dar segurança e proteção, tanto para o doador como para o receptor.

A bolsa coletada pode ser fracionada nos seguintes componentes sanguíneos: concentrados de hemácias e de plaquetas, plasma e crioprecipitado. Por isso, um único doador pode beneficiar até quatro pessoas. Após a coleta, o sangue passa por diversos tipos de testes e as unidades que apresentam reatividade sorológica, ou seja, possuem resultado positivo para doenças transmissíveis, são descartadas.

Algumas situações específicas impossibilitam a doação de sangue temporariamente ou de forma definitiva. Pessoas que tiveram evidências clínicas ou laboratoriais de doenças transmissíveis pelo sangue, como hepatites B e C, aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II, doença de chagas, ou que já fizeram uso de drogas ilícitas injetáveis, por exemplo, não podem doar sangue definitivamente.

Febres e resfriados também impedem a ação até que o doador melhore, enquanto a vacina da gripe pode impedir a doação por um período que varia de 48 horas a 4 semanas, dependendo da vacina utilizada. Grávidas podem doar 90 dias após o nascimento do bebê em caso de partos normais e 120 dias em casos de cesárea. Quem fez tatuagens deve esperar de 6 meses a 1 ano para poder doar, devido ao critério técnico para garantir a segurança do sangue doado.

O cuidado visa assegurar a qualidade do sangue e evitar a janela imunológica, ou seja, o período em que exames laboratoriais não conseguem identificar a presença do vírus HIV ou de hepatites, por exemplo, em amostras de sangue de uma pessoa infectada.

Receptores

As unidades de sangue doadas atendem tanto emergências de pessoas que se feriram em acidentes graves quanto pessoas que possuem doenças crônicas, como a Talassemia e a doença falciforme. Uma pessoa com Talassemia, por exemplo, pode precisar de transfusão de sangue até 18 vezes em um ano. Ainda, pessoas com vários tipos de câncer e quem se submetem a cirurgias eletivas de grande porte também podem precisar da sua doação. Em 2012, os postos de coleta de sangue de todo o Brasil receberam 3.637.775 bolsas de sangue. No mesmo ano, foram realizadas mais de 3 milhões de transfusões de sangue.

É importante lembrar que se você quiser apenas fazer um exame para Aids, não doe sangue. Neste caso, procure um Centro de Testagem Anônima e gratuita. E, caso você não possa doar sangue, divulgue informações sobre doação, motive outras pessoas e procure o hemocentro mais próximo para auxiliar em coletas. Incentive este ato de amor e solidariedade e ajude a salvar vidas também! Veja mais detalhes no infográfico, abaixo:

infografico-o-caminho-do-sangue-doado

Fonte: Portal Brasil.