#ZikaVírus: Saiba mais sobre sintomas e formas de prevenção

By | 5 de dezembro de 2015

 

12316587_1000717839984306_5900975787365782586_n

O Zika Vírus é uma doença viral crônica, transmitida pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito transmissor da Dengue. Os sintomas caracterizam-se por febre baixa, olhos vermelhos sem secreção e sem coceira, dores nas articulações, manchas ou erupções na pele com pontos brancos ou vermelhos, dores musculares, dores de cabeça e nas costas.

O período de incubação da doença é de, aproximadamente, quatro dias até que os sintomas comecem a se manifestar. Esses sintomas podem durar até sete dias. Para os casos sintomáticos, o tratamento é baseado no uso de paracetamol (acetaminofeno) ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. Para o tratamento adequado e gratuito, é importante se dirigir a uma Unidade Básica de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Pela primeira vez na literatura médica mundial, foi relacionado o Zika Vírus aos casos de microcefalia. Desde o dia dia 11 de novembro, o Ministério da Saúde, por meio de portaria, estabeleceu que a microcefalia deveria ser tratada como evento de emergência de saúde pública, tornando obrigatória a notificação dos casos no país. A primeira etapa desse protocolo é um questionário de investigação da gestante. De acordo com as informações coletadas, é atribuído se essa gestante encontrava-se em situação de risco.

Para o monitoramento da entrada do Zika vírus em Minas Gerais e em consequência aos casos de microcefalia ocorridos nos estados do Nordeste, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está cumprindo os protocolos do Ministério da Saúde e reativando a vigilância sentinela, que são equipes das unidades de saúde tecnicamente treinadas para identificar os sintomas agora ligados ao Zika vírus e encaminhar para a análise. Ainda não há vacinas contra o Zika vírus, então a melhor forma de evitar a doença é reforçar as ações de controle e enfrentamento ao Aedes Aegypti, identificando e eliminando os focos do mosquito.

» Clique e saiba mais sobre a nova campanha “10 Minutos Contra a Dengue”.

» Clique e saiba como evitar a reprodução do Aedes Aegypti.

Deixe uma resposta