Monthly Archives: março 2016

#Curiosidade: Aplicativo mostra o Mapa de Feiras Orgânicas no Brasil

banner_aplicativo_MSD

Como é eu faço para localizar locais que vendem alimentos orgânicos? Para responder esta pergunta foi criado o aplicativo Mapa de Feiras Orgânicas no Brasil, disponível para Android e iOS. A iniciativa faz parte da campanha Brasil Saudável e Sustentável, realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) em parceria com outros órgãos de governo, prefeituras e sociedade.

O aplicativo é gratuito e identifica as feiras que vendem produtos orgânicos e agroecológicos em todo país, cadastradas pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a partir do site Mapa de Feiras Orgânicas. O app identifica o ponto de venda mais próximo com a ajuda da geolocalização, traçando rotas para chegar ao local escolhido.Estão cadastrados mais de 500 pontos de comercialização de orgânicos e agroecológicos em todo o país. Deste total, 90% são feiras.

A ferramenta, que é colaborativa, é atualizada constantemente e a tendência é de que esta quantidade cresça ainda mais. O aplicativo também traz receitas com alimentos regionais e de época, além de obter informações sobre os ingredientes. Todas as receitas foram retiradas do livro Alimentos Regionais Brasileiros, do Ministério da Saúde.

#EAD: Inscrições abertas para o curso “Programa Bolsa Família na Saúde”

banner_bolsa familia

Desde o dia 28 de março estão abertas as inscrições para o curso no modelo de educação a distancia sobre o “Programa Bolsa Família na Saúde”. A capacitação foi desenvolvida pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição, em parceria com o Departamento de Informática do SUS (DATASUS). O curso é destinado aos profissionais que atuam nos municípios e estados brasileiros na execução de ações de monitoramento e acompanhamento das famílias beneficiárias. No primeiro semestre de 2016 serão disponibilizadas mais três turmas, conforme calendário abaixo:
Abril – Turma 2: 25 a 29/4
Maio – Turma 3: 16 a 20/5
Junho – Turma 4: 13 a 17/6

Os interessados devem se cadastrar neste link. Após finalizar o cadastro, será enviada mensagem para o e-mail com as instruções para finalização do procedimento. O aluno deve digitar seu usuário e senha (criados no momento do cadastro) e clicar no campo “Acesso” para visualizar os cursos disponíveis, entre os quais haverá o Bolsa Família na Saúde. As inscrições ficarão abertas até completar o número máximo de 600 participantes. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail: bfasaude@saude.gov.br

#CriançasContraZika: confira o videoclipe “O Odioso do Egito”, de Zeca Baleiro

banner_crianças contra a zika

A educação e a música são importantes aliadas no desafio de mobilizar a população para o combate ao Aedes aegypti e aos vírus Zika, da Dengue e da Chikungunya. Pensando nisso, o Ministério da Saúde lança nesta quarta-feira (30/3) o projeto “Crianças contra Zika”, usando a música para ampliar os conhecimentos sobre as doenças e formas de prevenção.

O projeto é formado por uma série de seis videoclipes, com diferentes técnicas de animação e canções elaboradas por músicos brasileiros, que abordam o vírus Zika e o combate ao Aedes aegypti, a fim de incentivar crianças e adultos a adotar atitudes contra o mosquito. O material será veiculado semanalmente pelo SBT, como parte da programação infantil, por meio da plataforma SBT do Bem.

Os artistas convidados André Abujamra, Zeca Baleiro, Hélio Ziskind, Arnaldo Antunes, Xis, Marisa Orth e Palavra Cantada compuseram e interpretaram as canções, sob a curadoria musical de André Abujamra. Também participa do projeto a cineasta Baboo Matsusaki, que assina a abertura e o encerramento do filme “O Menino e o Mundo”, indicado ao Oscar 2016, como melhor longa de animação.

Hoje, você assiste ao videoclipe “O Odioso do Egito”, de Zeca Baleiro:

#Curiosidade: Você sabe a diferença entre gripe e resfriado?

banner_vacina_gripe_2016_1C

Foto: iStock / Reprodução.

Pegou uma gripe? Tem certeza? Os sintomas como nariz entupido, espirros, dores de cabeça e no corpo podem caracterizar a gripe ou resfriado. Você sabe a diferença? A gripe ou influenza é causada por um vírus e geralmente é caracterizada por febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca.

A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar.

O resfriado também é uma doença respiratória frequentemente confundida com a gripe, mas é causado por vírus diferentes, sendo os mais comuns associados ao resfriado os rinovírus, os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (RSV), que geralmente acometem crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com da gripe, são mais brandos e duram menos tempo, entre dois e quatro dias. Os sintomas incluem tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo e dor de garganta leve.

A ocorrência de febre é menos comum e, quando presente, é em temperaturas baixas. Para evitar pegar doenças respiratórias, seja gripe ou resfriado, é bom sempre manter alguns hábitos de higiene como lavar as mãos, utilizar lenço descartável para limpar o nariz, não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas, manter os ambientes bem ventilados e evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe. É fundamental também cobrir o nariz ao tossir e espirrar. Mas não use a mão para isso. Cubra o rosto com área interna entre o braço e o antebraço, onde fica o cotovelo. Assim, você evita tocar em objetos com as mãos cheias de vírus que podem contaminar outras pessoas.

H1N1: O H1N1, comumente chamada de gripe suína, é provocada pelo vírus H1N1. Ele é resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus humano da gripe, do vírus da gripe aviária e do vírus da gripe suína, que infectaram porcos simultaneamente. Ela requer cuidados especiais, pois a pessoa apresenta febre alta, acima de 38 ou 39 graus, de início repentino, dor muscular, de cabeça, de garganta e nas articulações, irritação nos olhos, tosse, coriza, cansaço e inapetência. Em alguns casos, também podem ocorrer vômitos e diarreia. Ela se dá pelo contato direto com os animais ou com objetos contaminados e de pessoa para pessoa, por via aérea ou por meio de partículas de saliva e de secreções das vias respiratórias.

Vacinação: A vacinação é uma das melhores formas de proteção contra a gripe. A campanha de vacinação contra a influenza acontece em todo o país do dia 30 de abril a 20 de maio, sendo o dia 30 de mobilização em todo o país. A partir do dia 1º de abril, inicia o envio da vacina contra a influenza de 2016. A entrega aos municípios, por sua vez, é responsabilidade dos estados. Nas três primeiras remessas (1º a 15 de abril), os estados receberão 25,6 milhões de doses, que corresponde a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano. Desse montante, serão entregues 5,7 milhões de doses para São Paulo. Com o recebimento das vacinas, os estados podem definir estratégias de contenção, conforme suas análises de risco, para a vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional.

Fonte: Gabriela Rocha / Blog da Saúde / Ministério da Saúde.

#TuberculoseTemCura: Incidência da tuberculose cai 20,2% no Brasil em uma década

banners-tuberculose-02

Nos últimos 10 anos, a incidência de casos de tuberculose no Brasil reduziu 20,2%, passando de 38,7 casos/100 mil habitantes em 2006 para 30,9 casos/100 mil habitantes em 2015. Já a taxa de mortalidade passou de 2,2 óbitos para cada 100 mil habitantes, em 2014, contra 2,6 registrados em 2004.

Os dados constam novo boletim epidemiológico, divulgado pelo Ministério da Saúde no Dia Mundial de Combate à Tuberculose (24/03). O Brasil conseguiu atingir as metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose com três anos de antecedência e, no ano passado, aderiu ao compromisso global de redução de 95% dos óbitos e 90% do coeficiente de incidência da doença até 2035.

Em relação ao número de casos novos, a redução nos últimos 10 anos foi de 12,5%. Em 2015, foram notificados 63.189 casos em todo o país, contra 72.213 em 2006. A tuberculose tem cura e o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza, gratuitamente, o tratamento, que tem a duração mínima de seis meses e deve ser realizado sem interrupção. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, atualmente, existam no mundo nove milhões de casos novos da doença.

O principal sintoma da tuberculose é a tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro. Qualquer pessoa com esse sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico. São mais vulneráveis à doença as populações indígenas, presidiários, moradores de rua – estes devido à dificuldade de acesso aos serviços de saúde e às condições específicas de vida ; além das pessoas vivendo com o HIV. Dentre as pessoas com diagnóstico confirmado de tuberculose, 9,7% apresentaram com infecção por HIV em 2015.

Teste Rápido

Em 2014, o Ministério da Saúde implantou no país uma rede de diagnóstico da doença, denominada Rede de Teste Rápido para Tuberculose (RTR-TB), utilizando a técnica de biologia molecular PCR em tempo real. Denominado “Gene Xpert”, o teste detecta a presença do bacilo causador da doença em duas horas e identifica se há resistência ao antibiótico rifampicina, usado no tratamento.

Foram distribuídos 160 equipamentos para laboratórios de 92 municípios, em todas as unidades da federação. Os municípios escolhidos notificam, anualmente, cerca de 60% dos casos novos de tuberculose diagnosticados no país. Para 2016, está prevista a aquisição de 70 novos equipamentos, com capacidade para realizar, inicialmente, 250 mil testes. Os diagnósticos serão distribuídos de acordo com critérios técnicos e operacionais, para municípios brasileiros. Com a medida, o percentual de diagnóstico da doença será ampliado para cerca de 75% de cobertura de casos novos.

 

Fonte: Ministério da Saúde.

#PáscoaSaudável: Consumo de chocolate deve ser feito com moderação

Arte: Maycon Portugal

Arte: Maycon Portugal

A época de Páscoa é sempre recheada de chocolates. Não podemos negar que é uma delícia, mas os chocolates são alimentos ultraprocessados e podem conter alto teor de açúcar e gordura. Por isso, é preciso consumi-los com moderação.

O consumo exagerado de chocolate produto pode provocar excesso de peso e outros distúrbios relacionados, como aumento da glicemia. Também há risco de irritações na pele, no estômago e na mucosa intestinal. A grande quantidade de gordura presente na maioria dos ovos de Páscoa também pode provocar diarreia.

Quem procura opções mais saudáveis deve optar por chocolates caseiros, preparados em casa, sem aditivos, com baixo teor de açúcar e com alto teor de cacau (acima de 70%). O cacau é um alimento muito saudável e possui vários benefícios.

O doce tem ácido oleico, o mesmo encontrado no azeite de oliva, e se consumido em quantidades moderadas pode contribuir para a elevação do bom colesterol (HDL) e a diminuição do colesterol ruim (LDL). O chocolate também é rico em flavonóides com propriedades antioxidantes, as mesmas encontradas no vinho tinto. Consumido com moderação e dentro de uma dieta equilibrada, o produto age como antioxidante e protetor do sistema cardiovascular. Também é considerado um antidepressivo natural, evita os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) e é um estimulante energético.

#FicaADica

Para evitar a tentação do excesso, não deixe os ovos de Páscoa e chocolates ao alcance da mão, seja em casa, no ambiente de trabalho ou de estudo. As pessoas tendem a comer mais que o necessário quando estão diante de grandes quantidades de alimentos ou quando há oferta de grandes porções. Assim, caso você tenha ganhado uma grande quantidade de chocolate, a nossa dica é compartilhar, um modo simples de redobrar este prazer e evitar que se coma uma grande quantidade.

Atenção!

Crianças menores de dois anos devem evitar o consumo de guloseimas, incluindo chocolate, nos primeiros anos de vida. Uma dica para os pais é: um ovo de 300 gramas deve ser dividido em oito partes. A criança que ganhou de presente deve consumir uma parte por dia. Acima desta quantidade, há risco à saúde.

Fonte: Blog da Saúde

#Capacitação: Santa Casa de Montes Claros promove curso nas áreas de urgência e emergência

Divulgação Santa Casa de Montes Claros

Divulgação Santa Casa de Montes Claros

A cada cinco anos, a American Heart Association (AHA), atualiza as diretrizes do suporte avançado de vida que devem ser seguidas pelos profissionais da área de saúde em todo o mundo. Seguindo essas orientações, a Santa Casa de Montes Claros, maior hospital do Norte de Minas e que presta serviços à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), está realizando, até o dia 24 de março, reciclagem sobre Atendimento Cardiovascular de Emergência e Ressuscitação Cardiovascular.

O curso está sendo ministrado em parceria com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu Macro Norte), envolvendo a participação de 150 enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos em enfermagem. O Samu Macro Norte integra o Consórcio Intermunicipal de Urgência e Emergência do Norte de Minas (Cisrun), que recebe aporte de recursos financeiros do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), para manter o atendimento das demandas da população.

A enfermeira Priscila Mendes, coordenadora do treinamento na Santa Casa, explica que o objetivo da reciclagem é aprimorar as técnicas utilizadas pelos profissionais durante atendimento emergencial. “Com a atualização do protocolo internacional, que determina como deve ser o atendimento de urgência e emergência, a orientação repassada faz diferença nos procedimentos práticos”, explicou a enfermeira. Por sua vez, a auxiliar de enfermagem Fabíola da Silva Monteiro avalia que a reciclagem se constitui numa oportunidade para se adaptar às novas diretrizes. “O treinamento reforça nosso aprendizado, uma vez que são informações precisas. Trabalho na cardiologia, que é uma área imprevisível, então, conhecer as novas orientações faz diferença na maneira de como agir em uma situação de emergência”, ressaltou Fabíola.

Por Pedro Ricardo

#10MinContraADengue: Qual é a diferença entre casos notificados, suspeitos e confirmados?

banner_duvida_casos

Muita gente não sabe, mas os profissionais de saúde, bem como os responsáveis pelos estabelecimentos públicos e particulares de saúde e de ensino em saúde, são obrigados a comunicar aos gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) a ocorrência de casos suspeitos ou confirmados das doenças de notificação compulsória – como o são as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti: Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, em conformidade com a Lei nº 6259/1975. O sistema de vigilância epidemiológica é de fundamental importância para que as ações de enfrentamento ao mosquito possam ocorrer de forma eficaz, evitando a ocorrência de novos casos, de complicações ou mesmo de óbitos.

Com o crescimento do número de casos de Dengue, bem como o surgimento de novas doenças transmitidas pelo mesmo mosquito vetor, tem acendido um debate na imprensa sobre os números de casos divulgados pelos órgãos públicos. Para esclarecer um dos pontos cruciais dessa questão, que diz respeito ao funcionamento do processo de notificações dessas doenças entre as secretarias municipais, estaduais e o Ministério da Saúde, o Blog da Saúde MG vem esclarecer a diferença entre caso notificado, caso suspeito e caso confirmado. Confira:

CASO NOTIFICADO: É a comunicação oficial, à autoridade sanitária competente, da ocorrência de determinada doença. Quando essas são de particular importância para a saúde pública, como são a Dengue, o Zika Vírus e a Chikungunya, a notificação deve ser feita inclusive dos casos suspeitos, uma vez que requerem investigação epidemiológica e a aplicação de medidas assistenciais especiais.

CASO SUSPEITO: É considerado um caso suspeito de alguma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo transmissão de Dengue ou tenha a presença de Aedes aegypti, que apresenta febre, usualmente entre 2 e 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náusea, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor de cabeça e nos olhos, entre outros sintomas. Os casos suspeitos podem ser descartados a partir de um diagnóstico laboratorial negativo – cujas amostras tenham sido coletadas no período adequado; quando não há critério de vínculo clínico-epidemiológico, ou quando se tratar de um caso cujas investigações clínica e epidemiológica são compatíveis com outras patologias.

CASO CONFIRMADO: É todo caso suspeito da doença confirmada laboratorialmente (sorologia IgM, NS1 teste rápido ou ELISA, isolamento viral, PCR, Imunohistoquimica).

Orientações do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde orienta que no curso de uma epidemia, a confirmação pode ser feita através de critério clínico-epidemiológico, exceto nos primeiros casos da área, ou quando se tratar de casos graves, que deverão ter confirmação laboratorial. Na impossibilidade de realização de confirmação laboratorial específica, deve se considerar confirmação por vínculo epidemiológico com um caso confirmado laboratorialmente. Durante surtos, também se considera caso confirmado de dengue aqueles casos notificados que não puderam ser investigados, pois se considera que todos possuem vínculo clínico-epidemiológico.

 

#Curiosidade: Quais são os benefícios da água para a nossa saúde?

banner_importancia_agua

A água é vital para o nosso organismo. Ela é responsável pelo equilíbrio térmico do corpo, além de realizar o transporte de nutrientes para as células através do sangue e promover a limpeza e a desintoxicação do organismo. Por isso, é preciso ficar atento à regularidade da hidratação, principalmente durante os períodos mais secos do ano. Além disso, o total de água existente no corpo humano corresponde a três quartos do peso na infância e a mais da metade na idade adulta.

De acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira, a quantidade de água que precisamos ingerir diariamente é variável, pois depende de alguns fatores, como a idade e o peso da pessoa, a atividade física que ela realiza e o clima e a temperatura do ambiente onde ela vive. Nos idosos, a desidratação pode gerar um maior risco de quedas, infecções no trato urinário, doenças dentais, distúrbios broncopulmonares, pedras nos rins, câncer, constipação e perda da função cognitiva.

Para algumas pessoas, a ingestão de dois litros de água por dia pode ser suficiente, outras precisarão de três ou quatro litros ou mesmo mais, como no caso dos esportistas. A recomendação do Guia com relação à quantidade de água que devemos ingerir é extremamente simples: a quantidade que o organismo pedir. Também ingerirmos água quando consumimos alimentos e preparações culinárias. Por exemplo, a maioria das verduras e legumes cozidos ou na forma de saladas têm mais do que 90% do seu peso em água.

A maioria das frutas contém entre 80% e 90% de água, assim como o leite e a maioria das sopas. Após cozimento, macarrão, batata ou mandioca têm cerca de 70% de água. Um prato de feijão com arroz é constituído de dois terços de água e preparações à base de carne têm em geral mais de metade do seu peso em água.

O Guia Alimentar da População Brasileira ressalta que refrigerantes e vários tipos de bebidas adoçadas possuem alta proporção de água, no entanto, não são opções saudáveis, pois são repletos de açúcar e vários aditivos. Razão pela qual não podem ser consideradas fontes adequadas para hidratação. A recomendação geral que a hidratação provenha predominantemente do consumo de água in natura e da porção contida nos alimentos e preparações culinárias.

Desidratação

Tomar cuidados especiais com a hidratação da pessoa idosa é importante, porque elas são mais vulneráveis e desidratam com maior facilidade. A desidratação está relacionada não apenas à pouca ingestão de líquidos, mas também a fatores como a utilização de medicamentos que podem induzir o usuário a urinar mais vezes, liberando um volume ainda maior de líquido todos os dias. Veja algumas dicas para que os idosos evitem a desidratação:

  • Se você convive com um idoso, incentive a ingestão de líquidos ao longo do dia, mesmo se ele não estiver com sede.
  • Evite copos grandes e cheios. Prefira copos pequenos e com pouca quantidade, várias vezes ao dia.
  • Mantenha as bebidas que eles mais gostam próximas, de preferência em copos inquebráveis fáceis de segurar e difíceis de virar.
  • Ofereça também alimentos ricos em líquidos como frutas aquosas (melancia, melão e laranja), sopas, picolés ou gelatinas.
  • Se você achar que uma pessoa idosa pode estar apresentando sinais de desidratação, procure um profissional de saúde.

 

Fonte: Blog da Saúde / Ministério da Saúde.

#TOP5: Conheça hábitos que ajudam a prevenir a Tuberculose

Arte: Maycon Portugal

Arte: Maycon Portugal

Nesta quinta-feira (24/03) é comemorado o Dia Mundial de Enfrentamento à Tuberculose, uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis que afeta os pulmões e outras partes do organismo. Para saber mais sobre a doença, clique aqui. O Blog da Saúde MG listou cinco ações que podemos ter para evitar a transmissão e realizar um tratamento eficaz. Confira:

 

#LoveTwitter: Listamos 10 perfis essenciais sobre Saúde que você precisa seguir!

banner_dez anos twitter_2016

O Twitter, rede social famosa pelos seus 140 caracteres, comemora nesta segunda-feira (21/03) 10 anos no ar. Desde o dia 21 de março de 2006, quando seu cofundador publicou o primeiro tweet na rede, o Twitter foi palco para a comunicação de eventos importantes em todo o mundo; em alguns casos, foi agente decisivo desses eventos, e o exemplo mais emblemático,  foi a cobertura em tempo real da Primavera Árabe, no Egito, em 2011, feita pelos próprios usuários da rede.

E como espaço plural e diverso para interagir a respeito de qualquer assunto, temas da saúde também estão por lá! Assim, para celebrar os 10 anos do Twitter, o Blog da Saúde MG, indica 10 perfis essenciais para você seguir e acompanhar notícias e dicas sobre o campo da Saúde, bem como dicas de promoção e prevenção.

Blog da Saúde MG indica 10 perfis imperdíveis para se informar sobre o universo da saúde: Click To Tweet

1. @SaudeMG A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) não podia ficar de fora dessa, não é mesmo? No “nosso” perfil, além de encontrar dicas de prevenção e promoção da saúde, você fica ligado em tudo que envolve a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais. Segue a gente lá!

2. @minsaude Na rede do Ministério da Saúde você também fica por dentro de dicas de saúde, e acompanha o tema a partir da divulgação de programas e campanhas para o SUS nacional.

3. @hemominas Se você é ou quer se tornar doador de sangue, fique ligado no perfil da Fundação Hemominas. Lá você encontra todas as orientações sobre a doação de sangue em Minas Gerais, além de ficar por dentro do que é boato e verdade no que se refere à esse nobre gesto de solidariedade!

4. @FunedMG Referência em inovação científica e no desenvolvimento e produção de medicamentos para o SUS, o perfil da Fundação Ezequiel Dias é de acompanhamento obrigatório para quem se interessa por saúde e ciência.

5. @espmg É pesquisador ou acadêmico da Saúde? Acompanhe os tweets da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais, que trabalha na qualificação dos trabalhadores da saúde pública mineira.

6. @RedeFhemig A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais é uma das maiores gestoras de hospitais públicos do Brasil e abrange diversas especialidades de serviços hospitalares prestados à comunidade. Para acompanhar as novidades e notícias que envolvem a assistência hospitalar em Minas, fique ligado no perfil da Fhemig!

7. @ANS_reguladora É por meio da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que os planos de saúde brasileiros são fiscalizados e regulamentados. Acompanhe faça valer seu direito como cidadão e usuário do SUS. #TodosUsamosOSUS !

8. @PenseSUS O perfil do Pense SUS reúne diferentes conteúdos relacionados ao Sistema Único de Saúde: reportagens, entrevistas, artigos, vídeos, pesquisas e outras publicações.

9. @agencia_fiocruz No perfil da oficial da Agência Fiocruz de Notícias, você encontra as últimas notícias sobre pesquisas, programas e ações da Fundação Oswaldo Cruz.

10. @anvisa_oficial No twitter da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, você acompanha notícias importantes sobre a regulação e controle sanitário de produtos e serviços que podem afetar a sua saúde e de toda a população.