Monthly Archives: maio 2016

Rota do Caminhão Mamógrafo em Minas Gerais em junho

A mamografia é essencial para diagnosticar o câncer de mama, uma das doenças que mais acomete as mulheres atualmente. Para ter acesso ao exame disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), as mulheres com idade entre 40 a 49 anos devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e solicitar uma consulta médica. A partir dessa consulta, será avaliada a necessidade de realizar o exame.

Já para as mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, basta solicitar a requisição de mamografia e agendar o exame pelo SUS. Os munícipios que não têm acesso ao exame, contam com mamógrafos para facilitar o diagnóstico precoce do câncer de mama que aumentam em mais de 90% o sucesso do tratamento. Confira a rota do Caminhão Mamógrafo em Minas Gerais durante o mês de junho:

infográfico_jun

 

#DiaMundialSemTabaco: legislações antifumo visam proteger o fumante passivo

tabagismo-01.jpg

Sim, o cigarro faz mal até para os não fumantes! Quem fuma deve ter conhecimento de que a fumaça do seu cigarro pode causar doenças não só a si mesmo, como nas pessoas com quem convive em casa, no trabalho e em demais espaços coletivos e que não existe nível seguro de exposição à fumaça. O chamado tabagismo passivo se dá a partir da inalação da fumaça de derivados do tabaco por indivíduos que convivem com fumantes em ambientes fechados, respirando as mesmas substâncias tóxicas que o fumante inala. Para se ter uma ideia, são mais de 4.700 substâncias tóxicas diferentes presentes no cigarro e que podem ser inaladas por uma pessoa que convive ou está próxima a um fumante. Dados do Ministério da Saúde apontam que o tabagismo passivo é responsável por pelo menos sete mortes diárias no Brasil e custa aos cofres públicos cerca de R$ 37,4 milhões anuais. Desses, R$ 19,1 milhões se referem a tratamentos e internações no Sistema Único de Saúde (SUS).

Dessa forma, as leis antifumo não têm apenas caráter punitivo, ela também têm como objetivo melhorar a saúde cardíaca e reduzir as mortes relacionadas ao fumo. Em 2014 houve um grande avanço nesse sentido. A Lei Nacional Antifumo além de proibir fumar em locais totalmente fechados, também impede o fumo nos ambientes parcialmente fechados em qualquer um de seus lados por uma parede, divisória, teto ou toldo. A regulamentação extingue apenas os fumódromos. A norma também acaba com a possibilidade de propaganda comercial de cigarros nos pontos de venda. Caso não cumpram a lei, os estabelecimentos que poderão receber advertências, multas (que podem chegar a R$ 1,5 milhão quando descumprirem as normas sanitárias), além de sofrerem interdição e cancelamento da autorização de funcionamento. A Lei vale também para áreas comuns de condomínios e clubes.

 A partir deste ano, outras obrigatoriedades previstas na Lei Nacional Antifumo incluem o aumento dos espaços para os avisos sobre os danos causados pelo tabaco e a presença de advertências na parte frontal das embalagens dos produtos. Essas e outras medidas visam evitar uma estimativa trágica em relação ao tabagismo no mundo. Atualmente responsável por cerca de 6 milhões de mortes por ano em todo o planeta, o tabagismo pode chegar a matar 8 milhões de pessoas em 2030, caso não sejam implantadas medidas para conter o avanço do tabagismo.

Você é fumante e deseja parar de fumar? As unidades básicas de saúde (UBS) de todo o Estado oferecem tratamento gratuito aos fumantes; clique aqui e saiba mais.

#PosturaCerta: Cuidados essenciais para quem fica muito tempo sentado

Foto: Shutterstock / Reprodução.

Foto: Shutterstock / Reprodução.

Quem trabalha sentado por muito tempo sabe que uma hora o corpo começa a reclamar. É dormência nos pés, dor no pescoço, nas costas. Uma série de sinais que podem significar que é preciso ter mais atenção à rotina e, consequentemente, a postura.

Segundo o ortopedista e especialista em Saúde do Trabalhador, Gabriel Pimenta, diretor do Hospital Federal do Andaraí (RJ), motoristas, secretárias, digitadores são, entre outros profissionais, são pessoas que passam muito tempo na frente do computador e que, geralmente, reclamam de algum desconforto. É o caso da recepcionista Camila Raquel Santos, 28 anos. Ela atua na profissão há 4 anos e, recentemente, buscou um especialista para ajudar na melhora das dores e varizes que tinha.

“Eu trabalho oito horas sentada direto. Até tento levantar um pouco durante o dia, mas, em geral, no período da tarde já estou com as costas cansadas. Faço um exercício pra fortalecer a coluna e evitar essas dores. Recentemente, eu fui ao angiologista. Antes eu não tinha varizes, mas ele me explicou que apesar de ser um problema genético, estava ligado ao tempo que eu ficava muito sentada”, explica a recepcionista.

Dores musculares e na região da coluna, formigamento dos pés, além do aparecimento de varizes, descritas pela Camila, são alguns dos sintomas de que há algo errado. “O corpo humano foi feito para se movimentar então é impossível você ficar sentado numa mesma posição por muitas horas. Você precisa, para manter o bom funcionamento, se movimentar”, explica Gabriel.

Cuidado com a automedicação

É importante que qualquer pessoa que necessite ficar muitas horas sentada busque atendimento médico no aparecimento desses sintomas. “Se você usar um analgésico ou qualquer um desses medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos, eles vão aliviar os sintomas, mas mascarar o real problema. Passando o efeito do remédio, os sintomas irão voltar. A lesão não foi tratada”, ressalta o ortopedista. A automedicação não é indicada em nenhum caso de problemas de saúde.

Prevenção

As mesas de trabalho, no geral, têm uma medida padrão que é para atender pessoas com 1,70 de altura, em média, segundo o ortopedista Gabriel Pimenta. No entanto, a altura da população é muito variada, sendo difícil encaixar todo mundo em um mesmo padrão.

Se o trabalhador é mais baixo do este padrão e os pés, quando ele está sentado a mesa de trabalho, ficam balançando, é interessante colocar um apoio no chão para que os joelhos fiquem um pouco flexionados. Assim, ficará mais fácil mexer os pés para cima e para baixo, ou as pernas, evitando que eles fiquem muito tempo parados, impedindo a circulação.

A coluna precisa estar apoiada. “Se você for olhar esses desenhos, essas imagens por aí, vai ver que a coluna tá numa posição que nem sempre você consegue ficar muito tempo, não é assim que as pessoas trabalham. O ideal é ter um apoio para as costas e não deixar, por exemplo, o corpo muito longe da mesa ou do volante”, detalha o médico. Para ele, é importante que a cadeira possa ser regulada, tanto para adequar a altura da pessoa na mesa como a distância do encosto e inclinação.

Quem é muito alto e trabalha sentado na frente do computador também terá que se ajustar. O ortopedista afirma que o ideal é que os olhos fiquem no meio da tela. Se ficar baixo ou alto demais, apareceram dores no pescoço ou nos ombros. Ele ainda explica que quem tem notebook tem que se policiar. “Essa é uma ferramenta de consulta rápida. Se você vai passar muito tempo dependendo dele, terá que se ajustar. O notebook, na maioria das vezes, vai estar mais baixo do que um computador estaria”, explica.

Ainda segundo o ortopedista, a atividade física é fundamental para prevenir as dores provocadas pela má postura. “A atividade física vai alongar e fortalecer a musculatura e isso, para qualquer atividade, pode ajudar no cuidado do corpo e na diminuição do estresse emocional – outro fator que potencializa uma postura inadequada”, reforça.

Por último, o médico acrescenta que fazer pequenos intervalos é fundamental. “Sempre que puder, faça uma pausa. O intervalo, seja para tomar um café, ir ao banheiro ou fazer a ginástica laboral, vai evitar que você fique parado por muito tempo”, finaliza.

 

Fonte: Gabi Kopko / Blog da Saúde

Inscrições abertas para cursos online sobre e-SUS AB, tratamento de feridas e nutrição na Atenção Primária

Foto: iStock / Reprodução.

Foto: iStock / Reprodução.

Estão abertas inscrições para os cursos online sobre atualização para implantação e uso do sistema de informação e-SUS AB, avaliação e tratamento de feridas e nutrição na Atenção Primária à Saúde. Os cursos são voltados para profissionais que trabalhem da Atenção Primária à Saúde/Atenção Básica (APS/AB) em todo o Brasil. As pré-inscrições podem ser realizadas por meio de formulário eletrônico até o início de junho. As atividades serão realizadas na modalidade a distância via plataforma Moodle. Veja abaixo mais informações de cada curso:

  • Atualização para Implantação e uso do Sistema de Informação e-SUS AB na APS – 1ª edição
    Data/período do curso: 02/06 06/07/2016
    Inscrições: 23/05 a 01/06/2016 ou até esgotarem as vagas pelo link: https://pt.surveymonkey.com/r/e-sus_ab 
    Público-alvo: Trabalhadores e Gestores da Atenção Primária à Saúde e Atenção Básica e Técnicos de Tecnologia de Informação (TI) indicados pela gestão municipal.
  • Avaliação e Tratamento de Feridas na Atenção Primária à Saúde – 4ª edição
    Data/período do curso: 09/06 a 11/08/2016
    Inscrições: 23/05 a 08/06/2016 ou até esgotarem as vagas pelo link: https://pt.surveymonkey.com/r/trat_feridas
    Público-alvo: Enfermeiros e Médicos que atuam nas unidades de saúde da Atenção Primária à Saúde e Atenção Básica.
  • Nutrição na APS: Guia Alimentar e Doenças Crônicas Não Transmissíveis –2ª edição
    Data/período do curso: 16/06 a 10/08/2016
    Inscrições: 30/05 a 15/06/2016 ou até esgotarem as vagas pelo link: https://pt.surveymonkey.com/r/nutricao_2ed
    Público-alvo: Todos os profissionais que atuam na APS/AB do SUS do Brasil e que estejam devidamente cadastrados no CNES.
  • Curso de Atualização no Combate Vetorial ao Aedes aegypti – 1ª edição
    Data/período do curso: conforme disponibilidade do aluno
    Inscrições: https://pt.surveymonkey.com/r/curso_aedes
    Público-alvo: Agente Comunitário de Saúde (ACS), Agente de Combate a Endemias (ACE), Militares e demais interessados.

 

ONU Brasil lança concurso de vídeos em defesa da igualdade de gênero

Até o dia 30 de setembro, estudantes do ensino médio e profissionais de audiovisual podem participar de um concurso que irá selecionar vídeos de até 1 minuto de duração que promovam a igualdade de gênero. Trata-se do concurso O Valente Não É Violento, promovido pela ONU Brasil. O concurso faz parte da iniciativa regional do Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, de difundir a campanha: “UNA-SE Pelo Fim da Violência contra as Mulheres”.

Para a produção desse vídeo de até 60 segundos de duração é importante se ater ao tema: “Como seria o mundo sem as imposições sociais em relação ao que é esperado de homens e mulheres?” Os vencedores do concurso terão seu vídeo exibido por canais da ONU Brasil durante os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, celebrados mundialmente de 25 de novembro a 10 de dezembro.

Os vídeos devem ter a duração máxima de 1 minuto e podem ser realizados nos mais diferentes formatos: minidocumentário, ficção, animação, sequência de fotos, textos ou desenhos, matéria jornalística, entre outros. As inscrições estão disponíveis em: www.ovalentenaoeviolento.org.br, na aba Concurso.

A proposta é celebrar o direito de todas e todos a uma vida plena e com dignidade – sem discriminações de gênero, raça, etnia e orientação sexual. A ação busca também estimular papeis sociais que empoderem as mulheres e meninas nas escolas, na vida profissional, na política, nos esportes, entre outros.

#SUSParaTodos: OMS defende fortalecimento e ampliação do Sistema Único de Saúde

posts por dentro do sus-03

No último domingo (22/05), durante abertura da 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde, em Curitiba, o representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), Joaquín Molina, defendeu o fortalecimento e ampliação do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil e destacou que em todos os países e territórios das Américas, os mais ricos têm maior expectativa de vida e usufruem de melhor saúde do que os menos favorecidos.

“Isso é injusto. E alguns grupos ainda enfrentam diferentes formas de desigualdade, que podem sobrepor-se à posição e a condição econômica, como as relacionadas ao sexo e à etnia”, alertou. Segundo Molina, pertencer a certos grupos pode significar piores condições de vida, de acesso a serviços, de participação e ascensão social, caracterizando-se como iniquidades evitáveis e, portanto, injustas.

Também presente no evento, o presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald Ferreira dos Santos, ressaltou a importância de iniciativas como o Programa Mais Médicos, que “chegaram aos rincões mais distantes do país, levando saúde e cidadania”, ajudando a reduzir a desigualdade. Outro tema amplamente discutido pelos participantes na abertura da Conferência foi a necessidade de defender e ampliar o SUS.

“A OPAS compartilha com o SUS valores de equidade e acesso de todos à saúde. Nós vemos um só caminho para o SUS: fazer mais saúde, fazê-lo mais universal, fazer o SUS cada vez mais SUS”, afirmou Molina. O presidente do CNS também falou sobre o Sistema. “Esperamos que, com esta conferência, digamos ao mundo que não há democracia sem SUS e nem SUS sem democracia”.

O vice-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), Paulo de Goés, concordou. “A melhor forma de defesa do SUS é intensificarmos o esforço para garantir a reforma sanitária. Não há saúde sem justiça social, nem democracia. Não há SUS sem democracia. Não há promoção de saúde sem democracia”.

Fonte: ONU/Brasil.

Adoção de crianças e adolescentes é um ato de amor, inclusão social e cidadania

banner_adoção_1

Nesta quarta-feira (25/05) é comemorado o Dia Nacional da Adoção. Uma data que serve para lembrar que a adoção de crianças e adolescentes é um ato de amor, inclusão social e cidadania dentro do núcleo familiar. Segundo o Cadastro Nacional de Adoção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no Brasil há quase 36 mil pretendentes a serem pais e mães e 6,5 mil crianças para serem adotadas.

Para quem pretende adotar, o primeiro passo é procurar a Vara da Infância e da Juventude para se cadastrar, apresentar documentos, passar pela sindicância de um comissário da infância e da juventude, submeter-se à avaliação psicossocial e fazer o curso preparatório para os possíveis adotantes, processo que dá aos candidatos a oportunidade de saber se querem realmente ser pais e mães.

É muito raro a Justiça receber uma criança recém-nascida para adoção. A maioria passou por violação de direitos e teve os pais destituídos do poder familiar após uma ação judicial. Assim, a criança somente poderá ser legalmente adotada depois de destituído o poder familiar, mas antes é possível que os pretendentes assumam a criança em casa, sob sua guarda, para fins de adoção.

Assim, as pessoas interessadas em adotar passam por um curso com uma promotora, uma psicóloga e uma assistente social que esclarecerem todo o processo até a adoção definitiva. A proposta é desconstruir mitos e orientar os interessados sobre os desafios de assumir a educação de um filho.

A psicóloga da SEF, Letícia Greco, enfatizou, durante o curso em Belo Horizonte, que “no caso de adoções inter-raciais, por exemplo, o pai e/ou a mãe têm que estar preparados para enfrentar o preconceito da sociedade, que é um fato”. Ela citou várias situações de preconceito enfrentadas pelas famílias inter-raciais.

O contato com as famílias habilitadas é feito após a verificação, pelos profissionais da SEF, da sintonia das características da criança com o perfil indicado pelos pretendentes, na ordem cronológica de habilitação, que é a data em que o juiz deferiu o pedido. A pessoa tem que se apresentar o mais rápido possível para conhecer a história da criança, visitá-la na instituição de acolhimento, fazer os primeiros contatos e se decidir pela adoção, que começa com a guarda provisória. No caso de recém- nascidos, os pais já saem da Vara da Infância e da Juventude com a guarda do bebê.

Tânia afirma que, no trabalho, ela lida com o pior e o melhor do ser humano, porque mesmo que a maioria das crianças tenha passado por processos terríveis de violação dos seus direitos, ela encontra pessoas dispostas a adotar algumas com deficiência ou soropositivas. “Também vemos pessoas com uma disponibilidade de afeto impressionante. Algumas histórias me fazem pensar que eu ainda tenho muito que evoluir”, afirma a psicóloga.

Fonte: TJMG.

#SaúdeEntrevista: Saiba mais sobre o Glaucoma

Glaucoma

 

Nesta quinta-feira (26/05) é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual e muitas vezes não apresenta sintomas em sua fase inicial. O Blog da Saúde MG conversou sobre a doença com a Técnica da Coordenação de Atenção Especializada da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Fernanda Santos Pereira. Confira:

     1)Do que se trata o Glaucoma?

É uma doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, podendo levar à cegueira. Na maioria dos casos, vem acompanhada de pressão intraocular elevada. Pode ser congênita, secundária ou crônica. Após a catarata, o glaucoma é a segunda causa de cegueira, sendo, porém, a principal causa de cegueira irreversível.

    2)Como é feito seu diagnóstico?

O diagnóstico do glaucoma é realizado após um exame oftalmológico cuidadoso. Alguns exames são necessários como: tonometria, fundoscopia e campimetria.

   3)Qual a importância do diagnóstico precoce?

Evitar a diminuição da visão e até mesmo a perda total dela.

4)Quais são os principais sintomas?

Grande parte das pessoas acometidas pelo glaucoma não apresentam sintomas no início da doença. A perda visual só ocorre em fases mais avançadas da doença e compromete primeiro a visão periférica (visão dos lados).

  5)Há uma faixa etária mais propensa a ter a doença?

No Brasil há escassez de informação quanto à prevalência do glaucoma. A maior parte dos estudos mostra que cerca de 2% a 3% na população acima de 40 anos possui glaucoma.

6)De que forma é realizado o tratamento da doença pelo SUS em Minas Gerais?

O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece alguns colírios (timolol, pilocarpina, brionidina, acetazolamida) que são utilizados no tratamento do glaucoma. Em alguns casos, é necessário a realizado de cirurgia. A cirurgia fornecida pelo SUS é a trabeculectomia. Minas Gerais possui 41 estabelecimentos habilitados para tratamento de glaucoma, localizados em 27 municípios. Para realizar a prevenção, diagnóstico e tratamento, o usuário deve ir até a Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua referência, realiza uma consulta com um médico clínico geral e este, de acordo com a necessidade, encaminha para o oftalmologista.

Padronização das embalagens de cigarro quer advertir os males do tabagismo

banner_embalagem_cigarro_2016

“Embalagem de cigarro: por que padronizar?”. Esse é o tema que o Instituto Nacional de Câncer (INCA)  quer debater em 31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco. A proposta é discutir a padronização de embalagens de produtos do tabaco como estratégia para redução do ato de fumar, conforme a Política Nacional de Controle do Tabaco e a Convenção-Quadro para Controle do Tabaco (CQCT) – tratado internacional de saúde pública. Acredita-se que as embalagens não devem promover produto de tabaco de forma falsa, equivocada ou enganosa, ou que induza ao erro, advertindo a população sobre os os males do tabagismo.

Em 2012, a Austrália tornou-se o país pioneiro na padronização e sua iniciativa está sendo seguida por outros países desenvolvidos. Em fevereiro de 2016, o Departamento de Saúde do governo australiano apresentou um relatório amplo que demonstra que as embalagens padronizadas de tabaco foram responsáveis por 25% da queda no número de fumantes.

No Brasil, três projetos de lei tramitam no Congresso Nacional para garantir a padronização. Com a transformação dos projetos em lei, todas as embalagens de cigarro e outros produtos de tabaco passam a ser iguais, seguindo um padrão definido pelo governo, que determina forma, tamanho, modo de abertura, cor, fonte, mantendo-se apenas o nome da marca.

ONU Mulheres promove concurso internacional de quadrinhos sobre igualdade de gênero

comic-competition-1stWinner_Emilio Moralez Ruiz

A ONU Mulheres, juntamente com a Comissão Europeia, a Cooperação para o Desenvolvimento Belga e o Centro de Informação Pública da ONU em Bruxelas (UNRIC),  organizaram um concurso internacional de quadrinhos sobre igualdade de gênero no ano passado, cujo o resultado foi apresentado nesta semana.

A competição convidou jovens artistas e estudantes de arte em quadrinhos e desenhos animados, com idades entre 18 e 28 anos para retratar a sua compreensão sobre os direitos e igualdade de gênero das mulheres através de desenhos animados e quadrinhos que deveriam ser composto sem necessidade do uso de palavras para que a ilustração tivesse entendimento universal.

Os finalistas foram selecionados por um júri composto por quadrinhistas profissionais, especialistas em igualdade de gênero e especialistas em comunicação social. Para ver as ilustrações vencedoras, clique aqui.

Regional de Saúde de Juiz de Fora promove reunião devolutiva do Fórum Regional

A Superintendência Regional de Saúde de Juiz de Fora promoveu, na última segunda-feira (23/05), uma reunião com representantes do colegiado dos Fóruns Regionais do Governo de Minas Gerais. Nessa segunda fase, representantes do governo estadual apresentaram as devolutivas das prioridades aprovadas para o território da Mata e os eixos abordados foram: Desenvolvimento Produtivo, Científico e Tecnológico, Infraestrutura e Logística, Saúde e Proteção Social.

O evento contou com a Participação do Secretário Executivo dos Fóruns Regionais – Labenert Mendes; Oleg Abramov – Superintendente Regional de Saúde; Frederico e Maria da Penha – da SEPLAG; José Afonso – DER/MG; Marcos Túlio da SETOP; Carolina Morais – SEDESE/JF; Sidilúcio Ribeiro – Superintendente Regional de Educação de Leopoldina; Fernanda Moura – Superintendente Regional de Educação de Juiz de Fora, além de representantes da Polícia Militar de Minas Gerais, prefeitos, vereadores e representantes da sociedade civil. Abaixo, confira as fotos: