Monthly Archives: junho 2016

UEMG expõe projeto sobre obesidade infantil na 68º reunião da SBPC

A 68º Reunião da SBPC, que acontece na Universidade Federal do Sul da Bahia, de 03 a 09 de julho, tem como tema a “Sustentabilidade e Tecnologias para a Integração Social”. Por isso, dentro desta perspectiva, a Universidade Estadual de Minas (UEMG) vai apresentar dois projetos relacionados à temática na Expotec — mostra de ciência, tecnologia e inovação (C,T&I) que reúne centenas de expositores, como universidades, institutos de pesquisa, agências de fomento, entidades governamentais e outras organizações interessadas em apresentar novas tecnologias, produtos e serviços.

O projeto “Librário: libras na escola e na vida” é parte do Projeto Design Digital para inclusão de deficientes auditivos e promove a aplicação de jogos pedagógicos que modificam a realidade de quem deseja aprender a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). O jogo consiste em um baralho de cartas com sinais em libras e palavras em português, que busca ensinar por meio de um jogo de memória. Foram criados dois tipos de baralho: um consiste em palavras do cotidiano e outro é um jogo de Artes Visuais.

Food Design_obesidade infantil

O outro projeto é o “Food Design: Um estudo para a redução da Obesidade Infantil”, que faz parte do Programa de Pós-graduação da Escola de Design (PPGD) da UEMG. O projeto surge ao perceber o exorbitante aumento dos índices de obesidade infantil, influenciados pela invasão de alimentos industrializados, padronizados, pobres em nutrientes e ricos em gorduras, açúcares e sódio. Através da ludicidade dos jogos, busca-se incentivar as crianças em sua relação a práticas que conduzem a uma vida mais saudável.

Um exemplo é o jogo da memória, que além de oferecer frutas e exercícios, também mostra a importância do repouso, de lavar as mãos e de se alongar. “Desenvolvemos também o jogo de tabuleiro ‘Corrida Saudável’, que apresenta os mascotes do projeto e guiam as crianças através do conceito de esforço e recompensa, em que os participantes precisam executar atividades físicas ou responder de acordo com os hábitos alimentares praticados no dia”, explica a mestranda que desenvolveu a pesquisa, Letícia Hilário Guimarães.

Fonte: Agência RMCC.

ESP-MG se junta à Rede Mineira de Comunicação Científica

logo_rmcc

Desde o início de 2016, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) faz parte da Rede Mineira de Comunicação Científica (RMCC) ao lado de de Universidades, Centros de Pesquisa e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), além de outros integrantes. Todas estas instituições uniram esforços para pensar soluções e alternativas que tornem a ciência um assunto mais próximo da população em geral.

Dentro desta proposta, a RMCC já tem em andamento algumas ações, como a realização do Fala Ciência – Curso de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, com o apoio da FAPEMIG e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes). Já em sua 2ª edição, realizado em junho desse ano, o curso é destinado a profissionais que trabalham ou se interessam pela divulgação da ciência e da tecnologia.

Ainda nesse ano, a RMCC fará a cobertura conjunta da 68ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que acontecerá entre os dias 03 e 09 de julho de 2016, na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), em Porto Seguro (BA). A ESP-MG participará com a cobertura das atividades sobre Saúde Coletiva, Saúde Global e Saúde Pública, entre outras.

“A ESP-MG reconhece a importância da RMCC e parabeniza essa iniciativa, considerando que a popularização da produção cientifica é um compromisso social e ético com a sociedade. Esta produção deve envolver os diversos sujeitos que participam dessa produção e, necessariamente, se preocupa com a transformação da realidade a qual eles estão inseridos”, avalia a Superintendente de Pesquisa da ESP-MG, Marilene Barros de Melo.

Clique aqui para ler a matéria completa no site da SES-MG.

#EAD: Inscrições abertas para o curso “Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil”

amamentação_2016

Foto: Open Stock / Reprodução.

As inscrições para o módulo I do curso de educação a distância da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil estão abertas até o dia 01/07/2016. Essa iniciativa é o resultado da integração de duas ações importantes do Ministério da Saúde: a Rede Amamenta Brasil e a Estratégia Nacional para a Alimentação Complementar Saudável (ENPACS), que se uniram para formar essa nova estratégia, que tem como objetivo de atualizar os profissionais de saúde, que atuam na Atenção Básica, na temática do aleitamento materno e alimentação complementar saudável.

IMPORTANTE:
1) O modulo I é para atualização dos profissionais na temática do aleitamento materno e alimentação complementar saudável.
2) O módulo II só estará disponível para os profissionais que realizaram o curso de formação na “Rede Amamenta Brasil” ou na “Estratégia Nacional para Promoção da Alimentação Complementar Saudável”.
3) Para a formação de tutor na Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, é preciso realizar o módulo II.

Para se inscrever, os profissionais de saúde que atuam na Atenção básica deverão informar o CNES da unidade a qual está vinculado. Veja o tutorial com orientações sobre o cadastramento: http://universus.datasus.gov.br/TutorialCadastro/index.html#/0

Regional de Unaí realiza oficina sobre o faturamento de procedimentos de média e alta complexidade no SUS

Nesta terça-feira (28/06), a Gerência Regional de Saúde (GRS) de Unaí através do Núcleo de Regulação, realizou uma Oficina com Diretores, Digitadores e Gestor dos estabelecimentos de Saúde do município de Unaí, sede da Região de Saúde, com o objetivo de discutir o faturamento de procedimentos de média e alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

O evento contou com a participação do Diretor Regional de Saúde de Unaí, Luiz Araujo Ferreira, que fortaleceu a importância da oficina e o empenho dos participantes no que tange o faturamento para melhorias da região.  Foi apresentado aos participantes um diagnóstico de procedimentos faturados de um quadrimestre de 2016, que é inferior ao teto financeiro estipulado pela PPI.

Regional Unai_2016

Por Jessika Caldeira.

#SaúdeNaCozinha: Acordo já retirou 14 mil toneladas de sódio dos alimentos processados

sodio-02

Ilustração: Maycon Portugal / SES-MG.

O sódio em excesso é prejudicial à saúde por ser um fator de risco para a hipertensão arterial, insuficiência cardíaca e renal, além de ser apontado por favorecer a retenção de líquidos, dando a sensação de inchaço.

Para melhorar a qualidade nutricional dos alimentos processados, o Ministério da Saúde e a Associação das Indústrias da alimentação (Abia) firmaram em 2011 parceria que já possibilitou a retirada de 14.893 toneladas de sódio dos produtos alimentícios.

A redução equivale a 3.723 caminhões de 10 toneladas carregados de sal. É importante lembrar que o sódio não está presente apenas em alimentos salgados. Alimentos doces, como biscoitos recheados, leite condensado, chocolate em pó, iogurte e refrigerantes também apresentam esse item em sua composição.

Na terceira fase do acordo, em que foram incluídas margarinas, cerais matinais, caldos (gel e cubos) e temperos prontos, 94,5% das 22 de empresas analisadas atingiram a meta. A maior redução foi observada nos temperos, com queda de 16,35% seguida pela margarina com 7,12%. Outras categoriais também registram queda: cereais matinais (5,2%), caldos e cubos em pó (4,9%), temperos em pasta (1,77%), tempero para arroz (6,03%). Caldos líquidos e em gel é a única categoria que teve aumento na concentração de sódio (8,84%).

A meta é que, até 2020, as indústrias do setor promovam, de forma voluntária, a retirada de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro.

Os dados foram apresentados nessa terça-feira (28/06), pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros e também pelo presidente da Abia, Edmund Kloz. Os dois órgão darão início, a partir de agora, a um novo debate com o objetivo de reduzir o açúcar nos alimentos processados.

 

Fonte: Portal da Saúde/Ministério da Saúde

#10MinContraADengue: FioCruz Minas desenvolve banco de dados para pesquisas sobre zika

 

foto: Fiocruz Minas

Foto: Fiocruz Minas

O Laboratório de Informática de Biossistemas e Genômica da Fiocruz Minas desenvolveu um banco de dados colaborativo com objetivo de reunir informações relacionadas aos genes associados ao vírus zika. A plataforma, chamada ZIKV-CDB, está disponível para acesso online e será uma ferramenta importante para as pesquisas.

Sabe-se que determinados vírus podem interferir na expressão de genes, alterando a atividade e funcionamento celular, por meio de RNA não codificantes, como os micro RNA´s (miRNA’s). São informações sobre tais elementos que estão disponíveis no banco. Com isso, o usuário poderá verificar o que dizem outros estudos em relação à atividade de genes de interesse e, principalmente, incluir novas informações, contribuindo para pesquisas posteriores.

Qualquer pessoa pode acessar o banco. Ao entrar na página, o usuário indica o código do gene a ser pesquisado e, assim, as informações que já estiverem disponíveis aparecerão na tela. A princípio, será possível encontrar a descrição do gene, bem como as referências bibliográficas que demonstram a relação dele com o zika e, nos casos em que já exista validação experimental, as informações referentes a ela.

Sempre que acessar a ferramenta, o usuário poderá avaliar a qualidade das informações disponíveis, por meio do botão “joia”, conhecido como like. Esse botão servirá como indicador de que as informações procedem ou foram úteis para o pesquisador. A quantidade de ‘likes’ recebida faz com que o gene entre para o “Best Rated”, um ranking que mostrará os mais bem avaliados e poderá nortear futuros estudos.

Fonte: Fiocruz Minas

#Cursos: TelessaúdeRS oferece Atualização no Combate Vetorial ao Aedes aegypti

cursoatualizacaoCombateVetorialAedes

Agentes comunitários de saúde (ACS), agentes de combate a endemias (ACE), militares e demais interessados no tema estão convidado(a)s a se inscrever para a primeira edição do curso de “Atualização no Combate Vetorial ao Aedes aegypti, promovido pelo Núcleo de Telessaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O curso vai tratar de aspectos gerais e práticas de combate ao mosquito.

A capacitação está disponível pelo sistema de Educação à distância (EAD) e permite que o aluno estude conforme disponibilidade. Os profissionais têm a oportunidade de desenvolver e aprimorar os conhecimentos em relação ao enfrentamento, identificação e orientação aos usuários em relação ao Aedes aegypti.

Para se inscrever, clique aqui. Quer saber mais? Acesse o link.

Fonte: Blog da Saúde

Caminhão equipado com #mamógrafo móvel chega ao município de Açucena

Por Flávio Samuel

Nesta segunda-feira (27/06), o município de Açucena recebe o caminhão do Programa Estadual de Controle do Câncer de Mama. O caminhão equipado com o mamógrafo móvel foi disponibilizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), oferecendo exames de mamografia por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). As mamografias poderão ser realizadas até o dia 8 de julho e a expectativa é que sejam feitos cerca de 500 exames.

O caminhão equipado com mamógrafo têm percorrido diversas regiões do estado, oferecendo o exame para as localidades que não contam com o serviço. A mamografia é essencial para diagnosticar o câncer de mama, uma das doenças que mais acomete as mulheres atualmente.

Foto: Marcus Ferreira

Foto: Marcus Ferreira

#SaúdeNaCozinha: Dicas para aproveitar as Festas Juninas de forma saudável

Você sabia que as Festas Juninas surgiram ainda na idade média para comemorar três santos populares? Santo Antônio (13 de junho), São João (24 de junho) e São Pedro (29 de junho)? As festas, trazidas pelos portugueses, ganharam força no Brasil e viraram folclore nacional. De norte a sul, as roupas caipiras, fogueiras, e comidas típicas caíram no gosto da população. Mas cuidado para não exagerar na ‘comilança’.

Mesmo com todas as opções de comida disponíveis em uma festa junina, é possível seguir uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados, como recomenda o Guia Alimentar da População Brasileira do Ministério da Saúde. Dê preferência à comida de verdade!

Evite preparações baseadas em alimentos ultraprocessados como sorvetes, embutidos (salsichas, presuntos etc), refrigerantes e bolos industrializados. Prefira comidas feitas com alimentos in natura como milho, coco e mandioca. Ao preparar os quitutes para a festa, utilize com moderação açúcar, gordura e sal.

Como? Evite utilizar leite condensado e reduza a quantidade de açúcar da canjica, utilizando canela para conferir mais sabor; retire o excesso de gordura da carne para fazer o churrasquinho e reduza a quantidade de óleo para fazer a pipoca na panela; evite o uso de temperos prontos ao preparar a galinhada ou arroz carreteiro, dando preferência a temperos naturais como coentro, cebolinha, alho, cebola e pimentão.

Coma devagar e curta as companhias! Desfrute dos alimentos sem pressa, assim seu organismo dará sinais mais claros quando estiver saciado. Desta forma, você evitará comer mais do que o necessário.

A Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde separou três receitas que você pode fazer em casa, substituindo ingredientes por outros mais saudáveis. ReceitasJuninas-01

Fonte: Blog da Saúde / Ministério da Saúde.