Monthly Archives: julho 2016

#Dicas: Saiba como evitar acidentes domésticos com crianças durante as férias

Reprodução Blog da Saúde

Reprodução Blog da Saúde

Durante o período das férias escolares, as crianças ficam mais tempo em casa. Por isso, a vigilância tem que ser redobrada. No último ano, os acidentes dentro das residências foram responsáveis por 1.063 atendimentos a crianças de zero a 12 anos no Sistema Único de Saúde (SUS) . Para prevenir que acidentes aconteçam, o Blog da Saúde conversou com o tenente coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, Alan Alexandre Araújo, sobre orientações para que os pais e crianças possam curtir as férias com segurança. Confira:

QUEDAS: Todo o cuidado é pouco quando o assunto são as quedas. “Bater com a cabeça ou pescoço pode sempre trazer consequências muito sérias, levando a criança a uma parada respiratória e/ou cardíaca, chegando até a morte”, explica. Lembre-se que as quedas podem acontecer de janelas e redes, mas também de árvores, balanços, sofás, cadeiras e mesas. Fique sempre atento!

Se houver cortes na queda, limpe adequadamente, com água corrente e sabão ou soro fisiológico. Não coloque sabão dentro da ferida, mas o use para limpar a pele ao redor de onde está o ferimento aberto para evitar que a sujeira entre no machucado. Use uma gaze, se possível, para fazer a limpeza. Sempre limpando de dentro pra fora e nunca jogando a sujeira para onde está aberta a pele. O soro e a água corrente podem ser jogados na parte de cima da ferida, mas com cuidado. Se houver dúvidas no procedimento, procure uma unidade de saúde para evitar uma infecção.

TOMADAS: O perigo está em a criança colocar dentro das tomadas objetos metálicos, como pinças, grampos, chaves e etc. Esses itens ajudam a fecham o circuito de energia, causando um choque elétrico. “Um choque de 220 volts, por exemplo, é muito forte para uma criança, podendo causar desde queimaduras até paradas cardíacas”, ressalta. O problema não é ter a tomada em casa, mas sempre alertar a criança do risco e, sempre que puder, tampar aquele local para que não aos pequenos não seja facilitado.

Leia a matéria completa no Blog da Saúde .

#Notícias: Eliminação do sarampo no Brasil tem reconhecimento internacional

#10MinContraADengue: Luta o ano inteiro: Aedes Aegypti se prolifera até mesmo no inverno

O período chuvoso cessou em boa parte do país e o clima está mais frio. Apesar de este cenário ajudar a diminuir a proliferação do Aedes Aegypti, a população não pode descuidar do quintal de casa, do ambiente de trabalho e de todo e qualquer lugar propício para o desenvolvimento do mosquito. Mesmo durante o inverno, as ações de combate por parte do Ministério da Saúde e dos governos estaduais e municipais continuam. E isso tem gerado resultado: antes mesmo de junho, já houve redução no número de casos de dengue. O que é novidade, se levarmos em consideração o histórico de picos da doença.

Durante o outono e o inverno, o surto de dengue não é comum. Entretanto, a doença é uma ameaça o ano inteiro e uma trégua ao Aedes pode significar uma epidemia quando as temperaturas voltarem a subir. Associar a dengue ao verão é um equívoco. O frio diminui sim a proliferação, mas esse período tem que ser visto como uma oportunidade de estar à frente na guerra contra o mosquito.

Infelizmente, além da dengue, doença mais conhecida pelos brasileiros, o mosquito Aedes Aegypti tem preocupado também por transmitir outras três doenças: Zika, Chikungunya e febre amarela. As quatro doenças virais, a depender da gravidade, podem matar quem é infectado. Por isso, o Ministério da Saúde faz campanhas constantes no sentido de alertar as pessoas de que cada um precisa fazer o seu papel na luta contra o vetor. A nova chamada é para que isso ocorra o ano inteiro, independente do clima.

Leia mais no Blog da Saúde

 

Por Erika Braz, para o Blog da Saúde

#EAD: Atualização profissional para o cuidado com pessoas com Síndrome de Down

Educação MG

Educação MG

Estão abertas as inscrições para o curso a distância de atualização profissional para o cuidado com pessoas com Síndrome de Down. A iniciativa é uma parceria da Universidade de São Paulo (USP), por meio da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, com o apoio do Instituto Alana. As inscrições podem ser feitas até o dia 26 de agosto.

O objetivo do curso é fortalecer as políticas públicas nacionais relacionadas ao Programa Viver sem Limites, dedicado à qualificação do cuidado de pessoas com deficiência, e também de projetos internacionais como o Relatório mundial sobre deficiência, da Organização Mundial de Saúde e a Convenção dos direitos das pessoas com deficiência, que valorizam a diversidade humana e defendem a equidade de oportunidades para que as pessoas com deficiência exerçam seu direito de conviver e contribuir com a sua comunidade.

O curso é gratuito e são ofertadas, ao todo, 150 vagas. As inscrições dos interessados devem ser feita no site da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas .

O curso tem como público alvo profissionais da área da saúde que atuam com pessoas com Síndrome de Down e suas famílias, preferencialmente da rede pública. As vagas remanescentes poderão ser disponibilizadas para o público em geral. A capacitação será realizada no período de 05 de agosto a 02 de dezembro.

Outras informações pelo e-mail cursosmedicos.eep@hc.fm.usp.br ou pelo telefone 11 2661-7025 / 11 2661-2309.

Por Educação MG

#Cursos: UFMG promove curso de inglês especializado para a saúde

Crédito: UFMG

Crédito: UFMG

Estão abertas, até 31 de julho, no site da Fundep, as inscrições para novas turmas do curso de inglês especializado para a área da saúde, promovido pela Escola de Enfermagem da UFMG.

O curso é destinado à profissionais e alunos de graduação da área de saúde e visa capacitar profissionais para a comunicação na língua inglesa para realizar intercâmbio e estágio nos Estados Unidos, Canadá e Inglaterra e demais países na língua inglesa.

Além disso, tem o objetivo de desenvolver habilidade de leitura e interpretação de texto, conversação, gramática, com textos variados para área da saúde na língua inglesa, visando atender as necessidades do profissional em exercício e aos que prestarão exames de proficiência para mestrado, doutorado e outros. Assim como ampliar o potencial de comunicação e de trocas de experiências e conhecimento na área da Enfermagem disponíveis nas redes sociais da web (Facebook, Twitter, Youtube) na língua inglesa e favorecer a participação em projetos internacionais da área da saúde. Clique aqui e saiba mais.

#EAD: Inscrições prorrogadas para o curso sobre “Controle do Tabaco”

banner_cigarro_2016

A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por intermédio do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab) e da Coordenação de Educação à distância (EAD/ENSP/Fiocruz), em parceria com Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), tornaram públicas as normas para o processo de seleção de participantes para a Comunidade de Práticas sobre Controle do Tabaco para fiscais do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), na modalidade de educação a distância (EAD).

A Comunidade de Práticas sobre Controle do Tabaco é destinada, exclusivamente, aos profissionais de nível médio e superior vinculados ao SNVS, nas esferas federal, estadual, municipal e distrital. Será emitida declaração de participação pelo Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP/Fiocruz) àqueles que finalizarem as atividades propostas.

A capacitação tem como objetivo agregar conhecimentos e promover o compartilhamento de informações, experiências e formas de atuação entre os profissionais do SNVS envolvidos com as ações de controle do tabaco. Por meio de materiais didáticos e atividades online, os profissionais identificarão as competências necessárias para o cumprimento da legislação pertinente ao controle do tabaco e os instrumentos para realizar as ações de fiscalização.

A epidemia do tabaco no Brasil e no mundo e as ações para seu controle; organização da rotina dos fiscais para realizar as ações de controle do tabaco; monitoramento e fiscalização dos produtos derivados do tabaco; proibição da propaganda, promoção e patrocínio; e ambientes livres de tabaco (proibição do uso em recintos coletivos fechados) são temas da capacitação.

As atividades da Comunidade de Práticas serão realizadas integralmente à distância, através de plataforma virtual, com carga horária total de 90 horas, no período de 15 de agosto a 16 de dezembro de 2016.

O preenchimento das 461 vagas ofertadas obedecerá à ordem de inscrição, considerando a data e hora do envio dos documentos exigidos para o e-mail indicado na Chamada Pública. As inscrições poderão ser feitas no período de 15 de junho a 31 de julho de 2016.

A novidade para esta terceira oferta do curso, é que dez por cento (10%) das vagas estão destinadas aos servidores da Anvisa, lotados em quaisquer áreas de atuação. O objetivo é capacitar estes profissionais para a realização de futuros trabalhos em parceria com a Gerência-Geral de Registro e Fiscalização de Produtos Fumígenos derivados ou não do Tabaco (GGTAB).

Para obter outras informações sobre o curso, os interessados devem entrar em contato com o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP/Fiocruz) encaminhando suas dúvidas pelo e-mail: cetab.cptabaco@ensp.fiocruz.br

Cronograma do Processo Seletivo e início das atividades:

ETAPAS

DATAS
Período de inscrição 15/06 a 31/07/2016
Resultado preliminar 02/08/2016
Recursos 03 e 04/08/2016
Resultado final 05/08/2016
Matrícula 08 a 10/08/2016
Início das atividades da Comunidade de Práticas 15/08/2016
Término das atividades da Comunidade de Práticas

16/12/2016

 

  • Para fazer a inscrição, leia atentamente a Chamada Pública.
  • Para consultar a Chamada Pública, clique aqui.

 

#FicaADica: Beleza não pode ser o fator decisivo na hora de escolher o modelo ideal de sapato

banner_sapato de salto alto_2016

Sabe o que é comprar aquele sapato de manhã para um evento especial à noite e, na hora de colocar no pé, o “pisante” simplesmente não entrar ou fica tão apertado que você até desiste de usá-lo?! O sentimento de frustração é válido, mas o que afinal deu errado?! Homens e mulheres aprendam:

“A melhor hora é comprar à noite. Você tem que provar o sapato numa momento que durante o dia você já gastou bastante tempo andando. A sua perna sofre ação da gravidade e seu pé vai naturalmente estar um pouquinho inchado no fim do dia. É preferível você sair com um sapato velho, mas que dá no seu pé, do que usar um novo que vai te machucar. Você precisa lembrar de ficar confortável. Se você colocou o sapato e está apertado, não está bom. Não tem que esperar o sapato ceder!”, esclarece o ortopedista, Gabriel Pimenta, diretor do Hospital Federal do Andaraí (RJ).

Os calçados que compramos têm validade. Entender isso é fundamental para cuidar da saúde dos seus pés. A partir de quatro a seis meses da compra, é preciso fazer um teste para saber se o sapato já está desgastado ou se ainda está adequado para o seu pé. Muitas vezes você pode até não andar muito, só que o sapato, tênis ou chinelo, perde o poder de absorver o impacto do pé com o chão. Ele pode até estar bonito externamente, mas a função dele estará enfraquecida. Vai arriscar ?! Então prepare-se ! Você provavelmente vai sentir dor nos pés, nas pernas e ainda poderá desenvolver problemas posturais na coluna!

Sapatos de Salto e tênis

Para homens e mulheres que gostam de usar salto alto, o ortopedista Gabriel Pimenta recomenda que a diferença entre a altura do salto e da parte da frente do pé, onde ficam os dedos, não seja muito grande. “A elevação do calcanhar pode empurrar o pé pra frente e se for um sapato de bico fino, pressionará os dedos para trás. Assim, entre a região dos dedos e do resto do pé irá ter uma elevação que ajudará certamente no aparecimento do joanete. O fato é que essa diferença no nível das partes do pé fará com que ele se deforme. O ideal é que não passe de 3 centímetros”, explica o ortopedista. Se você usar sapatos sem essa elevação recomendada durante muito tempo, a deformidade ficará cada vez mais evidente e logo, começará também a sentir dores.

Isso quer dizer que usar sapato de salto está proibido ?! Muita calma nessa hora! Não é essa a recomendação do ortopedista Gabriel Pontes. “Você pode até ter um sapato alto, mas o ideal é que use um sapato que não aperte e que, se o sapato tiver um salto maior, fique com ele no máximo por duas horas. Se tem que usar profissionalmente, por exemplo, ficar num stand ou se é vendedora, durante o almoço, tire o salto, coloque um tênis se for possível, para não sobrecarregar o pé. O sapato a gente tem que aprender a usar”, reforça.

Quem não se lembra da atriz Zezé Macedo, mais conhecida como Dona Bela, a personagem pudica da “Escolinha do Professor Raimundo”? A atriz ficou conhecida pelo bordão “Ele só pensa naquilo”. Zezé possua encurtamento do músculo da panturrilha, um problema por causa do uso, quase a vida inteira, de sapatos altos. Ela tinha que andar quase que na ponta do pé, segundo o ortopedista. Já não conseguia mais deixar os pés retos com o chão, como deveria.

Por último, o especialista dá as recomendações gerais sobre o assunto:

– Evite sapatos de bico fino, tente usar sapatos com as pontas arredondadas ou quadradas para evitar a inclinação da sola do pé.

– Não use salto durante muito tempo. Se tiver que ficar com o mesmo sapato durante várias horas no dia, tire o salto quando puder.

– Fazer exercícios físicos e alongamento garantem que não ocorra o encurtamento da musculatura. Então, além dos cuidados clínicos como colocar gelo no local onde há dor, não esqueça de fazer o alongamento da panturrilha.

– Se for usar tênis, procure sempre evitar o tênis baixinho. Esse tipo de sapato também precisa ter uma elevação no calcanhar, que tenha no máximo três centímetros de diferença da parte da frente do pé, como os sapatos de salto. Aquele tênis com a sola fina vai intensificar o impacto do chão onde você pisa com o calcanhar, contribuindo para a aparição de problemas.

– Troque com frequência os sapatos e observe o prazo de validade.

Atenção! Essa recomendação final não vale para justificar a compra excessiva de sapatos! Que fique claro que essa é uma dica que você precisa aplicar com moderação.

Fonte: Blog da Saúde / Ministério da Saúde.

#Rio2016: Conheça as ações de vigilância sanitária para as Olimpíadas

banner_olimpiadas_2016

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elaborou conteúdo especial para divulgar as ações do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária na preparação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, que acontece no Rio de Janeiro e terá etapas em outras cinco cidades brasileiras.

A iniciativa tem como objetivo reunir informações sobre o plano operacional, bem como facilitar o acesso aos documentos relacionados às ações de vigilância sanitária e dar transparência à atuação do sistema da agência durante os jogos.

Em eventos de grande porte, as ações de vigilância sanitária são intensificadas, principalmente, no que diz respeito aos cuidados com os viajantes, aos serviços de fornecimento de alimentos, aos serviços de saúde disponíveis (públicos e privados), bem como à segurança no consumo de demais produtos sujeitos à regulação e ao controle sanitário.

Na página, estão disponíveis orientações, legislações, notícias, dicas e informações para o cidadão, para os entes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), para as empresas fornecedoras de serviços e para a imprensa. O espaço on-line também conta com uma versão em inglês, voltada para o público estrangeiro.

Confira as ações da Vigilância Sanitária para a Olimpíada

Saúde dos Turistas

No espaço, os interessados terão acesso também ao site Saúde dos Turistas nas Olimpíada e Paraolimpíada, do Ministério da Saúde, com orientações voltadas à prevenção de várias doenças, incluindo as orientações sobre zika virus e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Egypti.

 

Fonte: Portal Brasil.

Inscrições abertas para o Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero

13775381_1218569094881637_1962583426470615862_n

Estão abertas as inscrições para a 11ª edição do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero. A iniciativa consiste em um concurso de redações, artigos científicos e projetos pedagógicos na área das relações de gênero, mulheres e feminismos e tem por objetivo estimular e fortalecer a reflexão crítica e a pesquisa acerca das desigualdades existentes entre homens e mulheres em nosso país e sensibilizar a sociedade para tais questões.

As inscrições são individuais e devem ser realizadas até 29 de julho 2016, às 18 horas, exclusivamente via internet, para todas as categorias, no site: www.igualdadedegenero.cnpq.br

O Prêmio é atribuído a seis categorias: Estudante de Doutorado e Doutora, Estudante de Mestrado e Mestra, Estudante de Graduação e Graduada, Estudante do Ensino Médio, Escola Promotora da Igualdade de Gênero e Secretarias Estaduais e Municipais de Educação.

A divulgação dos resultados ocorrerá no portal do Prêmio, até 14 de outubro de 2016, no site oficial. A cerimônia de entrega do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero será realizada até a primeira quinzena de dezembro de 2016, em Brasília.

O Prêmio é uma iniciativa da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, do Ministério da Educação e da ONU Mulheres.

Confira AQUI o regulamento do Prêmio.

 

Fapemig e UFLA desenvolvem doces funcionais de frutas do cerrado para uma alimentação saudável

banner_suco de graviola_1

Alimentos funcionais. Este segmento de alimentação saudável vem ganhando sabor especial na mesa dos mineiros e brasileiros, despertando o interesse potencial da agroindústria e ganhando valor no mercado e nas receitas do estado de Minas Gerais. Nesta linha, pesquisadoras da Universidade Federal de Lavras (Ufla), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), desenvolveram doces saudáveis, que privilegiam número baixo de calorias e o alto valor nutritivo. São enriquecidos com fibras e capacidade probiótica – isto é, atuam no funcionamento do intestino.

O desenvolvimento dos doces ganhou ampla pesquisa e preparo especial com o objetivo de atrair consumidores interessados em uma boa alimentação que, além de balanceada, seja capaz de proporcionar benefícios à saúde, atuando na prevenção de obesidade, diabetes e doenças cardíacas. O toque especial nos doces de frutas do cerrado é o sabor exótico e sensorial das espécies, como marolo murici, jenipapo, maracujá doce e graviola.

“Estes doces são ricos em nutrientes como vitamina C e compostos fenólicos (substâncias antioxidantes), os quais resultam da combinação de frutas e de um processamento a vácuo. Nosso foco foi desenvolver um doce funcional misto de maneira a oferecer ao consumidor um produto diferenciado, além de ser uma forma de unir características sensoriais e nutricionais de duas ou mais frutas”, explica Soraia Vilela Borges, pesquisadora e professora da Universidade Federal de Lavras.

Para elaborar os doces com marca de qualidade focada na saúde e destacar o sabor destas espécies frutíferas, a pesquisa coordenada pela professora do Departamento de Ciências dos Alimentos (DCA/Ufla). Soraia Vilela Borges. e pelas professoras Fabiana Queiroz (Ufla), Vanessa Rios de Souza (Ufla), Telma Melo Brandão (Instituto Federal de Sergipe-IFS) e Patrícia Aparecida Pimenta Pereira (Universidade Federal de Ouro Preto-Ufop), retirou o açúcar e adicionou componentes como fibras e substâncias probiótica, para torná-los funcionais, além do valor nutritivo típico das frutas desta região vegetativa.

Funcionais e nutritivos

A caracterização física e química dos frutos e a quantificação dos seus componentes bioativos utilizados nas recitas dos doces são importantes para a compreensão do valor nutritivo e no aumento da qualidade e no valor do produto final.

De acordo com a coordenadora da pesquisadora e professora da Universidade Federal de Lavras, Soraia Vilela Borges, parte deste estudo foi tema da dissertação da professora Vanessa Rios de Souza. A pesquisa mostrou que os doces desenvolvidos com o marolo, jenipapo, maracujá e graviola, além de diets, são funcionais devido à adição de substâncias como frutooligossacarídeos e polidextrose, contribuindo no bom funcionamento do intestino e ainda auxiliam na redução do acometimento de algumas doenças crônicas degenerativas. “Após a caracterização, nosso foco foi desenvolver um doce funcional misto de maneira a oferecer ao consumidor um produto diferenciado, além de ser uma forma de unir características sensoriais e nutricionais de duas ou mais frutas”, relata Soraia.

De acordo com as pesquisadoras, o valor nutricional do doce de marolo foi o que mais se sobrepôs aos doces feitos com as demais frutas. O fruto mostrou que tem uma maior atividade antioxidante, teor de compostos fenólicos e quantidade de ácido ascórbico, além de ter um sabor adocicado, que surpreende o gosto da maioria das pessoas que vêm experimentando as iguarias.

Após a definição da melhor combinação e proporção das frutas em cada preparo foi finalmente feito um estudo visando a retirada total do açúcar do produto, sem prejuízo da sua qualidade. Nesse último estudo foi verificado que é possível substituir com sucesso o açúcar por vários tipos e combinações de edulcorantes. Ou seja, é completamente viável a elaboração de um doce misto de frutas do cerrado funcional e de baixo valor calórico com a mesma qualidade sensorial que o doce convencional.

 

Fonte: Agência Minas.

#Rio2016: Minas Gerais faz contagem regressiva para receber os Jogos Olímpicos

banner_beneficios_futebol_2016

O Dia Nacional do Futebol é celebrado nesta terça-feira (19/7). Em 15 dias, Minas Gerais entra para a história dos Jogos Olímpicos. O Mineirão receberá, a partir de 3 de agosto, 10 partidas do Torneio Olímpico de Futebol Rio 2016. Serão seis jogos femininos e quatro masculinos, incluindo a disputa pela medalha de bronze.

Na primeira fase, passarão pelo estádio as meninas dos Estados Unidos, Nova Zelândia, França e Colômbia, sendo todos os países representantes do Grupo G da competição. Já no masculino, Argélia, Portugal, Alemanha e Fiji disputarão partidas em Belo Horizonte. Pelo torneio feminino de futebol, o Mineirão sediará todos os jogos do Grupo G na primeira fase. As quatro partidas, realizados em rodadas duplas nos dias 3/8 (quarta-feira) e 6/8 (sábado), envolverão Estados Unidos, França, Colômbia e Nova Zelândia.

Apesar de não obter muito sucesso entre os homens nos Estados Unidos, o futebol – soccer em Inglês – é um esporte dominado pelas meninas naquele país. Elas estiveram em todas as seis edições dos Jogos Olímpicos desde que a modalidade passou a fazer parte do programa do evento e conquistaram o lugar mais alto do pódio em 1996, 2004, 2008 e 2012. Apenas em Sydney (2000) as americanas ficaram com a prata. Será justamente no Mineirão que o time da consagrada meio-campista Carly Lloyd e da goleira premiada Hope Solo irá estrear na Olimpíada de 2016.

As adversárias serão as estrelas do futebol feminino na Oceania: a Nova Zelândia. Tratada como possível zebra no confronto contra os EUA, as neozelandesas disputaram as duas últimas edições do Torneio e o melhor resultado foi conquistado em Londres 2012, com o 8º lugar geral. A única vitória da Nova Zelândia em Olimpíadas foi justamente na última edição, quando bateram Camarões por 3 a 1. Naquela oportunidade, o time foi eliminado pelos Estados Unidos, após derrota por 2 a 0.

banner_torneio-de-futebol-bh

Pela segunda vez as francesas disputarão o Torneio Olímpico de Futebol. Na última edição, as europeias alcançaram a 4ª colocação após serem derrotadas pelo Canadá na disputa pela medalha de bronze. O grande destaque da equipe é a defensora Laura Georges, que participou de todos os jogos do time na história dos Jogos Olímpicos.

Representante do continente sul-americano ao lado do Brasil, as colombianas também disputaram a modalidade nos Jogos de Londres, em 2012. Conhecidas como Las Cafeteras, a equipe é a atual vice-campeã da Copa América, o que lhe rendeu uma vaga no Rio de Janeiro.

O Torneio Olímpico de Futebol será disputado em outras cinco cidades, além de Belo Horizonte: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Manaus e Brasília-DF.

  • Para ler a matéria completa na Agência Minas, clique aqui.