#SetembroAzul: Escolas estaduais promovem conscientização sobre deficiência auditiva

By | 5 de setembro de 2016

Setembro Azul-01

Entre os dias 23 e 30 de setembro, as escolas estaduais de Minas Gerais participam, por meio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG), da campanha Setembro Azul, proposta da comunidade surda que incentiva a realização de diferentes atividades com foco na valorização dos surdos e da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A cor azul foi escolhida como símbolo do “Orgulho Surdo” para homenagear todos os surdos que morreram durante o Holocausto.

  • Clique aqui para colocar na sua foto de perfil nas redes sociais o selo do “Setembro Azul”.

O estado de Minas Gerais conta atualmente com sete mil estudantes surdos matriculados em escolas da rede estadual de ensino. Desde 2015, a SEE-MG vem direcionando esforços para o fortalecimento da educação de surdos no Estado. O mês de setembro foi escolhido para realização da campanha por contar com três datas comemorativas importantes: dia 10/09 é celebrado o Dia Mundial das Línguas de Sinais; dia 26 o Dia Nacional do Surdo e 30 de setembro, Dia Internacional dos Surdos. Confira mais detalhes no vídeo, abaixo:

Deficiência auditiva

Ao todo, 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. Este dado faz parte da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) que considerou quatro tipos de deficiências: auditiva, visual, física e intelectual. O levantamento foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e feito em parceria com o Ministério da Saúde.

Segundo o estudo, as pessoas com deficiência auditiva representam 1,1% da população brasileira e esse tipo de deficiência foi o único que apresentou resultados estatisticamente diferenciados por cor ou raça, sendo mais comum em pessoas brancas (1,4%), do que em negros (0,9%). Cerca de 0,9% dos brasileiros ficou surdo em decorrência de alguma doença ou acidente e 0,2% nasceu surdo. Do total de deficientes auditivos, 21% tem grau intenso ou muito intenso de limitações, que compromete atividades habituais.

Para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência auditiva, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece a reabilitação com o auxilio do aparelho de amplificação sonora individual (AASI) e implantes cocleares. Ainda no SUS, o paciente também tem acesso ao atendimento integral: diagnóstico, indicação do implante, preparação para cirurgia (consultas e exames), acompanhamento feitos por profissionais especializados e terapias após procedimento cirúrgico. Para mais informações, acesse o site: www.saude.mg.gov.br/deficiencia

Deixe uma resposta