#VidaSaudável: alimentos processados e in natura; você sabe a diferença?

By | 17 de outubro de 2016
Arte: Maycon Portugal

Arte: Maycon Portugal

Na pressa do dia a dia, muitas vezes cedemos à facilidade de ir ao supermercado e comprar congelados, biscoitos, enlatados ou sucos de caixinha para as nossas refeições diárias. Mas será que isso faz bem à saúde? O melhor mesmo é priorizar os chamados alimentos “in natura”, ou seja, as frutas, verduras, legumes, cereais em geral, além das carnes e dos ovos. Eles são a base de uma alimentação balanceada, já que não sofrem alterações depois que saem da natureza e possuem um maior nível de nutrientes.

Já os alimentos processados são os que sofrem algum tipo de transformação nas indústrias, sendo que há vários níveis de processamento. O leite, por exemplo, passa apenas pelo processo de pasteurização. Outros alimentos, como as farinhas de milho ou mandioca, ou o arroz e o feijão, passam somente pelo processo de separação de resíduos para comercialização, ou a simples trituração.

Porém com o avanço da tecnologia e a rotina agitada das pessoas, cada vez mais cresce a oferta e consumo de alimentos prontos. Se você quer levar uma vida saudável, saiba que não deve abusar dos alimentos fabricados com adição de sal, açúcar ou vinagre. Ingerir esses alimentos em grande quantidade pode ser muito perigoso para o coração e para a pressão arterial. Além disso, na fase de processamento dos alimentos nas indústrias, vários nutrientes são perdidos. Conservas de legumes, doces em calda, carnes temperadas, sardinha e atum em lata, azeitonas, queijos e pães são alguns exemplos de alimentos processados.

Já os alimentos ultraprocessados, aqueles fabricados pelas grandes indústrias, são os vilões da boa alimentação. Normalmente levam conservantes químicos, sal, açúcar e gorduras. Alguns exemplos desses alimentos são biscoitos, balas, sorvetes, macarrão instantâneo, pizzas, hambúrgueres congelados, salsichas, refrigerantes, empanados, salgadinhos de pacote e refrescos. Como são desbalanceados e pobres em nutrientes, evite ao máximo o consumo desses alimentos. Sua saúde agradece! Quer saber mais? Acesse: www.saude.mg.gov.br/vidasaudavel

Deixe uma resposta