#NovembroAzul: População masculina apresenta aumento dos casos de Sífilis

By | 10 de novembro de 2016

sifilis-post2

A sífilis é uma doença infecciosa que pode ser transmitida por relações sexuais sem o uso do preservativo. Em alguns casos a infecção é silenciosa, sem apresentar sintomas durante muitos anos, ainda que as pessoas infectadas continuem transmitindo a doença. Segundo dados do Ministério da Saúde, a sífilis tem crescido na população masculina que apresentou 60,1% dos casos da doença entre 2010 e 2016. No mesmo período, as mulheres apresentaram 39,9% dos casos.

Seguindo a tendência do Brasil, a sífilis adquirida em Minas Gerais é predominante no sexo masculino com 69,4% dos casos notificados, no período de 2010 a 2016. Os outros 30,5% dos casos ocorreram no sexo feminino. Isso significa que para cada dois homens uma mulher é infectada.

Entre as principais causas para a constante transmissão da sífilis está a não utilização do preservativo na relação sexual, seja ela anal, vaginal ou oral. O uso da camisinha, seja ela masculina ou feminina, é fundamental para a prevenção não só da sífilis, como de várias outras doenças sexualmente transmissíveis.

Outro importante fator para a transmissão da doença é o diagnóstico tardio (devido à falta de sintomas) e o desconhecimento da população sobre a disponibilidade dos exames no Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, se um dos parceiros realiza tratamento para a doença, é fundamental que o outro também faça os exames para diagnóstico. Em caso de resultado positivo, também deverá passar pelo tratamento para que a reinfecção por sífilis seja evitada.

No caso da sífilis congênita, transmitida da mãe para o bebê durante a gestação ou no momento do parto, é fundamental que o parceiro também faça os exames. Dessa forma, ele protege a si mesmo, a mãe e a criança do risco de serem infectados novamente pela doença.

Deixe uma resposta