#Ciência: OMS avalia uso de pequenas bactérias no enfrentamento ao Zika Vírus

By | 5 de janeiro de 2017
prevencao_dengue_zika

Foto: OPAS / OMS.

O mosquito Aedes aegypti matam cerca de 700 mil pessoas por ano. Se infectados com vírus que causam doenças como zika, chikungunya e dengue, podem transmiti-las aos seres humanos com uma picada.

Pesquisadores têm agora implantado um projeto-piloto de uma nova técnica para controlar as doenças transmitidas por mosquitos fazendo uso da natureza. Trata-se de uma das novas ferramentas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como projeto-piloto para a resposta ao vírus zika.

Pesquisadores da Universidade Monach, na Austrália, com a colaboração de Luciano Moreira, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), descobriram que mosquitos infectados artificialmente com uma bactéria chamada Wolbachia não transmitem dengue, chikungunya e zika com facilidade. A bactéria Wolbachia existe naturalmente em 60% dos insetos comuns.

Esta abordagem inovadora para o controle de doenças transmitidas por mosquitos foi trazida ao Brasil pela Fiocruz em 2012. Inicialmente era um projeto de controle da dengue, que começou em uma pequena comunidade próxima ao aeroporto internacional do Rio de Janeiro, em 2014.

  • Clique aqui para ler a matéria completa no site da ONU.

Deixe uma resposta