#Solidariedade: Atitude cidadã ao ajudar pessoa com deficiência também requer ‘etiqueta’

By | 15 de fevereiro de 2017

com Agência Minas

Viver com qualquer tipo de deficiência requer superação diária. A solidariedade no dia a dia é fundamental para a integração dessas pessoas na sociedade. Porém, embora ajudar pareça fácil, é preciso entender como fazê-lo, para que as pessoas com deficiência recebam atenção diferenciada, sem que o tratamento dado a elas seja de vitimização ou menos valia. Antes de tudo, por mais que sinta vontade de ajudar, é necessário saber se a pessoa com deficiência quer ajuda. No caso, especificamente, de um cego, é muito importante, ainda, identificar-se antes da abordagem.

Romerito Nascimento, coordenador de Políticas para as Pessoas com Deficiência, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac), explica que o processo de humanização da inclusão ainda não foi absorvido por muitas pessoas. “A lógica das cidades ainda não consegue pensar totalmente as necessidades de corpos diferentes. Por isso ainda é preciso que cidadãos contribuam para a melhor locomoção e interação de pessoas com deficiência. Contudo, ao ajudar, precisa imperar o respeito e o entendimento de que aquela pessoa tem vontades e é um sujeito capacitado para tomar decisões”, diz o coordenador. Nascimento completa que há muita gente bem-intencionada que desconhece como colaborar.

Por isso, a pedido do portal de notícias Agência Minas, a Coordenadoria de Políticas para Pessoas com Deficiência listou dicas de como, efetivamente, auxiliar cegos, surdos e usuários de cadeiras de rodas; confira:

content_arte_-_cuidados_com_deficientes

Deixe uma resposta