Monthly Archives: março 2017

#LinksDaSemana: Confira as principais notícias do site da SES-MG nesta última semana

Id-Blog-da-Saúde_links-da-semana-01-660x660
Toda semana o Blog da Saúde MG traz as principais matérias que foram publicadas no site da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Tudo isso para você não perder nenhuma notícia importante sobre o SUS, além de informações sobre prevenção e cuidados com a sua saúde! Nessa semana, os destaques ficam por conta de diversas ações de capacitação. Acompanhe:

O Grupo de Teatro “Saúde em Cena” realizou uma oficina com agentes e profissionais de saúde da Secretaria Municipal de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sobre ferramentas teatrais para a mobilização e promoção da saúde pública.

No dia 17 de abril começa em todo estado a campanha de vacinação contra a influenza. Também conhecida como gripe, de acordo com o Ministério da Saúde, a doença é caracterizada por sintomas como febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garanta e coriza.

O subsecretário de Vigilância à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Rodrigo Said, participou de uma reunião técnica para abordar a situação epidemiológica da Chikungunya na região de Governador Valadares.

Entre os dias 27 e 30 de março de 2017, aconteceu na SES-MG o segundo módulo do Curso de Capacitação para Inspeção Sanitária em Serviços de Terapia Renal Substitutiva.

Ah, e não deixe de conferir a seção de eventos do blog para saber dos principais eventos de saúde de Minas Gerais.

 

#Mobilização: Grupo de Teatro “Saúde em Cena” faz oficina com atores em Contagem

31.03_oficina_saude_em_cena

Durante a realização da Oficina de Teatro do Grupo Saúde em Cena para agentes e profissionais de saúde de Contagem, nesta última quinta-feira (30/03),  a TV Alterosa esteve presente para produzir uma reportagem sobre o trabalho de mobilização social no Sistema Único de Saúde (SUS). A questão do teatro como ferramenta de mobilização para o enfrentamento do Aedes Aegypti foi o principal foco dessa reportagem. Para ver a matéria completa sobre esta oficina, acesse o site da SES-MG.

Foram realizadas filmagem da encenação do Grupo “Agente em Cena”, que após as oficinas mostrou uma dona de casa descuidada, que recebe a visita de uma agente de saúde que vai mostrando dicas para eliminar os focos do Aedes. Susan Prado, Coordenadora do Grupo “Saúde em Cena” falou um pouco sobre a importância do teatro na mobilização e também sobre a história do Grupo. Abaixo, confira alguns trechos dos bastidores dessa oficina:



#Mito ou Verdade: Tuberculose tem cura e tratamento oferecido pelo SUS?

tuberculose_7

A Tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, que afeta os pulmões, embora possa acometer outras partes do organismo. Segundo o último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata jovens e adultos, ultrapassando o HIV/Aids. Por ser um assunto que ainda gera muitas dúvidas em relação ao que é Mito ou Verdade, a equipe do Blog da Saúde MG listou algumas das verdades e mentiras sobre essa doença. Acompanhe:

1) A tuberculose se transmite pelo compartilhamento de roupas, lençóis, copos e outros objetos?

Mito. A tuberculose é uma doença transmitida de pessoa a pessoa a partir da inalação de partículas muito pequenas (aerossóis) eliminadas por pessoas com tuberculose ativa. Somente pessoas com tuberculose ativa pulmonar ou laríngea transmitem a doença e, em geral, após 15 dias de tratamento adequado elas já não são mais capazes de infectar outras pessoas.

2) A tuberculose tem cura?

Verdade. Oferecido apenas na rede SUS, o tratamento é gratuito, tendo duração de no mínimo seis meses, com tomada diária de medicamento. É comum que após as primeiras semanas de tratamento, o paciente observe melhora total dos sinais e sintomas. No entanto, isto não quer dizer que a doença está curada. Para obter a cura é necessário completar todo o tratamento!

3) As pessoas que convivem com os doentes, precisam tratar de tuberculose?

Verdade. Todas as pessoas que moram na mesma casa do doente com tuberculose, contatos próximos de trabalho próximo ou outros com convivência próxima e contínua precisam ser examinadas. Isto significa que todos deverão fazer exames e após avaliação, se identificado outra pessoa doente, inicia-se o tratamento da tuberculose, se infectado com a bactéria da tuberculose, em alguns casos recomenda-se a o tratamento preventivo da infecção latente da tuberculose, ou seja, uma profilaxia para diminuir o risco apresentar tuberculose ativa.

4) Todas as pessoas que se infectam por tuberculose adoecem?

Mito. Estima-se que 10% das pessoas que se infectam com o bacilo da tuberculose desenvolvam a doença (5% nos primeiros dois anos após a infecção e 5% tardiamente).

5) Existem grupos populacionais com maior risco para o adoecimento por tuberculose?

Verdade. Pessoas vivendo com HIV/aids, privados de liberdade (população presa), pessoas em situação de rua e indígenas apresentam maior risco de adoecimento por tuberculose, devido às condições de saúde e de vida a que estão expostos. Nesses grupos, a suspeita de tuberculose deve ser feita com tempo de tosse menor, a saber: duas semanas ou mais para pessoas vivendo com HIV/aids, indígenas, privados de liberdade e independentemente do tempo de tosse para pessoas em situação de rua.

 

# SaúdeNaCozinha: Aprenda a fazer uma paçoca funcional para uma alimentação saudável

Paçoca-Vida-e-Saude

A paçoquinha é um dos doce típicos brasileiros mais amados, não é mesmo? 😋🥜🍯💖👏

Porém, na semana passada, muitas pessoas foram pegas de surpresa quando uma marca que comercializa paçoquinhas teve o lote apreendido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), proibindo a comercialização do produto. Segundo a Anvisa, o doce “excedeu limite do teor de aflatoxinas, substâncias tóxicas e carcinogênicas”.

Mas, como a paçoca é um doce muito querido, iremos ensinar nesse post uma receita de paçoca saudável, para você possa fazer em casa e se deliciar com esse doce, feito à base de amendoim. Abaixo confira todos os detalhes:

Paçoca funcional

Ingredientes
1 xícara de amendoim natural
3 colheres (sopa) de aveia em flocos
1 semente de cardamomo
1 colher (chá) de canela
3 colheres (sopa) de rapadura

Modo de preparo

  • Aqueça o amendoim e a rapadura.
  • Em seguida, leve ao liquidificador com o cardamomo na potência baixa até que se transforme em uma pasta.
  • Leve a aveia com canela ao fogo em uma frigideira antiaderente e salteie até que fique mais seca, como uma farofa. Modele no formato que achar melhor ou compre embalagens de papel para embrulhar.
  • A paçoca pode incrementar seu iogurte, frutas e sobremesas.

Benefícios do amendoim

São diversos os benefícios do amendoim, dentre os quais para a memória, no emagrecimento, para a pele e para a diminuição do estresse. Os amendoins são ricos em anti-oxidantes o que os tornam benéficos para a saúde da pele e além disso contém triptofano, que é um tipo de aminoácido que desempenha um papel vital na regulação do humor e previne o estresse e tensão. Além disso, os amendoins são uma excelente fonte de energia para quem pratica atividade física de forma regular.

Então, aproveite e desfrute desse doce, e conte pra gente se fizer a receita! 😍🥜🍯💖

#SaúdeDaMulher: Lei nacional institui Semana pela Não Violência contra a Mulher

self defense

Promover uma Semana Nacional pela Não Violência contra a Mulher. Esse é o tema da Lei Federal Nº 13.421, de 27 de março de 2017, sancionada nesta última terça-feira (28/03). A semana, que será a última do mês novembro, estabelece que nesse período, o setor público desenvolva, com o apoio de entidades da sociedade civil, campanhas e atividades, como palestras, debates e seminários visando a esclarecer e conscientizar a sociedade sobre a violação dos direitos da mulher.

Em Minas Gerais, a violência doméstica e familiar contra a mulher caiu, entre 2015 e 2016, em todo o Estado e também na capital. Em Minas, foram 2.681 ocorrências a menos deste tipo de crime no último ano, o que representa uma queda de 2,08%. Já na capital, o decréscimo foi de 1,74%, com 15.224 casos registrados no ano de 2015 e 14.960 em 2016.

O diagnóstico mostra ainda que a violência física é o tipo de agressão mais sofrida pelas mulheres, o que inclui crimes como lesão corporal, vias de fato, homicídio e tortura. Esses dados estão disponíveis no Diagnóstico 2015/2016 – Violência doméstica e familiar em Minas Gerais, produzido pela Secretaria de Segurança Pública no Estado de Minas Gerais.

#VidaSaudável: Dicas para preparar uma papinha saudável na introdução alimentar

O aleitamento materno é a melhor opção de alimentação para crianças pequenas e é recomendado de forma exclusiva até os seis meses de vida, devendo ser complementado após essa idade, com a introdução de outros alimentos, mantendo-se a amamentação até os dois anos ou mais.

Porém, a partir do 6º mês de vida, o bebê já pode ter um complemento nutricional com alimentos mais sólidos. É nessa hora que entra a papinha, um momento ideal para que a criança passe a sentir o sabor e a textura de frutas, cereais, verduras, legumes e leguminosas.

Mas como deve ser feito esse complemento? O que as crianças podem comer? Como devem ser feitas as papinhas? Diante desse quadro, o Blog da Saúde MG preparou 15 dicas para você oferecer uma papinha saudável para alimentação do seu bebê. Acompanhe:

#SaúdeEntrevista: Socióloga compara as políticas públicas de saúde mental entre Brasil e Itália

Por Sílvia Amâncio (ASCOM/ESP-MG)

17546925_919680918135128_8894465858616998372_o

“A força do manicômio na sociedade é tão forte como a resistência coletiva dos movimentos sociais”. A frase está entre as afirmações feitas pela socióloga italiana e presidente da Fundação Franca e Franco Basaglia, Maria Grazia Giannichedda, durante roda de conversa das Oficinas de Formação de Trabalhadores da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), ação educacional da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) em parceria com a coordenação de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em dezembro de 2016.

Após a aula em Belo Horizonte, ela conversou com a Assessoria de Comunicação Social da ESP-MG e respondeu algumas questões sobre as diferenças das políticas de saúde públicas voltadas para a saúde mental no Brasil e na Itália. Confira, abaixo:

1) Como era o quadro na Itália antes da Reforma Psiquiátrica?

Em 1750 foi aberto o primeiro manicômio na Itália. Historicamente, os países da Europa tinham a postura de que era necessário “limpar” as cidades de pessoas indesejáveis, aquelas que não se adaptavam à vida em sociedade, daí o surgimento de manicômios com a prática do isolamento e segregação.

2) Como foi a Reforma Psiquiátrica na Itália?

Assim como na França, houve um intenso movimento pelo fechamento dos manicômios, com a proposta de que esses seriam substituídos por outros serviços. Era uma utopia em comum, já que os serviços prestados eram de má qualidade e com altos gastos públicos. Acompanhei todo esse processo da reforma, desde a sua formulação, como uma das principais assessoras de Franco e Franca Basaglia, precursores do movimento da reforma psiquiátrica italiana, conhecido como Psiquiatria Democrática.

3) Quais foram os resultados imediatos da Reforma?

Com a reforma, houve fechamento de 60% dos leitos psiquiátricos. Temos dados de que em 1971 a Itália tinha em torno de 50 milhões de habitantes, sendo que cerca de 100.000 estavam em manicômios. Isso há mais de 40 anos, mas a reforma na Itália ainda enfrenta muitos desafios.

4) E no Brasil?

A Reforma Psiquiátrica brasileira seguiu a experiência italiana, tendo passado por importantes momentos, uma relação política de críticas em relação aos manicômios. Assim como a Itália, o Brasil tentou também romper essa situação apostando na ressocialização, na autonomia social, mas sabemos que não é simples.

5) Os manicômios acabaram?

Ainda temos alguns abertos na Itália e eles podem voltar e ainda piores. Mesmo após 40 anos de reforma, o governo italiano ainda é tímido e não aprendeu com as lições, dispensa o trabalho humanizado e ainda visa o lucro. Na Itália os investimentos em saúde mental são de cerca de 3 a 4%, muito pouco se comparamos com os 12% investidos na mesma área pela Finlândia por exemplo.

6) Os movimentos ainda resistem?

Enfrentamos 250 anos de manicômios, por isso temos a prática da resistência coletiva do campo da saúde mental. Ainda temos que mudar a mentalidade de muitos profissionais, alguns apostam nesses avanços, em especial no trabalho com os profissionais mais jovens. A luta de instituições e movimentos sociais pela saúde mental teve grande destaque na reforma. Mas não se trata de uma questão de lei, e sim de uma mudança organizacional e cultural nas políticas públicas e nas bases. Entendemos que essas pessoas têm direito à justiça, direitos iguais e provamos que há alternativas ao invés de apenas manicômios.

7) Por que há essa resistência por parte de alguns médicos?

Ainda persiste a cultura de uma sociedade da “medicina mental” na prática dos médicos psiquiatras, é um desafio convencê-los a mudar e eles insistem em hospitais. Vale lembrar que o conhecimento deles foi aprendido dentro desses manicômios.

8) E a religião como influi? Sendo a Itália um berço cristão?

Os manicômios têm uma influência forte da Igreja Católica, esses hospitais psiquiátricos administrados pela Cúria mantêm convênios públicos e são os mais difíceis de serem fechados. Mas resistimos.

  • Clique aqui e veja mais fotos da roda de conversa com a socióloga Maria Grazia Giannichedda.

#Mobilização: Alunos trabalham com material sobre o Aedes e Febre Amarela em sala de aula

A Mobilização Social no Sistema Único de Saúde (SUS), que aborda em diferentes temas de promoção da saúde, está sendo trabalhada também pelos alunos da Escola da Serra, em Belo Horizonte. Desta vez, eles receberam informações para o enfrentamento do mosquito Aedes Aegypti e na campanha para a prevenção da Febre Amarela.

A partir do material informativo fornecido pelo Núcleo de Mobilização Social da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), para o aluno Sérgio Papini, de 11 anos, os educadores da Escola elaboraram um “roteiro de estudo” específico sobre o tema, que foi apresentado para os alunos do 2° ciclo Fundamental (9 a 12 anos) na segunda metade do mês de março e continuará a ser trabalhado, em ritmos diferenciados segundo os grupos de alunos, por pelo menos duas semanas.

“Os alunos mostraram muito interesse pelas informações fornecidas nos folhetos de divulgação que receberam, se sensibilizaram com o assunto e já começaram a fazer suas pesquisas e trabalhos acerca do assunto”, explica o Assessor de Comunicação e Planejamento da Escola da Serra, Marco Sbicego.

Patrícia Papini, servidora da Secretaria de Estado de Segurança Pública e mãe de Sérgio Papini ressalta que junto à seu filho e à Escola “apoia e motiva todos os temas de pesquisa, e é muito importante a conscientização das crianças sobre essas doenças causadas por pernilongos e também trazer as diversas formas de prevenção”.  Confira galeria abaixo:

 

#Quiz: Você sabe como conservar e organizar a rotina de uso de medicamentos?

Há quem, devido à orientações médicas, faça uso de diferentes remédios de uma só vez ou de vários no mesmo dia. E manter isso tudo em ordem pode ser muito difícil, principalmente aos idosos. Vários fatores que interferem no uso de medicamentos e consequentemente no resultado do tratamento, como por exemplo, esquecer de tomar, utilizar uma dose maior ou menor, trocar os horários, entre outros motivos. Por isso, faça esse teste, e fique atento às dicas. Confira, abaixo:


Veja também:

 

#VidaNoTrânsito: Série de reportagens do Icict/Fiocruz aborda “Álcool e trânsito”

27.03_motorista_dirigindo_carro

Foto: iStock / Reprodução.

A pesquisadora associada do Laboratório de Informação em Saúde (LIS/Icict), Giseli Damacena, analisou os dados sobre consumo de bebidas alcoólicas e o hábito de dirigir após beber, divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013. A investigação revelou números que impressionam: 24,3% da população brasileira admite já ter consumido bebida alcoólica antes de dirigir.

Conforme a análise da pesquisadora, a proporção de pessoas que se envolveram em acidentes de trânsito com lesões corporais nos últimos 12 meses anteriores à Pesquisa no Brasil “foi de 3,1% da população geral”, sendo que “7,5% foram os que referiram consumo abusivo e frequente de álcool”. A partir do artigo “Consumo abusivo de álcool e envolvimento em acidentes de trânsito na população brasileira, 2013”, produzido por Giseli Damacena e outros autores, foi desenvolvida a série “Álcool e trânsito”, que traz dados, documentos, infográficos, gifs animados, trechos de vídeo e depoimentos de especialistas sobre o assunto.

A proposta da série de reportagens é promover o debate sobre os impactos na saúde dos acidentes de trânsito causados pelo consumo de álcool pelos condutores. Abaixo, confira as quatro reportagens da série:

#LinksDaSemana: Confira as principais notícias do site da SES-MG nesta última semana

 

Id-Blog-da-Saúde_links-da-semana-01-660x660

Toda semana o Blog da Saúde MG traz as principais matérias que foram publicadas no site da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Tudo isso para você não perder nenhuma notícia importante sobre o SUS, além de informações sobre prevenção e cuidados com a sua saúde! Nessa semana, os destaques ficam por conta do Dia da Tuberculose, Síndrome de Down e da Água. Acompanhe:

24/03 – SES-MG orienta sobre prevenção e cuidados relacionados à Tuberculose

A Tuberculose é uma doença infectocontagiosa, causada pelo Mycobacterium tuberculosis, que embora possa acometer outros órgãos, tem a forma pulmonar como a mais frequente e a principal responsável pela transmissão.

23/03 – SES-MG orienta população como comprar carne fresca e congelada para uma alimentação saudável

Ao comprar carne em açougues ou supermercados, o consumidor deve ficar atento ao estado de conservação dos produtos e aos selos de qualidade

22/03 – Dia Mundial da Água reforça a importância desse bem para a saúde

No dia 22/03 é celebrado o Dia Mundial da Água. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para estimular a reflexão e discussão sobre a relevância desse bem natural em nosso cotidiano.

21/03 – SUS oferece atendimento integral a pessoas com Síndrome de Down

O Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado na terça-feira, 21 de março, é uma oportunidade para refletir sobre a importância da total inclusão da pessoa com deficiência.

21/03 – SES-MG lança campanha de reforço para enfrentamento ao Aedes

A segunda fase da campanha é intensificar, junto à população, a importância da participação de todos no enfrentamento ao Aedes.

21/03 – Grupo teatral Saúde em Cena comemora 10 anos de mobilização em prol do SUS

O grupo, criado em março de 2007, tem como objetivo mobilizar as pessoas sobre diversos temas relacionados à saúde por meio da interação teatral, fazendo do Sistema Único de Saúde (SUS) seu maior espetáculo.