#Imunização: Cooperação com escolas públicas irá ampliar a vacinação de jovens pelo SUS

By | 17 de março de 2017

banner_vacinacao_estudantes

Escolas públicas de todo o Brasil vão atuar com as equipes de atenção básica de saúde para a atualização da caderneta dos estudantes. A parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação possibilitará ampliar a vacinação em crianças e adolescentes pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para isso, o Governo Federal irá renovar a portaria do Programa Saúde na Escola, que prevê ações voltadas à prevenção e promoção da saúde nas salas de aula.

A ação será fundamental para a adesão de adolescentes na campanha de vacinação contra HPV e Meningite C, que será lançada nacionalmente a partir do próximo domingo (19/03). Uma das propostas é que os estudantes apresentem, já na matrícula, a caderneta com registro de vacinas e as escolas comuniquem, ao SUS por meio das Unidades Básicas de Saúde (também conhecidas como Posto de Saúde), sobre as doses prioritárias para os seus alunos.

No início deste ano, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) ampliou a oferta da vacina Meningocócica C. Agora, a dose de reforço pode ser administrada em crianças menores de cinco anos de idade. Além disso, há uma nova dose para adolescentes entre 12 e 13 anos de idade, sendo que até 2020 também serão imunizados adolescentes entre 9 e 13 anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, quase metade dos municípios brasileiros estão com baixa cobertura vacinal contra o HPV. São 5,5 milhões de meninas de 9 a 14 anos com o esquema vacinal incompleto no País. A expectativa é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos em 2017, além de 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids, que também passarão a receber as doses. Desde a incorporação da vacina HPV no Calendário Nacional de Vacinação, 5,8 milhões de meninas procuraram o SUS para completar o esquema vacinal do HPV com a segunda dose, totalizando 55% das brasileiras nesta faixa etária.

Fonte: Portal Brasil/Adaptação.

Deixe uma resposta