#TOP5: É possível evitar alimentos ultraprocessados no nosso dia-dia?

By | 10 de abril de 2017

Alimentos ultraprocessados podem ser desenvolvidos em laboratório com base em matérias orgânicas como petróleo e carvão, dos quais resultam os corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para deixar os produtos comestíveis mais atraentes. São preparações industriais feitas inteiramente ou em grande parte de com substâncias extraídas de alimentos (óleos, gorduras, açúcar, amido, proteínas), derivadas (gorduras hidrogenadas, amido modificado) ou desenvolvidos.

Veja também:
Alimentos ultraprocessados e in natura: você sabe a diferença?

São exemplos desse tipo de alimento: biscoitos recheados, sorvetes, balas e guloseimas em geral, cereais matinais açucarados, bolos e misturas para bolo, barras de cereal, sopas, macarrão e temperos ‘instantâneos’, molhos, salgadinhos “de pacote”, refrescos e refrigerantes, iogurtes e bebidas lácteas adoçados e aromatizados, bebidas energéticas, produtos congelados e prontos para aquecimento como pratos de massas, pizzas, hambúrgueres e extratos de carne de frango ou peixe empanados do tipo nuggets, salsichas e outros embutidos, pães de forma, pães para hambúrguer ou de cachorro quente.

Deixe uma resposta