#SaúdeEntrevista: Projeto “Baleia Rosa” viraliza e conquista jovens nas redes sociais

By | 4 de maio de 2017

04.05_projeto_baleia_rosa

Criado por uma equipe de profissionais de diversas áreas – como advogados, biomédica, protética, social media, bancário e psicólogos, o Projeto Baleia Rosa surgiu a partir do incômodo gerado com a repercussão do jogo Baleia Azul, que escancarou o tabu sobre o suicídio entre os jovens. O projeto inicial foi elaborado por dois amigos, um designer, Rafael Tiltscher e uma profissional de marketing, Ana Paula Hoppe.

A ideia é ajudar pessoas que, por algum motivo se sentem deprimidas e, com isso, auxilia-las a encontrar uma ajuda, além de promover a vida com 50 tarefas do bem que podem ajudar fazer o bem ao próximo e a si mesmo. Entre as tarefas propostas, estão olhar no espelho e agradecer por tudo que tem na vida, ligar para os avós, usar uma roupa nova em plena segunda-feira, pedir desculpas ou perdoar alguém, desbloquear pessoas próximas nas redes sociais ou, até mesmo, conversar com alguém com quem não fala há muito tempo. A intenção é que os chamados “filhotes rosa”, aqueles que aceitam o desafio, postem nas redes sociais registros das tarefas executadas.

Para falar mais sobre esta iniciativa, o Blog Saúde MG conversou com o designer Rafael Tiltscher sobre esse projeto. Abaixo, confira a entrevista:

1) Como têm sido a adesão das pessoas ao Projeto?

Têm sido maravilhoso! Muitas pessoas interagindo, apoiando e entendendo a causa. Acreditamos muito que tudo isso se deu pois nossa necessidade de mudar o mundo para melhor é uma urgência coletiva. Está sendo muito gratificante e bonito de se ver! Choramos todos os dias.

2) Como é essa questão dos jovens versus redes sociais?

Estamos percebendo que as redes sociais têm sido utilizadas, muitas vezes, como uma válvula de escape, onde esse jovem desabafa, defende aquilo que acredita e na maioria das vezes, tenta viver uma outra vida. Notamos também que as pessoas estão pedindo por atenção, não no sentido de implorar mas sim no sentido de que na maioria das vezes eles não têm esse respaldo e amor perto deles. Às vezes tudo o que eles querem, é alguém que se importe. Este têm sido nosso propósito maior, mostrar para essas pessoas, que elas não estão sozinhas e que é OK elas serem quem são! Todos nós temos problemas grandes ou pequenos, mas juntos somos muito mais fortes.

3) Como os pais e a sociedade podem cuidar dos seus jovens para que não se envolvam em causas negativas e foquem no positivo?

O primordial é desenvolver o diálogo dentro de casa, estar abertos para receber o que estes jovens têm a dizer, sem julgamentos. Muitos não se abrem por medo de represálias e isso é muito triste, pois é dentro de casa que deveríamos nos sentir seguros. Tanto pais quanto sociedade tem  que entender que patologias psicológicas não são “mimimi” ou frescura, é muito sério e precisa tratamento e atenção. Devemos pensar como estamos conversando com as outras pessoas, estamos sendo bons ouvintes? Estamos abertos para o diálogo ou primeiro julgamos e depois pensamos se estamos certos ou errados? Devemos sempre nos colocar no lugar do outro, tentar compreender que nós não sabemos o que está acontecendo na vida do outro e porque ele se sente ou se porta de tal forma ou de outra.

Buscar sempre enxergar a intenção positiva nas atitudes do outro, mesmo que a intenção do outro soe egoísta, sempre há uma intenção positiva! E o principal, enxergar a beleza da vida nas pequenas coisas: respirar, acordar, poder andar, ter saúde, poder ter a certeza de que sempre existe o amanhã para fazer algo novo e melhor. É importante lembrar que o bem que fazemos para o outro, estamos fazendo para nós mesmos! 

4) O que você espera alcançar com o Baleia Rosa?

Nossa intenção é espalhar o bem pelo mundo! Provar que o bem é muito maior do que as coisas ruins e que através dele, podemos ajudar as pessoas e quem sabe transformar nosso planeta em um lugar mais bonito de se viver.

Deixe uma resposta