#ChegaDeLGBTFobia: Campanha nas redes sociais quer promover o respeito à população LGBT

By | 18 de maio de 2017

18519624_1193737380755777_8436665026954491950_n

Nesta última quarta-feira (17/05) comemoramos o Dia Internacional Contra LGBTfobia. Em função disso, a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) lançou uma campanha bastante interessante nas redes sociais para mostrar o quanto que expressões do nosso cotidiano contribuem para o preconceito e a discriminação nos mais diversos espaços sociais

A proposta é, justamente, mostrar que as palavras ferem tanto quanto os atos violentos que, infelizmente, ainda se fazem presente na nossa sociedade. Dados da Secretaria Especial de Direitos Humanos, do Ministério da Justiça e Cidadania, mostram que a população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros) continua vítima do preconceito e de violência. Prova disso é que o Disque 100, serviço da secretaria destinado a receber demandas relativas a violações de direitos humanos, recebeu 1.876 denúncias de LGBT em 2016, número 38% maior do que em 2011. Abaixo, confira as peças da campanha e compartilhe nas suas redes sociais:

Políticas Públicas

Em Minas Gerais, a criação, pelo governador Fernando Pimentel, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) foi mais uma iniciativa para reforçar o compromisso com as políticas de promoção e proteção de direitos humanos. Desde que foi criada, a Sedpac articula políticas públicas e ações educativas contra o preconceito ao público LGBT, muitas delas em parceria com outras secretarias e órgãos estaduais.

“Quando construímos políticas públicas para a população LGBT, estamos contribuindo para a redução da violência física e psicológica sofrida por ela. Quando reconhecemos e construímos espaços para todos, avançamos muito na cidadania”, ressalta o coordenador especial de Políticas de Diversidade Sexual da Sedpac, Douglas Miranda.

Outro grande desafio é a criação do Conselho Estadual de Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CEC LGBT), órgão que será responsável pela elaboração e condução das políticas públicas voltadas para esses segmentos da população. “A criação do conselho é de suma importância, inclusive para dar visibilidade à pauta no estado e estimular a criação de Conselhos Municipais de Cidadania LGBT”, destaca Douglas Miranda. A minuta de decreto foi escrita com participação ativa de movimentos sociais, como o Grupo de Trabalho Cidadania Trans

Deixe uma resposta