#VidaSaudável: Fiocruz Minas realiza pesquisa sobre hábitos saudáveis em Belo Horizonte

By | 24 de maio de 2017

24.05_familia_alimentacao_saudavel

Um estudo da Fiocruz Minas comparou dados coletados nos últimos dois inquéritos de saúde realizados na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e apontou as mudanças ocorridas em relação aos hábitos que impactam na saúde.  Os pesquisadores se debruçaram sobre as respostas relacionadas a tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas, alimentação, prática de atividades físicas, bem como realização de exames preventivos.

Ao todo, foram analisados 26.740 questionários, sendo 13.757 aplicados em 2003 e 12.983 em 2010. Ao fazer a comparação entre os dois inquéritos, os pesquisadores também dividiram os entrevistados em dois grupos: conveniados a planos privados e não-conveniados.

De acordo com a pesquisa, o tabagismo diminuiu, de forma semelhante, tanto entre os conveniados a planos quanto entre os não-conveniados. A semelhança de resultado entre os dois grupos também ocorreu em relação ao consumo excessivo de álcool, porém, nesse quesito, os dados são negativos, apontando para um aumento da prevalência na ingestão de bebidas alcoólicas.

Também em relação ao consumo de legumes, frutas e hortaliças os dados mostram semelhanças de comportamento, com aumento na ingestão desse tipo de alimento por parte dos integrantes dos dois grupos. Segundo o estudo, uma das explicações é o crescimento da renda no período analisado.

Sedentarismo

No que se refere à prática regular de exercícios físicos, o estudo mostrou que, nos dois grupos, houve uma diminuição na realização dessas atividades. Além disso, aumentou o número de pessoas consideradas sedentárias por passarem boa parte do dia desenvolvendo tarefas que não exigem movimentação.

Um dado que chama a atenção diz respeito à realização de exames preventivos. Segundo a pesquisa,  cresceu o número de pessoas que fizeram mamografias, aferição de colesterol  e citologia oncológica de colo de útero, sendo que esse crescimento foi mais significativo entre as que não têm plano privado.

Fonte: FiocruzMinas

Deixe uma resposta