#Curiosidade: Você sabe quais são os sintomas do glaucoma?

By | 26 de maio de 2017

Dia Nacional de Enfrentamento ao Glaucoma

O glaucoma é uma doença nos olhos que pode levar a cegueira. Silencioso, muitas pessoas descobrem tarde o problema, quando já perderam uma parte do campo visual. Causada pela lesão do nervo óptico e relacionada à alta pressão do olho, o glaucoma pode causar dano no nervo óptico. Estima-se que entre 2 e 3% da população brasileira acima de 40 anos possam ter a doença, segundo o Conselho Brasileiro de Olftamologia.

Para tratamento da doença, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece consultas, exames de diagnóstico, acompanhamento, tratamento oftalmológico, cirurgias e implante de prótese. A quantidade de procedimentos aumenta a cada ano. Em 2015, foram registrados 2,2 milhões de atendimentos, entre exames, consultas e cirurgias, sendo 47% a mais que em 2012, quando foram registrados 1,5 milhão atendimentos. Já em 2016, R$ 174,6 milhões foram investidos na realização desses procedimentos.

Na maioria dos casos, o glaucoma atinge os dois olhos e a herança genética influencia no aparecimento da enfermidade. As pessoas com mais de 50 anos, histórico familiar da doença, afrodescendentes, pacientes com pressão intraocular elevada devem se submeter a um exame oftalmológico. O tratamento é feito com colírios que controlam a pressão intraocular. Ainda, há dois tipos de glaucoma: o de ângulo aberto que é gradual, lento e assintomático e responde por 90% dos casos; já o glaucoma de ângulo fechado pode ocasionar dores de cabeça, dor no olho, auréolas de arco íris ao redor das luzes, náusea e vômitos.

Tratamento

Ao longo dos anos, foram introduzidas novas medidas de assistência aos pacientes com glaucoma na rede pública de saúde. Esse atendimento também é garantido por meio do Aqui Tem Farmácia Popular. Desde 2011, o medicamento maleato de timolol foi incluído na lista dos produtos do programa, desenvolvido em parceria com a rede privada de farmácias e drogarias, cuja oferta de medicamentos e outros produtos garante desconto de até 90% à população.

No SUS, uma das principais estratégias de prevenção, controle e enfrentamento ao glaucoma é feito por meio de prevenção às doenças que causam o problema, tais como diabetes, miopia e lesões oculares. As ações preventivas permitem a detecção precoce do glaucoma – principalmente quando há hereditariedade, o que contribuiu para o tratamento mais rápido e adequado. Abaixo, confira algumas curiosidades sobre a doença: 

• Pessoas com histórico familiar de glaucoma têm cerca de 6% de chance de desenvolver a doença.
• Os diabéticos e negros são mais propensos a desenvolverem glaucoma de ângulo aberto – em geral, este tipo de glaucoma não apresenta sintomas e o paciente não sente dor e perde lentamente a visão.
• Já os asiáticos têm maior tendência a desenvolverem glaucoma de ângulo fechado, forma da doença em que ocorre um rápido aumento da pressão do olho. Os sintomas podem incluir dores oculares e dores de cabeça intensas, olhos avermelhados.
• A prevalência de doenças oculares que levam ao comprometimento da visão cresce com o avanço da idade. As taxas maiores de cegueira e baixa visão são observadas com o aumento da vida média da população.
• Na população com mais de 50 anos de idade, as principais causas de cegueira são a catarata, o glaucoma, a retinopatia diabética e a degeneração macular (perda da visão no centro do campo visual, a mácula).

Exames ofertados pelo SUS:

• Tonometria para medir a pressão intra-ocular.
• Campimetria que permite avaliar como e se o glaucoma afetou o campo de visão. O teste de campo visual é uma importante ferramenta que permite avaliar a extensão do dano sobre as fibras nervosas do nervo óptico.
• Oftalmoscopia ou exame do fundo do olho: é o exame de fundo do olho. A coloração e aparência podem indicar se há ou não dano relacionado ao glaucoma e qual a extensão deste.
• Gonioscopia que capta a sensibilidade das áreas visuais de cada olho através de um gráfico. Este exame pode prever com alguma antecedência um ataque agudo de glaucoma de ângulo fechado. Uma lente especial contendo alguns espelhos é colocada a frente do olho do paciente, permitindo a visualização do ângulo.

 

Por Carolina Valadares / Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta