Monthly Archives: julho 2017

#Ciência: BH receberá projeto que introduz a bactéria no mosquito Aedes aegypti

aedes_1

Um projeto inovador voltado para reduzir a transmissão da Dengue, Zika e Chikungunya está previsto para ser desenvolvido em Belo Horizonte em meados de 2018. Trata-se da introdução da bactéria Wolbachia no mosquito Aedes aegypti, vetor das doenças, e que é capaz de evitar que os vírus sejam transmitidos para os seres humanos durante a picada.

projeto Eliminar a Dengue: Nosso Desafio (Eliminate Dengue: Our Challenge) é um projeto internacional sem fins lucrativos que surgiu na Austrália e usa a bactéria Wolbachia. Atualmente há trabalhos de campo do projeto em cinco países e outros três estão se articulando para aderir. No Brasil, ele foi trazido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com o apoio do Ministério da Saúde. A iniciativa está entre os trabalhos científicos apresentados na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorre ao longo dessa semana na capital mineira.

No Brasil, os trabalhos começaram em duas áreas pequenas: em Jurujuba, bairro de Niterói; e em Tubiacanga, bairro do Rio de Janeiro. A liberação de mosquitos com a bactéria começou em agosto de 2015 e se encerrou em janeiro do ano passado. Desde então, vem ocorrendo um monitoramento semanal, com mosquitos sendo coletados em armadilhas e levados ao laboratório para verificar se  possuem a Wolbachia.

Autosustentabilidade e segurança

“Mais de um ano e meio após nós pararmos de liberar mosquitos nestas duas localidades, uma vez que mais de 90% deles contêm a bactéria. Isso comprova a autosustentabilidade do projeto. Não precisamos ficar voltando à mesma área para fazer novas liberações”, explicou o pesquisador da Fiocruz Luciano Moreira, coordenador do projeto no Brasil.

Dados similares também foram constatados na Austrália onde, nas áreas onde os trabalhos começaram, em 2011, perto de 100% da população do Aedes já registra a Wolbachia.

  • Para ler a matéria completa no site da Agência Brasil, clique aqui.

#TOP5: Grandes mulheres da história da saúde pública no Brasil

A história da saúde pública brasileira é marcada pela atuação de grandes mulheres, ✊🏾👩🏾 sejam pesquisadoras, cientistas, médicas, enfermeiras, gestoras, enfim, mulheres trabalhadoras que acreditaram e/ou seguem acreditando na construção de uma saúde pública em prol da população brasileira, a despeito de todas as dificuldades impostas pelas desigualdades de gênero que ainda marcam a nossa sociedade. É em homenagem a essas mulheres, que o Blog da Saúde MG te apresenta apenas algumas dessas grandes figuras.

👉🏽 E #FiqueLigado: vai ter mais, ok?

🖱 Leia mais: #Igualdade: Conheça 6 mulheres negras fundamentais para a promoção da equidade no SUS

#EAD: Saber Saúde vai qualificar profissionais sobre fatores de risco para doenças crônicas

Estão abertas as inscrições para uma nova turma do EAD Saber Saúde. O programa visa qualificar os profissionais da saúde e educação a atuarem na prevenção de tabaco, álcool e outras drogas, e outros fatores de risco para as doenças crônicas.

As inscrições poderão ser realizadas através do site do Instituto Nacional do Câncer (INCA) até o dia 4 de agosto. O curso abordará os fatores de risco para o desenvolvimento das doenças crônicas não transmissíveis como o tabagismo, uso do álcool, alimentação inadequada, prática de atividades físicas, entre outros. A carga horária total é de 80 horas.

 

#LinksDaSemana: Confira as principais notícias que foram destaque no Sistema Estadual de Saúde

teclado

Hoje é dia de rever as principais matérias que foram publicadas no site da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e das vinculadas do Sistema Estadual de Saúde. Não perca nenhuma notícia importante sobre o SUS, além de informações sobre prevenção e cuidados com a sua saúde! Confira:

SES-MG

Cerol, uma brincadeira perigosa

Você sabe os perigos que acidentes causados com cerol podem causar? E como agir em casos acidentes? Veja nossa matéria e fique alerta!

Fhemig 

Fhemig abre Processo Seletivo Público Simplificado para o Cepai

O prcesso seletivos são profissionais de auxiliar administrativo, técnico de enfermagem e fonoaudiólogo para atuarem no Centro Psíquico da Adolescência e Infância (Cepai).

Funed

Ciência em Movimento no SBPC Jovem 2017

Caminhão do programa Ciência em Movimento participa da 69ª edição do encontro de ciências do SBPC Jovem (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). O Encontro vai até sábado (22/07)

ESP-MG

Levantamento aponta perfil de usuários da Biblioteca da ESP-MG

As áreas técnicas da Escola realizaram pesquisa na Biblioteca da Instituição com  o objetivo de identificar os perfis, as preferências e necessidades de recursos informacionais dos usuários da Biblioteca Agostinho Pestana e do Centro de Documentação e Informação.

Hemominas

Papel da Ouvidoria do SUS é debatido na Fundação Hemominas

Ouvidoria de Saúde apresentou aos servidores da Hemominas o projeto de implantação da Ouvidoria do Sistema Único de Saúde, o SUS, na instituição.

Blog da Saúde MG

#SaúdeNaCozinha: Conheça 10 temperos naturais que podem substituir o sal na cozinha

Além de deixar as preparações mais saborosas, o uso de temperos naturais é uma alternativa saudável ao uso do sal e temperos industrializados, que apresentam alto teor de sódio e outros aditivos químicos, como realçadores de sabor e conservantes artificiais.

#FicaADica: Você sabe como agir em casos de acidentes de queimaduras?

Com as férias escolares, é preciso redobrar ainda mais os cuidados com relação aos acidentes domésticos, pois com as crianças, segundos de distração podem ser suficientes para provocar acidentes com queimaduras.

 

 

#FiqueLigado: Inscrições abertas para Programas de Pós- Graduação no Instituto René Rachou

Acontecem, nas próximas semanas, as inscrições para disciplinas isoladas dos Programas de Pós-Graduação do IRR, disponíveis para o segundo semestre de 2017. Na próxima segunda-feira, 24 de julho, poderão se inscrever os candidatos a cursar matérias que integram o Programa de Ciências da Saúde; e, nos dias 31 de julho e 1º agosto, os interessados em disciplinas do Programa de Saúde Coletiva.

Para solicitar a inscrição, é necessário preencher o formulário disponível no site de cada um dos programas e comparecer à secretaria acadêmica, levando também a documentação necessária. O candidato poderá matricular-se em no máximo 3 disciplinas por semestre. Veja todas as informações nos editais abaixo:

Chamada disciplinas isoladas do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Chamada disciplinas isoladas do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva

A secretaria acadêmica funciona na unidade da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (Rua Uberaba, 780, sala 6, Barro Preto),  das 8h30 às 12h e das 13h às 16h30.

Fonte: FioCruz Minas

#Notícia: RMBH é exemplo de agricultura urbana no Brasil

Agricultora_Heloisa

Heloísa Libéria, de 57 anos, agricultora do grupo Serenidade. Arquivo pessoal / Grupo Serenidade

A Região Metropolitana de Belo Horizonte é exemplo de produção de alimentos em centros urbanos. A capital mineira está entre as 10 capitais mais verdes da América Latina e Caribe, segundo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO). A pesquisa, conduzida em 23 países com dados de 110 municípios, indicou um aumento da agricultura urbana e periurbana na região. Segundo o documento, um dos meios mais eficazes para promover a agricultura urbana na cidade foram as hortas escolares, que passaram de 60 para 126 entre 2008 e 2012. Leia mais sobre o relatório aqui.

Atualmente, a agricultura urbana e periurbana na região metropolitana de Belo Horizonte é realizada por meio do cultivo de hortaliças, frutas, frangos, ovos, plantas medicinais e plantas não convencionais, entre outros. Parte da produção é destinada para o autoconsumo e parte para comercialização. Além disso, a atividade possibilita a produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos.

O cultivo de hortaliças é dividido em hortas comunitárias, escolares e individuais. As comunitárias são coletivas, feitas por grupos de pessoas. Já as escolares, são cultivadas na rede pública para o uso de alunos e professores, e as individuais são aquelas realizadas nos quintais das casas. Todas contam com incentivo de políticas públicas e com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

Hortas comunitárias

Do bairro Morada da Serra, em Sabará (MG), município da região metropolitana de Belo Horizonte, vem a experiência do grupo Serenidade, formado só por mulheres. A turma de mineiras está há sete anos desenvolvendo o projeto Horta Comunitária.

As mãos femininas desse grupo é o carro-chefe da horta. Heloísa Libéria, de 57 anos, não mede esforços para estar todos os dias cuidando de seus 15 canteiros. Ela e mais seis mulheres estão à frente desse projeto que mudou a vida de cada participante. “O espaço, que hoje usamos para nossa horta, era um lixão. Tivemos a ideia de aproveitar o local, e agora já temos mais de 30 espécies de hortaliças. A horta é nossa vida. Eu durmo pensando que no dia seguinte meus canteiros estão à espera dos meus cuidados”, conta com orgulho Heloísa.

Fonte: Imprensa MDA

#VidaSaudável: Drible o frio e se exercite no fim de semana

Apesar da baixa temperatura, o fim de semana é uma ótima oportunidade para você se exercitar. No entanto, é necessário se atentar para algumas dicas, para seu corpo não sentir e não se lesionar. Se ligue nesse TOP 5 e bom treino:

#Notícias: Abaixo-assinado quer reunir assinaturas pela proibição dos cigarros saborizados

Crédito: Change.org

Crédito: Change.org

Você sabia que, no Brasil, cerca de 60% dos jovens entre 13 e 15 anos que fumam, preferem os cigarros saborizados? Aditivos de sabores e aromas, como menta e cravo, mascaram a irritação e o sabor desagradável do tabaco e aumentam sua palatabilidade, induzindo mais pessoas a fumar, em sua maioria crianças e adolescentes. Também potencializam a ação da nicotina, aumentando a dependência do tabaco. Vale lembrar que um cigarro saborizado causa igual dependência, doenças e mortes que um cigarro comum.

O uso de aditivos nos cigarros foi proibido em 2012, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a norma conhecida como RDC14. O assunto foi discutido durante cerca de dois anos por meio de consulta pública aberta pela ANVISA, com reuniões e audiências que contaram com ampla participação da sociedade civil, favorável à retirada dos aditivos nos produtos de tabaco, de acordo com as evidências científicas.

No entanto, em 2013, antes da norma entrar em vigor, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu liminar para suspender os efeitos na RDC 14, em ação movida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A ação será julgada no 17 de agosto de 2017. 

Nesse sentido, várias organizações da sociedade civil, em cinco países da América Latina – Argentina, Bolívia, Chile, Peru, incluindo o Brasil – se reuniram na campanha #SaborQueMata, que busca a coleta de assinaturas, até a data, para mostrar a importância dessa medida. No site da campanha, você pode ler mais sobre a iniciativa e fazer parte do abaixo assinado; clique aqui.

Fonte: Aliança de Controle do Tabagismo

#Curiosidade: Campanha “Julho Verde” quer conscientizar sobre câncer de cabeça e pescoço

Por Bruna Aguiar

julho-verde-banner-2017

O Julho Verde, assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, é um período voltado para a conscientização sobre câncer, nesse caso, na região da cabeça e do pescoço. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), referente ao período 2016/2017, são esperados cerca de 30.000 novos casos somente de cavidade oral, laringe e tireoide no Brasil.“Esses alertas são importantes para que a população entenda o quão importante é se informar sobre assunto para se prevenir e entender como perceber os sinais da doença“, explica , radio-oncologista, Thiago Jardim Arruda.

Entre os tipos mais comuns da enfermidade estão câncer de boca, faringe, laringe, e tireoide. Excetuando-se o câncer de tireoide, todos os outros sítios acometidos compartilham dos mesmos fatores de risco. “O cigarro e o álcool são os principais responsáveis por esse tipo de doença também. Geralmente, o paciente que é diagnosticado tem algum desses hábitos. Lembrando que se combinados os dois, a chance de ter a doença pode aumentar em até 20 vezes”, conta o Arruda.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) na última década a incidência do câncer de boca e orofaringe em pacientes mais jovens e não tabagistas, tem aumentado bastante devido à contaminação pelo papilomavírus (HPV). “O vírus aumenta as chances de aparecer o tumor. Infelizmente, as pessoas ainda não se conscientizaram que sexo oral também necessita de proteção”, explica Arruda.

Diagnóstico Precoce

“A campanha também é importante para que as pessoas compreendam que uma simples ferida que não cicatriza, nodulações no pescoço, alterações na voz ou ainda, uma dor de garganta que dure mais de três semanas podem ser sinais da doença”, esclarece Thiago Jardim Arruda. Ainda, segundo o radio-oncologista, saber os sintomas e recorrer às consultas médicas é essencial para o diagnóstico precoce.

Segundo Arruda, as chances de sucesso do tratamento podem ser bem maiores se o tumor for descoberto no estágio precoce da doença. Por isso, é importante ficar atento aos sinais do corpo e, a qualquer alteração, procurar um médico especialista.

#Ciência: Pesquisa associa hemoglobina fetal à anemia falciforme

anemia-falciforme-hemoterapia

Um dos elementos responsáveis por melhorar a condição clínica das pessoas com doença falciforme, a hemoglobina fetal (Hb F) tem sua produção definida por uma soma de fatores genéticos. Para verificar a relação entre um conjunto específico desses fatores e a produção de Hb F na anemia falciforme, forma mais grave da doença, estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) avaliou amostras sanguíneas de 233 crianças e jovens com a doença acompanhados pela Fundação Hemominas, em Belo Horizonte.

Os resultados da pesquisa, presentes em dissertação defendida pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG, indicaram que sete fatores, existentes nas regiões BCL11A e HBS1L-MYB do DNA, têm ligação direta com a concentração da Hb F em pessoas com anemia falciforme, além de associarem-se a outros elementos hematológicos importantes no curso clínico da doença.

De acordo com a bióloga e autora da pesquisa, Rahyssa Rodrigues, há muitos estudos e evidências clínicas que demonstram a ligação entre Hb F e doença falciforme: “O aumento da Hb F está associado ao aumento de sobrevida dos pacientes, aumento de sobrevida das hemácias (glóbulos vermelhos), diminuição de episódios como a síndrome torácica aguda e outros”.

Segundo Rahyssa, isso ocorre porque a Hb F evita o acúmulo (polimerização) da Hb S no sangue. Esse acúmulo da Hb S, hemoglobina variante que predomina nas pessoas com doença falciforme e tende a assumir o formato de foice em condições de baixa oxigenação, é um dos fatores que desencadeia complicações como obstrução dos vasos sanguíneos, crises de dor, anemia e infecções. “A Hb F inibe essa polimerização e pode levar a um fenótipo menos grave da doença”, informa.

#SaúdeELiteratura: Fiocruz libera acesso ao acervo de livros de Oswaldo Cruz

oswaldo-cruz-acervo-fundac3a7c3a3o-oswaldo-cruz

Se a máxima ‘você é o que você lê’ for verdadeira, um conjunto de mais de 2 mil obras sob a guarda da Biblioteca de História das Ciências e da Saúde da Fiocruz pode dar pistas sobre o perfil de um dos cientistas mais conhecidos do país, Oswaldo Cruz. Mais do que isso, a biblioteca particular do sanitarista – que traz de livros que abordam temas médicos a obras sobre fotografia e a 1ª Guerra Mundial – aponta para os possíveis interesses pessoais de seu o círculo familiar mais próximo. Portador de ideias e informações que circularam entre personagens importantes da história do Brasil em fins do século XIX e primeiras décadas do século XX, esse conjunto de obras raras está disponível para consulta na Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Publicadas em inglês, francês, espanhol, alemão e português, os itens trazem nas lombadas, contracapas e folhas de rosto elementos que atestam seu pertencimento à biblioteca de Oswaldo Cruz: a assinatura do cientista, carimbos institucionais, dedicatórias e o ex-libris – uma espécie de vinheta que identifica o proprietário de um livro – com sua célebre frase: fé eterna na ciência.

Nesse conjunto bibliográfico, que inclui obras significativas por si mesmas, mas também publicações relevantes em relação à trajetória profissional e intelectual de Oswaldo Cruz, três grandes grupos se destacam. O primeiro deles, marcado por títulos relacionados à vida profissional do cientista, traz livros de medicina em geral, microbiologia, medicina tropical, saúde pública e higiene. Um segundo conjunto significativo que também remete ao universo profissional é o dos manuais técnicos relacionados à prática laboratorial.

A coleção, entretanto, não se resume a ciência, abrigando um terceiro conjunto expressivo de obras que revela o inusitado: um leitor – ou leitores, uma vez que parte do acervo pode ter pertencido a seus familiares – interessado em um amplo espectro de assuntos, alguns dos quais curiosos, como linguagem indígena, automóveis e arte decorativa. Outros títulos nessa vertente de cultura mais ampla referem-se a literatura, poesia, música e história.

No centenário da morte do sanitarista, o portal da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) publica especial sobre sua biblioteca. Ao longo dos próximos meses, o conjunto bibliográfico será apresentado neste espaço a partir de cinco eixos temáticos diferentes, com imagens das obras e textos que tentam relacioná-las a trajetória do cientista que, com seus contemporâneos, enfrentou as epidemias de febre amarela, peste bubônica e varíola, que assolavam o Rio de Janeiro e o Brasil no início do século XX.

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias