#Notícia: RMBH é exemplo de agricultura urbana no Brasil

By | 21 de julho de 2017
Agricultora_Heloisa

Heloísa Libéria, de 57 anos, agricultora do grupo Serenidade. Arquivo pessoal / Grupo Serenidade

A Região Metropolitana de Belo Horizonte é exemplo de produção de alimentos em centros urbanos. A capital mineira está entre as 10 capitais mais verdes da América Latina e Caribe, segundo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO). A pesquisa, conduzida em 23 países com dados de 110 municípios, indicou um aumento da agricultura urbana e periurbana na região. Segundo o documento, um dos meios mais eficazes para promover a agricultura urbana na cidade foram as hortas escolares, que passaram de 60 para 126 entre 2008 e 2012. Leia mais sobre o relatório aqui.

Atualmente, a agricultura urbana e periurbana na região metropolitana de Belo Horizonte é realizada por meio do cultivo de hortaliças, frutas, frangos, ovos, plantas medicinais e plantas não convencionais, entre outros. Parte da produção é destinada para o autoconsumo e parte para comercialização. Além disso, a atividade possibilita a produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos.

O cultivo de hortaliças é dividido em hortas comunitárias, escolares e individuais. As comunitárias são coletivas, feitas por grupos de pessoas. Já as escolares, são cultivadas na rede pública para o uso de alunos e professores, e as individuais são aquelas realizadas nos quintais das casas. Todas contam com incentivo de políticas públicas e com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

Hortas comunitárias

Do bairro Morada da Serra, em Sabará (MG), município da região metropolitana de Belo Horizonte, vem a experiência do grupo Serenidade, formado só por mulheres. A turma de mineiras está há sete anos desenvolvendo o projeto Horta Comunitária.

As mãos femininas desse grupo é o carro-chefe da horta. Heloísa Libéria, de 57 anos, não mede esforços para estar todos os dias cuidando de seus 15 canteiros. Ela e mais seis mulheres estão à frente desse projeto que mudou a vida de cada participante. “O espaço, que hoje usamos para nossa horta, era um lixão. Tivemos a ideia de aproveitar o local, e agora já temos mais de 30 espécies de hortaliças. A horta é nossa vida. Eu durmo pensando que no dia seguinte meus canteiros estão à espera dos meus cuidados”, conta com orgulho Heloísa.

Fonte: Imprensa MDA

Deixe uma resposta