#SaúdeEntrevista: Importância do leite materno como fonte de alimento para o bebê

By | 31 de julho de 2017
Ana Paula Mendes Carvalho, coordenadora de Atenção à Saúde da Mulher da SES-MG

Ana Paula Mendes Carvalho, coordenadora de Atenção à Saúde da Mulher da SES-MG

Entre os dias 1º e 7 de agosto é celebrada a Semana Mundial de Aleitamento Materno.  A data, celebrada em mais de 150 países, traz como tema em 2017 “Trabalhar juntos para o bem comum”, que tem como objetivo retomar a importância do trabalho em conjunto e enaltecer a relevância da sustentabilidade para o desenvolvimento da sociedade.

O aleitamento materno é a alimentação ideal para todas as crianças. Devido a sua composição de nutrientes é considerado um alimento completo para garantir o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê durante os primeiros dois anos de vida ou mais. É um alimento de fácil e rápida digestão, completamente aproveitado pelo organismo infantil.

  • Clique aqui e confira matéria completa no site da SES-MG.

Para falar mais sobre este assunto, o Blog da Saúde MG conversou com a Coordenadora de Atenção à Saúde da Mulher da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Ana Paula Mendes, sobre a importância do leite materno como fonte de alimento para o bebê. Confira:

1) Qual a importância da amamentação para a criança em relação à nutrição?

O leite materno é capaz de suprir sozinho as necessidades nutricionais da criança nos primeiros seis meses e continua sendo uma importante fonte de nutrientes no segundo ano de vida ou mais, especialmente de proteínas, gorduras e vitaminas. A composição nutricional do leite materno diferencia-se ao longo da mamada e da idade da criança.

Ao analisar-se a composição do leite humano, distingue-se o colostro, o leite de transição e o leite maduro. Também ocorre uma diferença na composição do leite nas distintas etapas da amamentação, nas diferentes horas do dia e até nas fases da mesma mamada, do começo ao término.

O colostro, produzido aproximadamente nos cinco primeiros dias pós-parto é muito rico em proteínas, vitaminas, sais minerais, macrófagos (que conferem proteção ao recém-nascido) e lactose.

 O leite de transição é produzido aproximadamente entre o quinto e o décimo quinto dia após o nascimento. Sua composição altera-se ao longo dos dias, variando das características do colostro às do leite maduro.

O leite maduro possui maior valor calórico e maior volume. É constituído principalmente de proteínas, carboidratos, lipídios, minerais e vitaminas.

2) Quais são os principais benefícios do leite como fonte de alimentação para os bebês?

O leite materno possui características bioquímicas ideais para o crescimento e desenvolvimento da criança. Por meio dele, o bebê recebe o aporte necessário para um bom desenvolvimento, sendo uma prática saudável tanto para mãe quanto para o filho. Além disso, protege contra infecções, doenças respiratórias, doenças crônicas não transmissíveis e má-formação da arcada dentária; A amamentação também é uma possível estratégia na prevenção da obesidade infantil e de certas patologias.

O leite materno é o único alimento completo, uma vez que é capaz de prover isoladamente todos os nutrientes que uma criança necessita nos primeiros seis meses de vida para crescer com saúde. A alimentação favorece também o vínculo mãe-filho e facilita o desenvolvimento emocional, cognitivo e sistema nervoso.

3) Até que idade as crianças devem receber o leite materno como única fonte de alimentação?

O Ministério da Saúde recomenda amamentação exclusiva do nascimento até os seis meses de idade e a sua continuidade até pelo menos dois anos, junto com alimentos saudáveis.

4) Após começarem a dieta sólida, os bebês devem continuar recebendo leite materno?

A partir dos seis meses, as crianças precisam de uma alimentação variada, mas recomenda-se que o aleitamento materno continue sendo oferecido até o segundo ano de vida ou mais. A mãe pode continuar a amamentar até quando ela e a criança desejarem. A avaliação da interrupção da amamentação na maioria das vezes envolve aspectos sociais e psicológicos da mãe e criança.

5)  Quais os hábitos alimentares as mães devem adotar no período da amamentação?

Antes de tudo, para uma amamentação bem sucedida, a mãe necessita de constante incentivo e suporte dos profissionais de saúde, da família e da comunidade em geral. Recomenda-se que as mães adotem hábitos alimentares saudáveis e alimentação adequada durante a lactação, como: consumir dieta variada, incluindo pães e cereais, frutas, legumes, verduras, derivados do leite, carnes e ingestão de água de acordo com as condições econômicas de cada família. Geralmente, as mulheres que amamentam não precisam evitar determinados alimentos.

É importante ressaltar que o volume de leite produzido varia, dependendo de quanto a criança mama e da frequência com que o faz. Tal frequência deve ser guiada pela vontade da criança. Quanto mais volume de leite e mais vezes a criança mamar, maior será a produção de leite.

Deixe uma resposta