#SaúdeNoInverno: Baixa umidade do ar em Minas gera alerta para a saúde

By | 17 de agosto de 2017

O inverno é época de tempo seco em grande parte do Brasil. Há vários dias sem chover, as regiões Norte e Noroeste de Minas Gerais, bem como boa parte da região Central do Estado (Figura 1) entraram em estado de atenção devido à baixa umidade do ar.

Nesta semana, a umidade relativa do ar deve variar entre 30% e 20% nessas regiões, segundo o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet), o que pode gerar problemas para a saúde de muitas pessoas. Vale lembrar que o índice considerado ideal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 60%.

Inmet

Figura 1: Inmet – Aviso de baixa umidade do ar em Minas Gerais

Por isso, nesse período, a população deve tomar alguns cuidados, priorizando a hidratação do corpo e a umidificação de ambientes, para evitar a desidratação e a incidência maior de doenças respiratórias, além de dores de cabeça, irritações nos olhos, nariz, garganta e pele. O #BlogDaSaúdeMG separou algumas dicas fundamentais para você cuidar da saúde nesse período. Que tal compartilhar com a sua rede?

Entenda

A umidade relativa do ar é a relação entre a quantidade de água existente no ar e a quantidade máxima que poderia haver na mesma temperatura – por isso essa medida é apresentada em porcentagem. Ela é decorrente do processo de evaporação da água. O vapor de água sobe para a atmosfera e se acumula em forma de nuvens, mas uma parte passa a compor o ar que circula na atmosfera.

A umidade relativa do ar varia de acordo com a temperatura, a presença ou não de florestas ou vegetação, rios e represas (desertos, por exemplo, tem a umidade relativa do ar muito baixa), entre outros fatores. Por isso, tanto o inverno quanto o verão podem comportar umidades relativas do ar alta ou baixa.

Deixe uma resposta