#VidaSaudável: Manual reforça a importância da atividade física na infância

By | 31 de agosto de 2017

A obesidade na infância e adolescência é considerada uma pandemia, com elevados custos para os sistemas de cuidado à saúde em todo o mundo. Jovens obesos apresentam maior probabilidade de desenvolver fatores de risco cardiometabólicos, diabetes, hipertensão, hepatopatia, doença articular, asma, problemas de saúde bucal, ansiedade, depressão, alterações ortopédicas e articulares, transtornos de déficit de atenção como hiperatividade, problemas de sono e percepção negativa de qualidade de vida.

Um estudo clássico conduzido por Hallal et al. em 2012 analisou dados de atividade física de adolescentes (13-15 anos de idade) de 105 países. Os achados demonstraram que mais de 80% dos adolescentes não atendiam a recomendação de pelo menos 60 minutos diários de atividades físicas de intensidade moderada a vigorosa. No Brasil, dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar demonstraram que, em 2015, 65,6% dos estudantes do 9º ano do ensino fundamental não acumularam ao menos 300 minutos de atividades físicas por semana. Esses estudos que foram publicados no Manual de Promoção de Atividade Física na Infância e na Adolescência, ressaltam a importância da prática de atividade física para as crianças e adolescentes. E é sobre isso que a equipe do Blog Saúde MG fala nesse post. Aproveite as dicas e incentive as crianças!

 

 

Deixe uma resposta