Monthly Archives: setembro 2017

#SaúdeDoCoração: Saiba como cuidar bem desse músculo!

Dia Mundial do Coração

No Dia Mundial do Coração, comemorado nesta sexta-feira (29/09), que tal avaliar os seus sentimentos, relacionamentos e os ambientes que frequenta? A saúde não é só biológica e o coração não é somente um músculo responsável pela circulação sanguínea. Em nossa sociedade o coração tem um significado especial: ele acelera quando nós nos apaixonamos, ficamos irritados ou muito felizes.

Já quando “estamos com o coração apertado quando estamos tristes ou angustiados” devemos olhar para nós mesmos de forma abrangente, e compreender que os fatores psíquicos, sociais e culturais interferem no funcionamento do nosso corpo. Por isso, é necessário compreender que se manter em espaços que causam estresses, desconforto excessivo e sensações negativas podem colaborar para desequilíbrio do binômio saúde-doença.

Para um estado de equilíbrio e bem estar do seu coração e saúde como um todo, o Blog da Saúde MG traz algumas dicas simples para o seu dia a dia. Veja, curta e compartilhe:

#Documentário: Filme sobre “Mais Médicos” mostra o impacto do programa no interior do Brasil

mais medicos_medicos cubanos_documentário

Cena do documentário “Vem de Cuba”. Foto: Reprodução.

Criado em 2013, o programa Mais Médicos foi duramente criticado pelo colégio médico brasileiro, sobretudo por “importar” médicos cubanos para trabalharem no Brasil, devido à falta de profissionais da saúde no interior do país. Os jornalistas André Neves Sampaio, Felipe Rousseaux de Campos Mello, junto com o fotógrafo José Vessoni, quiseram desvendar o polêmico programa. Entraram em contato com Raúl Hernadez e Marlon Marinho, dois médicos cubanos integrantes do Mais Médicos na cidade litorânea de São Miguel do Gostoso, Rio Grande do Norte, e registraram o dia a dia dos profissionais com a comunidade local.

O filme “Vem de Cuba – Um retrato do programa Mais Médicos em São Miguel do Gostoso”, lançado online nesta última segunda-feira (25/09), mostra a relação dos médicos estrangeiros com os moradores da comunidade interiorana do Brasil, as principais dificuldades de se implantar a medicina preventiva em uma cidade tão pequena quanto influenciada pela religiosidade, e os impactos do programa na vida dos brasileiros atendidos.

O projeto também discute a medicina pela ótica cubana, uma técnica humanitária e comunitária, que busca colocar o profissional como um membro da comunidade. Segundo a equipe, a ideia da produção é, acima de tudo, divulgar e realizar o lançamento do filme em uma plataforma de mídia de livre acesso, para que que o debate sobre o programa Mais Médicos e a saúde pública ganhe força diante da ofensiva de desmontes da conjuntura atual. Abaixo, assista o documentário na íntegra:

Fonte: Blog Nocaute.

#NiverDoDia: “Blog da Saúde MG” completa dois anos no ar

aniversario_2017

Como o tempo passa rápido, né! Já são dois anos no ar. Dois anos!!! Parece que foi outro dia que a nossa equipe estava comemorando o lançamento do Blog da Saúde MG com muito entusiasmo e força de vontade. Nesta sexta-feira (29/09) comemoramos dois anos no ar com 1.122 postagens dos mais diversos tipos e formatos, além de mais de 98 mil acessos desde a estreia. É muita coisa, não é mesmo?

Nestes dois anos do Blog da Saúde MG experimentamos (e ainda continuamos experimentando) novos formatos, novas narrativas jornalísticas e novas linguagens. Construímos o Blog da Saúde MG para ser um espaço leve e descontraído, onde podemos trabalhar as informações sobre promoção da saúde para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

De forma muito criativa e antenada com as novidades da web, conseguimos aproximar o internauta das redes sociais e do site da SES-MG por meio do Blog da Saúde MG, mostrando uma forma diferente de levar informação sobre saúde pública. Também descobrimos o blog como uma ferramenta importante para auxiliar a cobertura jornalística de eventos da saúde, explorando narrativas em texto, foto e vídeo mais descontraída, sem deixar de lado a importância de empoderar a cidadã e o cidadão sobre o SUS.

No mais, aproveitamos a data para agradecer a toda Assessoria de Comunicação Social da SES-MG que acreditou no projeto e, no decorrer desses dois anos, tem contribuído com ideias e sugestões de forma significativa para o crescimento deste espaço. Também agradecemos aos colegas das 28 Regionais de Saúde das vinculadas do Sistema Estadual de Saúde que também contribuem e muito para o sucesso deste blog.

Agradecemos também a você, leitor! Com toda certeza, você faz parte desta festa.

Que venham mais e mais aniversários!!!

Wander Veroni Maia / Jornalista e coordenador de Comunicação Digital da SES-MG.

#SUS: ESP-MG participa de comemoração nas redes sociais dos 38 anos da Abrasco

Por Sílvia Amâncio 

Na tarde desta quinta-feira (28/09), alunos, docentes e trabalhadores da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) se reuniram para um registro da campanha “#Abrasco38anos”, em comemoração ao aniversário de criação da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). A campanha nas redes sociais está reunindo uma séria de fotografias com os dizeres “Parabéns Abrasco!”.

O registro foi organizado pelo assessor de comunicação social da Escola, Harrison Miranda, com os alunos da especialização em Comunicação e Saúde, o docente do curso Wander Veroni e trabalhadoras da instituição que atuam na coordenação da especialização em Saúde Pública. “Sendo a Escola uma instituição formadora Acreditada pela Abrasco, o momento foi perfeito para esse registro de mobilização”, disse.

Escola na Abrasco

No início deste ano, o curso mais tradicional da ESP-MG, a especialização lato sensu em Saúde Pública, recebeu do Comitê de Experts da Abrasco parecer favorável à Acreditação Pedagógica, o reconhecimento formal de que o curso atende a requisitos previamente definidos e que a instituição demonstra ser competente para realizar a ação educacional de grande importância para qualificação de trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS).

História

Em 27 setembro de 1979, a 1ª Reunião sobre Formação e Utilização de Pessoal de Nível Superior na Área da Saúde Pública, realizada na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em Brasília, mobilizou técnicos, profissionais, estudantes e professores de programas de Pós-Graduação em Medicina Social e Saúde Pública empenhados em fundar uma associação que congregasse os interesses dos diferentes cursos da área e que marcasse uma nova postura frente aos saberes e às práticas desse campo do conhecimento: a Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – Abrasco.

Para participar, basta enviar fotografias para comunica@abrasco.org.br

 

#Dica: Vacinação é a melhor prevenção contra a Raiva

Dia_da_Raiva_FINAL

28 de setembro é Dia Mundial de luta contra a Raiva. A data marca a importância de conscientizar as pessoas sobre a prevenção da doença, que pode ser transmitida para qualquer mamífero – animal e humano. No Brasil, a raiva é mais conhecida por quem tem animal de estimação, por conta da vacinação.

Esta medida é fundamental para o controle da doença no país. “A raiva transmitida por animais domésticos está bastante controlada no Brasil. As pessoas costumam vacinar seus bichos”, explica o coordenador de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Sérgio Nishioka.

Mas é importante ficar alerta porque a raiva é altamente letal. A transmissão se dá normalmente pela mordida de animais infectados. Mas também existe a possibilidade de se contrair a doença pelo contato da saliva do animal raivoso diretamente nos olhos, mucosas ou feridas.

Prevenção

Atualmente, a segurança e a eficácia das vacinas para pessoas e animais são uma das estratégias mais importantes para o controle da raiva. Por isso, animais domésticos devem ser vacinados anualmente contra a doença. Também é importante evitar aproximação de cães e gatos sem donos, não mexer ou tocar neles, sobretudo quando eles estiverem se alimentando ou dormindo. Além disso, nunca toque em morcegos ou outros animais silvestres diretamente, principalmente quando estiverem caídos no chão ou encontrados em situações não habituais.

Contudo, se você for agredido por um animal, lave o ferimento abundantemente com água e sabão e passe um antisséptico. Mas isso não é o suficiente. É fundamental procurar assistência médica e informar detalhes do acidente ao profissional de saúde, se o animal tem dono, o local do acidente, entre outros.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza vacina e soro antirrábico, que serão prescritos pelo médico ou enfermeiro de acordo com cada caso. Esse tratamento deve ser seguido até o fim. O animal deve ficar em observação por 10 dias, se possível, para identificação manifestação de raiva ou morte.

“A vacina só é dada em casos de pessoas gravemente infectadas ou em casos particulares, como para profissionais que têm contato com um animal raivoso, para pessoas que trabalham, por exemplo, em laboratórios e que podem então adquirir a raiva por atividades ocupacionais, como os veterinários”, explica o Nishioka. Apesar de a doença ser 100% evitável, ainda hoje, milhares de pessoas morrem da doença a cada dia em todo o mundo. Em 2017, foram registrados 3 óbitos de pessoas por raiva no Brasil. Todos relacionados à transmissão por morcego.

Sintomas

O período entre o acidente com o animal e o aparecimento dos sintomas é extremamente variável. Pode ser de alguns dias a até anos, com uma média de 45 dias, no homem, e de 10 dias a 2 meses, no cão. Em crianças, existe tendência para um período de incubação menor que no adulto.

Os sintomas são parecidos com os da gripe, incluindo fraqueza geral, desconforto, febre ou dor de cabeça. Mas à medida que a doença avança, ocorrem alucinações, espasmos musculares involuntários e paralisia leve ou parcial, que pode levar à pessoa a morte. “Existem alguns casos de pacientes em que houve sobrevida, mas sempre com sequelas neurológicas graves”, ressalta Nishioka.

Vacina para animais

O Ministério da Saúde oferece para estados vacinas para cães e gatos. “Distribuímos a vacina a animais porque é reconhecido que a proteção desses animais domésticos previne a transmissão da raiva em humanos”, explica o coordenador. “Destaco que mesmo que a pessoa seja mordida por um bicho vacinado, isso não muda a conduta da pessoa procurar uma unidade de saúde para avaliar se é necessária a proteção da vacina humana”, completa.

A estratégia de realização de campanhas de vacinação de cães e gatos contra raiva é definida pelas secretarias de saúde de estados e municípios. Ou seja, cada município define a própria estratégia de vacinação. “O Ministério da Saúde faz a compra desses insumos e distribui, mas a coordenação das campanhas é descentralizada. O ideal é que a vacinação ocorra todo ano”, destaca.

Fonte: Blog da Saúde

#TOP5: Dicas de cuidados para evitar alergias na primavera!

Com o início da primavera, chega também a época da reprodução das flores e da polinização, que acontece quando pássaros, insetos e o vento carregam o pólen. Assim, pequenas partículas ficam espalhadas no ar, e para os alérgicos isso pode causar mais casos de rinites e outras alergias respiratórias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), de 10% a 20% da população do planeta sofrem com rinite alérgica. Por isso,  o #BlogDaSaúdeMG preparou algumas dicas para você se cuidar e aproveitar a estação mais florida do ano. Acompanhe:

 

 

#FalaRegional: Regional de Saúde de Pirapora apresenta conceitos-base sobre hospitais do SUS

Por Renata Diniz Tavares

175279ae-5111-485b-a3d4-7f1410491896

A Regional de Saúde de Pirapora realizou nesta quarta-feira (27/09) um encontro para apresentar a tipologia e a denominação dos Hospitais do SUS do estado de Minas Gerais. O encontro reuniu gestores dos municípios que fazem parte da Região de Saúde de Pirapora, a apoiadora do COSEMS/MG, a diretora da Regional de Saúde e a equipe do Núcleo de Redes de Atenção à Saude (NRAS).

“O encontro foi um espaço de discussão da metodologia, fundamentos, fontes, objetivo da tipologia hospitalar e conceitos-base da metodologia empregada para denominar os hospitais do SUS-MG: nível, abrangência, resolubilidade e função”, disse a referencia técnica Ludmila Rocha. Segundo a coordenadora do NRAS, Renata Tavares, esse encontro visa a discussão da metodologia da classificação dos hospitais, orientações gerais e quais são os produtos esperados.

A diretora da Regional de Saúde de Pirapora, Maria Cândida Fiúsa, por sua vez, ressaltou que foi uma reunião proveitosa, em que os gestores puderam conhecer a tipologia dos seus hospitais, dar sugestões e ainda identificar e relatar informações que complementem o diagnóstico hospitalar.

#Ciência: Revista Gerais é destaque em publicação científica do Paraná

Por Sílvia Amâncio

27.09_revista_parana

A última edição da “Espaço para a Saúde – Revista de Saúde Pública do Paraná”, na sessão “Resenhas”, conta com uma publicação da Revista Gerais, produzida por suas editoras científica e adjunta, pesquisadoras da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG).

Segundo a superintendente de pesquisa da ESP-MG, Marilene Barros de Melo, o convite partiu do Editor Científico da Revista, Dr. Marcio José de Almeida, com o intuito de disponibilizar um espaço para que algumas revistas de saúde pública publicadas no Brasil expusessem seus objetivos e realizassem uma síntese de suas produções. Nesta mesma edição, mais duas publicações também contaram com participação do corpo técnico da ESP-MG na produção, intitulados “Educação Permanente em Saúde: Experiência Viva na Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública” e “RedEscola e a nova formação em Saúde Pública”.

A “Espaço para a Saúde – Revista de Saúde Pública do Paraná”, lançada em 1989, é uma publicação do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva – INESCO, em parceria com a Escola de Saúde Pública do Paraná e apoio da Secretaria de Estado de Saúde, com o objetivo de divulgar estudos, pesquisas e reflexões visando contribuir para a produção, o debate, e a socialização de conhecimentos nos campos da saúde coletiva e da saúde pública, abrangendo o ensino, a gestão do trabalho e a educação continuada e permanente em saúde.

Revista Gerais

A Revista Gerais, publicação técnico-científico do Sistema Estadual de Saúde de Minas Gerais integra o Portal de Periódicos de Minas Gerais. Esse portal é uma plataforma digital de acesso livre que tem como objetivo, ampliar a visibilidade dos periódicos editados no estado. Dessa forma, a Revista Gerais proporciona um maior acesso a seu público leitor aos conteúdos publicados, tanto nos artigos científicos quanto nas notícias jornalísticas.

A veiculação da Revista Gerais é semestral e fruto da cooperação entre as instituições que integram o Sistema Estadual de Saúde: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas), Fundação Ezequiel Dias (Funed) e Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).

É uma Revista de divulgação Técnico-científica e se constitui como um espaço de informação e de produção e difusão coletiva em que há interação, resgate e discussão do conhecimento no âmbito do processo de trabalho e de atenção à saúde, promovendo o desenvolvimento de novas perspectivas que subsidiem a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais.

 

#VidaSaudável: É possível manter a saúde e o bem estar na terceira idade?

Dia Nacional do Idoso

Sim, claro que é possível! Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS)idoso é todo indivíduo com 60, 70 anos ou mais. E no Brasil, os idosos representam 14,3 % da população. Esses são dados fazem parte do estudo “Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2016”, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados analisaram o número de idosos entre 2005, que representavam 9,8%; e 2015, quando então representam 14,3%.

Junto com esse aumento, vem a necessidade de cuidar fisicamente e mentalmente. No Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa tem como objetivo garantir ao envelhecimento ativo e saudável da população, além de oferecer atenção integral e integrada à saúde da pessoa idosa em toda rede de saúde pública. Desse modo, no Dia do Idoso (27/09), preparamos algumas dicas para que sua saúde e bem estar faça sempre parte da sua vida! Acompanhe:

 

#Ciência: Fiocruz lança 9ª edição da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente

identidade_8a_olimpiada_2017

Estão abertas as inscrições para a 9ª edição da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Coordenada pela vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (Vpeic) da Fundação, a Olimpíada é um projeto educativo voltado a professores e alunos da Educação Básica de todo o Brasil, que busca estimular a produção de trabalhos interdisciplinares sobre saúde e meio ambiente em escolas públicas e privadas. As inscrições são gratuitas e vão até 31 de julho de 2018. Acesse aqui o Regulamento.

A novidade na competição é o inédito Prêmio Obsma – Ano Oswaldo Cruz. Unindo-se às homenagens pelo centenário de morte do cientista, a Olimpíada irá conferir esta premiação especial a um trabalho sobre saúde e meio ambiente que tenha utilizado como fontes de pesquisa artigos, capítulos, livros, teses, dissertações e/ou recursos educacionais (multimídias, jogos educacionais, sites, entre outros) produzidos pela Fiocruz.

Além disso, a 9ª Obsma vai reafirmar a importância dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) preconizados pelas Nações Unidas estimulando que os trabalhos abordem de forma crítica e criativa temas da Agenda 2030. Uma das formas de promover esta iniciativa será por meio das Oficinas Pedagógicas, que a Olimpíada realiza desde 2013.

Nelas, uma equipe multidisciplinar dialoga com grupos de professores sobre as relações entre educação, saúde, meio ambiente e ciência em sala de aula. As Oficinas, que acontecem com apoio do CNPq e parcerias locais, são gratuitas e abertas a professores da Educação Básica do estado, município ou região em que ocorrem, e a programação é sempre divulgada no site e nas redes sociais. Saiba mais aqui.

Professores do Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e Ensino Médio, incluindo Educação de Jovens e Adultos (EJA), podem inscrever na 9ª Obsma trabalhos sendo desenvolvidos nas escolas entre 2017 e 2018, inserindo-se em uma das três modalidades: Produção Audiovisual, Produção de Texto ou Projeto de Ciências. As inscrições são gratuitas. Acesse o site oficial para conferir o Regulamento completo da 9ª edição, os próximos eventos e outras notícias. A Obsma também está no , no Twitter e no YouTube.

Fonte: Blog da Saúde / Min. da Saúde

#SaúdeAuditiva: SUS oferece acompanhamento para os surdos

Dia Nacional do Surdo

Em todo o mundo, mais de 278 milhões de pessoas têm perdas auditivas de grau moderado a profundo. Desse número, pelo menos 80% dessa população são de países em desenvolvimento como o Brasil. Esses são dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), e apontam para uma medida que pode reduzir pela metade os casos de deficiência auditiva e minimizaria seus efeitos: a detecção precoce.

Em 2011, o Governo Federal instituiu o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – o Plano Viver Sem Limite; com o objetivo de articular políticas intersetoriais para garantir a inclusão social, a acessibilidade, o acesso à educação e a atenção à saúde das pessoas com deficiência.

O Plano Viver Sem Limite induziu a instituição da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), que tem entre seus objetivos o desenvolvimento de ações de prevenção e identificação precoce de deficiências na fase pré, peri e pós-natal, infância, adolescência e vida adulta, entre outros serviços para a promoção dos cuidados em saúde.

Com isso, foram introduzidos avanços nas ações de identificação precoce de deficiência a partir da ampliação e qualificação da Triagem Neonatal Biológica, Auditiva e Ocular – que são os famosos Testes do pezinho, da orelhinha e do olhinho. Confira mais detalhes reportagem, abaixo: 

Em Minas Gerais, os Centros de Reabilitação Auditiva e Centros Especializados em Reabilitação (CER) com modalidade de Reabilitação Auditiva são pontos de atenção da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência. Nesses Centros o usuário conta com uma avaliação multiprofissional das pessoas com deficiência auditiva. Além disso, os profissionais de saúde realizam avaliação auditiva, seleção, adaptação e fornecimento de Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) e acompanhamento e terapias de habilitação ou reabilitação auditiva. Ao todo no estado, são 16 pontos de atenção distribuídos nas Regiões Ampliadas de Saúde. Saiba quais esses locais, clique aqui.
O encaminhamento para estes serviços deve ser realizado pela Secretaria Municipal de Saúde do município de residência do usuário. O agendamento é realizado pela Junta Reguladora da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência do município sede do serviço. Saiba mais: www.saude.mg.gov.br/saudeauditiva
Fonte: Min. da Saúde / Adaptação.