#Alerta: Câncer infantil que afeta os olhos pode ser curado com diagnóstico precoce

By | 18 de setembro de 2017
Foto: iStock / Reprodução.

Foto: iStock / Reprodução.

Nesta segunda-feira (18/09) é celebrado o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma. Este tipo de tumor maligno intraocular é tratável e alcança a cura se for diagnosticado rapidamente, uma vez que o diagnóstico da doença é realizado através do exame oftalmológico que deve ser feito nas consultas de puericultura com frequência.

“Ocorre que muitas crianças só fazem o teste uma vez, ainda na maternidade ou nos primeiros dias de vida e este tumor pode se desenvolver nos primeiros anos da infância, por isso o exame precisa ser frequente”, alerta a oftalmologista Clarissa Mattosinho, que atende casos da doença no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA).

“O retinoblastoma pode causar a perda total da visão e mesmo do globo ocular. É importante observar fatores como o reflexo pupilar branco e o estrabismo”, diz Clarissa Mattosinho. Ela lembra que a doença atinge crianças pequenas, desde recém-nascidos até cerca de 3 anos de idade. Há possibilidade de ocorrer nos dois olhos.

É fundamental destacar a importância do diagnóstico precoce, o que requer atenção dos pais e profissionais de saúde tanto para buscar a cura, quanto a preservação dos olhos afetados. Chefe do Serviço de Pediatria do INCA, Sima Ferman ressalta a importância do diagnóstico precoce para um tratamento bem-sucedido. “O câncer infantojuvenil é uma doença com chances reais de cura, no entanto, é necessário que o diagnóstico seja feito rapidamente”, diz ela.

É importante que os pais estejam cientes de que a ausência da consulta com o teste do olhinho gera uma enorme perda de tempo até o diagnóstico. “Os casos que têm diagnóstico tardio apresentam a doença mais avançada e mais difícil de tratar, levando os pacientes a um tratamento mais agressivo, muitas vezes com quimioterapia e radioterapia para tratar a doença. Nestes casos a chance de cura diminui”, destaca Sima.

Desde 2012, o INCA realiza um tratamento de ponta, já feito nos países de alta renda, é a quimioterapia intra-arterial. Nela, quimioterápicos são infundidos dentro da artéria oftálmica via cateter, que é posicionado pelo radiologista intervencionista na região. A implementação dessa modalidade terapêutica representou uma mudança de paradigma: a preservação do globo ocular passou de 20% para 80%.

Diagnóstico, tratamento e números da doença:

  • O tratamento para o retinoblastoma deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar envolvendo a oncologia pediátrica, a oftalmologia, a radiologia intervencionista, o aconselhamento genético e a radioterapia, dentre outras.
  • A identificação por foto tem sido cada vez mais frequente, com a difusão dos celulares portáteis com câmeras fotográficas. Na fotografia com flash, a criança aparecerá com o reflexo branco no olho comprometido (leucocoria). É importante lembrar que o reflexo pupilar branco em fotos representa, na maioria das vezes, um artefato da fotografia.
  • Todas as crianças que apareçam com reflexo branco em fotos devem ser investigadas o mais rápido possível.
  • A incidência é de 1 caso para cada 14.000 nascidos vivos.
  • Dentre os tumores sólidos pediátricos, o retinoblastoma é um dos mais curáveis, desde que o diagnóstico seja feito precocemente e o tratamento realizado em centros especializados na atenção a criança.

Deixe uma resposta