#Artigo: Uma obra-prima na história da humanidade

By | 10 de outubro de 2017

por Gabriel Moraes Madeira
CES-MG

PorUmaSociedade

O SUS é a melhor resposta, em termos de Saúde Pública, para a sociedade, diz Ernesto Venturini, um dos precursores da Reforma Psiquiátrica Italiana.

Dia Mundial da Saúde Mental

10 de outubro, Dia Mundial da Saúde Mental: em 1992, a Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health – WFMH), uma organização sem fins lucrativos criada em 1948, estabeleceu a data como símbolo de enfrentamento contra o preconceito, a falta de conhecimento, o isolamento e o estigma. Desde então, defende que a saúde mental seja uma prioridade global.

A Organização Mundial da Saúde encampou a iniciativa, conferindo visibilidade a este assunto que toca a todas e todos, independente da nacionalidade. Dessa forma, o 10 de outubro, Dia Mundial da Saúde Mental, tornou-se um marco para a organização de diversas iniciativas em diversos países, como o Brasil , Itália, Austrália, Estados Unidos, Inglaterra, Canadá e outros.

SUS em foco: Saúde Mental no Brasil

No centro do debate sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) está a discussão sobre o modelo de Estado e sociedade ideais, o que implica falar sobre sistemas políticos. O SUS nasceu como resultado de uma luta democrática, o Movimento da Reforma Sanitária, que enfrentou a ditadura militar a partir de bandeiras como o serviço público de saúde universal e de qualidade e a defesa da dignidade e dos direitos das usuárias e usuários dos serviços de saúde mental.

O Movimento da Reforma Sanitária no Brasil sofreu forte influência da Psiquiatria Democrática Italiana, caso de sucesso e referência em diversos cantos do mundo, cuja luta culminou na Lei Basaglia, aprovada em 13 de maio de 1978 pelo Parlamento Italiano, um marco na história da Luta Antimanicomial. A Psiquiatria Democrática se insere no contexto de graves violações aos direitos humanos do cenário pós-2ª Guerra Mundial, quando atrocidades como os campos de concentração nazistas vieram à tona, e teve em Franco Basaglia sua principal liderança, figura de grande importância para as transformações realizadas na saúde mental.

> Leia o artigo completo no site do Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG) aqui.

Deixe uma resposta