#SUS: 16º Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação premia 32 pesquisas relevantes para a saúde pública

By | 4 de dezembro de 2017
Por Victor Maciel /Agência Saúde / Min. da Saúde 

04.12_premio_ciencia_saude

Pesquisadores e estudiosos na área de ciência e tecnologia em saúde receberam reconhecimento nacional pela pela relevância das pesquisas para o Sistema Único de Saúde (SUS), durante o 16º Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação, que aconteceu em São Paulo (SP), na última quarta-feira (29/11). A premiação integra o evento Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde 2017 que promove discussões sobre os grandes avanços científicos, tecnológicos e inovadores em saúde pública.

Ao todo, 522 projetos se inscreveram para concorrerem aos prêmios que variam de R$ 20 mil a R$ 50 mil em cinco categorias: trabalho científico publicado, tese de doutorado, dissertação de mestrado, produtos e inovação em saúde, experiência exitosa do programa pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde – PPSUS. Estas duas últimas são as novidades da edição deste ano do prêmio, além da participação do vencedor do Nobel de medicina de 1998, o pesquisador Ferid Murad.

Os trabalhos foram avaliados em etapas distintas, nas categorias acadêmicas, a primeira fase é analisada por especialistas ad hoc e a segunda pela comissão julgadora, na categoria de Experiência Exitosa do Programa Pesquisa para o SUS, a primeira etapa se constitui de duas avaliações da FAP e SES de cada estado e a segunda pela comissão julgadora. Já a categoria de Produtos e Inovação em Saúde é analisada de maneira única pela comissão julgadora.

Até o ano passado, se inscreveram no prêmio 5.872 estudiosos, destes 370 foram premiados, sendo 63 com prêmio em dinheiro e 307 premiações com menções honrosas, fortalecendo o compromisso do Ministério da Saúde de incentivar a produção científica com o potencial de incorporação no SUS.

Premiados por categoria

Categoria Pesquisador Projeto
Trabalho Publicado Natália Bezerra Mota Desordens do pensamento medidas como estrutura aleatória de fala classificam sintomas negativos e diagnósticos de esquizofrenia com seis meses de antecedência.
Tese de Doutorado Cinara Fandaruff Estudo da estrutura cristalina e propriedades de dissolução de fases sólidas de Efavirenz e saquinavir, visando a biorrelevância e seu impacto no tratamento do Hiv/aids.
Dissertação de Mestrado Stefânia Santos Soares Desigualdade e dupla porta de entrada no território: Desafios para a organização da Atenção às Urgências de Baixo Risco no município do Rio de Janeiro.
Experiências exitosas PPSUS Maria Lúcia Rosa Rossetti Novas tecnologias para o estudo da tuberculose: Uma análise da detecção e transmissão de M. Tuberculosis Circulante.
Produtos e Inovação para o SUS Suelia de Siqueira Rodrigues Fleury Rosa SOFIA – Projeto de Pesquisa e desenvolvimento de um protótipo final da solução de ablação para tratamento de câncer de fígado nacional, que gere inovação na área para que este seja comercializado internacionalmente (Universidade de Brasília – UNB).

Homenagens

Na premiação foram entregues homenagens as estudiosas Vanessa Van Der Linden Mota, Maria de Lourdes Sousa Maia e Lygia da Veiga Pereira, que estiveram a frente de pesquisas que impactaram diretamente a saúde dos brasileiros. A médica Vanessa Van Der Linden Mota foi uma das primeiras a identificar a relação da microcefalia com o vírus Zika.

Já, a pesquisadora Maria de Lourdes Sousa Maia, exerce relevante trabalho da área de imunização e tem forte atuação no planejamento e desenvolvimento de projetos de pesquisa da vacina contra a febre amarela. Outra homenageada, a física Lygia da Veiga Pereira, considerada uma das cem brasileiras mais influentes, foi uma das protagonistas na aprovação do uso de células tronco embrionárias com finalidades científicas.

Deixe uma resposta