Monthly Archives: janeiro 2018

#Ciência: ComSaúde abordará “Comunicação em situação de risco” em seminário internacional

comsaude600

O Laboratório de Educação, Informação e Comunicação em Saúde (Ecos), em parceria com a Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB), abordará o tema “Saúde: Comunicação em Situação de Risco” no V Encontro Internacional de Comunicação em Saúde, o V ComSaúde. O seminário será realizado entre os dias 26 e 28 de março de 2018, no auditório 3 da FS/UnB.

Dentre os objetivos, o Seminário pretende apresentar o histórico e os cenários nacional e internacional da comunicação em situação de risco, compreender fatores e atores que a influenciam, bem como suas aplicações e estratégias. A problematização do tema por meio de exemplos práticos e casos reais e a discussão sobre o papel da mídia no contexto da saúde também serão realizadas.

O prazo para submissão de resumos científicos é do dia 18 de janeiro a 02 de março. Serão aceitos trabalhos nas modalidades comunicação oral curta e resumo expandido. As orientações estão disponíveis neste link.

 

Fonte: UnB.

#MedulaÓssea: Como se tornar um doador?

O primeiro passo para se tornar um candidato à doação de medula óssea é se cadastrar na Fundação Hemominas. Esse cadastro é vinculado ao Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). O interessado em se candidatar deverá se dirigir a uma das unidades de atendimento, onde vai receber orientações sobre o cadastramento e a doação da medula óssea.

Esse cadastro acontece com o preenchimento do Formulário de Identificação do candidato à doação de medula e da Assinatura do Termo de consentimento. Mas, quem pode se cadastrar? O Blog da Saúde MG esclarece essas dúvidas, confira:

 

#Hanseníase: Mobilização é essencial para identificar e tratar a doença

hanseníase

Semana Mundial de Luta contra a Hanseníase, que ocorre sempre na última semana de janeiro, traz em 2018 o slogan: “Hanseníase – Identificou. Tratou. Curou”. Apesar de ter como objetivo o alcance toda a população, a campanha terá como público principal homens na faixa etária de 20 a 49 anos, considerados com alto risco de adoecimento. Outro grupo que também merece atenção é a população do sexo masculino com 60 ou mais anos de idade, por se tratar de um grupo com alto risco de detecção e de acometimento pelas incapacidades físicas geradas pela hanseníase.

O principal ponto da campanha deste ano é alertar a sociedade sobre os sinais e sintomas da doença e incentivar a procura pelos serviços de saúde. Além disso, também propõe mobilizar os profissionais de saúde quanto à busca ativa de casos novos e a realização de exame dos contatos, divulgar a oferta de tratamento completo no SUS e promover atividades de educação em saúde que favoreçam a redução do estigma e do preconceito que permeiam a doença.

A Coordenadora Estadual de Dermatologia Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Maria Do Carmo Rodrigues de Miranda, explica que a divulgação de informações sobre a hanseníase integra a estratégia de identificar, tratar e curar, fundamental no controle da doença. “A hanseníase sempre foi cercada por um grande estigma e preconceito, devido às deformidades que podem acontecer quando o tratamento não é feito precocemente e de modo adequado. Se a população em geral souber identificar os sinais e sintomas da hanseníase e buscar o diagnóstico mais precocemente possível, terá muito mais chances de não desenvolver deformidades, e o tratamento realizado por um menor tempo”, explica.

  • Clique aqui a matéria completa sobre o assunto.
  • Clique aqui e saiba o que é mito e o que é verdade com relação à hanseníase.

banner1_hanseniase_campanha_2018

#Manifesto2000: Saiba mais sobre o Dia Mundial da Não-Violência e Cultura de Paz

Foto: Pexels / Reprodução.

Foto: Pexels / Reprodução.

Nesta segunda-feira (30/01) é comemorado o Dia Mundial da Não-Violência. Trata-se de uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), instituída desde 1948, em homenagem ao líder pacifista Mahatma Gandhi, cujo assassinato ocorreu nesta data. É um dia voltado à educação para a paz, à solidariedade, à mediação de conflitos e ao respeito pelos direitos humanos.

Inspirado nessa data e na questão da cultura de paz, surgiu O “Manifesto 2000: Por Uma Cultura de Paz e Não Violência”, que foi escrito por um grupo de ganhadores do Prêmio Nobel da Paz, com o fim de criar um senso de responsabilidade que se inicia em nível pessoal.

O Manifesto ressalta que é responsabilidade de cada um colocar em prática os valores, as atitudes e as formas de conduta que inspirem uma cultura de paz. Você sabia que todos podem contribuir para esse objetivo dentro de sua família, de seu bairro, de sua cidade, de sua região e de seu país, , por meio da promoção da não violência, da tolerância, do diálogo, da reconciliação, da justiça e da solidariedade em atitudes cotidianas.

Comprometimento pessoal

Confira abaixo as premissas do Manifesto 2000 e pratique: ❤️️📝

Clique aqui e veja outro post do Blog da Saúde MG sobre o tema.

 

#Ciência: Inscrições abertas para Desafio Internacional de Comunicação Científica

banner_comunicacao_cientifica

O British Council está com chamada aberta para cientistas e pesquisadores interessados em participar da terceira edição do FameLab Brasil, que classifica para uma das principais competições internacionais de comunicação científica do mundo, a FameLab Global. As inscrições estão abertas até 28 de fevereiro, e o vencedor brasileiro viajará até a Inglaterra, com despesas pagas, para a disputa mundial.

Neste ano, o desafio consiste de produzir um vídeo de três minutos, sem edição e nenhum apoio de dispositivo eletrônico, para explicar um conceito científico ou tecnológico e mostrar sua importância ou impacto na vida cotidiana. As inscrições deverão ser feitas no site do Conselho Britânico, onde também constam as orientações para a submissão do vídeo.

Os autores dos 30 melhores vídeos (julgados pelo conteúdo, clareza e carisma) ganharão passagem e hospedagem no Rio de Janeiro, onde, de 23 a 27 de abril, serão treinados por um especialista britânico da comunicação para se apresentarem ao vivo no Museu do Amanhã diante de um comitê avaliador e convidados.

Em segundo momento, serão selecionados dez finalistas, que passarão por outra etapa de treinamento e farão nova apresentação para concorrer ao grande prêmio: uma viagem para disputar as finais no Reino Unido, durante o Festival de Ciência de Cheltenham, que será realizado de 4 a 10 de junho, na Inglaterra.

Além dos bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e das demais Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) mencionadas no edital, também poderão participar pesquisadores independentes e outros não bolsistas, incluindo estrangeiros que atuam no Brasil.

O FameLab

Organizada pelo Conselho Britânico, a maior competição de comunicação científica do mundo tem edições em 32 países. Seu objetivo é promover a aproximação entre cientistas e o grande público, por meio da contextualização e abordagem de temas científicos do cotidiano, além de incentivar o desenvolvimento de competências em comunicação, em especial a habilidade oral.

No Brasil, a iniciativa conta com a parceria do Museu do Amanhã, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e da Fapesp.

 

 

Fonte: UFMG.

#SaúdeBucal: ESP-MG credencia docentes e coordenador para o curso Técnico em Saúde Bucal

Créditos: ESP-MG

Créditos: ESP-MG

Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) está com edital aberto para o credenciamento de docentes de concentração, docente de dispersão/estágio e coordenador assistente para o Curso Técnico em Saúde Bucal.

As inscrições podem ser realizadas até 15/02/2018 por meio dos links:

Os  candidatos aos cargos de docente de concentração e docente de dispersão/estágio devem possuir graduação em Odontologia, entre outros requisitos mínimos que constam no edital nº 001/2018. Já para o cargo de coordenador assistente local, além de outros requisitos mínimos, é necessário possuir graduação em qualquer curso na área da saúde.

A seleção visa a contratação de 76 profissionais. As aulas de concentração (aulas teóricas) serão realizadas nos municípios de Belo Horizonte e Governador Valadares e as aulas de dispersão/prática supervisionada (aulas práticas) nos locais de trabalho de alunos em 33 municípios de Minas Gerais.

Outras informações no edital nº 001/2018.

Fonte: ESP-MG.

#FicaADica: Uso incorreto de carregadores de celular podem provocar acidentes

Foto: Pexel / Reprodução.

Foto: Pexel / Reprodução.

Uma situação inesperada, que acontece sem ser programada, pode ser considerada um acidente. Dentro de casa ocorrem diversos acidentes, mais ou menos graves, envolvendo principalmente crianças e idosos. No caso do primeiro grupo, a curiosidade faz com que elas acessem lugares e objetos que podem trazer consequências prejudiciais à saúde. O simples ato de retirar os carregadores de celular da tomada quando os mesmos não são usados, por exemplo, evita choques elétricos e até queimaduras.

A pessoa deixa o celular carregando durante a noite e, ao acordar apressada para realizar as atividades diárias, se esquece de retirar o objeto da tomada, deixando-o exposto e de fácil acesso às crianças. A situação corriqueira serve de alerta, segundo o médico intensivista, diretor técnico e gerente assistencial do Hospital João XXIII, Marcelo Lopes Ribeiro. “A criança pode pegar aquele carregador e colocá-lo na boca, causando queimaduras nas mãos e na boquinha, porque ela mastigou o fio do objeto”, afirma.

Outro risco trazido pelo mau uso do carregador está relacionado ao aquecimento do mesmo e do celular durante o processo de carga de bateria, ou seja, não é recomendável deixá-los na cama e em outros locais. O aquecimento do celular e uma possível descarga elétrica podem provocar um curto-circuito e iniciar um incêndio. “Hoje, as pessoas têm essa tendência de dormir com o celular carregando à beira da cama, então deve-se colocar pelo menos uma mesinha ao lado da cama. Nós já tivemos alguns casos de incêndio no colchão”, relata Marcelo Ribeiro.

Primeiros socorros

Ao lidar com uma pessoa que passa por uma situação de choque elétrico, algumas precauções devem ser adotadas para evitar outros problemas. É recomendável não encostar no indivíduo enquanto há o choque – deve-se usar um objeto neutro, que não passe corrente elétrica, como um cabo de vassoura, a fim de tentar empurrar essa pessoa e distanciá-la da fonte do choque.

De acordo com Ribeiro, o princípio fundamental do socorro pré-hospitalar é a segurança da cena, evitando que o indivíduo que presta socorro se torne, também, vítima daquele acidente. “Às vezes, a pessoa acaba entrando em um ambiente para prestar socorro, pisa em um chão molhado e acaba se tornando outra vítima daquele acidente”, alerta o médico intensivista.

Choques elétricos, queimaduras e outros acidentes domésticos são destaques da nova série do Saúde com Ciência, que vai ao ar entre os dias 29 de janeiro e 02 de fevereiro. Fique ligado!

 

 

Fonte: Faculdade de Medicina da UFMG

#VisibilidadeTrans: Saiba o que é identidade de gênero e porque ela é importante

Celebrado no dia 29 de janeiro, o Dia Nacional da Visibilidade Trans, data criada em 2004 pelo Ministério da Saúde após a divulgação da campanha “Travesti e Respeito”, é um marco político e um importante passo na luta pela cidadania e respeito à população de trans e travestis (T),

Mas, será que você sabe o que é ser trans ou o que é ser travesti? Afim de diminuir essas dúvidas e conscientizar a todxs, a equipe do Blog da Saúde MG traz algumas informações sobre o tema. Confira:


*Com informações da ONU.

#EAD: Inscrições abertas para curso manejo clínico de Chikungunya

EAD-SUS

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lança mais uma importante iniciativa para enfrentamento das arboviroses: o curso manejo clínico de chikungunya em inglês e espanhol. Aberto e gratuito, o curso está disponível na plataforma do Campus Virtual de Saúde Pública da Organização Pan-Americana de Saúde (CVSP/OPAS) – uma rede integrada na área de educação permanente em saúde. As inscrições vão até 31 de maio.

Sobre o curso

O curso manejo clínico da chikungunya é aberto, gratuito, online e de autoaprendizagem. Ou seja: os estudantes acessam a plataforma do CVSP/OPAS livremente, fazem um cadastro e podem cumprir as 30 horas de duração do curso, no seu próprio ritmo, sem horários definidos, de forma autônoma.

Seu objetivo é a capacitação dos profissionais de saúde no desenvolvimento de competências para realizar ações de atenção à saúde da população. Dessa forma, o curso aborda as três patologias, a partir do diagnóstico diferencial e respectivos protocolos de atendimento. O conteúdo aponta ainda para a importância da realização da anamnese e exame físico, que irão auxiliar no diagnóstico.

O curso é composto por duas unidades. A primeira traz informações sobre a epidemiologia, quadro clínico, diagnóstico, ações de vigilância, organização do serviço de saúde, além de apresentar a importância da educação permanente em saúde. Já a segunda unidade apresenta casos clínicos, nos quais o profissional poderá refletir sobre a melhor conduta para realizar o manejo de pacientes com suspeita desta doença.

As inscrições ficam abertas até 31 de maio. Acesse os cursos no CVS/OPAS através dos links abaixo. A versão em português está disponível na UNA-SUS.

  • Manejo clínico da Chikungunya – Inglês
  • Manejo clínico da Chikungunya – Espanhol
  • Manejo clínico da Chikungunya – Português

 

Fonte: Fiocruz.

#VisibilidadeTrans: Conheça as políticas públicas voltadas para a população trans e travesti

bandeira_vibilidade trans

A aplicação de políticas públicas para garantir respeito e cidadania para Travestis, Mulheres Transexuais e Homens Trans é uma realidade em Minas Gerais. Uma série de ações vem sendo desenvolvidas para ampliar os direitos a saúde e educação, realizar inclusão social e profissional, e, ainda, reduzir a violência contra o público #LGBT. Confira algumas dessas ações!

Carteira de Nome Social

O Nome Social de transexuais e travestis em espaços públicos e escolas é um direito definido por decreto, assim como a Carteira de Nome Social que será emitida pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) por meio do Instituto de Identificação. A expectativa é que os primeiros documentos sejam emitidos até o final do primeiro trimestre de 2018.

Empregabilidade

Uma mobilização realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) e Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), reunindo ainda movimentos LGBT, instituições acadêmicas, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), prefeituras e câmaras dos vereadores, entre outros, abre a possibilidade de cursos profissionalizantes para Travestis, Mulheres Transexuais e Homens Trans. Nos municípios de Uberaba e Uberlândia, dois cursos de Tópicos de Organizador de Eventos ofereceram juntos 40 vagas. Como resultado, 25 conseguiram certificados. Houve também participação nas turmas do Pronatec da Utramig, nos cursos de Assistente de Produção Cultural e Microempreendedor Individual- MEI.

Educação

Nada mais importante que a educação para conscientizar a sociedade sobre os direitos LGBT e garantir que as próximas gerações já tenham o respeito à diversidade como uma prática natural. Para isso, uma parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e a Secretaria de Estado de Educação (SEE) irá preparar mais de 1000 professores, analistas regionais de ensino e profissionais da educação para trabalhar com a diversidade nas escolas. Cerca de 450 escolas da rede pública em diversos níveis de ensino serão contempladas com cursos de aproximadamente 10 meses, incluindo aulas presenciais e à distância.

Saúde Integral

Para garantir e incentivar o acesso a esse direito, a Resolução Conjunta SES/SEDPAC/SEE Nº 207 de 17 de novembro de 2016, implantou o Comitê de Saúde Integral da População LGBT. A partir disso, um Grupo de Trabalho implantou, no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, o primeiro serviço ambulatorial de atenção especializada da saúde pública estadual, denominado Ambulatório do Processo Transexualizador.

O atendimento é realizado às quintas-feiras, das 8h às 13h, com equipe interdisciplinar e multiprofissional, composta por psiquiatra, endocrinologista, clínico, enfermeiro, psicólogo e assistente social.

Segurança

Crimes com presunção de causa por #LGBTFobia podem ser denunciados para o Núcleo Especial da PCMG com a especificação do motivo nos Registros de Eventos de Defesa Social (REDs). Com a existência dos campos de nome social, orientação sexual e identidade de gênero, respeitando a autodeclaração, e também a causa presumida por LGBTfobia, será possível acompanhar e mensurar os crimes de #LGBTFobia no estado.

Para denunciar basta ligar 100, ou se dirigir à unidade mais próxima e registrar o Boletim de Ocorrência. Os canais estão abertos em todo o estado. Confira:

Central de Monitoramento de Direitos Humanos – CEMADH (telefone)
E-mail: denuncias@direitoshumanos.mg.gov.br
Telefone: (31) 3270-3623

Núcleo de Atendimento de Direitos Humanos – NADH (presencial)
E-mail: nadh@direitoshumanos.mg.gov.br
Telefone: (31) 3270-3201
Local de atendimento: Av. Amazonas, 558 – Centro, Belo Horizonte – MG

Conselho Estadual de Direitos Humanos
E-mail: conedh@social.mg.gov.br
Telefone: (31) 3270-3280

Centro de Referência pelos Direitos Humanos e Cidadania de LGBT de Belo Horizonte
E-mail: crlgbtbh@pbh.gov.br
Telefone: (31) 3277-4128
Local de atendimento: Rua Espirito Santo, 505 – 11º andar – Centro, Belo Horizonte /MG

Espaço de Cidadania LGB T de Contagem
Telefone: (31) 3912-4403
Local de atendimento: Rua José Carlos Camargos, 130 – Centro –Contagem/MG Zona da Mata – Juiz de Fora
E-mail: imprensacrdh@yahoo.com.br
Telefone: (32) 3236-8427 / (32) 3215-7807
Local de atendimento: Rua Vitorino Braga, 126b, Juiz de Fora /MG

Além disso, policiais da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) que atuam no Centro Integrado de Atendimento e Despacho de Minas Gerais (CIAD) serão capacitados e passarão por cursos de Direitos Humanos e Cidadania LGBT. Para mais informações sobre essas e outras ações, entre em contato com a SEDPAC no (31) 3916 8335.

#DiaDaVisibilidadeTrans #MG #ContraLGBTFobia
#SaúdeLGBT #SegurançaLGBT #EducaçãoLGBT #DireitosLGBT

Fonte: Governo de Minas Gerais.

#ClimaESaúde: Pesquisas sobre o clima ajudam no enfrentamento à malária no norte brasileiro

Foto: Site Ambiente e Energia / Reprodução.

Foto: Site Ambiente e Energia / Reprodução.

Por conta do trabalho que vem sendo desenvolvido para a implantação do sítio sentinela Transfronteiriço, o Amapá – estado da região norte do Brasil que faz fronteira com a Guiana Francesa, vem recebendo pesquisadores da Fiocruz e da França para ajudar no enfrentamento à malária.

É sobre esse assunto a terceira matéria da série #ClimaESaúde – “Sítio sentinela transfronteiriço no combate à malária”, produzida pelo Icict/FIOCRUZ, a partir dos dados preliminares colhidos e analisados pelo Sítio Sentinela Transfronteiriço (ainda em fase de implantação), uma parceria entre o Observatório Nacional de Clima e Saúde (LIS/Icict)/Fiocruz, e do Institut de Recherche pour Le Développement – IRD, da França.

As mudanças climáticas têm forte impacto nos processos climáticos das doenças causadas por vetores, causando incidências maiores no verão (como é o caso da dengue) ou em período de estiagem (como a malária na região amazônica), por exemplo. No Brasil, a malária pode ser provocada pelos protozoários do gênero Plasmodium: Plasmodium vivax, P. falciparum e P. malariae. A maioria dos casos está concentrada na região Amazônica, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que quase metade da população mundial (cerca de 3,2 bilhões de pessoas) vivam em áreas de risco para a doença. Além disso, artigos em português, francês e inglês sobre a malária, notas técncias e notícias da grande mídia são alguns links disponíveis na matéria para consulta. Entrevistados nas matérias pesquisadores da Fiocruz, do IRD e do Amapá.

“O sítio Transfronteiriço Amapá-Guiana Francesa reúne condições para que se desenvolvam estudos sobre a dinâmica de malária na região amazônica e apresenta diversos desafios, como a necessidade de compatibilização de dados de dois países com modelos de notificação de casos e sistemas de saúde diferentes, uma grande mobilidade da população e seu relativo isolamento geográfico. Estes desafios representam oportunidades de desenvolvimento de tecnologias e metodologias inéditas para a análise de situações de saúde”, afirma o pesquisador Christovam Barcellos, vice-diretor de Pesquisa, Ensino e Desenvolvimento Tecnológico/Icict/Fiocruz, coordenador do Observatório e responsável pelos estudos da parte brasileira do projeto.

Lançado em 2008, o Observatório tem parcerias com o Datasus, IBGE, Ibama, Ministério do Meio Ambiente, secretarias estaduais e municipais de Saúde, e instituições de ensino federais e estaduais, além de integrar a Rede Brasileira de Pesquisas Sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede-Clima), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)/Ministério da Ciência e Tecnologia. Atualmente, o Observatório trabalha com informações dos seguintes sítios sentinelas de Porto Velho (Rondônia), Semiárido e Transfronteiriço (Guiana Francesa e Brasil), além do de Manaus (AM) e do Rio de Janeiro (RJ).