Monthly Archives: fevereiro 2018

#Enquete: É possível começar o ano com hábitos saudáveis para a saúde?

enquete_ano novo_2018

Agora que já passou o carnaval, o ano começa para valer, não é mesmo? Por isso, no início de 2018, nos perguntamos para os internautas na enquete do site da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o que eles pretendiam fazer para ter uma vida saudável. O questionamento ficou no ar até o início de fevereiro e, agora após o carnaval – quando o ano começa definitivamente para muitas pessoas, trouxemos alguns resultados da enquete.

Por incrível que pareça, 27,3% dos internautas admitiram que “Além de mudar a minha alimentação e fazer uma atividade física, também quero investir mais tempo em mim”. Isso mostra a necessidade de muitos que participaram da enquete reservarem um momento do dia para cuidar de si mesmo.

Enquanto isso, 26.8% afirmaram que “Aliar uma alimentação saudável com atividade física para não só perder peso, mas para ter mais qualidade de vida”. Esta alternativa mostra que os internautas estão mais conscientes em relação à alimentação adequada e a atividade física podem trazer como consequência não só a perda de peso, mas sobretudo mais disposição.

Já o item que recebeu menos voto da enquete, com 4,3% votos, foi a opção “Diminuir o uso de carro ou de ônibus e passar a fazer mais trajetos a pé para fazer caminhadas e, assim, diminuir o sedentarismo”. Isso nos mostra que poucas pessoas enxergam essas atividades no trabalho, mesmo que sejam rotineiras, como algo que possa contribuir para uma vida saudável.

A partir desta segunda-feira (19/02), temos uma nova enquete no site da SES-MG sobre Febre Amarela. Participe!

 

#EaD: Matrículas abertas para sete cursos da UNA-SUS

EAD-SUS

O Sistema UNA-SUS está com matrículas abertas para sete cursos online. Profissionais podem se capacitar sobre saúde da população negra, hanseníase, influenza, TB-HIV, dengue e saúde do idoso. Interessados podem se inscrever até 29 de junho, tendo até 29 de julho para finalizar todas as atividades e então receber o certificado de conclusão.

👉 Confira as ofertas:

. Saúde da População Negra

Curso promove debate sobre o preconceito e racismo institucional, baseado em dados epidemiológicos e informações gerais sobre a população negra, sua cultura e práticas tradicionais de saúde, visando à melhoria da qualidade de atendimento e à redução das desigualdades. Capacitação alinha-se aos princípios do Sistema único de Saúde e da Política Nacional Integral da População Negra.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Dengue

A qualificação tem como objetivo familiarizar os profissionais com as recomendações atuais do Ministério da Saúde quanto ao manejo clínico da doença. A partir da análise de oito casos clínicos, os alunos poderão refletir sobre os sintomas apresentados em situações fictícias e avaliar a melhor forma de tratamento para cada paciente.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Hanseníase

O objetivo é atuar no preparo dos profissionais para atuarem no controle da transmissão da hanseníase e diminuir as incapacidades causadas pela doença. Dessa maneira, o curso ressalta a importância do diagnóstico oportuno e do efetivo controle de contatos. É dividido em três unidades: vigilância; diagnóstico e acompanhamento da hanseníase na Atenção Básica.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa – Módulo I

Voltado para profissionais de saúde de nível superior, o curso mostra um panorama geral do envelhecimento no país e apresenta as principais questões no atendimento da população com 60 anos ou mais. O conteúdo está dividido em cinco unidades, que tratam do envelhecimento populacional, ações estratégicas, avaliação multidimensional e condições clínicas e trabalho em equipe.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa – Módulo II

Objetiva atualizar Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e técnicos de enfermagem nas recomendações nacionais para a atenção à saúde da pessoa idosa, no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Alguns dos temas abordados são o mapeamento dessa população, o trabalho em equipe, o acolhimento, o planejamento de cuidados e a promoção da saúde.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Atualização do Manejo Clínico da Influenza

Voltado para médicos, o curso trata do diagnóstico diferencial entre o resfriado comum de síndrome gripal e a síndrome respiratória aguda grave, dos principais riscos de complicação e das medidas que reduzem a transmissão da gripe. O conteúdo apresenta casos clínicos interativos com vídeos de especialistas comentando o tema abordado.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

. Coinfecção TB-HIV

Curso fornece subsídios para que os profissionais de saúde atendam integralmente, e de forma qualificada, as pessoas coinfectadas por tuberculose e HIV. Para isso, são abordados os aspectos etiológicos, psicossociais e clínicos da associação entre as doenças.

Para se matricular e acessar o curso, clique aqui.

Fonte: UNASUS

#Ciência: Químicos transformam urina de foliões do Carnaval de BH em adubo

com Minas Faz Ciência

Foto: Wagner Liberato - Belotur/Flickr

Foto: Wagner Liberato – Belotur/Flickr

Passado o Carnaval, a improvável junção entre ciência e a folia momesca é a novidade da folia belo-horizontina em 2018. Pesquisadores do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vão transformar parte da urina coletada pelos banheiros químicos em fertilizantes agrícolas. A ação criativa e sustentável é uma parceria da universidade com a Belotur, intermediada pela ACMinas.

Cientistas do projeto P4Tree, da UFMG, desenvolveram uma tecnologia capaz de separar o elemento químico fósforo presente na urina e reaproveitá-lo como adubo na agricultura. Durante a festa, seis banheiros químicos instalados em pontos estratégicos da cidade, contaram com recipientes próprios para esse processo de “filtragem”.

Entenda

Um banheiro químico coleta 220 litros de dejetos ao todo, sendo 150 líquidos. Cada cabine pode gerar 100 gramas do elemento químico fósforo, usado como fertilizante. “O fósforo é um dos elementos químicos essenciais para o crescimento de plantas e tem papel fundamental na agricultura e em diferentes culturas. Também tem ampla utilização na indústria alimentícia como conservante”, explica Arthur Silva, químico responsável pelo projeto e doutorando em inovação tecnológica.

Foto: Divulgação Belotur e UFMG

Foto: Divulgação Belotur e UFMG

A tecnologia conta com refis de coletores instalados nos banheiros químicos. Ao receber a urina, o coletor filtra e separa o fósforo do restante dos elementos. No laboratório de Química da UFMG, as amostras vão passar por um processo de desinfecção. Em seguida, o material será combinado a outros elementos para que possa ser utilizado em áreas verdes. Em BH, o material será destinado ao adubo do Jardim Botânico.

 

#EAD: OMS oferece cursos gratuitos sobre epidemias, pandemias e emergências de saúde

EAD-SUS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou neste ano, uma série de cursos em vídeo sobre epidemias, pandemias e emergências de saúde.  As ofertas são destinadas principalmente aos profissionais da área da saúde, mas demais interessados também podem acessar o conteúdo.

Os cursos podem ser acessados através da plataforma “OMS aberta”, que transforma conhecimento científico complexo em vídeo aulas de fácil entendimento, e que possui três canais principais:

  • O canal “Surtos” se concentra em doenças que são epidêmicas ou propensas a pandemia, como ebola, febre amarela e gripe pandêmica.
  • O canal “GetSocial!” abrange intervenções de ciências sociais, tais como comunicação de risco, envolvimento da comunidade e mobilização social.
  • Ready For Response (ou “Pronto para resposta”) oferece cursos sobre o quadro de resposta de emergência da OMS, o Sistema de Gerenciamento de Incidentes e treinamentos pré-implantação para pessoas que podem ser enviadas para os países para resposta de emergência.

Além disso, um canal é voltado aos parceiros na Rede Global de Alerta e Resposta a Emergências (GOARN), que fornece o treinamento necessário para participar das respostas. Todos os cursos estão em inglês, alguns também em árabe e francês.

Para garantir que todos os envolvidos em resposta de emergência tenham as últimas informações científicas e operacionais, a OMS disponibiliza alguns cursos em línguas e dialetos locais durante epidemias e emergências.

Estão disponíveis versões off-line das ofertas,  para dispositivos IOS e Android.

» Para acessar a plataforma, clique aqui.

#Ciência: Inscrições abertas para a 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista (PJC)

premio jovem cientista

Já estão abertas as inscrições para a 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista (PJC), cujo tema será Inovações para a conservação da natureza e transformação social. Podem concorrer estudantes do Ensino Médio, Ensino Superior, mestres e doutores. Há, ainda, mais duas categorias dentro do prêmio: Mérito Científico para o pesquisador doutor que, ao longo de sua trajetória, tenha se destacado na área relacionada ao tema da edição, e Mérito Institucional para instituições dos ensinos médio e superior com o maior número de trabalhos qualificados.

As inscrições e os trabalhos podem ser enviados até o dia 31 de julho para o site. A partir do mês de fevereiro serão disponibilizadas web aulas no site do PJC, voltadas para o tema deste ano, com o intuito de auxiliar os participantes no decorrer do prêmio.

Instituído em 1981, o PJC incentiva a pesquisa científica e os estudantes e jovens pesquisadores que buscam soluções inovadoras para os desafios do país. Biodiversidade, empreendedorismo e sustentabilidade, inovação e inclusão digital são algumas das linhas de pesquisa que podem ser consultadas no site do prêmio.

A 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Fundação Roberto Marinho, Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e Banco do Brasil.

Conheça as linhas de pesquisa

Na 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista, estudantes do ensino superior, mestres e doutores poderão inscrever trabalhos relacionados a uma das seguintes linhas de pesquisa:

  • Benefícios socioeconômicos gerados por unidades de conservação e demais áreas protegidas;
  • Biodiversidade, serviços ecossistêmicos e bem-estar humano;
  • Empreendedorismo e modelos de negócios para a inclusão digital e uso sustentável de recursos naturais;
  • Incentivos econômicos para a conservação e o uso sustentável da natureza;
  • Inovações para a conservação e o uso sustentável da natureza;
  • Inovações para a inclusão digital da sociedade brasileira;
  • O papel da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos na adaptação às Mudanças do Clima;
  • Práticas inovadoras em educação, comunicação e divulgação sobre biodiversidade;
  • Produção e consumo ambientalmente sustentáveis;
  • Tecnologias digitais para transformação social;
  • Tecnologias para incentivar a prática de economia colaborativa e sustentável

Já na categoria Ensino Médio, poderão ser inscritos trabalhos relacionados a uma das seguintes linhas de pesquisa:

  • Comunicação e mobilização para a valorização de áreas protegidas;
  • Empreendedorismo e soluções locais para a conservação e o uso sustentável da natureza;
  • Inovações para a conservação da natureza e o uso sustentável no ambiente escolar;
  • Práticas inovadoras em educação ambiental e conservação da natureza;
  • Tecnologias digitais para a conservação da natureza;
  • Tecnologias digitais para transformação social.

 

 

#SexoSeguro: Você sabe o que é Prevenção Combinada e como isso pode te ajudar?

Por Luíza Tiné / Blog da Saúde / Min. da Saúde

mandala de prevencao_sexo seguro.jpg

O preservativo é uma excelente e prática estratégia de prevenção ao HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), mas hoje não é o único meio para evitar estas doenças. Outras alternativas eficazes fazem parte da chamada Prevenção Combinada. Mas, você sabe o que é isso? A Prevenção Combinada associa diferentes métodos (ao mesmo tempo ou em sequência) conforme as características e o momento de vida de cada pessoa.

Entre os métodos que podem ser combinados, estão: a testagem regular para o HIV, que pode ser feita gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS); a prevenção da transmissão vertical (quando o vírus é transmitido para o bebê durante a gravidez); o tratamento de infecções sexualmente transmissíveis e das hepatites virais; a imunização para as hepatites A e B; programas de redução de danos para os usuários de álcool e outras substâncias; a profilaxia pré-exposição (PrEP); profilaxia pós-exposição (PEP); e o tratamento de pessoas que já vivem com HIV.

É bom lembrar que uma pessoa em tratamento atinge níveis de carga viral tão baixos que é praticamente nula a chances dela transmitir o vírus para outras pessoas. Além disso, quem toma o medicamento corretamente, não adoece e mantém a sua qualidade de vida. Todas essas métodos podem ser utilizados pela pessoa isoladamente ou combinados.

Nos últimos dez anos, foi observado um crescimento de HIV entre os homens de 15 a 19 anos, 20 a 24 anos, 25 e 29 anos e 60 anos e mais. Com o objetivo de garantir que esse público possa viver plenamente a sexualidade sem medo, vergonha e culpa, independente da condição física, orientação sexual, idade e estado civil, o Ministério da Saúde vem elaborando estratégias que garantem uma vida mais saudável a eles.

“As ações de prevenção estarão voltadas para essa população, em especial com a população trans, os gays e os homens que fazem sexo com homens, as trabalhadoras do sexo, porque são grupos mais vulneráveis à infecção pelo vírus. Nós temos várias reuniões com todas as agências da Organização Mundial da Saúde – ONU – para definir estratégias para toda essa população. Uma das escolhas é trabalhar com aplicativos e com as mídias sociais ao longo de todo ano colocando mensagens de prevenção, e destacando a PreEP”, explica a diretora do Departamento das IST, HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV), Adele Benzaken.

Camisinha “estourou”

O preservativo ainda é o método de prevenção mais usado, sendo o mais barato e de fácil acesso. O Ministério da Saúde mantém a distribuição dos preservativos masculinos e femininos, em todo o Brasil. Mas se a camisinha “estourou” ou você transou sem preservativo, é necessário o uso de profilaxia pós-exposição de risco ao HIV, conhecida como PEP. Trata-se da combinação de antirretrovirais que devem ser tomados durante 28 dias. A PEP é oferecida gratuitamente em serviços de referência em todos os estados. O tratamento deve ser iniciado em até 72 horas, após o possível contato com vírus tanto numa relação sexual desprotegida, quanto num acidente com instrumentos cortantes (como agulhas, alicates etc). Para saber qual o serviço que oferece a PEP mais perto da sua residência ligue para a Ouvidoria do SUS 136. Atenção, a PEP só é aplicável em quem não tem o vírus. Porque quem já tem o vírus precisa iniciar o tratamento.

Outra opção é a PrEP, que é a utilização do medicamento antirretroviral por aqueles indivíduos que não estão infectados pelo HIV, mas que se encontram em situação de elevado risco de infecção. Com o medicamento já circulando no sangue no momento do contato com o vírus, o HIV não consegue se estabelecer no organismo.

A PrEP é a mais nova tecnologia de prevenção ao HIV, introduzida no SUS no ano passado. Ela está disponível atualmente em 36 serviços em 11 unidades federadas, incluindo o Distrito Federal. No momento, os grupos que tem indicação para receber a PrEP são: os profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens e gays, população trans, e casais sorodiferentes (quando um tem o vírus e o outros não).

Converse sempre com o profissional de saúde, porque ele pode indicar e te ajudar a melhor forma ou as melhores formas de prevenção de acordo com o seu comportamento e o seu momento de vida. Para o estudante de 21 anos, Francisco (nome fictício) a Prevenção Combinada é muito eficaz, mas é necessário que essa divulgação seja mais ativa. “Precisamos multiplicar informações sobre prevenção e cuidado, de modo que todos saibam se prevenir. Estou em um relacionamento monogâmico. Por isso, depois de fazermos exames (de 3 em 3 meses fazemos) resolvemos tirar. Mas sei dos riscos que isso implica”, comenta ele.

Para a diretora do Departamento de HIV, Aids e Hepatites Viriais do Ministério da Saúde, a PrEP é uma das opções mais avançadas no campo da prevenção. “A PrEP tem evidências que ela consegue impactar e reduzir a epidemia entre populações jovens. Isso que o Ministério da Saúde vem trabalhando” destacou.

No Brasil, estima-se que 830 mil pessoas vivam com o HIV. Por ano, há cerca de 40 mil novos casos de aids – quando a pessoa que vive com o vírus começa apresentar sintomas da doença. A epidemia de HIV tem afetado desproporcionalmente alguns grupos de pessoas, mais do que outros, como é o caso dos homens jovens e homens que fazem sexo com homens.

A PrEP é mais uma opção de prevenção para as pessoas se protegerem do vírus causador da aids. “Com as novas opções de prevenção disponíveis estamos confiantes que é possível reverter o números de nova infecções pelo HIV, bem como os novos casos de aids que temos registrado anualmente”, esclare a diretora.

 

#VoltaÀsAulas: Como preparar lanches saudáveis para as crianças?

com Ricarda Caiafa

Com a volta às aulas, uma preocupação recorrente de mamães, papais – e vovôs e vovós, tios e tias, enfim, de todas as famílias! – é com o lanche das crianças e adolescentes. Como planejar e preparar lanches saudáveis e nutritivos, mas que sejam também atrativos para que os jovens possam levar para a escola? Um dos fatores que pode tirar o apetite e o interesse da criança pelo alimento é a monotonia alimentar, ou seja, sem variações do tipo de alimento e de preparações. Por isso, é importante oferecer lanches com variedade de cores e texturas, pois a criança se fixa nas cores, na forma e no visual.

O que deve ter em uma lancheira saudável?

1 fruta + 1 bebida saudável + 1 alimento fonte de energia

Pensando nisso, o #BlogDaSaúdeMG traz uma série de dicas de montagem de lanches ideias para trazer energia para o dia a dia das crianças. Confira:

👉 #FicaADica: Que tal convidar a criança para participar do planejamento, compras e preparo de seu lanche? No supermercado, a criança pode, por exemplo, escolher as frutas que mais gosta, tanto para levar in natura, como para o suco.

#FicaADica: Fim do horário de verão pode afetar nosso organismo

No próximo domingo (18/02) termina o horário de verão. A partir da meia-noite, os relógios devem ser atrasados em uma hora nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Mas, você sabia que o fim do horário de verão pode alterar o corpo humano de diferentes maneiras? Segundo os especialistas, entre as principais consequências estão a sonolência, a enxaqueca, a dor de estômago e, até mesmo, alteração do apetite.

A nova adaptação de horário dura, em média, sete dias. Para evitar problemas durante o período, o recomendado é preparar-se para dormir no horário de costume e evitar o consumo de bebidas que tirem o sono, como café, refrigerante e alguns tipos de chá que contêm cafeína.

Além disso, o estilo de vida também influência nesse desconforto do organismo. Pessoas que têm uma vida mais regrada em relação aos horários de alimentação e sono tendem a ser mais afetadas. Já para quem tem mais flexibilidade na rotina, o recomendado é acordar 15 minutos mais cedo diariamente, para que a transição ocorra aos poucos. Abaixo, confira algumas dicas:

#Enquete: Camisinha e Teste Rápido contribuem para um Sexo Seguro

Screenshot_2018-02-15-15-39-02

Na semana que antecede do carnaval perguntamos para os nossos internautas no stories do Instagram da @SaudeMG se antes de ir curtir a folia, “você se lembra de levar camisinha?”. 77% dos internautas responderam que SIM que levam o preservativo para a folia, enquanto 23% disseram NÃO. Mesmo que seja uma enquete com fins informativos/entretenimento, isso mostra que mais da metade dos foliões já sabem da importância do sexo seguro.

Agora que acabou a folia, nós fizemos uma outra pergunta no stories do Instagram da @SaudeMG nesta quinta-feira (15/02): se os internautas sabem “que o SUS oferece #TesteRápido de HIV/Aids, Sífilis, Hepatites e outras ISTS’s?”

Assim como a camisinha que ajuda na prevenção das IST’s e inibe a gravidez indesejada, os Testes Rápidos são fundamentais para que a pessoa possa ser diagnosticada a tempo e começar um tratamento para evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s).

E você, já deu o seu voto lá no stories do Instagram da @SaudeMG?

#SUSParaTodos: Nome social estará na nova Carteira de Identidade

nome social_1

O uso do nome social – em que a pessoa transexual ou travesti usa a identificação em que é reconhecida – estará incluído na nova Carteira de Identidade, desde que a pedido da parte interessada. A confirmação está no Decreto N° 9.278, de 5 de fevereiro, que regulamenta a Lei no 7.116, de 29 de agosto de 1983, e que estabelece os procedimentos e os requisitos para a emissão de Carteira de Identidade por órgãos de identificação dos Estados e do Distrito Federal. A previsão é que o documento esteja disponível a partir de julho deste ano.

O nome social será incluído mediante requerimento escrito, sem prejuízo da menção à identificação do registro civil no verso da Carteira de Identidade. Não haverá exigência de documentação comprobatória da nova identificação e, caso a pessoa queira posteriormente excluir o nome social, poderá fazer por meio de requerimento por escrito. A identificação no novo documento de identidade estará com a expressão “nome social”.

Na nova Carteira de Identidade estarão incluídas as Armas da República Federativa do Brasil (com a inscrição “República Federativa do Brasil”); a identificação da unidade da federação que a emitiu; a identificação do órgão expedidor; o número do registro geral no órgão emitente e local e data da expedição; o nome, a filiação e local da data de nascimento da pessoa identificada; número da matrícula de nascimento (ou, se não houver, a comarca, cartório, livro e folha do registro de nascimento); fotografia 3 x 4, com assinatura e impressão digital do polegar direito da pessoa identificada; assinatura do dirigente do órgão expedidor; a expressão “Válida em todo território nacional”. Também será incorporado o número de inscrição do Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Também estarão inclusos, desde que a pedido da pessoa identificada, os dados do Número de Identificação Social (NIS); do Cartão Nacional de Saúde; do Título de Eleitor; da Carteira de Trabalho e Previdência Social; da Carteira Nacional de Habilitação; do Certificado Militar; do tipo sanguíneo e fator Rh. Em casos específicos, também podem constar as condições específicas de saúde que possam contribuir para preservar a saúde da portadora da Carteira de Identidade.

O nome social já é aceito para inscrições ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nas matrículas em escolas do ensino básico de todo o Brasil e na identificação no Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS). Em dezembro de 2017, foi aprovado o uso do nome social na carteira de identidade emitida pelos Conselhos Regionais de Psicologia.

 

Fonte: Blog da Saúde / Min. da Saúde.

#Acessibilidade: VideoSaúde lança 13 filmes com audiodescrição

banner_saude_cinema

Como resultado da parceria entre a VideoSaúde Distribuidora, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), e a TV Câmara, foram lançados 13 filmes do Selo Fiocruz Vídeo com audiodescrição no canal do Youtube da Distribuidora. Desde o segundo semestre de 2017, a TV Câmara já exibe as produções da VídeoSaúde em seu canal.

A audiodescrição propicia conteúdo das obras com faixa narrativa adicional para cegos e deficientes visuais, que consiste na descrição de todas as informações compreendidas visualmente e não estão contidas nos diálogos, como, por exemplo, expressões faciais e corporais que comuniquem algo, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, movimento de câmera, além da leitura de créditos, títulos e qualquer informação escrita na tela.

A iniciativa se enquadra nas políticas institucionais – principalmente da Política de Comunicação Pública da Fiocruz – que visam ampliação de oferta de conteúdos acessíveis a todos os públicos. Com isso, a partir de hoje, as páginas oficiais da Fiocruz poderão dispor dos filmes/audiovisuais com audiodescrição.

A VideoSaúde criou um canal exclusivo no Youtube para os filmes com autodescrição, que também já podem ser acessados abaixo, apenas clicando no nome do filme:

Saúde em trânsito

Crack repensar

Nascer nas prisões – Gestar, nascer e cuidar

Nascer nas prisões – Impacto social

Mulheres das águas

Esporotricose

Nuvens de veneno

Paracoco, uma endemia brasileira

Fé eterna na Ciência

Cinematógrafo brasileiro em Dresden

Diários de tuberculose

Oswaldo Cruz na Amazônia

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias