#Ciência: Químicos transformam urina de foliões do Carnaval de BH em adubo

By | 19 de fevereiro de 2018

com Minas Faz Ciência

Foto: Wagner Liberato - Belotur/Flickr

Foto: Wagner Liberato – Belotur/Flickr

Passado o Carnaval, a improvável junção entre ciência e a folia momesca é a novidade da folia belo-horizontina em 2018. Pesquisadores do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vão transformar parte da urina coletada pelos banheiros químicos em fertilizantes agrícolas. A ação criativa e sustentável é uma parceria da universidade com a Belotur, intermediada pela ACMinas.

Cientistas do projeto P4Tree, da UFMG, desenvolveram uma tecnologia capaz de separar o elemento químico fósforo presente na urina e reaproveitá-lo como adubo na agricultura. Durante a festa, seis banheiros químicos instalados em pontos estratégicos da cidade, contaram com recipientes próprios para esse processo de “filtragem”.

Entenda

Um banheiro químico coleta 220 litros de dejetos ao todo, sendo 150 líquidos. Cada cabine pode gerar 100 gramas do elemento químico fósforo, usado como fertilizante. “O fósforo é um dos elementos químicos essenciais para o crescimento de plantas e tem papel fundamental na agricultura e em diferentes culturas. Também tem ampla utilização na indústria alimentícia como conservante”, explica Arthur Silva, químico responsável pelo projeto e doutorando em inovação tecnológica.

Foto: Divulgação Belotur e UFMG

Foto: Divulgação Belotur e UFMG

A tecnologia conta com refis de coletores instalados nos banheiros químicos. Ao receber a urina, o coletor filtra e separa o fósforo do restante dos elementos. No laboratório de Química da UFMG, as amostras vão passar por um processo de desinfecção. Em seguida, o material será combinado a outros elementos para que possa ser utilizado em áreas verdes. Em BH, o material será destinado ao adubo do Jardim Botânico.

 

Deixe uma resposta