#Ciência: Artigo na The Lancet afirma que Zika Vírus pode gerar imunoproteção contra a Dengue

By | 28 de fevereiro de 2018
aedes

Foto: Agência Brasil / Reprodução.

Um artigo publicado na edição de fevereiro da revista The Lancet Global Health lançou a hipótese de que a infecção do vírus zika, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, pode gerar imunoproteção contra o vírus da dengue. O estudo intitulado Does immunity after Zika vírus infection cross-protect against dengue? foi resultado de pesquisas realizadas com pacientes infectados pelos vírus zika, dengue e chikungunya, em Salvador, no estado da Bahia.

O trabalho, que tem dentre os autores o pesquisador da Fiocruz Bahia Guilherme Ribeiro, apresenta evidências estatísticas sobre a redução na frequência de dengue antes e após a epidemia de zika, ocorrida em 2015. A pesquisa começou a ser realizada em 2009 e se estendeu até 2017, com cerca de 3.300 moradores de Salvador, que estavam com uma doença febril aguda e foram atendidos em uma unidade de pronto-atendimento da cidade.

Entre 2009 e 2013, os participantes foram testados para o vírus da dengue e depois de 2014, com a chegada dos vírus da Zika e da Chikungunya no Brasil, passaram a ser testados também para esses vírus. De acordo com a estudo, de 2009 até março de 2015, 25% (484 de 1937) dos pacientes analisados foram diagnosticados com dengue.

A partir de abril de 2015, início da epidemia de Zika, até 2017, a frequência de dengue diminuiu para apenas 3% (43 de 1334). Além disso, desde 2016 não houve mais picos na ocorrência de dengue, embora a frequência de casos de Chikungunya permanecesse elevada. Como os vírus da dengue e da Chikungunya são transmitidos pela mesma espécie de mosquitos, a manutenção na ocorrência da Chikungunya indica que o ambiente continuava propício para a transmissão do vírus da dengue.

Com isso, os pesquisadores chegaram à conclusão de que pode haver uma imunoproteção contra a dengue em pacientes que foram infectados pelo vírus zika. Caso essa hipótese seja confirmada, ela poderá ajudar a direcionar estudos sobre a imunopatogênese da dengue e da Zika, bem como no desenvolvimento de vacinas contra esses vírus.

 

 

Fonte: Agência Fiocruz.

Deixe uma resposta