#FebreAmarela: Hospital infantil estadual vacina crianças alérgicas a ovo

By | 2 de março de 2018
Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

O Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII), que faz parte da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) e atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ampliou na última semana, o atendimento para a vacinação contra a febre amarela em crianças que sejam alérgicas a ovo. Estas vacinações acontecem somente às sextas-feiras e são agendadas previamente.

Não é exigido um encaminhamento para a unidade para este fim, apenas um relatório do médico da criança que indique a necessidade do atendimento. O serviço não tem uma data ou prazo para terminar. O agendamento é feito por meio do telefone: (31) 3239-9035.

Ao chegar ao hospital, a criança passa por uma triagem médica para averiguar seu quadro clínico. Se o paciente já tiver um histórico de anafilaxia (ou choque anafilático), é feito um teste alérgico com a própria vacina. Se o resultado for positivo, a vacina é fracionada e aplicada em duas doses. Logo em seguida, aguarda uma hora em observação. O cuidado da observação é mantido mesmo pra aqueles que não apresentem um grau elevado da alergia.

O Hospital Infantil João Paulo II, da Rede Fhemig, possui o Núcleo Allos, Centro de Referência Especializada na Prevenção e Tratamento de Alergia Alimentar e Anafilaxia, que conta com uma equipe multidisciplinar – alergista, gastroenterologista, dermatologista, nutricionista e psicólogo.

No caso das vacinações assistidas, a unidade segue o protocolo da Prefeitura de Belo Horizonte. Técnicos da Coordenadoria de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) aproximaram o município e o HIJPII e deram apoio técnico para a utilização desse protocolo de vacinação. Este é o primeiro ano que o Infantil recebe, de todo o Estado, as crianças alérgicas para serem vacinadas e a procura tem sido grande. Atualmente, os agendamentos estão completos até abril. Por isso, a unidade dobrou o número de agendamentos, passando de 10 para 20 crianças a cada sexta-feira.

  • Para ler a matéria completa no site da SES-MG, clique aqui.

 

Deixe uma resposta