#Imunização: 10 milhões de jovens serão vacinados no SUS contra Meningite C e HPV

By | 16 de março de 2018
Foto: Fotolia / Mediteraneo / Reprodução.

Foto: Fotolia / Mediteraneo / Reprodução.

Nesta semana, o Ministério da Saúde anunciou, para todo o Brasil, o início da campanha de vacinação contra o HPV e Meningite C para pessoas de de 9 a 14 anos. As vacinas são ofertadas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e podem ser encontradas nas Unidades Básicas de Saúde (conhecida popularmente como Posto de Saúde). Basta os pais e/ou responsável pelo jovem o levar até o Posto com o cartão de vacinação em mãos.

Deverão ser vacinadas contra o HPV, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Neste ano, foi ampliando a faixa etária da vacina meningite C, que agora passa a ser 11 a 14 anos de idade. No ano passado, estavam sendo vacinados contra a doença meninas e meninas de 12 a 13 anos. Para que haja adesão do público jovem, é de fundamental importância participação das escolas e, consequentemente, atingir o objetivo de redução futura do câncer de colo de útero, terceiro tipo de câncer mais comum em mulheres e a quarta causa de óbito por câncer no país.

Por isso, o Ministério enviou às escolas públicas – por meio do Ministério da Educação, material informativo sobre as doenças. A ideia é estimular os professores a conversem com os alunos e familiares sobre o tema. O Brasil é o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina HPV para meninos em programas nacionais de imunizações.

HPV

Desde a incorporação da vacina HPV no Calendário Nacional de Vacinação, 4,9 milhões de meninas procuraram as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para completar o esquema com a segunda dose, totalizando 48,7% na faixa etária de 9 a 14 anos. Já com a primeira dose, foram vacinadas 8 milhões de meninas nesta mesma faixa, o que corresponde a 79,2%.

No entanto, o Ministério da Saúde alerta que a cobertura vacinal só está completa com as duas doses. Entre os meninos, 1,6 milhões foram vacinados com a primeira dose, o que representa 43,8% do público alvo. Desde 2014, início da vacinação para o HPV no SUS, foram distribuídas 32,9 milhões de doses. No Brasil, são estimados 16 mil casos de câncer de colo do útero por ano e 5 mil óbitos de mulheres devido à doença. Mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos cânceres de pênis são atribuíveis à infecção pelo HPV, principalmente pelo subtipo 16. Estima-se que em 3 a 10% dos casos, especialmente entre as pessoas com um sistema imune comprometido (por exemplo, aqueles que vivem com HIV/aids), o vírus HPV pode persistir, levando a graves problemas de saúde.

Meningocócica C

Desde ano passado, já foram vacinados 32% do público prioritário, restando ainda 10 milhões de adolescentes. A meta é vacinar 80% do público prioritário. Além de proporcionar proteção, a ampliação alcançará o efeito da imunidade de rebanho, ou seja, a proteção indireta das pessoas não vacinadas. O esquema vacinal para esse público será de um reforço ou uma dose única, conforme a situação vacinal.

Dados recentes enfatizam a necessidade da vacinação de adolescentes, com o intuito de reduzir o número de portadores da bactéria em nasofaringe. Recentes pesquisas constatam a ausência de anticorpos protetores poucos anos após a vacinação de lactentes e crianças mais novas. A vacinação de adolescentes proporcionará proteção direta impedindo o deslocamento do risco de doença para esses grupos etários.

Por Nivaldo Coelho / Min. da Saúde.

Deixe uma resposta