#SaúdeLGBT: Dia de Enfrentamento à LGBTfobia nos convida a refletir sobre equidade no SUS

By | 16 de maio de 2018
reuniaoCTSI-LGBT_Cred-Marcus-Ferreira-13

Comitê de Saúde Integral LGBT de Minas Gerais | Crédito: Marcus Ferreira.

Nesta quinta-feira (17/05) é comemorado Dia Internacional de Enfrentamento à LGBTfobia. A data celebra a retirada da homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID).

Essa vitória do movimento e comunidade LGBT é relembrada no mundo todo, e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio do Núcleo de Políticas de Promoção da Equidade, aproveita a data para reafirmar seu compromisso e dever de promover o enfrentamento à discriminação de orientação sexual e identidade de gênero e, sobretudo, a saúde integral da população LGBT de Minas Gerais.

Lorena Lemos, Diretora de Políticas de Promoção da Equidade em Saúde da SES-MG, aponta que o SUS tem que trabalhar com o reconhecimento da diversidade, respeitando as pessoas lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis e gays. “É fundamental para nós pensarmos na qualidade do acesso aos serviços de saúde e na promoção de saúde dessas pessoas e reconhecer que a LGBTfobia pode ser um processo que dificulta e ser uma barreira de acesso aos serviços e oferta da saúde integral a todas e todos cidadãos”, afirma.

Inauguração do "ambulatório trans" do Hospital Eduardo de Menezes, da Fhemig | Crédito: Cristina Rossi

Inauguração do “ambulatório trans” do Hospital Eduardo de Menezes, da Fhemig | Crédito: Cristina Rossi.

A Política Nacional de Saúde Integral da População LGBT, criada pelo Governo Federal em 2011, é um marco histórico de reconhecimento das demandas desta população em condição de vulnerabilidade, sendo norteadora de suas necessidades e especificidades no Sistema Único de Saúde (SUS).

A Política LGBT tem como marca o reconhecimento dos efeitos da discriminação e da exclusão no processo de saúde-doença da população LGBT. Suas diretrizes e seus objetivos estão, portanto, voltados para mudanças na determinação social da saúde, com vistas à redução das desigualdades relacionadas à saúde destes grupos sociais. Clique aqui e conheça a Política Nacional de Saúde Integral da População LGBT.

Combate à transfobia

A data, 17 de maio, se estende também à luta contra a transfobia e pelo direito à identidade de gênero. Ainda hoje a transexualidade é considerada um transtorno pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Sua despatologização é urgente para que essa população tenha acesso aos serviços de saúde de forma integral e equânime.

__________________________

*com Núcleo de Políticas de Promoção da Equidade em Saúde e ESP-MG.

Deixe uma resposta