#SaúdeDaPele: Entenda os tipos de acne e saiba como tratar cravos e espinhas

By | 17 de maio de 2018
*com Faculdade de Medicina da UFMG 
Foto: Carol Morena

Foto: Carol Morena.

Uma das principais infecções bacterianas na adolescência, a acne também pode persistir na fase adulta. Cravos e espinhas surgem devido a um processo inflamatório que se manifesta, principalmente, no rosto, peito e dorso. Os tratamentos variam de acordo com o grau de acne, mas o mais importante em qualquer fase é não manipular ou cutucar as lesões para evitar manchas ou cicatrizes posteriores.

O dermatologista e professor aposentado da Faculdade de Medicina da UFMG, Antônio Guedes, explica: “Se você espremer, está correndo o risco de deixar mancha ou cicatriz. Por isso, existem os medicamentos adequados para uso, produtos tópicos, que dão um bom resultado para ajudar a secar”. Guedes também recomenda a limpeza de pele, desde que seja feita por um especialista com boa experiência na área, porque há o risco de machucar a região.

Casos clínicos e Tratamento

A acne causa inflamações e formações subsequente de pápulas, que são os pontos avermelhados; pústulas, os pontos amarelados; nódulos, que são as lesões; e os comedões, mais conhecidos como cravos. Guedes acrescenta que, ao espremer a espinha, ela pode “arrebentar” para dentro e não para fora, transformando-se em um cisto.

O tratamento da acne difere de acordo com o caso clínico apresentado. Para a acne grau 1, recomenda-se medicamentos de uso local que têm como objetivo o ressecamento da pele. Na acne grau 2, que tem algumas pústulas, além dos medicamentos nos locais afetados, pode ser indicado o uso da tetraciclina, antibiótico que deve ser usado a longo prazo, com poucos efeitos colaterais e resultado adequado.

Na acne grau 3 e grau 4, pode ser usada também a isotretinoína, popularmente conhecida como Roacutan. A indicação é precisa para casos mais complexos e agressivos, já que seus efeitos colaterais podem ser mais importantes, dentre eles perda óssea, problemas hepáticos, alterações no triglicerídeo e colesterol ou mesmo o surgimento de miosite, que causa inflamação muscular. A mulher em período fértil deve conciliar o uso do anticoncepcional e outros métodos contraceptivos com a isotretinoína, já que há risco de malformação do feto caso ela engravide.

Deixe uma resposta