#Reconhecimento: Brasil leva experiência em comunicação sobre o Zika em fórum nos EUA

By | 22 de maio de 2018
Por Amanda Mendes / Agência Saúde / Min. da Saúde 

22.05_intercambio-eua

A convite do governo dos Estados Unidos, o Brasil – por meio do Ministério da Saúde, participou, até o dia 18 de maio, do Programa Missão Mosquito, que aborda o zika e outras doenças transmitidas por vetores para comunicadores da saúde pública e ciência. O programa é focado na área de comunicação e pretende construir uma rede internacional de profissionais que trabalham na área para debater os esforços inovadores de controle de vetores.

Para este programa de compartilhamento de informações, foram selecionados 20 profissionais de diferentes países que também registraram casos da doença ou estão sob risco de zika. As atividades ocorreram em várias cidades dos Estados Unidos, incluindo Atlanta, na Geórgia; Fort Colins, no Colorado; Dania Beach, South Miami e Hollywood, na Flórida; e Washington, D.C.

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde apresentou a experiência brasileira no enfrentamento, controle e prevenção ao vírus zika que, desde outubro de 2015, registrou 3.149 casos de alterações no crescimento e desenvolvimento relacionados à infecção pelo vírus zika e outras etiologias infeciosas durante a gestação.

A programação inclui treinamentos focados em situações de emergência e discussões com especialistas das principais instituições dos Estados Unidos, como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), o Instituto Smithsoniano, o departamento de Estado dos Estados Unidos da América, uma variedade de instituições de pesquisa, Organizações Não-Governamentais (ONG) e entidades privadas.

Comunicação

O programa visa apoiar os participantes a construírem, por meio da comunicação, estratégias efetivas de engajamento da população, encorajando indivíduos e comunidades a agir em suas próprias vidas, residências e vizinhanças para se protegerem contra doenças transmitidas por mosquitos, como o vírus zika.

Os profissionais também participaram do lançamento da nova exposição do Museu de História Natural do Instituto Smithsoniano, chamada “Surto: epidemias em um mundo conectado”. A mostra é focada na disseminação de doenças zoonóticas, causadas por novos ou agentes já conhecidos que ocorrem em locais ou espécies que ainda não apresentavam a doença. A exposição conta com uma abordagem de Saúde Única, que trata da integração entre saúde humana, animal, ambiente e adoção de políticas públicas efetivas na prevenção e controle de doenças.

Os participantes vão concorrer a continuação da programação em seu país de origem, que pode incluir ações como trazer uma versão móvel da exposição para seu país, ou liderar projetos científicos, programas, campanhas de informação ou outras atividades que simulem discussões mais amplas sobre o controle de mosquitos em comunidades locais.

Ao final do encontro, os participantes do Programa Missão Mosquito serão convidados a participar de uma plataforma de mídia social que permitirá o compartilhamento e a tradução de novas informações, dados, lições aprendidas e melhores práticas para a prevenção e resposta às doenças transmitidas por mosquitos, como o vírus zika.

 

Deixe uma resposta