Monthly Archives: junho 2018

#TOP5: Confira dicas simples, mas essenciais, para você manter a saúde em dia no inverno

A estação mais fria do ano está batendo à porta! Nesta quinta-feira (21/06) tem início o inverno; e com ele, alguns cuidados se fazem essenciais para manter a saúde em dia, e evitar infecções respiratórias e outros agravos típicos desta época do ano, como resfriados e gripe.

☝ #FiqueLigado:

#Ciência: Estudo mostra avanços quanto à estruturação do financiamento do SUS

banner_SUS_logo_2016

Com o objetivo de compreender a configuração do financiamento público do Sistema Único Saúde (SUS), conforme as normas estabelecidas para a dinâmica de transferência e aplicação de recursos entre os entes federados (município, estado e União) que administram de forma tripartite os assuntos ligados à saúde pública, a administradora pública, Laura Moreira, realizou um estudo de caso para defender a sua tese junto ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Medicina da UFMG.

De acordo com a pesquisadora, que também atua como especialista em políticas públicas e gestão governamental na Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o trabalho foi dividido em duas partes, contemplando questões que ocupavam a agenda de discussão sobre o financiamento da saúde no país. A primeira parte, de abrangência estadual, teve como marcos normativos a Portaria n. 4.279/10 e o Decreto n. 7.508/11, que estabelecem diretrizes para aperfeiçoar o funcionamento político-institucional do SUS.

Nessa etapa, os resultados do estudo evidenciaram avanços nos aspectos organizativos e estruturais do Sistema. “Destacam-se a descentralização de recursos e responsabilidades para as esferas subnacionais, o aporte de recursos e de novas formas de financiamento como meio para fomentar e operacionalizar a expansão do modelo de redes de atenção”, afirma Laura.

Na segunda parte, com enfoque nacional, a referência foi a Portaria n.3992/17. Entre os achados, ela cita a ampliação dos valores totais e per capita disponíveis para o SUS em todos os grupos de regiões de saúde, aumento do valor repassado para a Atenção Básica e maior investimento nas regiões com menor capacidade de oferta.

#VidaSaudável: Jogo educativo incentiva a prática de atividade física nas escolas

Jogo atividade fisica_1

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está lançando um jogo educativo para incentivar crianças a praticarem atividade física. Funcionando como uma atividade lúdica, cerca de 57 mil unidades do jogo estão sendo distribuídas para 5.711 escolas que fazem parte do Programa Saúde na Escola (PSE) e também para as escolas estaduais indígenas do Estado, para serem utilizados com as crianças do ensino fundamental.

O jogo funcionará como uma trilha na qual os participantes vão avançando e cumprindo as atividades propostas, compostas por brincadeiras que estimulam a prática de atividade física. As atividades realizadas por meio de brincadeiras e jogos contribuem para a queima de calorias, para a saúde e desenvolvimento das crianças e adolescentes, estimulando o desenvolvimento saudável de músculos e ossos e favorecendo o aumento de força, resistência e equilíbrio, a socialização e a competitividade saudável.

Além disso, o ato de brincar contribuirá para o desenvolvimento da linguagem, do raciocínio lógico e do pensamento, na socialização e no aumento da autoestima das crianças. Clique aqui e confira mais informações do jogo.

  • Para ler a matéria completa no site da SES-MG, clique aqui.

#Curiosidade: Você sabia que o Adolescente também tem caderneta de saúde?

Crédito: Agência Brasil / EBC.

Crédito: Agência Brasil / EBC.

Você, provavelmente, deve se lembrar da caderneta ou cartão de vacinação que tem desde pequenininho, não é? Mas, é importante saber que depois que a criança cresce e entra na adolescência, é importante ter em mãos a Caderneta do Adolescente, que é distribuída gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), também conhecidas popularmente como Postos de Saúde.

Inclusive, há muito adolescentes e jovens que sequer voltaram aos Postos de Saúde para tomar as vacinas de reforço, essenciais para prevenir uma série de doenças ao longo da vida. Clique aqui para saber quais as vacinas que o adolescente deve tomar.

Veja também no site da SES-MG:
Reunião Técnica vai discutir implantação da Caderneta de Saúde dos Adolescentes

Mas, pouca gente sabe que existe a Caderneta do Adolescente, exatamente para ele continuar se cuidando depois que deixa de ser criança e passa a cuidar mais de si próprio, inclusive da sua saúde. A caderneta tem duas versões, para meninos e meninas, com dicas sobre alimentação, exercícios físicos, controle de peso e altura e prevenção a Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Ela ainda serve como um apoio para as famílias conversarem sobre alguns assuntos que costumam ser tabu dentro de casa, como orientação e diversidade sexual.

Documento

A caderneta ou cartão de vacinação é um documento indispensável, uma vez que o controle das vacinas pode evitar uma série de doenças. Assim, não só crianças, como adolescente e adultos, devem manter suas vacinas em dia. No Brasil, as vacinas do Programa Nacional de Imunizações (PNI) são oferecidas nos postos de vacinação de todo o país ou por equipes de vacinadores, que levam os produtos a áreas de difícil acesso periodicamente.

Caso não esteja de posse da caderneta ou cartão de vacinação, por motivo de perda ou dano, é recomendado que o usuário procure o serviço de saúde que costuma vacinar ou que faça parte de seu território de abrangência. Lá, ele terá o chamado “cartão espelho”, no qual ficam arquivados os registros de doses que foram aplicadas. Para saber quais são as vacinas da sua faixa etária, acesse o nosso site: www.saude.mg.gov.br/vacinacao

Por Evelyn Araripe / Agência Jovem de Notícia / Adaptação.

#SaúdeNaCozinha: Conheça as frutas, verduras e legumes do mês de junho

Que tal comer melhor por um preço mais acessível? Esse é um dos principais benefícios de adquirir alimentos no período de safra. Em cada mês do ano, há frutas, legumes e verduras em sua época mais propícia.

Por terem sido produzidos em condições climáticas ideais, esses alimentos conseguem se desenvolver melhor, oferecendo maior qualidade nutricional, além de sabor e aroma mais intensos. Além disso, no período de safra, o cultivo pode dispensar aditivos químicos, como é o caso dos agrotóxicos.

👉 Conheça, então, os alimentos do mês de junho:

#VacinaSUS: Surto de poliomielite na Venezuela faz Brasil ficar alerta com a doença

Crédito: Agência Brasil / EBC.

Crédito: Agência Brasil / EBC.

No início de junho, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) reportou um caso de poliomielite em uma criança indígena de dois anos no leste da Venezuela, país onde a doença viral foi erradicada há 29 anos. Por conta do grande fluxo de imigrantes pelas fronteiras brasileiras, as autoridades sanitárias passaram a destacar a importância da vacinação e alerta sobre os cuidados para prevenção da doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a OPAS ressaltam a necessidade de manter a cobertura vacinal para a poliomielite acima dos 95% e a importância de atualizar os planos nacionais de respostas a surtos de poliovírus. A vacina contra a poliomielite, também conhecida como VIP ou VOP, protege as crianças contra três tipos do vírus que causam a doença. Para alcançar a proteção é preciso ter tomado as cinco doses da vacina nos segundo, quarto, sexto e 15º mês, e a última aos 4 anos de idade.

O fato motivou a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou nota pública alertando para a necessidade de atenção redobrada diante da detecção de um surto de poliomielite na Venezuela. No documento, a entidade orienta pediatras e os demais profissionais de saúde a estarem atentos a possíveis casos de paralisia flácida aguda e adequada investigação.

Aqui no Brasil, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), desde de 2016, o Programa Nacional de Imunização (PNI) adota a Vacina Inativa da Poliomielite (VIP) para as três primeiras doses, aplicadas aos 2, 4 e 6 meses de idade. E para as duas doses de reforço, em crianças de 15 meses e quatro anos de idade, a vacina utilizada é a Vacinal Oral da Poliomielite (VOP). Em Minas, a cobertura vacinal geral contra a doença em 2017 foi de 83% em crianças menores de um ano e 74% para o reforço em crianças maiores de um ano. Em 2018, até o mês de maio, 67% do público prioritário recebeu a 3ª dose da vacina e 54% das crianças maiores de um ano receberam a dose do reforço.

  • Para ler a matéria completa no site da SES-MG, clique aqui.

 

 

 

#Equidade: SES-MG promoverá 1ª reunião do Comitê de Saúde da População Negra

Plenária Estadual de Constituição do Comitê Técnico da Saúde da População Negra | Marcus Ferreira

Plenária Estadual de Constituição do Comitê Técnico da Saúde da População Negra | Marcus Ferreira

Acontece na próxima segunda-feira (25/06), a 1ª Reunião do Comitê Técnico de Saúde Integral da População Negraórgão colegiado instituído pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que tem a finalidade de formular e propor diretrizes de ação governamental, em âmbito estadual, voltadas para o combate à discriminação, à promoção da saúde integral e a defesa dos direitos das Populações Negra e Quilombola. O encontro será sediado na Escola de Saúde Pública (ESP-MG), em Belo Horizonte, de 09h às 17h30.

Instituído através da Resolução Conjunta SES/ SEDESE/SEDPAC Nº0220, de 17 de maio de 2017, o Comitê Técnico de Saúde da População Negra tem como principal objetivo auxiliar e monitorar a implementação das ações de saúde para esta população, reconhecendo que o racismo é um fator de adoecimento dessa população e que afeta o acesso aos serviços de saúde. Dessa forma, ao pensar na promoção da equidade no SUS, o primeiro passo é reconhecer que existem diferenças que devem ser consideradas na oferta dos serviços de saúde.

O Comitê Técnico de Saúde da População Negra é composto pelos seguintes segmentos: Tradição de Matriz Africana; Quilombola Rural; Quilombola Urbana; Movimento Negro; Mulheres Negras; Movimento Afro LGBT e Juventude Negra.

#VocêSabia? Mais de 40% dos doadores de sangue são jovens de 18 a 29 anos

Cr

Crédito: Portal Brasil

Jovens entre 18 e 29 anos são os brasileiros que mais doam sangue, 42% do total, indica o Ministério da Saúde. Segundo a pasta, 1,6% da população do País é doadora, índice superior ao recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), de 1%, mas que ainda pode melhorar.

Do total de doadores, 60% são homens, que podem doar até quatro vezes por ano, enquanto mulheres podem fazer três doações anuais. Em 2017, foram coletadas mais de 3,35 milhões de bolsas — e 1 (uma) só doação pode beneficiar até quatro pessoas.

Alerta 

Nesta época do ano, com a chegada do inverno, férias e festas juninas, são registradas baixas nos estoques de sangue, que é indispensável em transfusões, cirurgias de grande porte e tratamento de doenças crônicas e câncer. Para se tornar um doador e ajudar quem precisa, basta ter mais de 50 quilos, ter entre 18 e 69 anos e estar em boas condições de saúde. E não se esqueça: no dia da doação, não ingira bebidas alcoólicas, não faça jejum e leve um documento com foto.

Quem está com febre, gripe ou resfriado, ou grávida não pode doar, bem como pessoas que usam alguns tipos de medicamentos; fizeram tatuagens ou piercings nos últimos 12 meses; passaram por alguma cirurgia nos últimos meses; tiveram hepatite até os 11 anos; tiveram malária ou têm evidências de hepatite B ou C, vírus HIV ou HTLV e doença de Chagas. Em caso de dúvidas, procure o hemocentro da sua cidade. Em Minas, você pode agendar a sua doação pelo site da Hemominas. Seja um doador!

com informações do Ministério da Saúde

#SaúdeECinema: Confira 5 filmes nacionais com o tema Saúde

Nesta terça-feira (19/06), é celebrado o Dia do Cinema Brasileiro. A data homenageia a primeira filmagem em terras brasileiras. A filmagem retrata uma “vista” da Baía de Guanabara, no estado do Rio de Janeiro, filmada pelo italiano Alfonso Segreto, em 1898.

Para comemorar a data, nós aqui do #BlogDaSaúdeMG te damos dicas de 5 filmes nacionais imperdíveis com a temática Saúde.

(Clique para ampliar)

1. O Renascimento do parto (Eduardo Chauvet, 2013)

O filme retrata a grave realidade obstétrica mundial e, sobretudo, brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias.

2. Nise – O Coração da Loucura (Roberto Berliner, 2016)

Nos anos 1950, uma psiquiatra contraria aos tratamentos convencionais de esquizofrenia da época e é isolada pelos outros médicos. Ela então assume o setor de terapia ocupacional, onde inicia uma nova forma de lidar com os pacientes, pelo amor e a arte.

3. Muito Além do Peso (Estela Renner, 2012)

No documentário, a cineasta Estela Renner analisa a qualidade da alimentação infantil e os efeitos da publicidade de alimentos.

4. A Loucura Entre Nós (Fernanda Vareille, 2016)

O filme-documentário traz uma reflexão sobre as fronteiras do que é considerado normal e loucura, ao dar voz para pessoas que lutam para resgatar suas conexões sociais após experiências em hospital psiquiátrico. Personagens, em sua maioria femininos, que exalam as contradições da razão e propõe um questionamento sobre conflitos internos, desejos e trajetórias.

5. Sob Pressão (Andrucha Waddington, 2016)

Um médico e sua equipe têm que realizar três cirurgias muito complicadas, a de um traficante, de um policial militar e de uma criança. O que complica o caso é que os três foram feridos no mesmo tiroteio em uma favela próxima ao hospital.

#Curiosidade: Qual é a relação entre o nosso cérebro e a disseminação de Fake News?

fake news_celular

O professor e pesquisador do Departamento de Neurociências da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Bruno Souza, foi à Escola de Saúde Pública do Estado de Minas (ESP-MG) na última quarta-feira (13/06) para ministrar uma palestra sobre os “Os impactos da Fake News na Ciência e na Saúde”. A atividade foi uma parceria das Assessorias de Comunicação Social da ESP-MG e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) com o objetivo de explicar o atual cenário de disseminação de notícias falsas, que impactam diretamente as informações para os cidadãos.

Em sua apresentação, o pesquisador explicou que o compartilhamento desse tipo de notícia está ligado diretamente ao condicionamento de nosso cérebro. “Nosso cérebro é o órgão mais falho de nosso corpo, devido ao que ele absorve, guarda e se condiciona. Optamos por acreditar nessas informações, ainda mais se elas estiverem carregadas de emoções”, diz.

  • Para ler a matéria completa no site da SES-MG, clique aqui.

Também conhecida como boatos ou notícias, as Fake News são informações publicadas de forma desonesta com a intenção de enganar e confundir as pessoas. No caso da saúde, gera sérios impactos para a população como contestar a eficácia de vacinas, levando muitas pessoas a não participarem das campanhas pontuais de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso, listamos algumas atitudes que impactam para a disseminação das Fake News:

#CopaDoMundo2018: 7 benefícios do esporte para a sua saúde!

Estamos em clima de Copa do Mundo, disputa internacional iniciada nesta semana, nessa última quinta-feira (14). Pensando nisso, que tal se inspirar: você já pensou em praticar futebol como atividade física? ⚽🤔

Esporte bastante complexo, o futebol envolve vários componentes da aptidão física ao longo de uma partida, como deslocamentos em baixa intensidade, tiros de corrida de intensidade alta, equilíbrio e coordenação motora.

Além de todos os benefícios à saúde física, o futebol benéfico para o humor e até melhora a sociabilização.

👉 Confira 7 benefícios do futebol para a sua saúde: