#VacinaSUS: Surto de poliomielite na Venezuela faz Brasil ficar alerta com a doença

By | 18 de junho de 2018
Crédito: Agência Brasil / EBC.

Crédito: Agência Brasil / EBC.

No início de junho, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) reportou um caso de poliomielite em uma criança indígena de dois anos no leste da Venezuela, país onde a doença viral foi erradicada há 29 anos. Por conta do grande fluxo de imigrantes pelas fronteiras brasileiras, as autoridades sanitárias passaram a destacar a importância da vacinação e alerta sobre os cuidados para prevenção da doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a OPAS ressaltam a necessidade de manter a cobertura vacinal para a poliomielite acima dos 95% e a importância de atualizar os planos nacionais de respostas a surtos de poliovírus. A vacina contra a poliomielite, também conhecida como VIP ou VOP, protege as crianças contra três tipos do vírus que causam a doença. Para alcançar a proteção é preciso ter tomado as cinco doses da vacina nos segundo, quarto, sexto e 15º mês, e a última aos 4 anos de idade.

O fato motivou a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou nota pública alertando para a necessidade de atenção redobrada diante da detecção de um surto de poliomielite na Venezuela. No documento, a entidade orienta pediatras e os demais profissionais de saúde a estarem atentos a possíveis casos de paralisia flácida aguda e adequada investigação.

Aqui no Brasil, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), desde de 2016, o Programa Nacional de Imunização (PNI) adota a Vacina Inativa da Poliomielite (VIP) para as três primeiras doses, aplicadas aos 2, 4 e 6 meses de idade. E para as duas doses de reforço, em crianças de 15 meses e quatro anos de idade, a vacina utilizada é a Vacinal Oral da Poliomielite (VOP). Em Minas, a cobertura vacinal geral contra a doença em 2017 foi de 83% em crianças menores de um ano e 74% para o reforço em crianças maiores de um ano. Em 2018, até o mês de maio, 67% do público prioritário recebeu a 3ª dose da vacina e 54% das crianças maiores de um ano receberam a dose do reforço.

  • Para ler a matéria completa no site da SES-MG, clique aqui.

 

 

 

Deixe uma resposta