#DeuNaMídia: Por que a vacinação contra o sarampo e a pólio é tão importante?

By | 25 de junho de 2018

sarampo_logo1

No último domingo, 24/06, foi ao ar, no Programa Fantástico, da Rede Globo, uma matéria sobre a importância de se vacinar as crianças contra sarampo e poliomelite.

O sarampo, antes erradicado no Brasil, tem registrado novos casos da doença. Segundo dados publicados pela Coordenação de Doenças e Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em 26 de março, a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima divulgou que existiam, nesta data, 141 casos suspeitos de sarampo, dos quais 29 casos foram confirmados pelo Estado. Eles informam que o Estado do Amazonas também encontra-se sob alerta, com 4 casos confirmados para a doença, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ).

Por isso, é muito importante estar atento(a) à prevenção dessa doença, que é realizada pela vacinação. Para a coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Eva Lídia Medeiros, “somente conseguimos eliminar o sarampo em nosso território devido às sucessivas ações de imunização. Portanto, aqueles que ainda não se vacinaram devem procurar uma unidade básica de saúde para atualizarem seu cartão”, afirmou. A coordenadora acrescentou ainda que o cartão de vacina é um documento que comprova a saúde vacinal da pessoa e, portanto, deve ser guardado com todo cuidado.

Em Minas Gerais, no ano de 2016, a cobertura para a vacina tríplice viral para crianças de um ano foi de 98,93% com uma dose da vacina, número considerado adequado para primeira dose. No entanto, com a segunda dose, a partir dos 15 meses, a cobertura foi de 88,38%, abaixo da meta mínima de 95% recomendada.

Doses

vacina contra o sarampo é segura e eficaz na prevenção da doença e é garantida a toda população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Tanto a tríplice viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, quanto a tetra viral, que protege contra o sarampo, a rubéola, a caxumba e a varicela (catapora), estão disponíveis em todas as unidades de saúde do estado.

Toda pessoa com até 29 anos de idade, que tiver apenas uma dose da vacina tríplice viral, deve receber uma segunda dose, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. Já as pessoas na faixa etária de 30 a 49 anos de idade devem ter, pelo menos, uma dose da vacina comprovada ao longo da vida. Aos viajantes, recomenda-se a atualização das vacinas antes de viajar, preferencialmente com 15 dias de antecedência.

Alerta

Assista, ao vídeo abaixo, gravado com o médico epidemiologista da Secretaria de Estado de Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG), José Geraldo Ribeiro, sobre a importância da vacina contra essa doença:

Deixe uma resposta