Monthly Archives: janeiro 2019

#Palestra: Funed promove atividade sobre clínica e manejo de serpentes em cativeiro

DxNyP3PXcAAh1Dz

No próximo dia 25, o Serviço de Animais Peçonhentos, da Diretoria Industrial da Fundação Ezequiel Dias (Funed), irá promover um encontro com três especialistas da área de peçonhentos para falar sobre a criação de serpentes em cativeiro.

A Dra. Kalena Barros da Silva, integrante do grupo de estudos em reprodução de Squamata (Butantan), irá palestrar sobre o tema que tem ganhado destaque tanto para realização de pesquisa cientificas, produção de soro antiofídico e até mesmo como pet não convencional. Assim, a palestra abordará quais são as técnicas de manejo adequadas, as medidas sanitárias necessárias para a prevenção de doenças e as principais enfermidades que acometem serpentes.

O encontro contará ainda, com a presença da Diretora do Laboratório de Ecologia e Evolução do Instituto Butantan, Selma Almeida Santos, e a pesquisadora integrante do grupo de pesquisa Squamata, Rafaela Zani Coeti, que estarão presentes na palestra para sanar as dúvidas referentes ao assunto.

A palestra acontece na sexta-feira, 25/1, às 9h, no Auditório Central.

As vagas são limitadas e para realizar a inscrição clique aqui.

#SaúdeNaCozinha: Como inserir mais fibras na alimentação?

Você sabia? As fibras são alimentos que auxiliam no funcionamentos do intestino, aumentam a sensação de saciedade, favorecem a diminuição de colesterol e triglicérides, e tornam mais lenta a absorção de glicose. Esse tipo de alimento é muito versátil e pode ser inserido em todas as refeições principais: café da manhã, almoço, jantar e também nos lanches. Por isso, nada melhor do que começar a semana conhecendo um pouco mais sobre esse tipo de alimento. Que tal?

 

#Saúde Na Cozinha: Higiene no preparo de alimentos evita contaminação por salmonella

Ovos, leites, carnes ou frutos do mar. Todos estes alimentos podem conter salmonella, bactéria que oferece sérios riscos à saúde por agir de forma rápida no organismo, provocando sintomas como febre, náusea, diarreia, dores abdominais, calafrios e mal-estar.

A salmonella é a bactéria mais frequente nos surtos de infecções alimentares, diarreias e gastroenterites, representando 14,4% dos quase 220 mil casos entre 2000 e 2015, segundo dados do Ministério da Saúde.

A melhor maneira de evitar a salmonella é estar atento(a) ao consumir alimentos fora do ambiente domiciliar, além de ter hábitos de higiene no preparo das refeições, optando sempre por comidas frescas ou refrigeradas de forma adequada. Todo cuidado é pouco na prevenção, ainda mais nesse período de calor intenso. Saiba quais são sintomas e como tratar:

 

#FiqueLigado@: Hospital da Unimontes abre inscrições para 45 vagas em residência multiprofissional

O Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), está com inscrições abertas para os seus programas de residência multiprofissional na área da saúde. São oferecidas 45 vagas na Residência Multiprofissional em Saúde da Família e em Saúde Mental e na Residência de Enfermagem em Obstetrícia (polos de Montes Claros), além de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade (Polo Taiobeiras).

As vagas são voltadas para graduados em cinco cursos: Enfermagem, Odontologia, Psicologia, Farmácia e Serviço Social. As inscrições prosseguem até o dia 25 de janeiro, somente pelo formulário eletrônico no site do processo seletivo, no qual também pode ser acessado o edital completo dos programas de residência.

O processo seletivo será dividido em duas etapas: prova objetiva de conhecimentos específicos (classificatória); e análise curricular e documental (classificatória e eliminatória). O início das atividades dos programas de residência está previsto para 1º de março.

#Mobilização: Muro Inteligente ajuda a combater o Aedes aegypti em Minas Gerais

Créditos: Blog da Saúde

Créditos: Blog da Saúde

A coleta seletiva tem um importante papel para preservação do meio ambiente. Afinal, resíduos sólidos reciclados deixam de ser lixo e viram matéria prima novamente. Além disso, a prática também faz bem para saúde. Afinal, dar a destinação correta para o lixo é eliminar objetos que podem acumular água e se tornar criadouros do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

Pensando nisso, uma iniciativa da cidade de Pedro Leopoldo, em Minas Gerais, criou um modelo diferente de incentivar a coleta de material reciclado: os muros inteligentes. Criado em 2013, o projeto propõe muros pela cidade, geralmente em escolas, com buracos onde o material deve ser depositado, com desenhos de grafite indicando o espaço para cada tipo de material: papel, plástico, vidro, metal, pet.

Atrás dos muros existem gaiolas que comportam o material depositado e facilitam o recolhimento pelos catadores da cidade. A presença dos muros pela cidade tem contribuído para a mudança de hábito da população quanto ao descarte correto do lixo e ao combate ao Aedes aegypti.

Encontrando a solução para um problema local

De acordo com a coordenadora da Rede Comunitária em Ação (Recoa), rede responsável pelo projeto, Márcia Lopes, a iniciativa nasceu de um projeto que capacitou 13 associações locais, entre elas a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Pedro Leopoldo, que trouxe a visão da importância da coleta seletiva para a cidade. “Quando analisamos o cenário, percebemos que o que mais aparecia como um problema da cidade eram os resíduos sólidos, o lixo descartado de forma incorreta. Percebemos que a maioria desses resíduos eram recicláveis e decidimos desenvolver um projeto coletivo nesse sentido”, conta.

Para resolver um problema comum a todos, nasceu o Muro Inteligente. “Com parceria da prefeitura, começamos o projeto nas escolas da cidade e queríamos que os alunos fizessem parte disso tudo, como proprietários e guardiões dos muros”, explica a coordenadora.

E a ideia deu certo. Atualmente há 14 Muros Inteligentes instalados em diferentes pontos da cidade. A participação da sociedade é fundamental para o sucesso da iniciativa. “Trabalhamos com algumas frentes, como oficinas de grafite para os jovens e a realização de palestras sobre sustentabilidade. As crianças e os jovens são responsáveis pelos grafites que colorem cada um dos muros e com isso temos um processo de empoderamento. Eles cuidam dos muros nas escolas e também incentivam as famílias a descartarem o lixo de forma correta”, celebra Lopes.

Por Blog da Saúde

#FiqueLigad@: Hemominas em Divinópolis altera horário de funcionamento

A Fundação Hemominas informa que, a partir da próxima semana, o Hemonúcleo de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, não realizará atendimento ao candidato à doação de sangue às terças-feiras. A alteração do funcionamento será necessária para que a equipe local possa fazer o atendimento aos pacientes do ambulatório.

O horário de funcionamento da unidade ao doador de sangue será mantido nos demais dias: às segundas, quartas, quintas e sextas-feiras, de 7 às 10h. Para maior conforto dos doadores, a Fundação Hemominas sugere que seja realizado o agendamento prévio da doação.

#SaúdeNaCozinha: Qual o tipo de queijo mais saudável?

Crédito: James Gathany | CDC

Crédito: James Gathany | CDC

Para saber o tipo de queijo mais adequado, o ideal é consultar a tabela nutricional e a lista de ingredientes para escolher os menos calóricos e com menores teores de gordura e sódio

#Curiosidade: Conheça mais sobre as bebidas isotônicas

Banco de imagem PixaBay

Banco de imagem PixaBay

Se você pratica alguma atividade física, com certeza já ouviu falar, ou conhece alguém que consome as bebidas isotônicas. Msa, o consumo desse tipo de bebida deve ser feito com moderação e sempre com orientação de um profissional de saúde. Por serem à base de água e sais minerais como sódio e potássio, têm concentração semelhante ao suor, e alguns contém ainda carboidrato e aromatizantes.

É importante saber que os isotônicos auxiliam no caso de atletas que fazem atividade intensa, como corrida, triatlo e ciclismo com mais de uma hora e meia de duração, e assim, é recomendada a reposição de sais minerais perdidos nessas atividades.

Por isso, “a ingestão de isotônicos deve sempre ser orientada por um profissional de saúde, pois devem ser consideradas variáveis como o tipo de atividade realizada, a intensidade, a temperatura, entre outros fatores. Além disso, devem ser verificadas a ocorrência de doenças como hipertensão, doenças cardiovasculares ou renais, em que a ingestão pode não ser indicada”, ressalta Nathália Beltrão, referência técnica da Coordenadoria de Alimentação e Nutrição da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Para quem realiza atividades leves a moderadas, não há necessidade da ingestão dessas bebidas. Nesses casos, uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados, e a ingestão de água já são suficientes para repor os líquidos e sais minerais perdidos durante o exercício.

 

#SaúdeNaCozinha: Tamanho exagerado de porções em restaurantes contribui para obesidade

Créditos: Agência Brasil

Créditos: Agência Brasil

Por Agência Brasil

O tamanho das porções de comida servidas em restaurantes populares contribui para o aumento da obesidade. A conclusão é de um estudo que pesou e mediu o valor calórico de uma refeição completa, em cinco países: Brasil, China, Finlândia, Gana e Índia. Excetuando a refeição chinesa, o volume calórico por prato feito (PF), como se diz no Brasil, chega a ser, em média, 33% maior do que a de um lanche de fast food (comida rápida).

O consumo das porções servidas em restaurante populares fornece entre 70% e 120% das necessidades calóricas diárias para uma mulher sedentária, cerca de 2 mil quilocalorias (kcal).

“Os profissionais da área da saúde que lidam com pessoas obesas estão muito preocupados em orientar a população para não comer fast food, mas, na hora que vai ver a refeição completa, ela também está exagerada”, afirma a pesquisadora brasileira Vivian Suen, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

O trabalho, coordenado pela Tufts University e com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi publicado no British Medical Journal.

Na média, os fast foods ofereciam refeições com 809 calorias, enquanto as servidas à la carte (que constam do cardápio), 1.317 kcal. A pesquisadora alerta que o resultado não indica que o fast food é uma refeição mais saudável, pois não foi analisado cada nutriente, mas chama a atenção para o PF, que poderia ser uma refeição equilibrada e que, na verdade, está contribuindo para o ganho de peso.

Além da quantidade de comida oferecida pelos restaurantes em uma única refeição, também foram percebidos preparos que fazem aumentar o ganho calórico. Vivian cita como exemplo o arroz, que comumente está brilhante, indicando cozimento com excesso de óleo.

“O estudo não focou na qualidade, mas podemos dizer que tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo, essa alimentação não é saudável. Precisa prestar atenção nesse prato feito, que é uma refeição completa, mas que não está sendo saudável”, alertou. Os dados mostram que 94% os pratos à la carte e 72% dos servidos em fast foods continham mais de 600 kcal, mais que o consumo energético por refeição recomendado pelo Sistema de Saúde Pública da Inglaterra (NHS).

O estudo mediu as calorias de 223 amostras de pratos populares e de 111 refeições escolhidas aleatoriamente à la carte e de fast foods de restaurantes de Ribeirão Perto (Brasil), Pequim (China), Kuopio (Finlândia), Acra (Gana) e Bangalore (Índia). Eram considerados restaurantes que ficam a um raio 25 qiuilômetros de cada centros de pesquisa.

Conforme as medições, o tradicional PF brasileiro, com arroz, feijão, frango, mandioca, salada e pão, tem 841 gramas e 1.656 kcal. O clássico ganês fufu, com carne de bode e sopa, tem 1.105 gramas e 1.151 kcal. O típico prato indiano biryani de carneiro tem 1.012 gramas e 1.463 kcal.

Organismo resiste

A obesidade é considerada uma epidemia global pela OMS. Estima-se que 1,9 bilhão de adultos tenham sobrepeso, dos quais 600 milhões estão obesos. “Diabetes, colesterol aumentado, aumento do triglicerídeos, pressão alta, tudo isso que a gente sabe que acompanha a obesidade quando ela se torna uma doença crônica”, destaca Vivian.

A pesquisadora explica que as porções exageradas têm efeito no chamado mecanismo compensatório. “São pessoas que não conseguem compensar numa refeição seguinte o que ela comeu antes. O organismo do obeso desenvolve defesas contra perda de peso.”  Segundo Vivian, a pessoa obesa perderia a percepção para regular a quantidade de comida necessária para a refeição subsequente.

Outro problema é que o organismo de pessoas obesas cria resistência à perda de peso. De acordo com a pesquisadora, que há casos descritos na literatura médica em que, à medida que se reduz a ingestão calórica, a pessoa em tratamento começa a gastar menos calorias. “Parece que o organismo, a partir de certo peso, tenta manter o peso que tinha antes. Ninguém sabe explicar ainda como é que isso realmente funciona.”

Vivian diz que o melhor é prevenir o ganho de peso. “Se você vai a um desses restaurantes em que a porção é excessiva, divida. Não coma tudo. E tente, dentro daquilo que existe disponível, escolher as opções mais saudáveis. Depois que a pessoa ganha peso é muito difícil perder”, recomenda a pesquisadora, que aconselha ainda mudanças no ato de comer, como mastigar devagar e dar mordidas menores na comida.

#VerãoSaudável: Calor pode provocar queda de pressão, saiba como evitar:

Foto: Carol Morena.

Foto: Carol Morena.

Tempo quente, úmido e abafado. Nesta época do ano, algumas pessoas costumam se sentir mais fracas e sonolentas. Mas é preciso ter atenção. Isso porque esses sintomas podem ser sinais de problemas na pressão arterial, que tende a cair com o calor intenso e até provocar desmaios. Algumas medidas, no entanto, devem ser tomadas para manter a saúde e o bem-estar em dia durante o verão.

A queda na pressão arterial em situações de calor é causada pela dilatação dos vasos sanguíneos da pele. Isso ocorre devido à necessidade de dissipar o calor interno, trazendo-o para a superfície do corpo, para que aí seja dissipado para o ambiente. Esses episódios ocorrem mais frequentemente em ambientes quentes e com alta umidade relativa do ar.

“Se a dilatação dos vasos da pele for muito intensa, pode haver menor retorno de sangue da periferia para o coração, o que reduz a capacidade cardíaca de manter a pressão arterial”, explica o professor aposentado da Faculdade de Medicina, Luiz Oswaldo Rodrigues, atualmente convidado da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Educacional (EEFFTO) da UFMG.

A dilatação intensa afeta a circulação cerebral, que precisa de uma pressão mínima de 80 mmHg para seu funcionamento normal. Quando a pressão arterial cerebral fica abaixo desse nível, aí que vem os sintomas já conhecidos: escurecimento da vista, tontura e o desfalecimento, com queda ao solo geralmente de forma suave.

“Assim que a pessoa cai, o sangue que estava na periferia, especialmente nas pernas, retorna ao coração, o bombeamento se torna mais eficiente, a pressão arterial se normaliza no cérebro e a pessoa recupera a consciência”, esclarece o professor.

Ele dá algumas dicas para a recuperação

  • Deixar a pessoa deitada no chão (se isto significar um risco adicional – trânsito, por exemplo – removê-la deitada);
  • Elevar as pernas da pessoa acima do seu coração;
  • Refrescar o corpo com o que for possível (compressas de gelo, água fria, ar condicionado, ventilador);
  • Observar se outros sintomas aparecem.

Como medidas preventivas, o professor orienta a prática regular de exercícios físicos, aclimatação ao calor em saunas, hidratação regular e a evitar ambientes quentes e úmidos.

As dicas valem, principalmente, para pessoas sedentárias, com alterações neurológicas, problemas cardíacos e idosos, que estão mais propensas a terem redução na pressão arterial durante o verão.

Fonte: Faculdade de Medicina UFMG

#DoeSangue: Conheça o passo a passo, do agendamento ao resultado, e saiba como se tornar um doador

Doação-de-sangue-01

Se você já doou sangue uma vez ou até mesmo é um doador frequente deve conhecer todo o passo que envolve a doação de sangue. Porém, se você nunca doou e ainda não o fez por não saber como fazê-lo ou acredita que o procedimento é muito complexo, o Blog da Saúde MG explica tudo o que você deve fazer para se tornar um doador e salvar vida; confira:

1. Agende seu atendimento

Você pode fazê-lo online, no site da Fundação Hemominas, por telefone no LigMinas 155 e também pelo aplicativo MG App, disponível para Android, IOS e para Windows Phone.

#FiqueLigado: guarde o número de protocolo para consultar ou cancelar seu agendamento.

2. Compareça à Unidade agendada

No local escolhido no agendamento, o doador irá informar seus dados pessoais e receberá um código que o acompanhará durante todo o processo de doação. Na unidade, receberá informações sobre o processo de doação de sangue e fará alguns procedimentos, como cadastro e triagens clínica e hematológica (clique aqui e saiba mais).

O candidato à doação recebe um lanche e um suco antes da coleta do sangue, e essa é feita utilizando-se de material totalmente descartável, estéril e de uso único. O procedimento é realizado por profissionais altamente capacitados e com segurança. A doação dura cerca de 10 minutos. Serão coletados em torno de 450 ml de sangue e amostras para realização de exames laboratoriais obrigatórios.

Após a doação, o doador será encaminhado para um lanche para auxiliar na sua hidratação e repor o volume doado. Deve permanecer no banco de sangue por aproximadamente 15 minutos após a doação e deixar o local somente se estiver se sentindo bem.

O tempo estimado para todas as etapas do ciclo é em torno de uma hora e trinta minutos (1h30).

Hospital do Subúrbio completa um ano de funcionamentoNa foto: Doação de sangue no Hemoba - Hospital do SubúrbioFoto: Carol Garcia / SECOM

Foto: Carol Garcia / SECOM

3. Retire o Resultado

O resultado da doação de sangue somente pode ser retirado pelo próprio doador na unidade da Hemominas onde doou, após 30 dias da data da doação. Caso seja necessário repetir algum dos exames de triagem do sangue, o doador receberá uma carta convidando para comparecer à unidade em que doou o sangue para coleta de nova amostra. Não deixe de comparecer, caso receba.

doação de sangue_2016