Monthly Archives: janeiro 2019

#JaneiroRoxo: Teste seus conhecimentos acerca de mitos e verdades sobre a Hanseníase

A divulgação dos sinais e sintomas da hanseníase, bem como de seu tratamento e cura, é uma importante estratégia para identificar, tratar e curar a doença, desmitificando mitos e preconceitos existentes por falta de informação.

Que tal testar seus conhecimentos sobre a hanseníase?

#Mobilização: Defesa Civil organiza as doações para Brumadinho

Créditos: Divulgação Servas

Créditos: Divulgação Servas

A Defesa Civil do Estado de Minas Gerais informa que, no momento, o número de doações destinadas às vítimas do rompimento da Barragem em Brumadinho são satisfatórias.

Os donativos chegaram de diversas regiões do estado e do Brasil e o excedente recebido será encaminhado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (SERVAS) às instituições sociais do Estado. Serão priorizadas  áreas de vulnerabilidade sócio-ambiental.

#ViajanteSaudável: Certificado Internacional de Vacinação já pode ser emitido de forma digital

Quem pretende viajar para o exterior precisa se atentar, com antecedência, para uma providência de extrema importância: checar se o país de destino exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) e quais são as vacinas exigidas. A novidade agora é que a solicitação, acompanhamento e o recebimento do certificado têm trâmite totalmente digital. Antes, para receber o CIVP, o cidadão precisava comparecer a uma unidade credenciada, o que muitas vezes exigia grandes deslocamentos. Agora, o certificado pode ser emitido e impresso em qualquer lugar do mundo.

Saiba como proceder para solicitá-lo:

#Brumadinho: Quais são as orientações da SES-MG em relação ao consumo de água e alimentos?

Créditos: Ricardo Stuckert

créditos: Ricardo Stuckert

O contato com a lama ou com os rejeitos de mineração decorrentes do rompimento da barragem, no município Brumadinho, em 25/01/2019, podem ser prejudiciais à saúde. Por isso, veja abaixo as orientações da SES-MG e do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) acerca do consumo de alimentos e água:

  • Não consumir alimentos que tenham tido contato com a lama, incluindo alimentos embalados, enlatados ou alimentos perecíveis (como frutas, legumes e verduras);
  • Evitar contato com a água do Rio Paraopeba atingido pela lama, tanto para consumo (ingestão, preparação de alimentos, higiene) ou para recreação;
  • Não pesque ou consuma peixes provenientes do Rio Paraopeba;
  • Ressaltamos que água tratada pela COPASA, não apresenta risco para saúde humana. Mais detalhes em: www.copasa.mg.gov.br;
  • Se você teve contato com a água, lama ou alimentos contaminados e apresentar os seguintes sintomas: vômitos, coceira, tonteira, diarreia, procure a unidade de saúde mais próxima e informe à equipe de saúde sobre o contato;

Dia da Visibilidade Trans: acolher a diversidade faz bem à saúde

por Coordenação de Políticas de Promoção da Equidade em Saúde

Marcelo Sant'Anna | Imprensa MG

Marcelo Sant’Anna | Imprensa MG

Idealizada pelo movimento de travestis, mulheres e homens transexuais, foi lançada em 29 de janeiro de 2004 pelo Ministério da Saúde a campanha “Travesti e Respeito”, a primeira contra a transfobia no país. Desde então a data foi consagrada como o Dia da Visibilidade Trans, representando a luta pelos seus direitos, principalmente pelo respeito e reconhecimento de suas existências na sociedade.

A relevância do Dia da Visibilidade Trans se justifica pela exposição dessa população a “agravos decorrentes do estigma, dos processos discriminatórios e de exclusão social que violam os direitos humanos, dentre eles o direito à saúde, à dignidade, à não-discriminação, à autonomia e ao livre desenvolvimento” (Painel Temático nº5). A discriminação social acarreta diversos efeitos nocivos à saúde física e mental dessas pessoas e pode levá-las à uma condição de estresse crônico e ao isolamento social. Este cenário de vida, marcado por inúmeras dificuldades e violências, se expressa em taxas mais altas de depressão, ansiedade, tabagismo, abuso de álcool e de outras substâncias, além de um alto índice de suicídios. Uma das mais graves evidências da situação de extrema vulnerabilidade em que a população trans se encontra é o número de assassinatos cometidos contra travestis e transexuais. O Mapa dos Assassinatos de Travestis e Transexuais no Brasil em 2017, produzido pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), aponta a ocorrência de 179 homicídios relacionados à transfobia no ano de 2017. Isso significa que uma pessoa trans é morta no país a cada 48 horas.

A desvinculação a uma série de serviços de saúde e acolhimento também é um fator de agravamento da qualidade de vida e saúde das pessoas travestis e transexuais. Muitas delas deixam de procurar os serviços de saúde com receio de sofrerem discriminações e constrangimentos, criando assim uma resistência ao serviço e recorrendo à automedicação. Diante disso, é fundamental que profissionais da saúde reflitam sempre sobre a sua conduta a partir dos princípios preconizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS): universalidade, integralidade e equidade, e busquem romper com julgamentos morais e atitudes discriminatórias. Adotar uma postura aberta às diferenças humaniza e qualifica o atendimento, e possibilita a adesão ao cuidado e aos serviços de saúde.

Pensando nisso, a articulação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) com a sociedade civil através do Comitê Técnico de Saúde Integral LGBT, conduzido pela Coordenação de Políticas de Promoção da Equidade em Saúde, possibilitou a aproximação com as pautas e necessidades dessa população, a disseminação das discussões e capacitação de profissionais de saúde das regionais do estado, bem como o fortalecimento do controle social. Um dos resultados desse trabalho foi a construção de um Webseminário sobre Saúde Integral da População LGBT, em parceria com a plataforma Telessaúde – UFMG, que pode ser acessado neste link.

Outras grandes conquistas foram as articulações que viabilizaram a habilitação do Ambulatório do Hospital das Clínicas de Uberlândia no Componente Atenção Especializada no Processo Transexualizador, e a abertura do Ambulatório Anyky Lima do Hospital Eduardo de Menezes – Rede Fhemig. O objetivo deste ambulatório é garantir o acesso à atenção especializada que contemple todas as especificidades e individualidades da população transexual e travesti, oferecendo um serviço integral de cuidado, com atendimento seguro e humanizado, respeito ao nome social, acompanhamento clínico multidisciplinar pré e pós-operatório, bem como procedimentos para hormonioterapia. A equipe é composta por psiquiatra, endocrinologista, clínico-geral, enfermeiro, psicólogo e assistente social.

Atualmente o estado de Minas Gerais não possui serviço habilitado no componente hospitalar, que inclui a realização de cirurgias e acompanhamento pré e pós-operatório. Portanto, os dois serviços em funcionamento no estado, na modalidade ambulatorial, são os seguintes:

  • Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia: o serviço atende às sextas-feiras a partir das 14:00 horas, e pode ser feito contato através dos telefones (034) 3218-2153 / 3218-2292.
  • Hospital Eduardo de Menezes – Rede Fhemig: o serviço realiza atendimentos às quintas-feiras, de 08:00hrs às 13:00hrs, e pode ser feito contato através do telefone (31) 3328-5055.

O Dia da Visibilidade Trans representa uma oportunidade importante não só para evidenciar e denunciar as inúmeras violações de direitos, mas também destacar avanços e conquistas decorrentes do engajamento de diversos atores. Todas e todos têm direito ao acesso a saúde de forma integral, humanizada e livre de toda forma de discriminação! A saúde pode ajudar a combater as transfobias e demais formas de violência contra a população LGBT, sendo promotora de cidadania.

#DeuNaMídia: Coordenadora de Dermatologia Sanitária da SES-MG concede entrevista sobre hanseníase

Em alusão à Semana Mundial de Enfrentamento à Hanseníase, a Coordenadora de Dermatologia Sanitária da SES-MG, Maria do Carmo Miranda concedeu entrevista ao Bom Dia Minas, da TV Globo Minas sobre a situação da hanseníase em Minas, oportunidade em que deu um panorama sobre o diagnóstico de novos casos no Estado e a importância do diagnóstico precoce. Na entrevista, Maria do Carmo também desmitificou preconceitos ainda persistentes em relação à doença, e que desafiam o enfrentamento à hanseníase.

#JaneiroRoxo: UNA-SUS oferece curso “Hanseníase na Atenção Básica” em modalidade EaD

ead_sus_2019

Estão abertas as inscrições para o curso à distância “Hanseníase na Atenção Básica”, oferecido pela Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS), em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz – Brasília. Com carga horária de 45 horas, a oferta é voltada preferencialmente a profissionais de saúde atuantes da Atenção Básica, mas também é aberta aos demais interessados no tema.

O objetivo do curso é preparar profissionais de saúde para atuarem no controle da transmissão da hanseníase e diminuir as incapacidades causadas pela doença. Nesse contexto, o curso ressalta a importância do diagnóstico oportuno e do efetivo controle de contatos. O curso é dividido em três unidades: vigilância; diagnóstico e; acompanhamento da hanseníase na Atenção Básica.

O conteúdo conta também com casos clínicos transversais, que abrangem e integram os aspectos de controle da doença. O curso Hanseníase na Atenção Básica é oferecido pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), por meio da Secretaria Executiva da UNA-SUS.

Para matrícula e mais informações, clique aqui.

#VoltaÀsAulas: O que é importante saber na hora de comprar o material escolar?

Com a proximidade do retorno à rotina escolar, é hora das compras dos novos materiais escolares. Mas, essa escolha deve ir além da pesquisa de preço. É preciso estar atento(a) para escolher com cuidado produtos que não levarão riscos às crianças. Por isso, o Blog da Saúde MG preparou algumas dicas para te ajudar nesse momento. Veja abaixo:

Com informações do Blog da Saúde

#MitoOuVerdade: INCA lança cartilha sobre dietas restritivas para pacientes oncológicos

Todos os dias, as redes sociais são inundadas por informações sobre alimentos milagrosos ou vilões da vida saudável. Para os pacientes com câncer, essas informações podem causar confusão e estimular práticas perigosas. Em vista da divulgação na internet de dietas restritivas sem respaldo científico, as seções de Nutrição e Dietética das Unidades Assistenciais e a Coordenação de Prevenção e Vigilância do Instituto Nacional do Câncer (INCA) decidiram elaborar uma cartilha de orientação a pacientes e divulgar o posicionamento oficial do Instituto sobre o tema.

Durante o fórum “Dietas restritivas em oncologia: tem fake news na ciência”, o Instituto orientou profissionais e pacientes a não recomendarem nem seguirem as dietas detox, alcalina, low carb e nem cetogênica, já que ainda não existem evidências científicas de que possuam efeito benéfico durante o tratamento de câncer.

Assista aos principais trechos do evento na TV INCA:

E acesse a cartilha: Dietas Restritivas e Alimentos Milagrosos Durante o Tratamento do Câncer: Fique fora dessa!

#Curiosidade: Como saber se uma informação é fakenews?

Tomar água gelada provoca entupimento das veias e provoca infarto! Usar o celular causa câncer no olho! Quem já recebeu essas mensagens levanta a mão!!! As Fake News, termo em inglês que significa notícias falsas, tem ganhado cada vez mais força nas redes sociais – seja no Facebook, WhatsApp, Twitter e YouTube. Muitas pessoas compartilham essas informações com muita rapidez, em todos seus grupos de contatos, sem se dar conta de que são informações de fonte segura.

Mas, que tal começar a prestar mais atenção e refletir sobre essas informações antes de sair compartilhando tudo por aí? Por isso, veja nossas dicas para identificar uma fakenews e confira nossa nova série sobre o tema:

  • Avalie a fonte, o site, o autor do conteúdo.

Muitos sites publicadores de fake News têm nomes parecidos com endereços de sites de notícias. Portanto, avalie o endereço e verifique se o site é confiável, missão. Também veja se outros conteúdos do site também são duvidosos.

  • Avalie a estrutura do texto

Site que divulgam fake News costumam apresentar erros de português, de formatação, letras em caixa alta e uso exagerado de pontuação.

  • Preste atenção na data da publicação

Veja se a notícia ainda é relevante e está atualizada.

  • Leia mais que só o título e o subtítulo

Leia a notícia até o fim. Muitas vezes, o título e o subtítulo não condizem com o texto.

  • Pesquise em outros sites de conteúdo

Duvide se você receber uma notícia bombástica que não esteja em outros sites de notícia.

  • Veja se não se trata de site de piadas

Alguns sites de humor usam da ironia para fazer piada.

  • Só compartilhe após checar se a informação é correta

Não compartilhe conteúdo por impulso. Você é responsável pelo o que você compartilha.

#FiqueLigado: Acidentes com animais peçonhentos aumentam durante período chuvoso

Acidentes com animais como escorpião, cobra, formiga, abelha, vespa, marimbondo, lagartas, lacraia e aranhas costumam aumentar tanto em áreas urbanas, quanto rurais durante o período chuvoso e quente. Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) orienta a população em relação aos riscos.