Monthly Archives: maio 2019

#Enani: Ministério da Saúde bate à porta para falar sobre alimentação de crianças

picnic-2659214_1920

Banco de Imagem Pixabay

O Ministério da Saúde começou a bater à porta de 15 mil domicílios brasileiros em 123 municípios que abrigam crianças menores de 5 anos de idade. Esses lares foram selecionados para participarem do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (ENANI), que busca mapear a situação de saúde e nutrição de crianças em todo o país, com informações detalhadas sobre hábitos alimentares, crescimento e desenvolvimento. Essas informações ajudarão na construção de políticas públicas e estratégicas de promoção da saúde.

Diante da importância desta ação, o Ministério da Saúde alerta a toda a população para a circulação de informações falsas, que buscam desacreditar a iniciativa. Por isso, gestores de saúde devem dar suporte às equipes e promoverem ações de esclarecimentos e conscientização sobre a importância do levantamento para direcionar as políticas públicas voltadas à alimentação e nutrição de crianças.

Os pesquisadores que estão indo aos lares brasileiros estão identificados com camisas e crachás com o nome e a fotografia, além do logotipo do Ministério da Saúde. Assim que chegar no local, o entrevistador explicará os procedimentos e entregará um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, com detalhes da pesquisa e orientações de como entrar em contato com a coordenação para tirar dúvidas, incluindo a opção gratuita de ligar para o telefone 0800 808 0990. A participação é voluntária e os dados são sigilosos.

Conheça a pesquisa Enani sobre alimentação e nutrição

A pesquisa de campo é coordenada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e foi encomendada pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Sessenta pesquisadores são parceiros deste levantamento.

Ao bater à porta, os agentes realizam um questionário, verificam medidas de peso e altura das crianças e das mães biológicas e, ainda, coletam uma amostra de sangue das crianças com mais de seis meses de vida para avaliação de 14 micronutrientes (ferro, vitamina A, D, minerais zinco e selênio, entre outros).

Também são levantadas informações sobre amamentação, doação de leite humano, consumo de suplementos de vitaminas e minerais, habilidades culinárias, ambiente alimentar e condições sociais da família.

O ENANI é trabalhado em três grandes blocos temáticos: consumo alimentar, antropometria e indicadores bioquímicos. As informações vão permitir avaliar o crescimento e desenvolvimento e deficiências de nutrientes nas crianças menores de cinco anos.

A coleta de dados acontecerá em diferentes estados, se estendendo até outubro. Os primeiros foram Espírito Santo; Rio de Janeiro; Bahia; Rio Grande do Sul; Minas Gerais, Mato Grosso do Sul; Rio Grande do Sul; e Santa Catarina. 

Com informações do Ministério da Saúde

#Podcast: Uso correto de antibiótico é tema do “Fiocruz no Ar”

com Icict | Fiocruz

Dentre as várias causas que levam à resistência antimicrobiana estão a ingestão incorreta do medicamento e o não respeito aos horários de uso indicado pelos médicos. Por isso, o tema deste podcast do projeto Fiocruz no Ar, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é Uso correto do antibiótico. Nele, o farmacêutico Orlando Neto, do Hospital Central da Aeronáutica e aluno de doutorado do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), explica como se deve tomar o antibiótico e os riscos de uma ingestão inadequada, como, por exemplo, com leite ou suco, ou fora dos horários estabelecidos pelo médico.

Ação mundial
No final de abril, o Grupo da Coordenação Interagências para a Resistência Antimicrobial (da sigla em inglês IACG) enviou o relatório No time to wait: Securing the future from drug-resistant infections (“Não há tempo para esperar: protegendo o futuro de infecções resistentes a drogas”) ao Secretário Geral das Nações Unidas, alertando que os países tomassem medidas urgentes para a questão da resistência antimicrobriana, que poderá matar, a partir de 2050, dez milhões de pessoas por ano e trará problemas econômicos a todas as nações.

#SaúdeELiteratura: REDESCOLA publica livro sobre formação em Saúde Pública com capítulo da ESP-MG.

Imagem_livro_Redescola
Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública – REDESCOLA publicou o livro “Nova Formação em Saúde Pública: Aprendizado coletivo e lições Compartilhadas na RedEscola” com as experiências da formação de sanitaristas, em cursos de especialização, em dez estados brasileiros. A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais – ESP-MG apresenta, em um dos capítulos da publicação, o percurso formativo do Curso de Especialização em Saúde Pública da Instituição.
Os conteúdos do livro retratam o desenvolvimento e a consolidação das vivências acumuladas pelas instituições formadoras, com ênfase em processos inovadores, desafios e acolhimento das demandas em cada território. No capítulo “Construindo percursos formativos em Saúde Pública: a experiência do Curso de Especialização da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais” os docentes, autores, da ESP-MG relatam as experiências em duas edições da formação realizadas entre os anos de 2016 e 2018. No relato, o processo seletivo, a construção metodológica e pedagógica dos módulos, o perfil dos egressos e as potencialidades do curso são os destaques.
Ao todo, os cursos de Especialização em Saúde Pública em parceria com a REDESCOLA, apresentados no livro, formaram 610 alunos nos 10 territórios. Além da ESP-MG em Minas Gerais, as experiências das Escolas da Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Tocantins e Acre foram retratadas na publicação.
A Especialização em Saúde Pública da ESP-MG
Ofertado desde 1947, o Curso de Saúde Pública é a formação mais tradicional da ESP-MG. Em 2017, o curso recebeu da agência de Acreditação Pedagógica vinculada à Associação Brasileira de Saúde Coletiva – ABRASCO, o certificado de excelência na formação de sanitaristas no Sistema Único de Saúde.
Por Jean Alves / ESP-MG

#MaioAmarelo: Por que essa campanha é importante?

O mês de maio é também conhecido como Maio Amarelo, que é um movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito. A cor da campanha simboliza atenção e também a sinalização e advertência no trânsito.

Em 2019, o tema escolhido é  No trânsito, o sentido é a vida e propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações, além de uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo a todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais seguro.

No Sistema Único de Saúde (SUS), os acidentes de trânsito são responsáveis por uma das principais causas de internações e óbitos no país, contribuindo para a diminuição da expectativa de vida da população.

Os acidentes de trânsito são, de fato, uma questão importante de saúde pública, e não apenas uma decorrência da mobilidade veicular. Promover uma cultura de paz no trânsito, ampliar as atitudes pessoais e a capacidade da comunidade de melhorar as condições físicas e psicossociais nos espaços onde as pessoas vivem, estudam, trabalham e se divertem, ou seja, onde a vida transita, reduziriam as admissões hospitalares e a gravidade dos traumas. O setor também ganharia se – com a garantia de condições mais seguras para pedestres e ciclistas – mais pessoas adotassem o hábito saudável de caminhar ou andar de bicicleta, sem temer pela própria vida.

Por isso, é importante conhecer e praticar ações que promovam um trânsito mais saudável. Saiba quais são elas no site Vida no Trânsitowww.saude.mg.gov.br/vidanotransito

Veja abaixo nossa galeria de imagens sobre o tema:

Com informações do site https://maioamarelo.com/.

#Mobilização: cursos de saúde do Izabela Hendrix realizam ações para promoção da saúde

com Instituto Metodista Izabela Hendrix 

77fd37e1-c81b-4464-bfbc-871fbfee70db

Os cursos de saúde do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix realizaram, no dia 5 de abril, uma ação de extensão para celebrar o Dia Mundial da Saúde. A ação, que envolveu os cursos de Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Psicologia, teve o objetivo conscientizar a comunidade sobre os cuidados com a saúde.

O Instituto Metodista Izabela Hendrix é um parceiro frequente das ações de mobilização social em saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), promovendo diversas ações junto a seus públicos, em consonância com as campanhas da SES-MG, como Saúde da Mulher e enfrentamento ao Aedes.

A professora dos cursos de saúde, Adriana Tristão, comentou sobre a realização do evento e a participação do público externo. “Nesse evento a gente teve a ideia de integrar os cursos da saúde e estamos trabalhando com a extensão, levando um pouco de conhecimento pra comunidade enquanto o alunado aprende. Conseguimos inserir o público externo no sentido de conscientizar e informar sobre os cuidados com a saúde”, falou.

A psicóloga do Centro Universitário, Débora Menezes, falou sobre a participação do curso de Psicologia. “O curso está participando do Dia Mundial da Saúde porque a gente quer dar destaque para o cuidado com a saúde mental, que às vezes é negligenciado. A gente tem campanhas específicas, mas nada como somar esforços com outros cursos. Muitos distúrbios psicológicos têm sintomas também clínicos como taquicardia, aumento da pressão arterial e sudorese. Estamos dando destaque para a saúde mental como um cuidado integral”, disse.

3fd633b9-65da-4bd8-835e-fe25d8ee961dSegundo a professora do curso de Fonoaudiologia, Marisa Viana, o evento permitiu que os alunos praticassem seus conhecimentos. “Os alunos tiveram a oportunidade de exercitar o contato com a comunidade e o paciente, além de usar o conhecimento recebido na academia para beneficiar as pessoas do entorno. Contribui para a visibilidade da instituição, para a comunidade e com a prática dos alunos”, contou.

De acordo com a professora do curso de Fisioterapia, Caminha Cunha Neves, o evento é muito importante para os alunos e para a comunidade. “É uma oportunidade de os alunos trabalharem com a extensão levando conhecimento para a comunidade. Oferecemos um serviço de prevenção a doenças ligadas ao tabagismo principalmente doenças respiratórias e doenças cardíacas”, disse.

Segundo a professora do curso de Fisioterapia, Raquel Guimarães o evento possibilita auxílio aos participantes e aprendizado aos discentes. “Promovemos a conscientização de que a saúde tem que começar como modelo. Acho que quando os alunos participam, eles acabam conscientizando a si próprios e sendo modelo para outras pessoas. Ações como essa fogem um pouco da teoria da sala de aula e os estudantes tem a oportunidade de lidar com o publico de uma forma diferente e ampliam seus conhecimentos”, explicou.

A ação foi realizada na Portaria Principal do Centro Universitário e ofereceu atendimentos de aferição de pressão arterial, dosagem de glicemia capilar, educação em saúde, sobre prevenção das doenças relacionadas ao tabaco, estímulo à cessação do tabagismo, e orientações sobre saúde vocal.

#SaúdeEntrevista: Uso correto de medicamentos é essencial para qualidade de vida

data

Usados da maneira correta, os medicamentos curam determinada enfermidade, reduzem ou eliminam sintomas, estabilizam do desenvolvimento da doença e também previnem de enfermidades ou de seus sintomas. Mas, o uso inadequado de remédios pode prejudicar e muito a qualidade de vida das pessoas.

Por isso, aproveitano o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, comemorado no domingo (05/05), a equipe do Blog Saúde Mg conversou com a Coordenadora da Comissão de Farmácia Terapêutica e Cuidado , Samira Lyra, e aborda algumas questões como a famosa farmacinha de casa, descarte de medicamentos, uso conforme receita médica.

1 – Podemos ter uma farmacinha em casa? Quais medicamentos podemos ter?

Não é recomendado manter medicamentos em casa para usos esporádicos. Quando sentir algum desconforto procure o farmacêutico para orientações quanto ao cuidado de transtornos menores como dor de cabeça, má digestão, azia, etc. Em caso de repetição frequente dos sintomas recomenda-se procurar atendimento médico.

2 – Por que deve-se usar o medicamento somente pelo período indicado?

O período de tratamento tem como objetivo a cura ou controle dos sintomas, e o uso após este período pode acarretar em intoxicação e até surgimento de doença devido ao uso indevido de medicamentos.

3 – O que fazer com medicamento que não vou mais usar?

É recomendável devolver à Unidade Básica de Saúde ou procure as caixas coletoras disponibilizadas em farmácias, drogarias e Unidades Básicas de Saúde para descarte.

4 – Como descartar medicamento vencido?

Também deve ser descartado nas caixas coletoras disponibilizadas em farmácias, drogarias e Unidades Básicas de Saúde.

Para mais informações, acesse: www.saude.mg.gov.br/medicacaosegura

usoracinaldemedicamento

#DeuNaMídia: Secretário de Estado de Saúde comenta sobre ações de combate à Dengue

03.05secretario

O Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral participou na manhã dessa sexta-feira, 03/05, dos programas Bom Dia Minas, da Tv Globo Minas e da Central 98, da rádio 98 fm. O tema da entrevista foi as ações de enfrentamento à dengue pelo Governo de Minas frente ao número de casos da doença em 2019.

Assista à entrevista na íntegra concedida ao Bom Dia Minas: