Monthly Archives: junho 2019

#Mobilização: Empresa Montreal conscientiza colaboradores sobre a Gripe

A Empresa Montreal, parceira do Núcleo de Mobilização Social da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) realizou, junto aos colaboradores de Leopoldina, Muriaé e Cruzília ações para conscientizar sobre a prevenção e vacinação contra a Gripe.

O material da campanha de Gripe foi distribuído a todos os funcionários, que independente da necessidade de vacinação contra a doença, foram mobilizados quanto a outras formas de prevenção, como a a etiqueta da tosse. Segundo o Coordenador de Segurança do Trabalho da empresa, Ismail Assis, o objetivo da ação foi reforçar a vacinação e a prevenção para os trabalhadores e a comunidade que os cerca, como família e vizinhos.

Clique aqui e conheça mais sobre a Mobilização Social em Saúde: www.saude.mg.gov.br/mobilizacao

Veja abaixo galeria de imagens dessa ação:

 

#9CES: A importância da participação social na construção de políticas para o SUS

Entre os dias 25 e 27 de junho, o Conselho Estadual de Saúde de Minas (CES-MG) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) realizam, em Belo Horizonte, a 9ª Conferência Estadual de Saúde. A Conferência Estadual terá como tema: “Democracia e saúde: saúde como direito e consolidação e financiamento do SUS” e serão trabalhados os seguintes eixos temáticos: saúde como direito, consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde e financiamento adequado e suficiente para o SUS.

8ª Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais, realizada em setembro de 2015.

8ª Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais, realizada em setembro de 2015.

Você sabia que a participação social no Sistema Único de Saúde (SUS) é uma diretriz expressa no texto constitucional? Sim, ela está prevista no art. 198 e regulamentada na Lei n° 8.142 de 28.09.1990. Essa norma dispõe que o SUS deve contar, em cada esfera de governo com as seguintes instâncias colegiadas de participação: Conferência de Saúde e Conselho de Saúde. A Conferência de Saúde reúne-se a cada quatro anos com a representação dos vários segmentos sociais, para avaliar a situação de saúde e propor diretrizes para a formulação da política de saúde nos níveis correspondentes, convocada pelo Poder Executivo ou extraordinariamente, por esta ou pelo Conselho de Saúde. O Conselho de Saúde, em caráter permanente e deliberativo, é um órgão colegiado composto por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários, e que atua na formulação de estratégias, e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros, cujas decisões serão homologadas pelo chefe do poder legalmente constituído em cada esfera do governo.

Nesses espaços, os cidadãos brasileiros discutem e apontam caminhos para o fortalecimento do SUS. O crescimento da participação popular nas conferências de saúde, ao longo dos anos, demonstra que essas instâncias têm contribuído para o cumprimento e o fortalecimento dessa diretriz essencial do SUS, a “participação social”.

Nesta terça-feira (25), a cerimônia de abertura da 9ª Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais ocorrerá em Belo Horizonte, na Serraria Souza Pinto, às 19h, e contará com a participação do secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, do vice-presidente do Conselho, Ederson Alves da Silva, e de representantes dos usuários, trabalhadores e gestores do SUS Estadual. Clique aqui e saiba mais.

#VidaNoTrânsito: Um em cada cinco brasileiros afirma dirigir usando o celular

Segundo dados do Ministério da Saúde, 19,5% da população das capitais brasileiras afirma que faz o uso do celular enquanto dirige. O percentual mostra que de cada cinco indivíduos, um comete esse ato que é um risco para acidentes de trânsito. A divulgação do dado inédito é do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018 que também aponta que as pessoas com idade entre 25 e 34 anos (25,1%) são as que mais assumem esse comportamento de risco.

O Vigitel é uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde que desde 2006 monitora diversos fatores de risco e proteção relacionados à saúde, incluindo a temática de trânsito, em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Nesta edição foram entrevistadas por telefone 52.395 pessoas, maiores de 18 anos, entre fevereiro e dezembro de 2018.

As capitais que apresentaram maior percentual de uso de celular por condutores foram Belém (24,1%), Rio Branco e Cuiabá (24,0%), seguido por Vitória (23,7%), Fortaleza (23,5%), Palmas (22,4%), Macapá e São Luís (22,6%). Por outro lado, as capitais com menor uso de celular durante a condução de veículo foram: Salvador (14,2%), Rio de Janeiro (17,2%), São Paulo (17,4%) e Manaus (18,0%).

Além do uso do celular associado à direção, a pesquisa aborda também outros três importantes indicadores  para a ocorrência de acidentes de trânsito: direção e consumo abusivo de álcool; direção e consumo de qualquer dose de álcool  e multa por excesso de velocidade

Multas por excesso de velocidade

O Vigitel 2018 também mostra que 11,5% da população entrevistada afirmou já ter recebido multas de trânsito por excesso de velocidade. Esse comportamento de risco foi identificado mais em homens (14%) do que em mulheres (7%), na população de 25 a 34 anos (13,4%), e de maior escolaridade (13,1%).

O Distrito Federal é a capital com a maior proporção de casos (15,7%), seguida de Fortaleza (14,6%); Porto Alegre (14,2%); Belo Horizonte (13,9%); e Goiânia (13,7%). Já as capitais com menores índices são Manaus (0,9%); Macapá (2,7%); Belém (5,9%); Campo Grande (7,0%) e Porto Velho (7,1%).

Álcool e direção

A proporção de adultos que informaram que conduziram veículos motorizados após consumo de qualquer quantidade de bebida alcoólica foi de 5,3%, sendo maior entre homens (9,3%) do que mulheres (2%). A associação entre consumo de álcool e direção ocorreu principalmente em indivíduos de maior escolaridade (8,6%) e com idade entre 25 e 34 anos (7,9%).

Arte: Deise Meireles

Arte: Deise Meireles

Dentro desta categoria, as capitais com maior proporção são: Palmas (14,2%); Teresina (12,4%); Florianópolis (12,1%); Cuiabá (9,9%) e Boa Vista (9,3%). Já as com menores prevalências são: Recife (2,2%); Rio de Janeiro (2,9%); Vitória (3,2%); Salvador (3,6%) e Natal (4,2%).

Dados de Trânsito

Os acidentes de trânsito são a segunda maior causa de mortes externas no país. Em 2017 no Brasil, 35,4 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito e 182.838 foram internadas. Os gastos com as internações foram de R$260,8 milhões. Além das sequelas emocionais, muitos pacientes ficam com lesões físicas, sendo as principais consequências amputações e traumatismo cranioencefálico.

Programa Vida no Trânsito

Em parceria com estados e municípios, o Ministério da Saúde desenvolve, desde 2010, o Programa Vida no Trânsito – PVT que se apresenta como a principal resposta aos desafios da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Década de Ações pela Segurança no Trânsito, cuja meta é reduzir 50% dos óbitos por acidentes de trânsito entre 2011 a 2020. Trata-se de um Programa intersetorial que busca, a partir de evidências produzidas localmente, com base na análise integrada de dados, subsidiar intervenções nos âmbitos de engenharia no trânsito, fiscalização, educação e atenção às vítimas.

Lançado em 2010, o PVT está implantado em 26 capitais e 26 municípios, alcançando uma população de aproximadamente 50.6 milhões de habitantes. Desde a sua implantação, o PVT vem auxiliando governos federal, estadual e municipal na adoção de medidas para prevenir os acidentes de trânsito, reduzindo mortes. Entre 2010 e 2017, o Brasil reduziu em 17,4% o número de mortes por acidentes de trânsito, passando de 42.844 para 35.374. Nas capitais que mais se engajaram no Programa, houve redução superior à 40%, tais como: Aracajú, com redução de 55,8%; Porto Velho (52,0%); São Paulo (46,7); Belo Horizonte (44,7); Salvador (42,7%) e Maceió (41,9%).

Saiba mais sobre como colaborar para um trânsito saudável: www.saude.mg.gov.br/vidanotransito

Fonte: Ministério da Saúde

#MobilizaçãoSocial: Empresas Funcional sensibilizam funcionários contra a gripe

As Empresas Funcional aderiram à campanha de prevenção contra a gripe e, durante os meses de maio e junho têm promovido ações que visam informar, sensibilizar e conscientizar funcionários nas unidades da empresa, bem como nas empresas de clientes em que há trabalhadores alocados para prestação de serviços. Para tanto, distribuíram material publicitário da campanha promovida pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). “O intuito é promover a saúde individual e coletiva no ambiente corporativo, reduzindo os riscos de transmissão da gripe e ao mesmo tempo minimizar o absenteísmo e a queda de produtividade de todo o nosso quadro”, ressalta a médica Dra. Patrícia Ferreira, da Medicina do Trabalho.

» Saiba mais sobre Mobilização Social na saúde: www.saude.mg.gov.br/mobilizacao

#DoençaFalciforme: SUS oferece tratamento para a doença

Conscientização da Doença Falciforme

No Dia Mundial de Conscientização da Doença Falciforme, 19 de julho, o Ministério da Saúde lembra que o Sistema Único de Saúde oferta gratuitamente opções para diagnóstico, tratamento e até transplante de medula.

A Doença Falciforme é a hereditária mais prevalentes no Brasil. Estima-se que de 60 a 100.000 pessoas vivam com a doença, sobretudo nas regiões que receberam maciços contingentes de africanos.

É caracterizada por uma alteração nos glóbulos vermelhos do sangue, as hemácias. Em período de crise, a hemácia muda o seu formato (de arredondada passa para o formato de foice), dificultando a passagem de oxigênio. Isso pode causar obstrução de vasos e má circulação do sangue (micro infartos) em diversos órgãos, que desencadeiam crises de dores e comprometimentos progressivos de diversos órgãos.

As principais complicações incluem: anemia, crises de dor, icterícia (olhos amarelos), infecções, febre, síndrome mão-pé, síndrome torácica aguda, crise de sequestração esplênica, acidente vascular cerebral, priapismo, crise aplásica, ulcerações e osteonecrose.

Os sintomas podem ocorrer já no primeiro ano de vida e, caso não recebam o tratamento adequado, apenas 20% das crianças com a doença atingem os cinco anos de idade.

Mas as sequelas podem ser minimizadas, se o tratamento for rapidamente iniciado. Daí a importância do diagnóstico precoce, que é feito na triagem neonatal (Teste do Pezinho), realizada preferencialmente entre o 3º e o 5º dias de vida. No Sistema Único de Saúde (SUS), o teste é feito gratuitamente nas Unidades de Saúde da Família.

A Doença Falciforme pode se manifestar de forma diferente em cada indivíduo. Uns tem apenas alguns sintomas leves, outros apresentam sinais e sintomas de maior gravidade, com redução da capacidade de trabalho e da expectativa de vida, necessitando de identificação e tratamento precoce.

Por isso, além do diagnóstico, o SUS disponibiliza tratamento e até Transplante de Medula Óssea (TMO). Todos os estados brasileiros possuem pelo menos um centro especializado para atender a pessoa com Doença Falciforme, que deve ser identificada em um programa de atenção integral.

Dentre os medicamentos que podem ser acessados gratuitamente nas unidades de saúde estão: ácido fólico, analgésicos, anti-inflamatórios, quelantes de ferro, imunobiológicos especiais e de antibioticoterapia. Também está disponível o exame preventivo de Doppler Transcraniano que identifica o risco de AVC em pessoas com DF, de 2 a 16 anos.

Fonte: Blog da Saúde

#TOP5: Confira dicas simples, mas essenciais, para você manter a saúde em dia no inverno

A estação mais fria do ano está batendo à porta! Nesta sexta-feira (21/06) tem início o inverno; e com ele, alguns cuidados se fazem essenciais para manter a saúde em dia, e evitar infecções respiratórias e outros agravos típicos desta época do ano, como resfriados e gripe.

☝ #FiqueLigado:

#DoaçãoDeSangue: Por que esse ato é tão importante?

A doação de sangue é um ato de amor e solidariedade que todo cidadão pode ter. Para doar sangue, é importante estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50kg e ter entre 18 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos. Nesta sexta-feira (14/06), comemora-se o Dia Mundial do Doador de Sangue. Por isso, o Blog da Saúde MG esclarece algumas dúvidas sobre o assunto, veja abaixo:

Com informações da Hemominas

#Exposição: Biblioteca da Funed mostra a publicidade de medicamentos do início do século XX

A propaganda é uma das principais ferramentas de marketing nas empresas de qualquer segmento. No mercado farmacêutico não é diferente – é a ferramenta de gestão responsável por comunicar a eficácia e a segurança do produto. Como, então, é vista a propaganda no mercado farmacêutico de ontem e de hoje? Pensando nesta questão que a Biblioteca da Fundação Ezequiel Dias planejou a exposição “Vendendo saúde no inicio do século XX”.

Pensando nesta evolução da publicidade, a Biblioteca da Fundação Ezequiel Dias organizou a exposição “Vendendo saúde no início do século XX”. A partir de seu acervo, foram selecionados diversos periódicos da área médica do início do século XX, com o objetivo de resgatar as propagandas veiculadas nas revistas da época e uma série de curiosidades sobre a promoção de produtos para a saúde, que tinham como estratégia o exagero e a excentricidade.

As publicações médicas traziam no seu conteúdo além dos artigos científicos a promoção e popularização das drogas medicinais. Muitas propagandas prometiam a cura instantânea, um mesmo produto podia curar dores, feridas na pele, hemorroidas, bronquite, enfim, curavam tudo. Outras propagandas utilizavam uma linguagem extremamente técnica com resultados e objetivos práticos, mas sem perder a criatividade na construção dos enredos.

Exposição-Funed-Site

Inicialmente os anúncios eram veiculados somente em textos que falavam das características quase sempre milagrosas dos produtos, indicando endereços onde se pudessem adquirir os produtos farmacêuticos. Depois, vieram os anúncios um pouco mais elaborados, com imagens às vezes pintadas à mão por artistas famosos à época – apresentando, então, ao consumidor a identidade visual daquele produto ou da empresa que o fabricava. Sendo assim, as propagandas representam o testemunho de uma época.

A exposição ficará no hall do prédio principal até o dia 27 de junho.

Serviço:
Exposição “Vendendo saúde no inicio do século XX”
Data: 3 a 27/6/2019
Horário: segunda a sexta, das 8h às 16h
Local: Prédio Principal – Funed

Visita ao acervo científico da Biblioteca da Funed

Para quem?
Pesquisadores e estudantes que estão à procura de informações sobre o desenvolvimento da ciência e o progresso da saúde pública no Brasil e no mundo

O que você irá conhecer?
Livros e revistas nas áreas de ciência e tecnologia, além de obras de referência, dicionários, manuais, códigos farmacêuticos, guias e catálogos técnicos estão disponíveis para consulta.

Precisa agendar?
Não. Atenção ao horário de funcionamento.

Horário de vistas
Segunda a sexta-feira
Das 7h30 às 16h

Serviço gratuito
Saiba mais sobre a Biblioteca da Funed neste link: www.funed.mg.gov.br/biblioteca

Por Ascom Funed

#CuidadoIntegral: Práticas Integrativas e Complementares são importantes também para profissionais de saúde

Cuidado integral da pessoa e prevenção: esses são os principais focos das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS). Para a coordenadora da Política de Práticas Integrativas e Complementares da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Gelza Matos Nunes, as práticas contribuem para o fortalecimento dos princípios fundamentais do SUS. “As PICS atuam na prevenção de doenças, na promoção, manutenção e recuperação da saúde, baseadas em um modelo de atenção humanizado e centrado na integralidade do indivíduo”, afirmou a coordenadora.

Assim, o Núcleo Estadual das PICS, em conjunto com a equipe do Núcleo Municipal de PICS de Brumadinho, realizou, nesse mês de junho, atividades de PICS junto aos profissionais de saúde em Barão de Cocais e Santa Bárbara. Diante do risco iminente do rompimento do talude norte da cava do Gongo Soco, as equipes de mobilização atuantes nesses municípios convivem com alto nível de estresse inerente às atividades exercidas de suporte e atendimento à população fragilizada.

Neste sentido, a fim de melhorar a qualidade de vida desses trabalhadores, os profissionais das PICS estadual e municipal, amparados pelo Estado, atenderam por volta de 135 profissionais de saúde dos municípios de Santa Bárbara e Barão de Cocais. Dentre os participantes, estiveram o prefeito de Barão de Cocais e o secretário Municipal de Saúde de Santa Bárbara.

Ações contínuas

Além disso, a equipe da Coordenação Estadual de Saúde Mental está mantendo reuniões periódicas junto à equipe do município, no intuito de garantir a qualidade dos serviços prestados pela saúde mental à qual a situação exige. Atualmente, o município possui um Centro de Atenção Psicossocial Tipo I (CAPS) com equipe multiprofissional.

Veja abaixo galeria de imagens dessas ações:

#MobilizaçãoSocial: Regionais de saúde realizam ações constantes sobre os malefícios do tabagismo

Você sabia que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para tabagismo em mais de 600 municípios de Minas Gerais? As ações acontecem através do Programa Nacional de Controle do Tabagismo. O tabagismo é caracterizado pela dependência física à nicotina e causa aproximadamente 50 doenças diferentes.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas de doenças cardiovasculares, dentre as quais estão os ataques cardíacos e os derrames. Em meio aos fatores de risco comportamentais causadores das doenças cardiovasculares, o tabagismo é listado como um dos mais importantes conforme a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

Divulgação: Regional de Saúde de Uberaba

Divulgação: Regional de Saúde de Uberaba

Assim, a Regional de Saúde de Uberaba, por meio do Núcleo Ampliado de Saúde de Família de Conceição das Alagoas conta constantemente com novos grupos de Controle ao Tabagismo, que auxilia os indivíduos a se livrar do tabaco. Um desses grupos, promovidos pelo Núcleo Ampliado de Saúde de Família de Conceição das Alagoas encerrou mais uma turma, com entrega de certificados e um troféu em forma de Pulmão para os participantes.

Na Regional de Saúde de Ponte Nova, a equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) do município de Guaraciaba realizou recentemente uma ação de Mobilização social para divulgar o Grupo de Tabagismo, que acompanha os participantes com objetivo que eles parem de fumar. Além disso, foi aberta inscrição de novos interessados e aconteceu também uma blitz educativa.

Divulgação: Regional de Saúde de Ponte Nova

Divulgação: Regional de Saúde de Ponte Nova

Saiba mais sobre o Tabagismo: www.saude.mg.gov.br/tabagismo

#FalaRegional: Regional de Ituiutaba realiza treinamento do Prontuário Eletrônico do Cidadão

Nesta quarta-feira (05/06), foi realizado no município de Canápolis um treinamento do PEC (Prontuário Eletrônico do Cidadão), realizado pelo Núcleo de Atenção Primaria à Saúde, da Regional de Saúde de Ituiutaba. A capacitação foi estruturada para atender as equipes de Atenção Básica lotadas em UBS (Unidades Básicas de Saúde), parcialmente ou totalmente informatizadas. O sistema do PEC é usado para inserir os registros clínicos dos atendimentos e também as fichas de Coletas de Dados Simplificadas, preenchidas pela equipe em seu processo de trabalho. Ele funciona em cenários com ou sem conexão com internet e realiza suporte clínico com uma tecnologia avançada.

De acordo com Lívia Santos Maia Custódio, coordenadora da Atenção Primária da Regional de Saúde de Ituiutaba, a capacitação foi um momento para a reflexão sobre o fluxo do usuário dentro da unidade, de acordo com sua necessidade. “Com esse sistema, o usuário poderá ser atendido por uma demanda espontânea ou consulta agendada, de forma a padronizar e sistematizar uma rotina ou fluxo único entre todas as unidades do município de Canápolis”, comentou.

20190605_151803

O PEC é uma estratégia para reorganizar as informações de Atenção Básica em nível nacional. Essa ação está alinhada com a proposta mais geral de reestruturação do Sistema de Informação em Saúde, do Ministério da Saúde, entendendo que a qualificação da gestão da informação é fundamental para ampliar a qualidade no atendimento à população.

O sistema preconiza individualizar o registro, integrar a informação, reduzir o retrabalho na coleta de dados, informatizar as unidades, trabalhar a gestão do cuidado e coordenação do cuidado. “Há uma infinidade de dados que poderão ser trabalhados e avaliados, como busca ativa de gestante, hipertensos e diabéticos com a implementação deste novo sistema, com um maior e melhor acompanhamento dos usuários. Trata-se de uma ferramenta de trabalho fundamental para a Atenção Primária”, finalizou Lívia Santos.

Por: Elizeth Adad Guimarães