Monthly Archives: julho 2019

Público tem até o dia 30/7 para escolher o nome da Jiboia da Funed

por Priscilla Fujiwara (ASCOM / Funed)

Jiboia_site (1)

Imagem: Leonardo Noronha | Funed

Jigi, Judith ou Jiboned? Esses são os nomes finalistas para a jiboia do Serpentário – nova mascote da Fundação Ezequiel Dias (Funed) -, que o público poderá escolher até o dia 30/7. Foram 425 nomes sugeridos nas redes sociais e na urna do serpentário durante uma semana e, dentre eles, uma comissão formada pelo Serviço de Animais Peçonhentos, pela Divisão de Extensão e Divulgação Científica e pelo Zoológico de Belo Horizonte escolheu três.

Para votar, acesse uma das redes sociais da Funed – FacebookTwitter e Instagram. Também será disponibilizada uma urna no Serpentário para quem quiser votar presencialmente. O nome da cobra será anunciado nas comemorações de 112 anos da Funed no dia 2/7.

Jiboned

O nome Jiboned foi escolhido pela equipe de educação ambiental do Zoológico de Belo Horizonte pois, além de ser um nome unissex, ele também remete imediatamente ao nome popular da serpente, jiboia e ao nome Funed, segundo a Assessoria de Comunicação do órgão.

Jigi

A Divisão de Extensão e Divulgação Científica fez uma votação interna entre os seus servidores e elegeram o nome Jigi pela similaridade com o nome jiboia, “além de ser um nome fofo”, explica a chefe da divisão Marina Rezende Coelho.

Judith

Já a equipe do Serpentário escolheu Judith porque foi um dos nomes mais mencionados pelo público nas redes sociais, explica o coordenador do Serpentário, Rômulo de Toledo.

#SUS: MS realização 2ª edição da Pesquisa Nacional de Saúde

Crédito: Licia Rubinstein | Agência IBGE Notícias

Crédito: Licia Rubinstein | Agência IBGE Notícias

com Ministério da Saúde

Conhecer a realidade da saúde de um país é o primeiro passo para entender as necessidades de sua população e, dessa forma, possibilitar a elaboração de ações e programas em prol de mais saúde e qualidade de vida. Assim, para subsidiar o Ministério da Saúde com informações que possibilitem a formulação e/ou o aperfeiçoamento de políticas públicas eficientes, mais de 108 mil brasileiros receberão, a partir de agosto deste ano, a visita de pesquisadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que terão a missão de levantar dados sobre as condições de vida e de saúde da população.

Realizada a cada cinco anos pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) contará com cerca de 1,2 mil entrevistadores, que vão visitar mais de 108 mil residências em 3,2 mil municípios brasileiros de todos os estados e regiões do país, de áreas urbanas e rurais, de capitais, regiões metropolitanas e demais municípios. Eles estarão uniformizados com colete e crachá de identificação do IBGE.

Pela relevância da pesquisa para o país, o Ministério da Saúde solicita que as pessoas atendam e colaborem com os entrevistadores, desde que eles estejam devidamente identificados. Os dados da PNS serão utilizados, por exemplo, para elaborar e/ou aperfeiçoar ações e políticas na área de Atenção à Saúde, como o Programa Nacional de Controle do Tabagismo, a Estratégia de Saúde da Família e o programa Farmácia Popular do Brasil. A pesquisa será feita por amostragem com os moradores das residências sorteadas.

Aos entrevistados, serão feitas perguntas sobre as características do domicílio, questões sobre educação e rendimento, além da situação de saúde dos residentes, como estilos de vida, doenças crônicas não transmissíveis, saúde da mulher, do homem, da criança, do idoso, da pessoa com deficiência, entre outros.

#Notícias: Número de pacientes com hepatite cai 7% em 10 anos no Brasil

com Agência Brasil

Crédito: Divulgação Ministério da Saúde

Crédito: Divulgação Ministério da Saúde

O número de pacientes notificados com casos de hepatites virais no Brasil caiu 7% entre 2008 e 2018, de acordo com o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2019 divulgado neste mês pelo Ministério da Saúde. Em 2008, foram registrados 45.410 casos. Dez anos depois, o número passou para 42.383 casos. O levantamento aponta ainda queda de 9% no total de mortes causadas pela doença no país, saindo de 2.362 óbitos em 2007 para 2.156 em 2017.

A hepatite é a inflamação do fígado. Ela pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. De acordo com o Ministério da Saúde, são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando estes aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. O boletim mostra que o tipo C da doença, além de ser o mais letal, é o mais prevalente no País. Ao todo, 26.167 casos de hepatite C foram notificados em 2018. A doença é transmitida por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes. O maior número de pessoas com hepatite C se concentra em pessoas acima dos 40 anos. A hepatite C nem sempre apresenta sintomas. Por isso, o Ministério da Saúde estima que, atualmente, mais de 500 mil pessoas convivam com o vírus C da hepatite e ainda não sabem.

Foram notificados ainda 2.149 casos de hepatite A no Brasil. A transmissão mais comum desse tipo da doença é pela água e alimentos contaminados. O tratamento geralmente evolui para cura. Também foram registrados 13.992 casos de hepatite B, que pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal e pode também ser transmitida de mãe para filho. Já a hepatite D foi registrada em 145 pacientes. A infecção ocorre quando a pessoa já contraiu o vírus tipo B. Os sintomas da hepatite D são silenciosos e a doença é combatida por meio da vacina contra a hepatite B que também protege contra a D.

Enfrentamento

Nas vésperas do Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, dia 28 de julho, o Ministério da Saúde alerta para a importância do diagnóstico e tratamento da doença. Além da testagem diagnóstica, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece vacina contra a hepatite A para menores de 5 anos e grupos de risco. Disponibiliza também vacina contra a hepatite B para todas as faixas etárias. Esta vacina também protege contra a hepatite D.

Eliminação da hepatite C

O Brasil tem como meta eliminar a hepatite C até 2030. Para isso, nos últimos três anos, foram disponibilizados pelo SUS 100 mil tratamentos para hepatite C. Neste ano, foram entregues 24 mil tratamentos para a doença. Até o início de agosto, de acordo com o Ministério da Saúde, serão entregues outros 5 mil tratamentos. Em 2019, o Ministério da Saúde adquiriu 42.947 tratamentos sofosbuvir/ledipasvir e sofosbuvir/velpatasvir. Outros 7 mil tratamentos estão em processo de aquisição. De acordo com a pasta, todas as pessoas diagnosticadas com hepatite C têm a garantia de acesso ao tratamento, independente do dano no fígado, assegurando universalização do acesso previsto desde março de 2018. Essa ação, segundo o ministério, coloca o Brasil como protagonista mundial no combate a hepatite C.

Campanha #CalorHumano vai até o dia 31/07; confira os postos de doação

com SERVAS

timthumb

A 5ª edição da campanha #CalorHumano entra em sua última semana. Até o dia 31 de julho, o SERVAS – Serviço Social Autônomo recolhe roupas, cobertores e acessórios de inverno, em bom estado, para doar a pessoas em situação de vulnerabilidade social e com poucas condições de se aquecer no frio.

São 29 pontos de coleta espalhados em Belo Horizonte, e as entregas serão destinadas às entidades socioassistenciais que atendem idosos, pessoas em situação de rua, crianças e adolescentes em Belo Horizonte e diversos municípios do estado de Minas Gerais.

Iniciada no dia 29 de maio, a campanha conta com o patrocínio da AeC , e com a parceria da Drogaria Araújo, Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), Supermercado Verdemar, Colégio Arnaldo, Câmara de Dirigentes Lojistas de BH (CDL), Defensoria Pública de Minas Gerais, Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (CODEMGE), Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico(IEPHA), JChebly e Sou BH.

Confira a lista completa dos postos de coleta:

SERVAS

Av. Cristóvão Colombo 683 – Funcionários

AEC

  • Rua Bonfim, 280 – Bonfim (Orion)
  • Rua Espírito Santo, 871 – Centro
  • Rua Sapucaí, 429 – Floresta (Estação)

SUPERMERCADO VERDEMAR

  • Rua Fernandes Tourinho, 471 – Funcionários
  • Rua do Ouro, 195 – Serra
  • Av. Nossa Sra. do Carmo, 1900 – Sion
  • Av. Raja Gabáglia, 3600 – Estoril
  • Av. Prof. Mário Werneck, 1.500 – Buritis
  • Av. Santa Rosa, 846 – Pampulha
  • Av. Tancredo Neves, 2700 – Castelo
  • Rua Vancouver, 40 – Jardim Canadá
  • Rua Guaicuí, 700 – Luxemburgo

COLÉGIO ARNALDO

  • Rua Ceará, 864 (entrada do Infantil)
  • Praça João Pessoa, 200 (entrada portaria principal)
  • Avenida Carandaí, 587 (entrada portaria)
  • Rua Vitório Marçola, 360

TJMG

  • Rua Goiás, 229 – Centro
  • Rua Goiás, 253 – Centro
  • Av Raja Gabaglia,1753
  • Av. Afonso Pena, 4001 – Mangabeiras
  • Av.Augusto de Lima,1749 – Fórum

MPMG

Av. Álvares Cabral, 1740 – Pilotis

CDL

Av. João Pinheiro, 495 – Boa Viagem

DPMG

Rua Guajajaras 1707 – térreo – Barro Preto

CODEMGE

Rua Manaus, 467 – Santa Efigênia

CEDEC

Av. Amazonas, 6465 – Gameleira (5º BPM)

IEPHA

Rua dos Aimorés, 1697 – Lourdes

SOU BH

Pátio Savassi Piso L3 Av. do Contorno, 6061 – Funcionários

#Ciência: Minissérie de áudio apresenta conceitos de ecologia a crianças; confira!

com Minas Faz Ciência

Minas_Faz_Ciência

Julho está aí e que tal curtir as férias com seu filho de forma divertida e ainda aproveitar para aprender um pouco mais sobre a biodiversidade e a conservação dos biomas mineiros? Esta é a proposta da minissérie infantil de áudio produzida pelo projeto Minas Faz Ciência, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG): A Viagem de Tiê. Tiê é um pássaro da espécie bandeira da Mata Atlântica que faz amigos e dialoga com diversos animais.

A série ficcional conta com oito episódios de até quatro minutos de duração, e trabalha conceitos de ecologia e conservação. As aventuras de Tiê apresentam às crianças discussões sobre desmatamento, predação de animais silvestres, interações entre humanos e animais, unidades de conservação e corredores ecológicos. Os temas e roteiros foram supervisionados por especialistas na área de Ecologia.

A série A Viagem de Tiê está disponível no site Minas Faz Ciência Infantil. O público tem a opção de ouvir o conteúdo online ou de fazer download gratuito dos episódios. Uma ótima opção para o aprendizado de Ciências nas escolas do ensino fundamental. Clique aqui e acesse.

#Oportunidade: ESP-MG lança 2 editais para seleção de docentes; confira!

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), seleciona docentes orientadores de Trabalho de Conclusão de Curso, TCC, para o Curso de Especialização em Direito Sanitário, além de docentes de dispersão/estágio para o Curso Técnico em Saúde Bucal, turma Governador Valadares.

Orientadores de TCC para Curso de Especialização em Direito Sanitário.

A seleção tem expectativa de até 07 vagas para preenchimento e para cadastro de reserva. O início das atividades de orientação está previsto para outubro de 2019. As inscrições começam hoje, 22 de julho e vão até dia 09 de agosto. Para concorrer às vagas os candidatos deverão comprovar os seguintes requisitos: graduação em qualquer área do conhecimento, com pós-graduação Stricto sensu no campo da saúde, ciências sociais e humanas; experiência de orientação em trabalhos de conclusão de curso em graduação ou pós-graduação; produção acadêmica; e experiência de docência em cursos de graduação ou de pós-graduação.

Edital e mais informações aqui.

Docentes de dispersão/estágio para Curso Técnico em Saúde Bucal.

A seleção tem expectativa de até 02 vagas para preenchimento imediato e 02 para cadastro de reserva. As vagas são para atuação nos municípios de Resplendor e Santa Maria do Suaçuí. As inscrições começam hoje, 22 de julho, e vão até dia 05 de agosto. O curso tem por objetivo formar Técnicos em Saúde Bucal a partir de trabalhadores da atenção primária à saúde no SUS, preferencialmente da saúde bucal, com competência para realizar atividades necessárias à prestação de cuidados no âmbito da prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde bucal.

Edital e mais informações aqui.

#EAD: Capacitação em Saúde Mental para profissionais do SUS

ead_cursos_sus
Estão abertas as inscrições para o curso “Capacitação em Saúde Mental”, uma iniciativa do NUTEDS – Universidade Federal do Ceará, em parceria com o Programa Telessaúde Brasil Redes, vinculado ao Ministério da Saúde. São 500 vagas para todo o Brasil. Podem se inscrever estudantes, professores, profissionais da área da saúde e demais interessados no tema.

A oferta educacional é gratuita, com certificação de 60h. O curso é autoinstrucional, realizado na modalidade EaD online e tem curta duração. Para se inscrever, basta preencher o formulário disponível abaixo. As inscrição ficam abertas do dia 17 de julho ao dia 04 de agosto. O curso começa a partir do dia 05 de agosto. Os dados de acesso ao curso serão enviados até o início das atividades para todos os inscritos.

CLIQUE AQUI para inscrição.
Sobre a oferta – o curso conta com sete unidades. Cada uma com abordagens diferentes: 1.”Atenção psicossocial”; 2. “Sofrimento psíquico”; 3. “Tristeza ou depressão”; 4. “Ansiedade: normal ou patológica”; 5. “Ele está fingindo? Os limites entre conversão, dissociação, somatização e simulação”; 6. “Drogas lícitas e ilícitas”; 7. “Reorganizando as ações de saúde mental na APS”.

A ideia é promover o debate sobre saúde mental no Brasil e a abordagem nos serviços de saúde, facilitando desde a compreensão de termos básicos no que tange ao tema até compreender a Atenção Psicossocial de maneira integral e saber como ela é abordada no SUS.

VI Mostra VideoSaúde está com chamadas abertas até o dia 05/08

A VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz, vinculada ao Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), convida produtores audiovisuais de todo o país a participarem da 6ª edição da Mostra Nacional de Vídeos em Saúde: a VI Mostra VideoSaúde. A chamada está aberta a realizadores independentes, coletivos, movimentos sociais, empresas, escolas, sindicatos, associações, organizações não governamentais e demais instituições, públicas ou privadas.

Podem concorrer audiovisuais produzidos nos últimos 10 anos, em qualquer formato (curta, média ou longa metragem), desde que abordem temas ligados à saúde. Os melhores filmes/vídeos serão selecionados e exibidos na mostra online. Ao final, haverá uma premiação para produções escolhidas pela comissão julgadora e pelo público, e estas obras serão apresentadas em evento. Todos os vídeos passarão a integrar o acervo, o catálogo e as ações de divulgação da VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz.

Clique aqui e saiba mais.

Produtos irregulares: o que são e como identificá-los

por: Ascom Anvisa

25.01_medicamentos_idosos

A definição é simples: quaisquer produtos que não atendam as regras definidas pela Anvisa estão irregulares e, portanto, não oferecem a você garantias de eficácia, segurança e qualidade exigidas para produtos sob vigilância sanitária. Na prática, o que isso representa? Risco de dano e ameaça à saúde.

As exigências para regularização variam de acordo com o tipo de produto. O conjunto de produtos irregulares inclui, entre outros, produtos sem registro ou notificação na Agência, produtos falsificados, roubados ou contrabandeados, produtos cuja propaganda é considerada inadequada e aqueles que apresentam desvios de qualidade em seu processo de fabricação.

Desvio de qualidade é quando o produto não cumpre algum dos parâmetros de qualidade estabelecidos em seu registro na Anvisa. São exemplos de desvios de qualidade, no caso de medicamentos: alterações de aspecto, cor, odor, sabor e volume ou presença de corpo estranho.

Medicamentos roubados

Devido à falta de informação e diante da possibilidade de pagar mais barato, há quem adquira medicamentos em feiras e bancas de vendedores ambulantes. Este é um problema bastante sério. Isso porque os requisitos que garantem a qualidade e a eficácia dos medicamentos incluem condições de armazenamento e transporte.

Medicamentos roubados não têm os padrões de conservação necessários para assegurar sua qualidade. Além de o consumidor correr o risco de que esses medicamentos causem danos à sua saúde, pode ficar sem o tratamento adequado e, a depender do caso, as consequências são bastante graves. Ou seja, é um exemplo clássico do dito popular de que o barato sai caro.

É recomendável adquirir medicamentos somente em farmácias e drogarias autorizadas pela Anvisa. No caso do comércio pela internet, somente farmácias que existem fisicamente estão habilitadas a fazer o comércio online. E atenção: mesmo essas farmácias podem comercializar pela internet somente medicamentos que não sejam de controle especial.

Como denunciar

  1. Ligue para a Central de Atendimento ao Cliente do fabricante e solicite esclarecimentos sobre o produto adquirido.
  2. Entre em contato com a Secretaria de Saúde local e comunique o ocorrido ao Centro de Vigilância Sanitária.
  3. Caso confirme que o produto é irregular ou falsificado, informe à Anvisa por meio de denúncia à Ouvidoria. O formulário eletrônico da Ouvidoria é o canal específico para denúncias, reclamações, sugestões e elogios. O prazo de resposta é de até 15 dias úteis. Você também pode ligar para a Central de Atendimento (0800 642 9782), disponível das 7h30 às 19h30, de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

Obs.: Forneça todas as informações disponíveis, incluindo o nome do produto e do fabricante e o local de aquisição, bem como, se possível, uma amostra do produto para que as ações cabíveis sejam adotadas.

Para saber se um produto – seja medicamento, alimento, cosmético, saneante ou produto para a saúde – está irregular, acesse o serviço de consulta a produtos irregulares.

#ConheçaOSUS: nova edição da Revista Poli traz especial sobre controle social

O histórico do modelo de participação social construído no Brasil é o tema da reportagem de capa da última edição da Revista Poli, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz). Com foco nas mudanças que se deram a partir da Constituição de 1988, a matéria explica o funcionamento de diferentes colegiados de participação da sociedade civil e mostra avanços concretos que esse debate permitiu na formulação, acompanhamento e crítica de políticas públicas, com exemplos de diversas áreas – como saúde, educação, meio ambiente e trabalho infantil.

Clique aqui e confira a nova edição completa da revista.

#Prevenção: Crianças e adolescentes têm direito à vacina

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Criado em 13 de julho de 1990, pela Lei 8.069, o Estatuto da Criança e do Adolescente defende a proteção integral à criança e ao adolescente com base na Constituição Federal. E, nesta data, certamente é importante reforçar a conscientização a respeito desses direitos, principalmente em relação a vacina e todos os benefícios que ela proporciona por toda a vida.

O Estatuto estabelece os direitos e deveres de menores de 18 anos e protege as crianças e adolescentes em todo o país, principalmente nas áreas de educação, saúde, trabalho e assistência social. Muitos avanços foram ocasionados pelo Estatuto, entre eles, no artigo 14, parágrafo primeiro, onde fala que é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias.

“O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) garante a vacinação das crianças e adolescentes como um direito a ser cumprido, protegendo à saúde desse público, uma vez que a vacinação é uma intervenção de saúde pública fundamental para evitar que crianças e adolescentes adoeçam por doenças imunopreveníveis e para que não sejam disseminadores destas doenças ”, explica a coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana.

A data nos lembra sobre as necessidades específicas desse grupo, inclusive o direito garantido na Constituição Federal à vida e à saúde. A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças, a forma mais eficaz de proteger crianças e adolescentes. É muito melhor e mais fácil prevenir uma enfermidade do que tratá-la, e é isso que as vacinas fazem.

“A vacinação não apenas protege aqueles que recebem a vacina, mas também ajuda na proteção de todos, ressalta Francieli.

O ECA considera criança quem tem até 12 anos incompletos. Já os quem tem entre 12 e 18 anos são adolescentes. O estatuto define que estas faixas etárias têm direito à vida, saúde, alimentação, educação, esporte, cultura e liberdade. Eles têm também direito ao atendimento prioritário em postos de saúde e hospitais e devem receber socorro em primeiro lugar no caso de acidente de trânsito, incêndio, enchente ou qualquer situação de emergência.

Vale destacar que nenhuma criança ou adolescente pode sofrer maus tratos: descuido, preconceito, exploração ou violência. Os casos de suspeita ou confirmação de maus tratos devem sempre ser comunicados a um Conselho Tutelar, órgão ligado à prefeitura e formado por pessoas da comunidade.

Blog da Saúde