Monthly Archives: outubro 2019

#Opióides: Quais são os riscos do uso indiscriminado?

Créditos: Banco de Imagem PixaBay

Créditos: Banco de Imagem PixaBay

Por Ricarda Caiafa

Muitas substâncias com grande atividade farmacológica podem ser extraídas de uma planta chamada Papaver somniferum, conhecida popularmente com o nome de “Papoula do Oriente”. Ao se fazer cortes na cápsula da papoula, quando ainda verde, obtém-se um suco leitoso, o ópio (a palavra ópio em grego quer dizer “suco”). Os opióides podem se dividir em três categorias:

• Naturais: encontrados em plantas;
• Endógenos: produzidos pelo próprio corpo humano e distribuídos em todo Sistema Nervoso Central e
• Sintéticos e Semissintéticos: utilizados em práticas clinicas, agindo como analgésicos.

O Brasil é um dos maiores consumidores de opióides, sendo que os mais utilizados são a codeína e a heroína. A codeína, derivada da morfina, é um supressor da tosse (xarope) ou contra dores moderadas, que se associada a anti-histamínicos, aumenta a toxicidade da mistura, causando confusão mental e fortes crises de convulsões, esta associação é muito utilizada pelos jovens devido ao efeito de euforia.

Já a Heroína, droga de abuso causadora de dependência química e psíquica, age como depressora sobre sistemas nervoso central e digestório. Causa efeitos de torpor e tontura, sensação de leveza e euforia.

“Purple Drank”

Aparentemente inocente, o purple drank é uma mistura à base de xarope de codeína e bebidas alcoólicas e refrigerante.

Essa mistura, utilizada em festas pelos adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos, quando consumida traz efeito euforia e adrenalina, deixa um gosto doce na boca por mais tempo, e se consumida em excesso causa alucinações, desequilíbrio, convulsões podendo inclusive levar a óbito.

Por isso, Samira Lyra, coordenadora de Farmácia, Terapêutica e Cuidado da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) ressalta a importância de pais estarem sempre atentos ao comportamento dos jovens, e se apresentarem sintomas como os citado acima, é essencial procurar atendimento médico.”Observem o comportamento de seus filhos, busquem informações quanto a festas, ambientes que frequentam, procurem conhecer o ciclo de amizades, acompanhem postagem em redes sociais e postura nas escolas”, frisou a coordenadora.

“Além disso, os profissionais farmacêuticos devem estar sempre alerta para a venda de determinados medicamentos para os adolescentes”, lembrou.

#Psoríase: diga não ao preconceito

por Ana Rita Fernandes

psoriase2

No dia 29 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Psoríase. Nessa data, a SES-MG vem reafirmar o acolhimento do SUS aos portadores da doença e lembrar que o preconceito deve ser colocado de lado, uma vez que não é contagiosa.

A psoríase é uma doença da pele, crônica, autoimune, caracterizada pela presença de manchas róseas ou avermelhadas recobertas por escamas esbranquiçadas. Tem causa desconhecida e um componente hereditário, mas apesar de existir uma predisposição familiar, não significa que é transmitida aos descendentes.

Acomete homens e mulheres de todas as idades e pode ocorrer de formas diferentes como, mais discreta com lesões pontuais ou mais severa abrangendo grandes regiões da superfície do corpo.

É uma doença cíclica que apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem, estando relacionados com diversos fatores: estresse emocional, traumas, drogas, infecções, entre outros. As lesões cutâneas ocorrem com mais frequência nos cotovelos, joelhos, mãos, pés, couro cabeludo, unhas e tronco.

Tipos e sintomas

De acordo com a localização e características das lesões, existem vários tipos de psoríase:

  • Psoríase Vulgar: lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Invertida: lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras como couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Gutata: pequenas lesões localizadas, em forma de gotas, associadas a processos infecciosos. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens;
  • Psoríase Eritrodérmica: lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo;
  • Psoríase Ungueal: surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas das mãos;
  • Psoríase Artropática: em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento articular. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho;
  • Psoríase Pustulosa: aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo;
  • Psoríase Palmo-Plantar: as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

Tratamento

A psoríase, até o momento, não tem cura nem prevenção. O tratamento utilizado para a enfermidade visa reduzir a quantidade e a gravidade das lesões e controlar a reincidência. Normalmente, as prescrições são individualizadas, de acordo com o histórico clínico do paciente, caso a caso, avaliado por dermatologista ou especialista em psoríase, buscando períodos mais prolongados possível de inatividade da doença.

O SUS oferece tratamento integral e gratuito aos pacientes com psoríase e, em setembro deste ano, teve o Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) de Psoríase atualizado com novas opções de tratamento, aumentando o conjunto terapêutico e possibilitando mais alternativas para o enfrentamento da doença.

 

#SaúdeBucal: Prevenção é fundamental

Dia Nacional da Saúde Bucal

Por Ana Ria Fernandes

O Dia Nacional da Saúde Bucal é comemorado em todo o Brasil, na data de 25 de outubro, com o objetivo de conscientizar a população da importância de manter uma boa higiene da boca.

Por ser uma das principais portas de entrada para bactérias e outros microrganismos, a saúde da boca deve ter atenção diária para evitar tanto as doenças bucais como outras do organismo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as doenças bucais afetam metade da população mundial, sendo a cárie a condição mais comum.

Veja outras doenças que afetam a boca:
– Lesões bucais e aftas
– Mau hálito
– Gengivite
– Placa bacteriana
– Tártaro

São muitos os sinais e sintomas de algum problema na boca. Os principais são: dor, dentes com mobilidade, sangramento, cavidades ou manchas nos dentes e alguma lesão na boca que não desaparece em até 15 dias, que pode ser uma lesão de câncer bucal. Nesses casos, é importante procurar um dentista ou a Unidade Básica de Saúde (UBS) do SUS mais próxima da residência para realizar um exame: O SUS oferece atenção para as condições bucais – ações de prevenção, ações educativas, tratamento e confecção de próteses dentárias.

A saúde bucal também tem relação com a saúde geral, pois a boca interage com todas as estruturas do corpo, podendo desencadear doenças cardiovasculares e diabetes.

Para uma higiene bucal adequada, é preciso escovar os dentes todos os dias, após cada refeição e também uma última vez antes de dormir, utilizando uma escova de dente de tamanho adequado, com cerdas macias e creme dental com flúor. Nos procedimentos deve-se incluir a limpeza da língua, utilizando um raspador e o uso do fio dental entre todos os dentes.

Além disso, é fundamental ter uma alimentação saudável, evitar o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas por terem relação direta com as doenças bucais, e ir ao dentista regularmente.

Se você quer parar de fumar, saiba que o SUS oferece o Programa Nacional de Controle do Tabagismo nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para usuários que têm interesse em parar de fumar.

 

#Pólio: única prevenção é a vacina

Banner_Para facebook

Por Ana Rita Fernandes

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) celebra o Dia Mundial de Enfrentamento à Pólio, no dia 24 de outubro, lembrando à população da importância de manter altos os índices de cobertura vacinal para impedir o retorno da doença em território nacional.

Como resultado de um permanente esforço de todos os envolvidos com a Saúde Pública, no que diz respeito à vacinação, o Brasil está livre da circulação do vírus da poliomielite (poliovírus) desde 1990, e foi certificado disso pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em 1994.

Porém, em alguns países como Afeganistão, Paquistão e Nigéria, ainda circula o vírus da doença, conhecida também como paralisia infantil e associada às baixas coberturas vacinais, coloca todos os outros países, inclusive o Brasil, em risco de reintrodução da pólio.

Cobertura Vacinal

A doença não tem cura e pode deixar sequelas permanentes. A única forma de proteção é a vacina. Em 2019, até o momento, a cobertura vacinal contra a poliomielite em Minas, em menores de 1 ano, está em 85,5%. Em crianças de 15 meses, a cobertura vacinal é de 80,8%, e em crianças de 4 anos de idade a cobertura é de 76,5%. No entanto, a vacinação como único meio de prevenção só é eficaz se houver uma alta cobertura vacinal acima de 95%.

Foto: Venilton Küchler/SESA/Agência Brasil.

Foto: Venilton Küchler/SESA/Agência Brasil.

O calendário de vacinas do SUS preconiza três doses da VIP (Vacina Inativada de Poliomielite), com administração nas crianças aos 2, 4 e 6 meses e reforço com duas doses da VOP (Vacina Oral de Poliomielite), aos 15 meses e 4 anos. É considerado protegido, o indivíduo, maior de cinco anos, que tenha pelo menos cinco doses da vacina contra a doença.

Pólio
A poliomielite é uma doença altamente infecciosa causada pelo poliovírus que invade o sistema nervoso e pode causar paralisia total em questão de horas. O vírus é transmitido por pessoa para pessoa, principalmente através da via fecal-oral ou, menos frequentemente, por um veículo comum (por exemplo, água ou alimentos contaminados) e multiplica-se no intestino. Os sintomas iniciais são febre, fadiga, dor de cabeça, vômitos, rigidez do pescoço e dor nos membros.

Ajude a manter nosso país livre da circulação do vírus e seu filho bem longe da doença! Mantenha o cartão de vacinação da criança sempre em dia!

#Gastrite: Saiba como evitar

Créditos: Banco de Imagem FreePik

Créditos: Banco de Imagem FreePik

Por Ana Rita Fernandes

Gastrite é uma inflamação da mucosa interna do estômago. Pode ser aguda – quando repentina e temporária, ou crônica – quando se instala vagarosamente e leva muito tempo para ser controlada. Normalmente, causa má digestão, queimação, refluxo, mas pode ser também assintomática.

Causas

São várias as causas que podem levar à gastrite. Entre elas, é importante destacar:

  • Uso prolongado do ácido acetilsalicílico e de anti-inflamatórios como nimesulida e diclofenaco de sódio;
  • Consumo de bebidas alcoólicas – o consumo exacerbado de bebidas alcoólicas irrita o revestimento do estômago (mucosa), o que eleva os danos causados pelos sucos gástricos produzidos para a digestão.
  • Estresse – Pode aumentar a produção do suco gástrico e elevar a irritação na parede do estômago.
  • Gastrite autoimune: a doença ocorre quando o sistema imune produz anticorpos que agridem e destroem as células gástricas do próprio organismo;
  • Infecção pela bactéria Helicobacter pylori, popularmente conhecida como H.pylori.

Sintomas

A dor da gastrite começa logo abaixo do osso esterno e, comumente, é mencionada como dor na “boca do estômago”. Pode vir acompanhada de azia ou queimação e, muitas vezes, piora quando a pessoa se deita depois de refeição rica em açúcares ou gorduras. Perda do apetite, náuseas e vômitos também são sintomas de gastrite, assim como a presença de sangue nas fezes e no vômito.

Diagnóstico

Para chegar ao diagnóstico da gastrite são fundamentais o histórico clínico e, em caso de suspeita, uma endoscopia. O paciente deve realizar uma consulta com um clínico geral que indicará, caso necessário, uma consulta com um especialista da área, o gastroenterologista.

Pelo SUS, a consulta com gastroenterologista é realizada por meio do encaminhamento do médico da família ou clínico geral da Unidade Básica de Saúde (UBS) ou também chamado Posto de Saúde.

Tratamento

O tratamento da gastrite deve levar em conta a sua causa e, além dos medicamentos prescritos pelo médico, é possível contornar o problema melhorando a alimentação e o estilo de vida.

Como evitar os sintomas da gastrite

  • Observar os horários das refeições e fazê-las de forma assídua e tranquila;
  • Fazer pequenas refeições ao longo do dia e não uma grande após horas em jejum;
  • Fazer uma boa mastigação dos alimentos; de preferência frutas menos ácidas, verduras e carnes magras;
  • Evitar fumar;
  • Evitar tomar analgésicos;
  • Evitar o uso indiscriminado de anti-inflamatórios sem prescrição médica;

Evitar a ingestão de:

  • café, chá mate, bebidas alcoólicas ou cafeinadas, refrigerantes;
  • chocolate, sal em excesso, enlatados, embutidos, pimenta-do-reino, leite e derivados, frituras e
    gorduras em excesso.

 

Apendicite é coisa séria – procure atendimento de urgência

Créditos: FreePik

Créditos: FreePik

Por Ana Rita Fernandes

Fique atento no caso de sentir uma dor localizada e contínua, do lado direito do abdômen, na parte baixa, próxima do umbigo. Pode ser proveniente de uma apendicite que é a inflamação do apêndice, órgão localizado na primeira parte do intestino grosso.

Acomete, com mais frequência, pessoas com idade entre 20 e 30 anos, podendo ser extremamente grave, pois pode evoluir em poucas horas e até levar à morte, caso o paciente não receba tratamento a tempo.

No entanto, apesar de não frequente, é possível a apendicite atingir crianças também e a comunicação dos sintomas pode ser difícil. Geralmente, se inicia como uma dor de barriga, persistente, irradiando para o lado direito do abdômen, seguida de falta de apetite, náuseas e desânimo. O sinal de alerta deve ser ligado.

Alguns sintomas podem ser característicos do quadro inflamatório-infeccioso da apendicite e devem ser considerados para a procura imediata de assistência médica de urgência, uma vez que o tratamento é cirúrgico.

SINTOMAS MAIS COMUNS

O sintoma mais característico é dor abdominal que se manifesta do lado direito e na parte baixa do abdômen, na altura do umbigo. É uma dor pontual, contínua e localizada, fraca no início, mas que vai aumentando de intensidade.

– Falta de apetite é outro sintoma da apendicite. Porém, não é determinante porque se apresenta em qualquer quadro infeccioso.

– Colapso do aparelho digestivo com a interrupção do funcionamento do intestino.

– Náuseas, vômitos e apatia.

– Febre

DIAGNÓSTICO

Estabelecer o diagnóstico de apendicite nem sempre é fácil. É clínico, realizado com base na história do paciente e na palpação do abdômen. O ultrassom e a tomografia muitas vezes se fazem necessários para determinar a suspeita.

Por isso, identificando os sintomas, o paciente deve ser levado a um hospital com a máxima urgência para diagnóstico e tratamento, evitando o agravamento e a evolução para apendicite supurada, que é o rompimento do órgão, com grande probabilidade de desenvolver um quadro de sepse, principal causa de morte nas UTI’s em todo o mundo.

#FiquePorDentro: Dia D contra o sarampo – A única prevenção é a vacina

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Por Ana Rita Fernandes

Com o objetivo de interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais acometidos pela doença no Brasil, amanhã, dia 19 de outubro, será o “Dia D” da 1ª Etapa de mobilização nacional, que visa à vacinação de todas as crianças não vacinadas de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias).

A Campanha Nacional De Vacinação Contra o Sarampo de 2019 está sendo efetuada em duas etapas, diferenciadas pela faixa etária, realizada pelo Ministério da Saúde, juntamente com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

A primeira etapa, no período de 07/10 a 25/10, abrange todas as crianças não vacinadas de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias).

A segunda etapa, no período de 18/11 a 30/11, tem o foco nos adultos jovens não vacinados na faixa etária de 20 a 29 anos de idade. O dia D, de mobilização nacional, será 30/11.

Procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima de você.

Em Belo Horizonte, no dia 19/10, todas as 152 UBS estarão vacinando no horário de 08:00 às 17:00.

Lembre-se: o sarampo é uma doença altamente contagiosa e pode levar a óbito, principalmente, as crianças.

Saiba mais: www.saude.mg.gov.br/sarampo

#GalbaVelloso: Hospital promove Semana de arte com pintura de mural, oficinas e sarau

Divulgação Fhemig

Divulgação Fhemig

Recital de piano, aula de yoga, sarau, performances, oficinas de fotografia, desenho, origami, culinária, confecção de bonecas e colagem são alguns dos eventos que integram a programação gratuita da 3ª Semana de Arte do Hospital Galba Velloso, em Belo Horizonte. De segunda (21/10) a sexta-feira (25/10), o evento, que homenageia a escritora mineira Adélia Prado, é aberto tanto para a comunidade hospitalar quanto para o público em geral.

Com o nome Casa da Poesia, a semana de arte tem foco na construção de relações com pessoas que vivem em sofrimento mental e que estão internadas no hospital psiquiátrico. Pacientes participarão também da pintura de um mural artístico no Galba Velloso. Confira aqui a programação completa.

Serviço

3ª Semana de Arte do Hospital Galba Velloso – Casa da Poesia

Data: 21/10 (segunda-feira) a 25/10 (sexta-feira)

Horário: de 9h às 19h

Local: Hospital Galba Velloso – Rua Conde Pereira Carneiro, Gameleira, Belo Horizonte

Entrada gratuita

Por Ascom Fhemig

#SaúdeNaCozinha: Conheça algumas dicas para adotar hábitos alimentares mais saudáveis

Foto: iStock / Reprodução.

Foto: iStock / Reprodução.

Nesta quarta-feira (16/10) é comemorado o Dia Mundial da Alimentação.  A data tem o objetivo de informar e conscientizar quanto às questões relacionadas à nutrição e à alimentação em todo o mundo, principalmente nos 150 países onde a data já é reconhecida. Se alimentar de forma adequada traz diversos benefícios para a saúde, aumenta o bem estar e previne doenças. A base para uma alimentação saudável devem ser os alimentos in natura e minimamente processados.

O Guia Alimentar para a População Brasileira contém informações e dicas muito importantes que auxiliam na promoção de hábitos alimentares mais saudáveis. O Guia classifica os alimentos em 4 categorias. A primeira delas reúne os alimentos in natura ou minimamente processados. Os alimentos in natura são os obtidos diretamente de plantas ou de animais e sem sofrerem qualquer alteração após deixar a natureza. Os alimentos minimamente processados são alimentos in natura que, antes de sua aquisição, foram submetidos a alterações mínimas, tais como: os grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado.

Já a segunda categoria corresponde aos ingredientes culinários como óleos, gorduras, sal e açúcar que são produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados em preparações culinárias.

Na terceira categoria encontram-se os alimentos processados que são alimentos in natura adicionados essencialmente de sal ou açúcar como legumes em conserva, frutas em calda, queijos e pães.

Por fim, na quarta categoria destacam-se os alimentos ultraprocessados que são produzidos com a adição de muitos ingredientes como sal, açúcar, óleos, gorduras, proteínas de soja, do leite, extratos de carne, além de substâncias sintetizadas em laboratório a partir de alimentos e de outras fontes orgânicas como petróleo e carvão. Como exemplo podemos citar os refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”.

Para além dessas categorias, o Guia ressalta que é importante incentivar a família a adotar uma rotina de alimentação mais saudável e para isso deve se basear em 10 passos. Veja abaixo quais são eles:

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação.

  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias.

  3. Limitar o consumo de alimentos processados.

  4. Evitar o consumo de alimentos ultra processados.

  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia.

  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados.

  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias.

  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece.

  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora.

  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

Clique aqui e saiba mais sobre alimentação saudável.

#BebaÁgua: Confira dicas para aumentar a ingestão do líquido no dia a dia

copo-agua-idoso

A água é um componente vital e essencial nos processos fisiológicos e metabólicos do organismo. Como, por exemplo, estimula a diurese contribuindo para a eliminação de toxinas acumuladas no corpo, ajuda na formação do bolo fecal, auxilia na manutenção da temperatura corporal e no transporte de nutrientes para as células.

Além da sede, o corpo pode dar outros sinais para alertar que a ingestão de água tem sido insuficiente, como boca seca, sudorese, pele fria e úmida, vômito, diarreia, câimbras e em casos mais graves perda da consciência.

Você sabia? 

Sempre ouvimos dizer que a quantidade recomendada de água é de, pelo menos, 2 litros por dia e, apesar de essa informação estar dentro das recomendações gerais, é necessária avaliação individual. Também se deve atentar a temperatura, atividades que a pessoa realiza e se estará exposta ao sol ou não. É importante principalmente observar o ciclo da vida em que a pessoa se encontra, pois, para cada fase da vida a necessidade hídrica será diferente. É preciso ter atenção especial à ingestão hídrica de crianças e idosos.

Atenção!

Frutas e verduras contém grande potencial adjuvante na hidratação. Como exemplo, podemos citar melancia, melão, acerola, laranja, tangerina, abacaxi, alface, tomate, repolho, dentre outros que na sua composição contém cerca de 90% de água, além de vitaminas e minerais. Vale destacar, porém, que nenhum alimento substitui a ingestão de água, ok?

E por fim, para quem tem dificuldades para ingerir a quantidade recomendada de água, algumas dicas: tenha sempre uma garrafinha de água a mão; coloque lembrete no celular, use garrafinhas com marcações de hora em hora e inclua a ingestão de água na rotina. Saborizar ou aromatizar a água é uma ótima estratégia: acrescente ervas aromáticas ou frutas cortadas à água natural, sem adição de açúcar ou qualquer tipo de conservante. Fazer cubos de gelo com pedaços de frutas dentro também é uma ótima alternativa.

#Evento: ASPEC promove no mês de outubro a IV Caminhada Rosa

No próximo dia 27 de outubro, a ASPEC (Ação Solidária às Pessoas com Câncer) promove a IV Caminhada Rosa, em Belo Horizonte. A ASPEC é uma organização da sociedade civil que, desde 2012, atende pessoas convivendo com o câncer, e que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O evento será um momento de manifesto à luta contra o câncer de mama, e contará ainda com aferição de pressão e teste de glicemia, aulão de zumba, massagem, distribuição de frutas, sorteio de brindes e outras ações.

A concentração será no Parque Juscelino Kubitschek, às 8h, e a caminhada será pela avenida Avenida Bandeirantes, em percurso de 3 km. A edição de 2018, segundo os organizadores do evento, contou com a participação de mais de mil pessoas entre participante e expectadores; e a expectativa é ainda maior para esta edição.

As inscrições e mais informações estão disponíveis neste link.