#Psoríase: diga não ao preconceito

By | 29 de outubro de 2019

por Ana Rita Fernandes

psoriase2

No dia 29 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Psoríase. Nessa data, a SES-MG vem reafirmar o acolhimento do SUS aos portadores da doença e lembrar que o preconceito deve ser colocado de lado, uma vez que não é contagiosa.

A psoríase é uma doença da pele, crônica, autoimune, caracterizada pela presença de manchas róseas ou avermelhadas recobertas por escamas esbranquiçadas. Tem causa desconhecida e um componente hereditário, mas apesar de existir uma predisposição familiar, não significa que é transmitida aos descendentes.

Acomete homens e mulheres de todas as idades e pode ocorrer de formas diferentes como, mais discreta com lesões pontuais ou mais severa abrangendo grandes regiões da superfície do corpo.

É uma doença cíclica que apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem, estando relacionados com diversos fatores: estresse emocional, traumas, drogas, infecções, entre outros. As lesões cutâneas ocorrem com mais frequência nos cotovelos, joelhos, mãos, pés, couro cabeludo, unhas e tronco.

Tipos e sintomas

De acordo com a localização e características das lesões, existem vários tipos de psoríase:

  • Psoríase Vulgar: lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Invertida: lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras como couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Gutata: pequenas lesões localizadas, em forma de gotas, associadas a processos infecciosos. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens;
  • Psoríase Eritrodérmica: lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo;
  • Psoríase Ungueal: surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas das mãos;
  • Psoríase Artropática: em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento articular. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho;
  • Psoríase Pustulosa: aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo;
  • Psoríase Palmo-Plantar: as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

Tratamento

A psoríase, até o momento, não tem cura nem prevenção. O tratamento utilizado para a enfermidade visa reduzir a quantidade e a gravidade das lesões e controlar a reincidência. Normalmente, as prescrições são individualizadas, de acordo com o histórico clínico do paciente, caso a caso, avaliado por dermatologista ou especialista em psoríase, buscando períodos mais prolongados possível de inatividade da doença.

O SUS oferece tratamento integral e gratuito aos pacientes com psoríase e, em setembro deste ano, teve o Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) de Psoríase atualizado com novas opções de tratamento, aumentando o conjunto terapêutico e possibilitando mais alternativas para o enfrentamento da doença.

 

Deixe uma resposta