#FalaRegional: Regional de Saúde de Coronel Fabriciano promove capacitação para municípios do Vale do Aço sobre registro de doses de vacinas no sistema e-SUS

By | 7 de novembro de 2019

por Flávio Samuel 

Créditos: Flávio Samuel

Créditos: Flávio Samuel

O Núcleo de Atenção Primária à Saúde (NAPRIS) da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano realizou na segunda-feira (4/11), uma capacitação sobre migração dos dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) para o sistema e-SUS. A capacitação contou com a participação de referências técnicas do programa e-SUS e profissionais responsáveis pela imunização 35 municípios que compões da região de saúde do Vale do Aço.

Segundo a referência técnica do sistema e-SUS da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Reinaldo Romeu dos Santos Junior, a migração é uma das estratégias do Ministério da Saúde para desenvolver, reestruturar e garantir a integração dos sistemas de informação em saúde, permitindo um registro da situação de saúde individualizado da população por meio do Cartão Nacional de Saúde.

“Neste encontro foi trabalhado a integração do e-SUS AB (SISAB) com o SIPNI. O e-SUS AB incorpora os módulos de registro nominal individualizado e registro individualizado de doses aplicadas. De acordo com Portaria nº 2.499/GM/MS, de 23 de setembro de 2019 e o Ofício Conjunto Circular Nº 2/2019/SVS/MS (27/09/2019), a partir do dia 23/11/2019, o registro de dados de aplicação de vacinas e de outros imunobiológicos nas Unidades de Atenção Primária à Saúde deverão ser realizados exclusivamente no e-SUS AB (PEC ou CDS)”, ressaltou.

Ainda segundo Reinaldo Romeu dos Santos Junior, durante a capacitação, o intuito é reduzir o retrabalho por parte dos profissionais de saúde, definindo um modelo integrado de registro das informações, possibilitando uma única entrada de dados para os serviços da Atenção Primária, ou seja, buscando evitar que o profissional de saúde tenha que usar vários sistemas, ao mesmo tempo, para alimentar as mesmas informações.

De acordo com a referência técnica da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Anelize Alvez Tuler, o Ministério da Saúde prevê a integração dos sistemas de informação em saúde, de modo a permitir um registro da situação de saúde individualizado da população por meio do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e ou CPF. “Reforçamos que o SIPNI continuará sendo o sistema oficial utilizado para a inclusão de dados do vacinado nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), policlínicas, hospitais, maternidades e rede privada de saúde. Destacamos ainda que em todos os serviços de vacinação o SIPNI continuará sendo utilizado para a movimentação de imunobiológicos, notificação de Eventos Adversos Pós-Vacinação – EAPV e relatórios diversos (cobertura, taxa de abandono, doses aplicadas etc.)”, finalizou.

Sistema E-SUS

O objetivo brasileiro de ter um Sistema Único de Saúde (SUS) que efetivamente cuida da população, demanda organização e capacidade de gestão do cuidado à saúde cada vez mais efetivas. Para atingir esse desafio, no contexto do maior sistema público de saúde do mundo, é essencial ter Sistemas de Informação em Saúde (SIS) que contribuam com a integração entre os diversos pontos da rede de atenção e permitam interoperabilidade entre os diferentes sistemas.

O nome, e-SUS, faz referência a um SUS eletrônico, cujo objetivo é sobretudo facilitar e contribuir com a organização do trabalho dos profissionais de saúde, elemento decisivo para a qualidade da atenção à saúde prestada à população.

O e-SUS Atenção Básica (e-SUS AB) é uma estratégia para reestruturar as informações da saúde na Atenção Básica em nível nacional. A qualificação da gestão da informação é fundamental para ampliar a qualidade no atendimento à população. A estratégia e-SUS faz referência ao processo de informatização qualificada do SUS em busca de um SUS eletrônico.

O sistema de software público e-SUS AB é um sistema de apoio à gestão do processo de trabalho. O sistema e-SUS AB foi desenvolvido para atender às necessidades de cuidado na Atenção Básica. Logo, o sistema poderá ser utilizado por profissionais das equipes de AB, pelas equipes dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF), do Consultório na Rua (CnR) e da Atenção Domiciliar (AD), oferecendo, ainda, dados para acompanhamento de programas como Saúde na Escola (PSE) e Academia da Saúde. A primeira versão do sistema apoia a gestão do processo de trabalho das equipes por meio da geração de relatórios, sendo que, a segunda versão contemplará várias ferramentas de apoio à gestão.

Deixe uma resposta