CES-MG leva informação sobre o SUS e participação social em escolas públicas de Minas Gerais

By | 22 de novembro de 2019

por Sílvia Amâncio (ASCOM/CES-MG)

Projeto propõe roda de conversa com estudantes sobre o controle social no SUS

Na tarde desta quinta-feira (21), duas turmas de alunos do 3º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Olegário Maciel, no Centro de Belo Horizonte/MG, participaram de roda de conversa sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) e a participação na construção das políticas públicas de saúde.

A atividade que foi conduzida pelo vice-presidente do Conselho, Ederson Alves da Silva, pela conselheira Glaúcia Batista (CRESS-MG) e pelo conselheiro Antônio Pádua Aguiar (CUT-MG), faz parte do projeto “Em Defesa do SUS e da saúde como um direito humano”, fruto da Resolução CES-MG nº 050 de 15/10/2018, com o objetivo de dialogar com estudantes secundaristas de escolas públicas mineiras sobre o controle social no SUS.

Na dinâmica, os alunos são convidados a falarem o que eles entendem por saúde, darem exemplos de experiências no SUS, positivas e negativas, além de questionarem como funciona a construção e melhorias do sistema.

Créditos: ASCOM/CES-MG

Créditos: ASCOM/CES-MG

A conselheira Glaúcia Batista, membra da Câmara Técnica de Educação Permanente, explica que o projeto teve início nas universidades públicas de Minas Gerais e agora alcança os estudantes do ensino médio.  “É extremamente importante a disputa de narrativa sobre o SUS, pois ele impacta positivamente na vida de milhões de pessoas como mostram vários estudos. O SUS sofre ataques desde o seu nascedouro e agora, mais do que nunca com o congelamento de gastos por 20 anos e a nova proposta de (des)financiamento da Atenção Primária em Saúde”, diz.

A conselheira destaca ainda que a Câmara Técnica de Educação Permanente  do CES-MG tem como prioridade multiplicar essas ações, entendo que as gerações mais jovens precisam entender o legado de conquistas populares  que as gerações anteriores construíram seja garantido e aperfeiçoado. “Vida longa para o SUS”, finaliza a conselheira.

Já fala do conselheiro Antônio Pádua para os estudantes faz uma importante crítica aos meios de comunicação por não explicarem o que é o SUS e como os planos de saúde privados atuam para o desmonte do sistema e, consequentemente, geram a insatisfação de parte da população com a saúde pública.

Em tempo

Dentro de sala de aula, os estudantes têm acesso ao histórico do SUS com a realização da histórica 8ª Conferência Nacional de Saúde (1986), as campanhas e programas 100% SUS, a urgência do financiamento adequado para o sistema e o retrocesso que é a PEC 95, que congela os gastos em saúde, educação, entre outras áreas por duas décadas.

Créditos: ASCOM/CES-MG

Créditos: ASCOM/CES-MG

Deixe uma resposta