#FioCruzNoAr: Bactérias na agropecuária e os cuidados no consumo de carnes

By | 18 de dezembro de 2019

Com o final do ano chegando, são comuns as confraternizações e o churrasco, tão onipresente na cultura alimentar do brasileiro, é a melhor pedida. Mas, é preciso ter cuidado no preparo e o consumo da carne.

Representantes da Organização Mundial de Saúde – OMS e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação – FAO alertam para o risco que o excesso de antibióticos na criação de galinhas, porcos e vacas podem causar no organismo humano. Na pecuária, os antibióticos são utilizados para tratar doenças e também como indutores de crescimento dos animais para o abate.

No corpo humano, o excesso de antibióticos gera a resistência antimicrobiana, ou a resistência aos antibióticos, o que pode levar a pessoa a risco de morte ao ser infectada por uma bactéria, pois os antibióticos ministrados para combater a doença, pode não ter efeito nenhum. No caso especial da carne, por exemplo, há o risco de infecção pela salmonella, uma bactéria que pode causar desde uma intoxicação alimentar até infecções mais graves que podem levar à morte.

Você não precisa deixar de consumir o seu churrasco, mas deve tomar alguns cuidados não só com a procedência da carne, mas também com o preparo dela, como explica a professora de microbiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Raquel Bonelli, nesta edição do boletim Fiocruz no Ar, que tem como título “Bactérias na agropecuária e os cuidados no consumo de carnes”.

Deixe uma resposta