#PartiuVacinação: Dia Nacional da Imunização destaca a importância da prevenção de doenças por meio da vacinação em todas as fases da vida

By | 9 de junho de 2020

Por Josianne Dias Gusmão – Graduada em Ciências Biológicas, Bacharel em Enfermagem, Especialista em Gestão de Programas Saúde da Família; Prática e Gestão da Clínica na Atenção Primária à Saúde; Gestão da Clínica na Atenção Primária à Saúde e Mestrado em Ciências da Saúde. Atua no Nível Central da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais como Especialista em Políticas e Gestão da Saúde, Autoridade Sanitária Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador e atualmente como Coordenadora Estadual do Programa de Imunizações. 

O Dia Nacional da Imunização, 09 de junho, tem como objetivo destacar a importância da prevenção de doenças por meio da vacinação em todas as fases da vida tanto para o indivíduo como para a saúde coletiva. Manter a vacinação em dia é uma das formas mais eficientes de evitar doenças.

No Brasil e no mundo, muitas doenças deixaram de ser um problema de saúde pública por causa da vacinação massiva da população.

O Brasil conta com um dos mais completos Programas de Imunizações, com grande abrangência de vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde – OMS e disponibilizadas de forma gratuita para a população. O Programa Nacional de Imunizações – PNI – foi criado em 1973, representando um instrumento destinado à proteção da população brasileira contra doenças que podem ser evitadas com o uso de imunobiológicos, incluindo as vacinas.

O Programa Nacional de Imunizações alcançou consideráveis avanços nas últimas décadas. Doenças imunopreveníveis como a rubéola e o tétano foram eliminadas. Outras doenças como a influenza, coqueluche, tétano acidental, hepatites, meningites, febre amarela, HPV, formas graves da tuberculose, varicela e caxumba tiveram significativa redução a partir da vacinação em massa.

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

Foto: Marcus Ferreira / SES-MG.

O Calendário Nacional de Vacinação contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos, gestantes e povos indígenas. Ao todo, são disponibilizadas 19 tipos de vacinas para mais de 20 doenças, cuja proteção se inicia, ainda, nos recém-nascidos e se estende por toda a vida.

As vacinas são seguras e passam por diversas fases de avaliação, desde os processos iniciais de desenvolvimento até a produção e a fase final, na aplicação, garantindo sua segurança. Além disso, as vacinas são avaliadas e aprovadas por institutos reguladores muito rígidos e independentes. No Brasil, essa função cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

Para quem perdeu o cartão de vacina, a orientação é procurar a Unidade de Saúde onde recebeu as vacinas afim de resgatar o histórico de vacinação e fazer a segunda via. A ausência do cartão de vacina não impede a vacinação.

O cartão de vacina é o documento que comprova a situação vacinal do indivíduo, e deve ser guardado junto aos demais documentos pessoais.

No contexto da pandemia do COVID-19, o Programa Nacional de Imunizações (PNI), de acordo com as recomendações realizadas pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), orienta que a vacinação deve ser considerada uma ação de saúde essencial e imprescindível que não deve ser interrompida.

Neste dia agradecemos aos profissionais de saúde, principalmente os vacinadores, em cujas mãos estão depositadas a certeza e a confiança nos resultados do Programa Nacional de Imunizações e à população mineira, que responde sempre de forma positiva aos chamamentos do setor de Saúde para a vacinação e o enfrentamento dos desafios de controlar ou eliminar doenças e agravos.

Vacinar é proteger você e sua família.

#partiuvacinação

Deixe uma resposta