Monthly Archives: outubro 2020

Você já ouviu falar em reumatismo?

Quando falamos sobre reumatismo, possivelmente surge em sua mente a imagem de uma pessoa de idade avançada e com dores nas articulações, não é mesmo? Apesar de o reumatismo realmente apresentar maior prevalência em idosos e boa parte deles apresentarem queixas reumáticas relacionadas às articulações, esse grupo de doenças é muito mais ampla do que você pensa. Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir o texto abaixo!

reumatismo_1

O QUE É REUMATISMO?

O termo “reumatismo” faz referência ao grupo das chamadas doenças reumáticas. Fazem parte dele mais de 100 tipos de doenças diferentes e que apresentam os mais diversos sintomas. Em geral, são conhecidas principalmente pelo acometimento do aparelho locomotor (ossos, articulações, cartilagens, músculos, tendões e ligamentos), mas também existem outras áreas do nosso corpo que podem ser afetadas, como o sistema respiratório, cardiovascular, gastrointestinal, pele, entre outros.

SERÁ QUE EU TENHO REUMATISMO?

Em geral, um paciente que possui uma doença reumática costuma queixar-se de uma dor articular e/ou muscular persistente, vermelhidão, inchaço, dificuldade em realizar alguns movimentos, rigidez, fraqueza, mas também pode apresentar outros sintomas menos comuns. Pode iniciar com um comprometimento dos órgãos internos e posteriormente comprometer as articulações, como no caso do lúpus eritematoso sistêmico e da febre reumática. Contudo, a dor é geralmente crônica e tende a comprometer progressivamente a qualidade de vida de quem possui a doença.

Muito embora as doenças reumáticas apresentem maior prevalência em idosos, vale lembrar que elas também podem acometer crianças, adolescentes e adultos. Dessa maneira, a melhor forma de confirmar se você possui reumatismo é sempre por meio de uma consulta médica especializada e, somente após avaliação de exames laboratoriais e de imagem, receber o seu diagnóstico.

CONHEÇA ALGUMAS DAS PRINCIPAIS DOENÇAS REUMÁTICAS

Como citado anteriormente, existem mais de 100 tipos de doenças reumáticas e vamos, aqui, citar brevemente algumas das mais conhecidas. Você já ouviu falar de quantas delas?

  • Arterite de Takayasu: um tipo de vasculite (doença em que ocorre inflamação de vasos sanguíneos) de causa desconhecida e que afeta de forma crônica a maior artéria do corpo humano, a aorta, e seus ramos primários;
  • Artrite idiopática juvenil: doença inflamatória crônica que acomete articulações e outros órgãos, como a pele, os olhos e o coração;
  • Artrite psoriásica: uma forma de artrite que pode afetar as pessoas que possuem psoríase;
  • Artrite reumatoide: doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações e com causa ainda desconhecida;
  • Doença de Behçet: doença que provoca aftas recorrentes, associadas ou não a úlceras genitais, lesões de pele, dores articulares, inflamação no olho, alterações neurológicas, inflamação e trombose em veias, entre outros sintomas;
  • Esclerodermia: doença do sistema imunológico que provoca o endurecimento da pele, a qual se torna espessa, lisa e sem elasticidade;
  • Espondiloartrites: grupo de doenças como: espondilite anquilosante, espondiloartropatias indiferenciadas, artrite reativa, artrite psoriásica, entre outras.
  • Febre reumática: doença inflamatória que pode acometer as articulações, o coracão, o cérebro e a pele de crianças, geralmente entre 5 a 15 anos;
  • Fibromialgia: síndrome caracterizada por dor muscular generalizada crônica, dor à palpação da musculatura, alterações do sono, cansaço e problemas com o humor, a concentração e a memória;
  • Gota: doença inflamatória que acomete sobretudo as articulações e ocorre quando a taxa de ácido úrico no sangue está em níveis acima do normal;
  • LER (Lesões por Esforços Repetitivos) / DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho);
  • Lúpus Eritematoso Sistêmico: doença inflamatória crônica de origem autoimune, cujos sintomas podem surgir em diversos órgãos de forma lenta e progressiva ou mais rapidamente;
  • Osteoartrite (Artrose): doença que se caracteriza pelo desgaste da cartilagem articular e por alterações ósseas, entre elas os osteófitos (“bicos de papagaio”);
  • Polimialgia reumática e arterite de células gigantes: doença que acomete pessoas acima de 50 anos, causando rigidez e dor no pescoço, ombros e quadris;
  • Reumatismo de partes moles: lesão ou inflamação das estruturas que estão em volta das articulações, resultando em bursites, tendinites, entesites e dor miofascial;
  • Síndrome anti-fosfolípide: distúrbio auto-imune na coagulação do sangue que causa trombose em artérias e veias, além de complicações na gravidez;
  • Síndrome de Sjögren: doença auto-imune que se caracteriza pela secura principalmente ocular e da boca;
  • Vasculites: grupo de doenças caracterizadas pela inflamação de vasos sanguíneos, em que sua parede é invadida por células do sistema imunológico.

Informações do site da Sociedade Brasileira de Reumatologia

reabilitação_1

COMO É O TRATAMENTO DAS DOENÇAS REUMÁTICAS?

Quando o assunto é o tratamento das doenças reumáticas, em boa parte dos casos temos os seguintes pilares do tratamento: controle da atividade da doença e melhora da qualidade de vida. A conduta terapêutica das doenças reumáticas geralmente consiste no controle do processo inflamatório, por meio do uso de medicamentos anti-inflamatórios, corticosteroides e imunossupressores. Contudo, outros fármacos também podem ser utilizados, dependendo da doença e da resposta terapêutica de cada paciente.

Como a maioria das doenças reumáticas demandam um tratamento de longa duração, é muito comum que haja o comprometimento da saúde mental desses pacientes. Assim, geralmente desenvolvem algum transtorno relacionado ao humor, como a ansiedade e a depressão.

Além do tratamento farmacológico, outras medidas devem ser utilizadas durante o controle da doença, como a fisioterapia, a acupuntura e o acompanhamento por um psicólogo. Assim, a intervenção multidisciplinar torna-se imprescindível para a obtenção do sucesso no tratamento de muitas das condições reumáticas.

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Referências:

Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), São Paulo (SP), Brasil.

Colégio Americano de Reumatologia (American College of Rheumatology)

 

Psoríase: entenda essa doença!

A psoríase é uma doença relativamente comum, presente em cerca de 5% da população mundial, principalmente nas pessoas de pele clara. Além do acometimento clássico da pele, também pode comprometer as articulações em quadros mais graves. É uma condição de saúde com causa não muito bem esclarecida, mas que apresenta uma ótima resposta aos atuais tratamentos. No entanto, quem possui psoríase enfrenta, atualmente, um grande desafio devido ao preconceito por trás da doença. Quer saber mais sobre a doença? Confira o texto abaixo!
Psoríase - mão

O QUE É PSORÍASE?

A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, mas que também pode acometer as articulações (artrite psoriásica). Caracteriza-se como uma doença cíclica (aparece e desaparece periodicamente) de causa desconhecida e multifatorial, envolvendo a resposta imunológica da nossa pele. Em pacientes predispostos à essa doença, pode-se observar alguns fatores desencadeantes como: infecções, uso de medicamentos e estresse emocional.

Os principais fatores de risco para a psoríase são:

  • Histórico familiar (30 a 40% dos pacientes com psoríase têm parentes com a doença);
  • Estresse, em função da provável desregulação do sistema imune;
  • Obesidade, devido às alterações inflamatórias comuns da obesidade;
  • Tempo frio, pois a pele tende a ficar ressecada;

 

QUAIS SÃO OS SINAIS E SINTOMAS DA PSORÍASE?

Os sinais e sintomas da psoríase costumam variar muito entre os pacientes que apresentam tal condição, mas geralmente apresentam lesões de pele que podem acometer qualquer região do corpo, mas há uma maior incidência nas regiões dos cotovelos, dos joelhos e do couro cabeludo.

Apresentam as seguintes características:

  • Manchas ou placas avermelhadas com escamas secas e esbranquiçadas;
  • Pele ressecada;
  • Coceira
  • Queimação;
  • Dor local;

Muito embora façamos referência à psoríase como uma doença única, vale lembrar que ela é subdividida em alguns subtipos, sendo elas:

  • Psoríase em placas (ou vulgar): forma clássica da doença;
  • Psoríase ungueal (unha): pode alterar espessura, cor e a forma da unha;
  • Psoríase do couro cabeludo: aspecto semelhante à caspa;
  • Psoríase gutata (em gotas): lesões espalhadas, associadas às infecções bacterianas;
  • Psoríase invertida: em áreas úmidas como axilas, virilhas, abaixo dos seios e genitais;
  • Psoríase pustulosa: apresenta manchas, bolhas ou pústulas (bolha com pus);
  • Psoríase eritrodérmica: vermelhidão acompanhada de descamação;
  • Psoríase artropática: acometimento das articulações.

 

A PSORÍASE É UMA DOENÇA CONTAGIOSA?

Apesar de muitas pessoas associarem as escamas esbranquiçadas como o responsável por um possível contágio da doença, destaca-se o fato de que a psoríase não é uma doença contagiosa e que não há qualquer comprovação de identificação de um possível agente infeccioso nessas escamas presentes nas lesões psoriásicas.

Os portadores da psoríase não oferecem nenhum risco de contágio às pessoas ao seu redor, podendo frequentar piscinas e praias, até mesmo se houver contato direto com as lesões. Sendo assim, é de extrema importância que os indivíduos com essa doença sejam inseridos normalmente às atividades cotidianas, evitando assim futuros prejuízos à sua saúde mental.

 

COMO PREVENIR A DOENÇA?

Uma vez que a causa ainda permanece desconhecida, os cuidados quanto à prevenção consistem basicamente em controlar os fatores de risco conhecidos, mantendo um estilo de vida saudável. Assim, deve-se evitar as situações de estresse, manter uma alimentação regrada, diminuindo os riscos à obesidade, e reduzir a exposição ao frio para evitar o ressecamento da pele.

COMO É O TRATAMENTO DA PSORÍASE?

O tratamento da psoríase é variável e depende de alguns fatores como: tipo de lesão, região acometida, extensão acometida e grau de acometimento.

Em casos leves, geralmente o uso de medicamentos tópicos (pomadas, cremes) associados a exposição solar e ao uso de hidratantes já é suficiente para a regressão da doença. Já nos quadros mais graves, utilizam-se os medicamentos sistêmicos (comprimidos por via oral), injetáveis (imunobiológicos) e a fototerapia (exposição à luz ultravioleta em câmaras artificiais).

 

A PSORÍASE TEM CURA?

Ainda que a resposta terapêutica seja muito eficiente no tratamento da psoríase (desde que feita corretamente conforme prescrição médica), atualmente ainda não há uma cura para a doença. Sendo assim, uma vez diagnosticado o paciente deve fazer o acompanhamento com dermatologista por toda a vida, com frequência variável de acordo com o perfil de atividade da doença em cada paciente.

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Referência:

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Acidentes com animais peçonhentos: previna-se!

Os acidentes com animais peçonhentos são mais frequentes do que se imagina. Com as chuvas e a forte onda de calor nos últimos dias, acidentes com animais peçonhentos também acabam aumentando. Escorpiões, cobras, abelhas, vespas, lacraias e aranhas procuram lugares secos para se abrigarem, podendo ser encontrados nas proximidades das casas, jardins e parques, tanto em áreas urbanas, quanto rurais. Porém, apesar do risco, é possível se prevenir com medidas simples; fique ligado(a):

  • Ao andar ou trabalhar em regiões de mato alto, use calçados fechados, de preferência de cano alto;
  • Use luvas grossas para manipular folhas secas, lixo, lenha, palhas, etc;
  • Não coloque as mãos em buracos, sob pedras e em troncos podres, e tome cuidado ao revirar cupinzeiros;
  • Mantenha jardins e quintais limpos, evitando acúmulo de lixo e entulho;
  • Em casa, mantenha fechados ralos, frestas, buracos e soleiras de portas e janelas;
  • Afaste camas e berços das paredes, e evite que roupas de cama e mosquiteiros encostem no chão;
  • Verifique roupas e sapatos antes de usá-los.
E se mesmo com todas essas precauções, você ou alguém próximo for vítima de um acidente com animal peçonhento, é importante manter a calma e saber o que fazer e o que NÃO fazer, veja só:
O que fazer:
. Lave o local da picada com água e sabão, e mantenha o acidentado hidratado e deitado, com o local da picada elevado em relação ao corpo
. Leva a vítima ao serviço de saúde mais próximo.

O que não fazer:
. Não amarre o membro acidentado, isso impede a circulação do sangue e pode causar gangrena ou necrose local;
. Não corte o local da picada: alguns venenos podem provocar hemorragias;
. Não aplique folhas, pó de café ou terra sobre a ferida, pois pode provocar infecção.

Câncer de boca: saiba o que é e como se prevenir!

Muito provavelmente você já deve ter conhecimento sobre os alguns tipos de cânceres, como o câncer de mama, de próstata, de pele, entre outros. Mas você já ouviu falar no câncer de boca? O câncer de boca (ou câncer da cavidade oral) é responsável por cerca de 3 a 5% de todos os tumores malignos, sendo mais comum em homens com idade acima de 40 anos, sendo o quarto tumor mais frequente na região Sudeste. Quer saber mais sobre esse assunto? Acompanhe o nosso post!

Captura de Tela 2020-10-15 às 18.11.08

O QUE É CÂNCER DE BOCA?

O câncer de boca é tecnicamente definido como um tumor maligno que pode acometer principalmente as regiões dos lábios, gengivas, língua, céu da boca e até mesmo a região da garganta.

Existem vários tipos de câncer de boca, sendo divididos por tipos celulares acometidas pelo tumor. O tipo mais comum é o carcinoma de células escamosas; tumor que compromete as células escamosas da nossa pele, sendo responsável por até 90% dos casos de câncer de boca. Outros exemplos são os teratomas (tumor de células embrionárias), adenocarcinomas (tumor de tecidos glandulares), melanoma (tumor de células produtoras de melanina) e sarcomas (tumor de partes moles, como músculos, gordura, cartilagens tendões e nervos).

 

SINAIS DO CÂNCER DE BOCA

O câncer de boca é frequentemente antecedido pelas lesões denominadas pré-malignas, sendo as leucoplasias (manchas ou lesões espessas brancas) e as eritroplasias (manchas ou lesões espessas avermelhadas) as mais comuns. Tanto a leucoplasia quanto a eritroplasia são lesões consideradas benignas (crescimento anormal, sem chance de invadir outros tipos de tecidos e órgãos). Estudos indicam uma chance de 5% das leucoplasias evoluírem para a condição maligna. Por outro lado, a eritroplasia apresenta uma chance de 51% de apresentar alterações malignas.

A maioria dos pacientes são homens com idade superior a 50 anos e com história de tabagismo e etilismo (consumo de álcool), que relatam uma ferida oral (caroço, inchaço, áreas de dormência, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas, úlceras) com surgimento há algumas semanas, mas que não se cicatrizam, ocasionalmente podem sangrar e frequentemente possuem mau hálito. Podem também apresentar dificuldade para falar ou engolir, caso a lesão seja na garganta.

Os principais fatores de risco são:

  • tabagismo;
  • etilismo;
  • má higiene oral;
  • sexo masculino;
  • infecção prévia ou atual pelo HPV;
  • baixo consumo de caroteno;
  • história familiar de câncer;
  • traumatismo local crônico.

 

COMO PREVENIR O CÂNCER DE BOCA?

Captura de Tela 2020-10-15 às 18.11.32

O tabagismo, associado ao etilismo, possui um efeito potencializador do câncer de boca, estando essa associação presente em 80% dos casos de câncer de cavidade oral. Assim, a principal forma de prevenção desse tipo de câncer é a interrupção do tabagismo, além da redução do consumo de álcool.

Outras medidas também contribuem na prevenção do câncer de boca e estão relacionados aos hábitos saudáveis de vida, tais como: evitar exposição ao sol sem proteção (protetor labial), higiene bucal, acompanhamento odontológico semestral e realização do auto-exame.

 

COMO SABER SE ESTOU COM CÂNCER DE BOCA?

Captura de Tela 2020-10-15 às 18.11.54

O auto-exame é de fundamental importância nesse processo, portanto sempre que possível verifique sua saúde bucal, à procura de lesões ou manchas na cavidade oral, pois muitas vezes as lesões pré-malignas podem ser assintomáticas. Contudo, sempre que possível procure um profissional da saúde (dentista ou médico) para melhor avaliação e, assim, fazer o diagnóstico precoce do câncer de boca.

Nesse processo, caso o profissional responsável identifique uma lesão suspeita, é indicada a realização da biópsia (retirada de fragmento da lesão para avaliação microscópica) e até mesmo exames de imagem (radiografia simples, tomografia computadorizada e ressonância magnética).

 

O CÂNCER DE BOCA TEM CURA?

Após o diagnóstico do câncer de boca, a cirurgia está indicada na grande maioria dos casos e consiste na retirada da lesão tumoral. Contudo, dependendo do tempo de evolução e das regiões acometidas, também podem ser necessários procedimentos adicionais como radioterapia e quimioterapia.

Assim, como o tratamento varia de acordo com a evolução do quadro, vale lembrar que o quanto antes a lesão for diagnosticada, melhores serão os resultados e menos procedimentos, provavelmente, deverão ser feitos.

Autor: Vitor Yukio Ninomiya

Referências:

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), São Paulo (SP, Brasil).

Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física

4482360

Segundo dados do IGBE, no Brasil, são 12,5 milhões de pessoas com deficiência, o que corresponde a 6,7% da população. Por isso, neste 11 de outubro, Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, reforça a importância de políticas públicas eficientes, que garantam os direitos, a inclusão e a valorização dessas pessoas em todas as esferas da sociedade.

Na SES-MG, a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência (RCPD) é responsável por garantir a integralidade do cuidado e o acesso regulado aos serviços de saúde. Criada em 2012, por meio da por meio da Deliberação CIB-SUS/MG n° 1.272, a área ampliou e articulou pontos de atenção à saúde para pessoas com deficiência no âmbito SUS-MG. Os serviços de reabilitação são executados em unidades especializadas de abrangência regional, qualificadas para atender às pessoas com deficiência. As equipes são formadas por profissionais como médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e enfermeiros, que fazem o trabalho de avaliação individual dos pacientes e também acompanham todo o processo de reabilitação.

A RCPD possui quatro oficinas ortopédicas fixas, habilitadas pelo Ministério da Saúde. Localizadas nos municípios de Belo Horizonte, Diamantina, Nova Lima e Uberlândia, os serviços fazem a confecção, dispensação, adaptação e de manutenção de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM). Há também o serviço da oficina ortopédica itinerante terrestre, vinculada ao CER IV de Diamantina. Composta por um caminhão adaptado especialmente para esse fim, a unidade se desloca juntamente com uma equipe composta por um fisioterapeuta, técnicos de órtese prótese e sapateiro, para locais sem acesso à oficina ortopédica fixa, objetivando melhorar o acesso e qualificar a assistência à saúde dos usuários com deficiência física.

Outra importante assistência são os Serviços de Atenção à Pessoa Ostomizada (SASPO), que desenvolvem ações de reabilitação que incluem as orientações para o autocuidado, a prevenção, o tratamento de complicações no estoma, a capacitação de profissionais e o fornecimento de equipamentos coletores e de proteção e segurança (bolsas coletoras, barreiras protetoras de pele sintética, coletor urinário). Atualmente existem 52 serviços localizados em 51 municípios no Estado.

A coordenadora de Atenção à Saúde da Pessoa Com Deficiência- CASPD, Renata Cardoso Vaz ressalta que todos esses avanços foram importantes, mas o trabalho tem que continuar. “Ainda que tenhamos avançado, faz-se necessário diminuir as barreiras, tanto físicas quanto sociais, de forma a garantir a plena inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. O envolvimento da família, a educação em saúde, a garantia de acesso e a diminuição dos preconceitos são elementos importantes para o avanço da inclusão”, reforçou.

A porta de entrada dos usuários são as unidades básicas de saúde (UBS), onde é realizada a avaliação inicial, vinculação à equipe de saúde da família (ESF) e encaminhamento aos demais serviços de atenção especializada, quando necessário. Mais informações estão disponíveis no link www.saude.mg.gov.br/deficientefisico.

Exemplo de superação

Os desafios para superar as dificuldades, diferenças e o preconceito sempre fizeram parte da vida de pessoas com deficiência. Para o atleta mineiro e paraolímpico de tênis de mesa, Carlo de Franco Michel, mais conhecido como Carluxo, a batalha é desde que nasceu. Com 50 anos de idade, ele é portador da artrogripose múltipla, doença congênita que limita os movimentos das articulações. Sua primeira cirurgia foi aos 15 dias de nascido e, a partir daí, foi submetido a mais 52 procedimentos no decorrer da vida. O atleta buscou, através da superação, se tornar um campeão nas quadras e na luta contra suas limitações físicas. “Quando eu era adolescente sofri muito preconceito. A sociedade já te olha diferente, mas o esporte me deu muita autoestima, me ensinou a entender quem eu sou, a não me vitimizar e nunca esperar dos outros o que eu tenho que fazer por mim”, afirmou.

Acervo Pessoal

Acervo Pessoal

O atleta paraolímpico chegou a ser um dos cinco melhores do mundo em sua modalidade e garante que, para vencer foi preciso apenas uma coisa. “A vida é isso, sair do seu lugar e ir atrás dos seus sonhos. A sociedade acha que a pessoa com deficiência não tem condições, mas cabe a nós mostrar que isso não é verdade. Somos capazes e temos condições de alcançar nossos objetivos”.

Reabertura de academias: orientações para voltar a malhar em segurança!

photography-purple-train-color-training-studio-764110-pxhere.com

Já voltou ou está se programando para voltar a frequentar a academia? Saiba quais são os cuidados que você deve observar para preservar a sua saúde:

1. Use máscara durante todo o período de treino;
2. Evite o período de pico da academia e se programe para treinar em horários alternativos;
3. Verifique as condições de limpeza e ventilação do ambiente, bem como a disponibilização de álcool gel e uso de máscaras pelos funcionários;
4. Preserve distância mínima de 2 metros entre outros usuários de equipamentos. Em caso de aulas ou exercícios aeróbicos, o recomendado são 3 metros de distância;
5. Equipamentos e acessórios, como colchonetes, halteres e barras, devem ser higienizados após cada utilização;
6. Não utilize saunas ou áreas de convivência da academia, a fim de evitar aglomerações.

Tem um amigo ou grupo que frequenta academia com você? Compartilhe esse post!

EXPOSIÇÃO SOLAR: ENTRE RISCOS E BENEFÍCIOS, PRUDÊNCIA!

Tendo em vista o aumento da temperatura nos últimos dias, fica quase impossível não bater aquela vontade de ir ao parque, à praia ou à piscina, não é mesmo?
Você já deve ter ouvido falar que tomar sol faz bem pra saúde. Mas sabe quais são seus benefícios e como fazer isso de forma correta?
Continue lendo nosso post para saber mais sobre o tema!

-piscina_176420-3933

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA EXPOSIÇÃO SOLAR?

Um dos principais e mais comentados benefícios da exposição ao Sol é a produção de vitamina D, que auxilia o nosso organismo no funcionamento do sistema imune. Porém, é importante lembrar que para que essa medida seja eficaz, é necessário aliar o Sol à uma boa alimentação.
A exposição solar também ajuda a reduzir as chances de desenvolver doenças como a depressão, já que os raios solares atuam na produção de endorfina, um dos hormônios responsáveis pela sensação de prazer.
Além disso, a exposição adequada à luz do Sol também ajuda a regular o ciclo do sono, contribuindo na redução dos episódios de insônia.

proteção solar

SAIBA QUAIS SÃO AS RECOMENDAÇÕES SOBRE O FILTRO SOLAR!

Sabendo dos benefícios da exposição solar, devemos ter em mente os cuidados necessários para que essa prática não traga malefícios à saúde. Um desses cuidados é o uso diário e correto do protetor solar.

Mesmo que você seja exposto à luz solar por um curto período de tempo, é necessário se prevenir com um produto que apresente fator de proteção solar (FPS) de, no mínimo, 30. Procure por um protetor solar com boa cobertura contra os raios ultravioletas (UVA e UVB), sempre conferindo o rótulo do produto. Procure um dermatologista para receber orientações mais adequadas sobre qual o melhor cuidado específico para a sua pele. 

O protetor solar deve ser aplicado na quantidade correta (uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo), de forma uniforme para que toda a pele seja protegida. Reaplique a cada duas horas e, também, quando houver muita transpiração.

Prefira ficar em áreas com sombra e lembre-se de manter-se sempre hidratado. Sempre que possível, use chapéus e óculos escuros (com a devida proteção), pois também são ótimos aliados na proteção.

Lembre-se de utilizar o protetor mesmo quando o dia estiver nublado, já que, mesmo nesses dias, a radiação UV chega até nós. 

 

SE A EXPOSIÇÃO SOLAR FAZ BEM PARA A SAÚDE, POR QUE DEVO TOMAR CUIDADO?

Tomar sol traz inúmeros benefícios para a saúde, como já citado. Mas o excesso, aliado à falta de cuidados (não passar protetor solar, expor-se ao sol em horários inadequados e por muito tempo, não se hidratar) pode trazer consequências muito graves à saúde.

Uma dessas consequências é o câncer de pele, sendo que este câncer representa cerca de 30% dos tumores malignos registrados no Brasil. Inclusive, vale ressaltar que é importante buscar ajuda médica caso você perceba sinais do aparecimento da doença, tais como: surgimento de manchas na pele, alterações da forma e coloração de manchas já existentes, ardência, entre outros.

É importante lembrar, também, que quanto maior o tempo e a intensidade da exposição solar, maiores são as chances de desenvolver algum tipo de doença na pele, visto que isso é algo cumulativo e por isso os riscos aumentam com o passar da idade. Além disso, pessoas com a pele clara e/ou com histórico de câncer de pele na família possuem maiores chances de desenvolverem essa comorbidade.

Sendo assim, tomar sol faz bem, desde que isso seja feito com prudência. Por isso, siga as recomendações de como fazer isso de forma adequada:

  • procure expor-se à luz solar antes das 10 horas da manhã e/ou após às 16 horas;
  • mantenha-se hidratado;
  • utilize filtro solar;
  • proteja-se com chapéu e óculos escuro;
  • use roupas leves;

LEMBRE-SE: AINDA ESTAMOS NO MEIO DA PANDEMIA DE COVID-19!

É importante estarmos conscientes de que ainda estamos enfrentando uma pandemia de covid-19! Por isso, lembre-se que, além dos cuidados com a pele, precisamos nos cuidar e nos prevenir amplamente. Ao sair de casa, continue utilizando máscara, mantenha o hábito da higienização das mãos e respeite o distanciamento físico de pelo menos dois metros entre as pessoas.

Cuidar da nossa saúde fazendo atividades prazerosas é necessário e deve ser feito de forma segura, com os cuidados adequados. Assim, cuidamos de nós mesmos e dos outros!

Agora que você já sabe sobre os benefícios e cuidados sobre a exposição solar, é hora de fazer isso com prudência! Para que um dia de sol seja prazeroso na praia, no parque ou na piscina, lembre-se sempre de respeitar as recomendações acima!

 

Autores: Letícia Massensini Oliveira, Vitor Yukio Ninomiya

Referências:

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

A importância da hidratação nesse clima quente e seco

Temos visto diversas notícias de que teremos recordes de temperatura nos próximos dias. Aliado a isso, o clima está bastante seco, o que agrava ainda mais os quadros respiratórios e traz o risco de desidratação. Então, diante de um tempo quente e seco, qual a importância da hidratação?

Bem, ela é essencial – não é à-toa que todos os médicos recomendem que a gente beba vários litros de água diariamente. Com o calor e a baixa umidade do ar, essa necessidade pode ser ainda maior. Quer saber por que a hidratação protege o nosso corpo? Ficou interessado em tomar a quantidade certa de água? Confira o nosso post!

Qual a importância da hidratação para o nosso corpo?

Nosso organismo é composto por cerca de 70% de água. Ela está dentro de todas as nossas células, no sangue, no cérebro, entre as articulações.. Nosso organismo usa a água para funções como:

  • auxiliar nas reações químicas que produzem energia para as células;
  • lubrificar nossa boca, a garganta e todas as demais partes do sistema respiratório;
  • produzir saliva e secreções para ajudar na condução e digestão dos alimentos;
  • manter a temperatura do nosso corpo estável;
  • permitir a circulação adequada do sangue.

Essa são apenas algumas das centenas de funções da água no organismo.

Por que se hidratar durante o clima quente?

Nosso corpo precisa manter uma temperatura estável, que deve ficar por volta de 35,5 a 37,5°C medidos nas axilas. Caso contrário, várias reações importantes começam a falhar. Quando atingimos temperaturas acima de 39º a 40º, ocorre, inclusive, risco significativo de morte devido à hipertermia – esse é o nome que os médicos dão para temperaturas corporais elevadas.
Quando o calor chega com os termômetros acima de 30ºC, nosso organismo tem dificuldade em manter a faixa de temperatura saudável. Então, usa mecanismos para se resfriar, como o suor. Com isso, ele libera muito mais água do que o normal e, consequente, a desidratação ocorre com mais facilidade.

E no clima seco?

Lembra que falamos que a água atua na lubrificação do sistema respiratório, do aparelho digestivo e da pele? Quando o tempo está seco é como se o ar roubasse a umidade do corpo de forma que ele se resseque mais rapidamente. Por esse motivo, beber água é muito importante para repor a hidratação perdida.

Qual a quantidade certa de água que devemos beber? Com qual frequência?

A gente sempre ouve que devemos beber dois litros de água todos os dias. Então, primeiro precisamos desmitificar essa ideia: a quantidade de água não é fixa para todo mundo. Ela depende especialmente do peso do indivíduo, do sexo e da idade. De forma geral, os adultos precisam de 35 ml por cada quilo de peso. Então, é preciso levar isso em consideração na hora de planejar a quantidade de água (aqui, não vale tomar outros líquidos) a ingerir durante o dia.

Portanto, a hidratação é essencial nesse clima quente e seco e vai ajudar nosso organismo a repor todo a água que falta para funcionar bem. Os benefícios são enormes e fundamentais para uma vida saudável.

Quer saber melhor sobre como cuidar da saúde? Confira as nossas redes sociais!